Carreiras

| Empreendedorismo

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em parceria com o Ministério da Educação (MEC), organiza uma webinar gratuito na próxima quinta-feira (24), a partir das 17h, no canal do YouTube do Centro Sebrae de Referência em Educação Empreendedora - CER. Com o tema ‘Educação e Empreendedorismo’, o evento é voltado para professores, educadores e gestores escolares.

O debate virtual busca sensibilizar os profissionais sobre as possibilidades de empreendedorismo voltado para a educação. O webinar contará com a apresentação do palestrante Jorge Audy, professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e membro do comitê gestor do Sebrae. O evento ainda terá a presença de Renato de Oliveira Brito, diretor de formação docente e valorização de profissionais da educação do MEC, e Jânio Macedo, gerente nacional de educação empreendedora do Sebrae.

##RECOMENDA##

Para Thelmy Arruda de Rezende, analista de cultura empreendedora do Sebrae, o evento é uma das iniciativas da parceria com o órgão ministerial. “Após firmarmos um acordo de cooperação técnica com o Ministério da Educação, em março, finalmente colocaremos em prática várias iniciativas de empreendedorismo voltadas para a educação formal. O nosso objetivo é disseminar, ao longo deste ano, diversas ações e conteúdos aprofundados no tema para profissionais da educação e estudantes”, explica.

De acordo com Rezende, a forma como o empreendedorismo deve ser abordado na educação básica é sinalizada na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). “No ensino fundamental, por exemplo, ele aparece de forma transversal. Já no ensino médio é visto como eixo estruturante para a organização de itinerários formativos. Antes da BNCC, conteúdos e práticas de empreendedorismo tinham pouco destaque na organização dos currículos escolares.”, ela analisa.

Empreendedores e empreendedoras impactados pela pandemia do novo coronavírus podem participar do Prêmio Tamo Junto. A iniciativa, promovida pela Aliança Empreendedora, visa auxiliar empresários formais ou informais, através de capacitações gratuitas e recurso financeiro, que desejam retomar ou iniciar um negócio. 

O projeto é dividido em duas fases. A primeira contará com 600 selecionados, 150 por categoria de negócio, que receberão um auxílio no valor de R$ 200. Na segunda etapa, serão doze selecionados. Essa fase é dividida em quatro categorias e os três primeiros colocados recebem, respectivamente, R$5.000, R$3.000 e R$1.000.

##RECOMENDA##

As inscrições e regulamento com todas as informações sobre o prêmio estão disponibilizados no site do projeto

O Instituto Êxito de Empreendedorismo e a FACESB – Faculdade de Ciência Empresarias de São Joaquim da Barra, em São Paulo, firmam convênio para promover a capacitação empreendedora de mais de mil estudantes. O convênio também contempla promover parcerias nas escolas, prefeituras e órgãos públicos no município de São Joaquim da Barra e região, e ao final dos cursos, os alunos terão a possibilidade de receber o certificado impresso, entregue em uma cerimônia na sede da FACESB.

A capacitação acontecerá com os mais de 500 cursos onlines e gratuitos ofertados pelo Instituto, através da sua plataforma. “Estamos muito felizes com essa oportunidade de propagar a educação empreendedora, junto com a FACESB. O futuro do Brasil está nas mãos dos novos empreendedores e a única maneira de transformarmos a nossa realidade é dando novas possibilidades aos estudantes e a toda população”, afirmou o presidente do Instituto Êxito de Empreendedorismo, Janguiê Diniz. “Por isso, essa nossa parceria acontece em um momento muito importante, quando vamos auxiliar no desenvolvimento de mais de mil vidas, impactando o nosso país”, finalizou.

##RECOMENDA##

De acordo com a CEO e diretora da FACESB, Erica Smargiassi, a parceria beneficiará todos os estudantes do município de São Joaquim da Barra e região. “A nossa parceria irá desenvolver, organizar e articular ações de capacitação para todos os estudantes e a população de São Joaquim da Barra, propagando conhecimento e modalidades de capacitação, assim as pessoas terão novas oportunidades no mercado de trabalho.”, informa. “O objetivo é levar atividades complementares para todos os alunos e promover a educação empreendedora para os estudantes de ensino público da cidade São Joaquim da Barra e cidades vizinhas. Com isso, enriquecendo os currículos de todo o público que está ingressando no ensino superior, agregando valor a toda a população da região.”, finaliza, Erica.

Para acessar os mais de 500 cursos gratuitos na plataforma virtual, basta acessar o site da Instituição (exito.app.toolzz.com.br/FACESB), inserir o código FACESB, realizar o cadastro e, a partir daí, navegar em todo o conteúdo disponível.

Os usuários também terão acesso às mentorias online, realizadas pelo aplicativo Toolzz Mentor, por grandes nomes do empreendedorismo e sócios do Instituto, como: José Roberto Marques, presidente do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC); Janguiê Diniz, fundador do grupo Ser Educacional; Guilherme Benchimol, fundador da IP Inc.; Antônio Carbonari Netto, fundador do grupo Anhanguera Educacional; Carol Paiffer, presidente da Atom;  João Appolinário, fundador e CEO da Polishop; Ricardo Bellino, empreendedor serial; Geraldo Rufino, presidente da JR Diesel; Gustavo Caetano, CEO da Samba Tech; João Kepler, fundador e presidente do Fundo de Investimentos Bossa Nova; Fábio Coelho, presidente do Google Brasil, entre outros.

Sobre o Instituto Êxito

O Instituto Êxito de Empreendedorismo é o resultado de um sonho que envolve empreendedores visionários dos mais variados segmentos do Brasil. Hoje, já conta mais com mais de 500 sócios que compactuam de um mesmo propósito: fazer do empreendedorismo a turbina para impulsionar vidas e histórias.

O Êxito tem a filosofia de que, independente da classe social e econômica, qualquer pessoa pode transformar suas ideias em ações que mudem e melhorem a realidade e a comunidade na qual vive. Por isso, nasceu com o objetivo de estimular o dom empreendedor dos jovens, especialmente os de escolas públicas, onde há muitos talentos escondidos e boas ideias a serem impulsionadas.

Nomeado como uma instituição sem fins lucrativos, seu principal plano de ação está em oferecer uma plataforma de cursos online e gratuitos, além de realizar diversas ações voltadas para o fomento ao empreendedorismo.

Da assessoria 

A entidade estudantil da Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da Universidade de São Paulo (USP), FEA Social, divulgou a abertura de vagas para uma consultoria que visa auxiliar empreendedores em estágios iniciais com impacto socioambiental. Os participantes devem ser pessoas jurídicas com CNPJ ativo, experiência de dois anos no mercado empreendedor, possuir acesso à internet e disponibilidade para encontros on-line. Interessados devem realizar o cadastro por aqui: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfLOVgLyvL3K_xTwfU_3PqaCXqY0rlW0OeMt_hsdoqW-Y1uGw/viewform

O processo de seleção será dividido em três etapas e os resultados serão divulgados em 2, 5 e 23 de julho, respectivamente. Segundo a FEA Social, os selecionados receberão o resultado até a última semana de julho. O programa acontecerá no formato remoto, o que possibilita participantes de todos os estados do Brasil.

##RECOMENDA##

De acordo com a FEA Social, a consultoria ocorrerá nos períodos de agosto a dezembro e será ministrada por estudantes da USP, que auxiliarão na otimização do empreendimento. Durante o programa, serão realizados diversos treinamentos e atividades que visam otimizar o crescimento profissional dos empreendedores e de suas equipes.

A FEA Social informou que demais dúvidas podem ser enviadas pelas redes sociais da entidade e também pelo e-mail:  feasocialusp@gmail.com 

A pesquisa ‘Sobrevivência de Empresas (2020)’, promovida pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), revelou que os microempreendedores individuais (MEI) são os que apresentam maior taxa de mortalidade em até cinco anos. O estudo é feito com base em dados da Receita Federal e com apuração em campo.

Segundo o levantamento, a taxa de mortalidade dos MEI é de 29%. No que diz respeito às microempresas, a taxa de falência, após cinco anos, é de 21,6%, enquanto os negócios de pequeno porte apresentam 17%.

##RECOMENDA##

“Entre os microempreendedores individuais há uma maior proporção de pessoas que estavam desempregadas antes de abrir o negócio e que, por isso, se capacitam menos e possuem um menor conhecimento e experiência anterior no ramo que escolheram, o que afeta diretamente a sobrevivência do negócio”, comentou o presidente do Sebrae, Carlos Melles, ao analisar os dados do estudo, conforme informações da Agência Sebrae de Notícias.

A pesquisa chegou à conclusão de que a maior taxa de falência dos MEI está ligada à “extrema facilidade de abrir e de fechar esse tipo de empreendimento, quando comparado às Microempresas (ME) e às Empresas de Pequeno Porte (EPP)”. De acordo com a análise, “as facilidades de abrir e fechar o MEI faz com que este sistema se assemelhe ao padrão norte-americano de abrir e fechar empresa. Logo, com a maior facilidade de registro e baixa, passa a ser natural entrar e sair de uma atividade, sem que isso gere implicações burocráticas excessivas”.

A principal causa para fechamento dos negócios apontada por parcela expressiva dos empresários é a pandemia da Covid-19. “Independentemente do porte, mais de 40% dos entrevistados citaram explicitamente como causa do encerramento da empresa a pandemia do coronavírus. Para 22%, a falta de capital de giro foi primordial para o fechamento do negócio”, destacou Melles.

Ainda segundo o estudo, o comércio carrega a maior taxa de mortalidade. Nesse segmento, 30,2% dos empreendimentos fecham as portas em cinco anos. Em seguida, aparecem indústria da transformação, com 27,3%, e serviços, com 26,6%. “As menores taxas de mortalidade estão na Indústria Extrativa (14,3%) e na Agropecuária (18%). Minas Gerais é o estado com a maior taxa de mortalidade com um percentual de 30%. Distrito Federal, Rondônia, Rio Grande do Sul e Santa Catarina apresentaram uma taxa de mortalidade de 29%. Amazonas e Piauí foram os que apresentaram as menores taxas de mortalidade (22%), seguidos por Amapá, Maranhão e Rio de Janeiro (23%)”, acrescentou o Sebrae.

Com informações da Agência Sebrae de Notícias

Com foco em incentivar o ecossistema de inovação, a Petrobras lançou, nessa terça-feira (15), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o 3º edital do Programa Petrobras Conexões para Inovação (Módulo Startups). Com um edital no valor total de R$ 22 milhões, os selecionados terão oportunidade de desenvolver soluções para a demanda da Petrobras, com possibilidades nacionais e internacionais. A depender da categoria do desafio, soft ou deep tech, a companhia irá investir de R$ 500 mil até R$ 1,5 milhão.

Segundo Nicolás Simone, diretor de Transformação Digital e Inovação da Petrobras, o objetivo é desenvolver ainda mais o ecossistema aliado a mais agilidade, segurança nas operações e competitvidade nos negócios.“Criamos um importante ecossistema de inovação capaz de desenvolver soluções às atividades da Petrobras, apoiando a execução do plano estratégico e com foco na agregação de valor para a companhia. Já fizemos muito nos últimos anos, mas queremos desenvolver ainda mais nosso ecossistema, conferindo mais agilidade para a companhia, segurança às operações e competitividade para os negócios” afirma o diretor.

##RECOMENDA##

“Por meio desta parceria, o Sebrae viabiliza que pequenos negócios se insiram de forma efetiva no processo de inovação aberta da Petrobras, desenvolvendo tecnologia e inovação que irão impactar positivamente a cadeia produtiva de Petróleo e Gás. Durante a execução dos projetos de P,D&I, o Sebrae caminha junto com as startups, promovendo ações de suporte em gestão e melhoria da competitividade dessas empresas selecionadas nos editais”, completa o diretor técnico do Sebrae, Bruno Quick.

Os interessados poderão tirar todas as suas dúvidas por meio de lives realizadas por especialistas da Petrobras no início do mês de julho. Durante e após todo o processo, as empresas contarão com assessoria da Petrobras e do Sebrae para que o projetos, uma vez finalizados, consigam se implantar na cabeça de série ou no serviço pioneiro na Petrobras.

Confira, abaixo, as categorias e os editais:

Startups - As inscrições iniciam nesta quarta-feira (16) e vão até 1º de agosto, por meio da submissão de propostas de projetos de inovação para os desafios da Petrobras que são divulgados periodicamente no portal do Sebrae. O projeto terá a possibilidade de ser selecionado para uma etapa de implantação e teste do lote piloto na Petrobras ou outra qualquer empresa.

O programa conta com duas etapas, sendo a primeira composta por inscrição, avaliação e seleção de propostas e publicação das aprovadas. Já a segunda conta com a submissão dos pré-projetos aprovados, INCEPTION para elaboração dos projetos, banca de seleção final, publicação dos projetos aprovados e análise de enquadramento dos planos de trabalho. 

Os vencedores receberão, além do suporte financeiro, interação com o corpo técnico da Petrobras, capacitação empresarial para posicionamento de mercado e estruturação de planos de negócios, além da participação em Demo Days (Sebrae) com as tecnologias desenvolvidas. Confira mais informações no edital.

Teste de soluções - Com inscrições até 6 de julho por meio de formulário, esse edital é direcionado para startups e empresas que possuam soluções tecnológicas inovadoras e queiram realizar testes mais rápidos. Durante o processo, os projetos passarão por execução de testes em ambientes similares ao de aplicação, para que possa ser avaliado o desemprenho, o valor ao negócio e requisitos técnicos e de segurança da companhia. Por desafio para execução de testes, os selecionados receberão até R$ 60 mil. Composto por três etapas, seleção preliminar, seleção final e contratação, o programa recebe projetos de áreas de saúde e segurança, transformação digital e recursos humanos. Confira o edital e seus anexos para mais informações.

O empreendedor Janguiê Diniz, fundador e presidente do Conselho de Administração do grupo Ser Educacional e presidente do Instituto Êxito de Empreendedorismo, assume, na próxima terça-feira (15), a presidência da MetaRed X Brasil, organização criada pela Universia com chancela do Banco Santander que, no país, tem a parceria do Instituto Êxito de Empreendedorismo em suas iniciativas locais. O projeto será lançado oficialmente no Brasil na mesma data e terá como foco o fomento colaborativo ao empreendedorismo em Instituições de Ensino Superior na Ibero-América.

O evento de lançamento da MetaRed X Brasil reunirá reitores, gestores e responsáveis por ligas e núcleos de empreendedorismo de Instituições de Ensino Superior, com o objetivo de estimular sua colaboração e facilitar o intercâmbio de boas práticas e histórias de sucesso, além de promover o fortalecimento de alianças e disseminar a cultura empreendedora no ambiente acadêmico. “Acreditamos na educação como principal forma de desenvolvimento para um país e que o empreendedorismo atua como impulsionador do saber acadêmico, transformando conhecimento em bens, serviços, riqueza e trabalhabilidade. Uni-los e promover uma rede integrada nacional de compartilhamento de experiências e formação de parcerias é o objetivo da MetaRed X Brasil, que nasce com o propósito de desenvolver projetos e programas nesse campo”, declara Janguiê Diniz.

##RECOMENDA##

A MetaRed X promoverá a inovação no empreendedorismo universitário. “O formato de rede que adotamos na MetaRed X viabilizará uma maior aproximação entre instituições educacionais que queiram impulsionar as expertises de inovação e empreendedorismo entre seus estudantes. Sabemos que, hoje, esses dois valores são de fundamental importância para o desenvolvimento de carreiras e empreendimentos de sucesso”, pontua o vice-presidente da MetaRed X Brasil, Celso Niskier, fundador e reitor do Centro Universitário UniCarioca e vice-presidente do Instituto Êxito de Empreendedorismo.

A iniciativa, articulada internacionalmente pela Universia, é resultado de um processo de evolução em que se fundem o trabalho anterior da RedEmprendia, cujo objetivo era promover internacionalmente programas de apoio ao empreendedorismo nas Instituições de Ensino Superior, e a experiência de sucesso e aprendizados gerados pela MetaRed IT, iniciativa em andamento no Brasil desde 2019, com foco nos profissionais e temas relacionados à Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) das IES. “Desde 2018, quando reunimos 800 universidades no Encontro Internacional de Reitores da Universia em Salamanca-ES, percebemos que cada vez mais educação é um desafio global, portanto o futuro do Ensino Superior passa pela colaboração estratégica em âmbito internacional dos principais atores deste ecossistema. Foi assim com a MetaRed IT, onde apoiamos mais de 940 universidades conectadas em 10 países a colaborar em diversos temas relacionados aos desafios e oportunidades que as transformações digitais trazem. Agora, com todos os aprendizados de nossa atuação durante mais de 20 anos trabalhando em rede, vamos focar nossos esforços para promover uma educação cada vez mais empreendedora e aderente as necessidades do século XXI”, reforça Anderson Pereira, Diretor Geral da Universia Brasil.

O lançamento da MetaRed X Brasil será feito em ambiente virtual, a partir das 12h do dia 15 de junho. As inscrições são gratuitas no site eventos.metared.org, onde demais detalhes sobre o evento estão disponíveis.

Da assessoria 

O Brasil sofreu queda em sua taxa de empreendedorismo total no ano de 2020, durante a pandemia da Covid-19, perdendo quase 10 milhões de empreendedores. Em 2019, o percentual era de 38,7%, mas no ano passado, caiu para 31,6%, se configurando como o menor patamar dos últimos oito anos. Os dados são do relatório Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2020, realizado pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) em parceria com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBPQ).

De acordo com o Sebrae, a taxa de empreendedorismo total é a proporção da população adulta que está ocupada como empreendedor inicial, que são as pessoas com até 3,5 anos de atividade na área dos negócios. Com o índice do ano passado, o Brasil caiu do quarto para o sétimo lugar na pesquisa a nível mundial.

##RECOMENDA##

O presidente do Sebrae, Carlos Melles, acredita que a queda no percentual tem relação com os efeitos econômicos causados pela pandemia da Covid-19. “A taxa total de empreendedorismo no Brasil sofreu uma redução nunca vista antes. A pandemia do coronavírus veio e derrubou o mercado todo, em especial os mais antigos. Por outro lado, por causa do desemprego, entrou muita gente nova e inexperiente que tenta sobreviver, por meio de um pequeno negócio. O mundo inteiro sentiu esse impacto, mas, no Brasil, os efeitos sobre o empreendedorismo foram mais fortes ainda”, analisou Melles, conforme informações da Agência Sebrae de Notícias.

Segundo o estudo, como consequência do desemprego, é notado crescimento no número dos empreendedores iniciais, que possuem, no mínimo, três meses de atuação. O percentual desses empresários motivado por necessidade saiu de 37,5% para 50,4%, nível registrado há 18 anos. Para mais de 80% desses empreendedores, suas empresas foram criadas como única alternativa para “ganhar a vida”. Confira o levantamento na íntegra.

Com informações da Agência Sebrae de Notícias

O Instituto Êxito de Empreendedorismo firmou parceria com a Prefeitura do município de Pimeta Bueno, em Rondônia. O convênio será desenvolvido por meio do Projeto “Capacitação para todos: gerando oportunidades para os pimentenses”, voltado para os moradores da cidade que queiram empreender e se inserir no mercado de trabalho.

A capacitação acontecerá com os mais de 500 cursos gratuitos ofertados pelo Instituto em sua plataforma online. São cursos em áreas como empreendedorismo, desenvolvimento pessoal, carreira, marketing, negócios, comércio, entre outras. “Estamos muito felizes com essa parceria. O futuro do Brasil está nas mãos dos novos empreendedores e a única maneira de transformarmos a nossa realidade é dando oportunidades por meio da educação empreendedora”, afirma o presidente do Instituto Êxito de Empreendedorismo, Janguiê Diniz. “Por isso, essa nossa parceria com a Prefeitura do município de Pimenta Bueno acontece em um momento muito importante, quando vamos auxiliar no desenvolvimento de 40 mil vidas, impactando o nosso país”, finaliza.

##RECOMENDA##

Para acessar os mais de 600 conteúdos, incluindo os cursos gratuitos e as palestras da plataforma virtual, basta navegar no site da Instituição (exito.app.toolzz.com.br/pimentabueno), inserir o código PIMENTABUENO, realizar o cadastro e, a partir daí, navegar em todo o conteúdo disponível. O cadastro dos interessados em participar dos cursos também pode ser feito na Secretaria Municipal de Assistência Social e Trabalho (Semast).

De acordo com o prefeito do município de Pimenta Bueno, Arismar Araújo de Lima, a parceria beneficiará toda a população pimentense. “A parceria proporcionará desenvolver, organizar e articular ações de capacitação para toda a população pimentense, propagando conhecimento e modalidades de capacitação. Assim, os pimentenses terão novas oportunidades no mercado de trabalho”, pontua. “O nosso objetivo é favorecer o acesso ao conhecimento de forma gratuita e responsável, contribuindo com o crescimento pessoal e profissional de todas as pessoas participantes no projeto”, completa.

Os usuários também terão acesso às mentorias online, realizadas pelo aplicativo Toolzz Mentor, por grandes nomes do empreendedorismo e sócios do Instituto, como: José Roberto Marques, presidente do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC); Janguiê Diniz, fundador do grupo Ser Educacional; Guilherme Benchimol, fundador da XP Inc.; Antônio Carbonari Netto, fundador do grupo Anhanguera Educacional; Carol Paiffer, presidente da Atom;  João Appolinário, fundador e CEO da Polishop; Ricardo Bellino, empreendedor serial; Geraldo Rufino, presidente da JR Diesel; Gustavo Caetano, CEO da Samba Tech; João Kepler, fundador e presidente do Fundo de Investimentos Bossanova; Fábio Coelho, presidente do Google Brasil, entre outros.

Sobre o Instituto Êxito

O Instituto Êxito de Empreendedorismo é o resultado de um sonho que envolve empreendedores visionários dos mais variados segmentos do Brasil. Hoje, já conta mais com mais de 500 sócios que compactuam de um mesmo propósito: fazer do empreendedorismo a turbina para impulsionar vidas e histórias.

O Êxito tem a filosofia de que, independente da classe social e econômica, qualquer pessoa pode transformar suas ideias em ações que mudem e melhorem a realidade e a comunidade na qual vive. Por isso, nasceu com o objetivo de estimular o dom empreendedor dos jovens, especialmente os de escolas públicas, onde há muitos talentos escondidos e boas ideias a serem impulsionadas.

Nomeado como uma instituição sem fins lucrativos, seu principal plano de ação está em oferecer uma plataforma de cursos online e gratuitos, além de realizar diversas ações voltadas para o fomento ao empreendedorismo.

Da assessoria 

Na tarde desta quarta-feira (2), o governador de Pernambuco Paulo Câmara firmou parceria com a empresa Amazon para fornecer capacitação a pequenos e médios empreendimentos e promover suporte técnico para utilizar a plataforma digital Amazon Marketplace. Os pequenos negócios que serão beneficiados pela cooperação serão selecionados pela gestão estadual, e ficará a cargo da empresa de tecnologia realizar treinamentos para auxiliar no processo de digitalização dos negócios em sua plataforma, incluindo canais de vendas, marketing, logística e gestão.

O objetivo principal da parceria é levar os negócios locais para a plataforma digital da Amazon, fornecendo treinamento sobre divulgação de produtos, entre outros tópicos. No total, serão dois módulos de formação voltados para vendas on-line. Todas as aulas serão remotas, com atividades expositivas e práticas, sempre gravadas, permitindo que os participantes vejam as aulas em horários diversos.

##RECOMENDA##

Também haverá espaço para tirar dúvidas por meio dos canais de comunicação da empresa. O governador avalia a parceria como positiva para o desenvolvimento dos negócios em Pernambuco. “Essas oportunidades são muito importantes para gerar renda, empregos e condições de negócios. Todos os municípios pernambucanos, todos aqueles que empreendem, vão ter uma oportunidade importante nessa capacitação de, no futuro, serem parceiros dessa grande empresa que é a Amazon aqui em Pernambuco”, afirmou Paulo Câmara.

Para Geraldo Julio, secretário da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), é fundamental que as empresas se vinculem à tecnologia. “Uma base importante da geração de emprego e renda nas cidades pernambucanas está diretamente conectada às micro e pequenas empresas. Boa parte, inclusive, tem uma estrutura organizada e qualidade do produto, mas tem dificuldade com o digital. São ações desse tipo, de conectar o pequeno empresário ao mercado, que fazem toda a diferença para turbinar os negócios, principalmente quando se fala de marketplace com a força das vendas online da Amazon”, destacou.

No primeiro módulo, os alunos aprenderão, de forma prática, como vender na Amazon, com uma série de atividades personalizadas voltadas para audiências e setores. O treinamento prático explicará tópicos iniciais, como abrir uma conta na plataforma, informações sobre frete e logística e o cadastro dos produtos. Já no segundo módulo de treinamentos será abordado como acelerar as vendas no Marketplace.

As atividades práticas dessa etapa serão sobre os seguintes tópicos: opções de logística; como ganhar visibilidade (anúncios e publicidade); como conquistar o consumidor; além de ensinar como criar relatórios e organizar as finanças. Roberto Abreu e Lima, diretor-presidente da AD Diper, observa que muitas pessoas ainda têm dificuldades em utilizar plataformas digitais.

Com informações da assessoria 

Um levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) mostrou, nesta quarta-feira (2), as dez atividades econômicas que mais abriram negócios em 2021. De acordo com a pesquisa, já foram criadas mais de 1 milhão de empresas; no ano passado, foram registrados mais de 4 milhões de novos empreendimentos.

A liderança da relação ficou com o setor do comércio varejista de vestuário e acessórios, que reúne, até o momento, 56 mil novos negócios. Confira, a seguir, a lista completa:

##RECOMENDA##

1 - Comércio varejista de vestuário e acessórios – 56 mil

2 - Promoção de Vendas – 46 mil

3 - Cabeleireiro, manicure e pedicure – 36,5 mil

4 - Fornecimento de alimentos preparados para consumo domiciliar – 32,5 mil

5 - Obras de alvenaria – 32 mil

6 - Serviços de documentação e apoio administrativo – 29,5 mil

7 - Restaurantes – 28 mil

8 - Lanchonetes, casas de chá, sucos e similares – 24 mil

9 - Transporte de cargas – 22 mil

10 - Comércio Varejista de bebidas – 21 mil

Segundo o Sebrae, São Paulo é o Estado que mais abriu empreendimentos. Foram criados, ao todo, 299 mil empresas. Pernambuco, por sua vez, ocupa a nona colocação com quase 33 mil aberturas. Leia a pesquisa completa.

A Prefeitura de Guarulhos divulgou a abertura de inscrições para o concurso de startups “Experimenta 2021”, organizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Científico, Tecnológico e Inovação (SDCETI). Nesta edição, será abordado o tema gestão e as matrículas devem ser feitas até 9 de junho pelo site http://experimenta.guarulhos.sp.gov.br .

Segundo a Prefeitura de Guarulhos, uma das atrações confirmadas para o evento será o Pitch4Gru, que ocorre entre 25 e 27 de junho. Neste concurso, serão reunidas startups de base tecnológica em estágio pré-operacional, que já operem em soluções para os desafios propostos pela Secretaria Municipal de Gestão. 

##RECOMENDA##

 As startups que participarem do evento, deverão propor soluções para as áreas de Recursos Humanos, que envolvam folha de pagamento, segurança, saúde no trabalho e canais de comunicação com o servidor; transportes internos, como toda a logística de organização, manutenção, combustíveis e peças; informática e telecomunicações; modernização e serviços gerais, entre eles: malote, limpeza, almoxarifado e arquivamento e desarquivamento de processos. 

O regulamento deve ser conferido no site do concurso e as dúvidas devem ser encaminhadas para experimenta@guarulhos.sp.gov.br e dctiguarulhos@gmail.com.br.

A Razonet, startup de contabilidade digital, oferece, no mês de junho, um programa gratuito de mentoria, para auxiliar o empreendedor no enfrentamento da crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus, As mentorias contarão com palestras, lives e atendimentos para tirar dúvidas.

As inscrições estão abertas exclusivamente no formato virtual, onde também é possível acessar a programação do mês. A startup busca auxiliar e desenvolver os empreendimentos por meio de atendimentos e mentorias sobre gestão. A crise sanitária afetou muitos negócios, como conta Luana Menegat, CEO da Razonet: “Nesses últimos meses, 25 clientes fecharam, a maioria precisava melhorar a gestão do dia a dia. Para ajudar, elaboramos uma mentoria, com nível de MBA, para ensinar os empreendedores como superar a crise na prática”.

##RECOMENDA##

As palestras virtuais terão a participação de Gabriel Motomura, Co-Head do BTG+ business, Fernando Valle Figueiredo, CEO da Valle Innovation, localizada Vale do Silício, Estados Unidos, Conecta Lá, empresa de gestão de vendas em marketplace e a Fenômenos Aprendizagem plataforma especializado em cursos online, para abordar a gestão do stress. Ainda de acordo com a CEO da startup, no mês de junho haverá atendimento individual gratuito sobre marketing, setor financeiro e vendas na internet.

O atendimento realizado todas as terças e quintas-feiras, sempre às 14h, por meio de plataforma de videoconferência. “Nosso objetivo é ajudar os pequenos empreendedores que estão passando dificuldades na crise, entregando conteúdo de qualidade para gestão da empresa e oferecendo atendimento exclusivo gratuitamente. O projeto de mentoria é para todo empreendedor que acha que faz sentido receber essas informações e nosso tira-dúvidas”, disse Luana.

Com informações da assessoria de comunicação da Razonet

Nesta quinta-feira (27), o Instituto Êxito de Empreendedorismo e a UNESCO no Brasil lançam a primeira parte do projeto Lições de Empreendedorismo para o Alcance de uma Educação Emancipadora e Transformadora. Serão apresentados a análise e os resultados da pesquisa “Percepções, conhecimentos e expectativas de estudantes e professores do Ensino Médio da rede pública brasileira sobre o empreendedorismo”, que teve como objetivo mapear como esses dois públicos – estudantes e professores – enxergam o empreendedorismo.

A pesquisa, que teve a participação de 6.595 estudantes e 2.291 professores de ensino público do Brasil, oferece subsídios às diversas instâncias da gestão educacional. A partir dos dados coletados, estão sendo desenvolvidas ações voltadas para os jovens da rede pública de ensino. A expectativa é atender mais de 10 mil estudantes com o projeto-piloto, que, depois, será estendido para toda a rede pública brasileira. “O Instituto Êxito de Empreendedorismo nasceu com a missão de promover uma verdadeira transformação na vida de jovens brasileiros, por meio da educação empreendedora. Estamos felizes de, junto com a UNESCO, potencializar iniciativas e subsídios que poderão enriquecer as políticas de educação em empreendedorismo”, afirma o presidente do Instituto Êxito, Janguiê Diniz. “A partir da pesquisa, temos um panorama do que pensam os jovens e professores da rede pública sobre empreendedorismo e podemos desenvolver produtos e ações direcionadas para incentivar a atitude empreendedora neles”, completa.

##RECOMENDA##

O material didático desenvolvido a partir dos resultados da pesquisa contribuirá para estimular competências, habilidades e atitudes empreendedoras nos estudantes. Os beneficiários também terão acesso à plataforma online do Instituto Êxito de Empreendedorismo, que já possui mais de 500 cursos gratuitos. “Por meio desse projeto, será possível alcançar o passaporte para a emancipação e a cidadania desses jovens, bem como o desenvolvimento social e econômico do país. Nós vamos preparar uma nova geração de empreendedores brasileiros, descobertos nas escolas públicas de Ensino Médio”, explica o vice-presidente do Instituto, Celso Niskier.

“Para a UNESCO, é um privilégio ser parceira de uma iniciativa como essa. O fechamento das escolas por conta da pandemia tem consequências que vão além da aprendizagem. Ao ficar em casa, longe do ambiente escolar, os jovens têm mais dificuldades para desenvolver suas competências e habilidades. Soma-se a isso o agravamento da crise econômica, que atinge de modo mais severo a população de baixa renda”, afirma a diretora e representante da UNESCO no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto. “Com a pesquisa sobre o empreendedorismo nas escolas de Ensino Médio, estamos ajudando na construção de um futuro com menos desigualdades e mais oportunidades para todos”, destaca.

“Encontramos na UNESCO uma sintonia muito grande com a missão do Instituto, que é transformar vidas por meio da educação empreendedora. A metodologia que estamos desenvolvendo é inovadora e focada no protagonismo dos jovens, dando o necessário respaldo de qualidade ao projeto”, reforça Janguiê Diniz. A pesquisa “Percepções, conhecimentos e expectativas de estudantes e professores do Ensino Médio da rede pública brasileira sobre o empreendedorismo” está disponível, na íntegra, no site www.institutoexito.com.br/downloads.

Sobre o Instituto Êxito

O Instituto Êxito de Empreendedorismo é o resultado de um sonho que envolve empreendedores visionários dos mais variados segmentos do Brasil. Hoje, já conta mais com mais de 500 sócios que compactuam de um mesmo propósito: fazer do empreendedorismo a turbina para impulsionar vidas e histórias. O Êxito tem a filosofia de que, independentemente da classe social e econômica, qualquer pessoa pode transformar suas ideias em ações que mudem e melhorem a realidade e a comunidade na qual vive. Por isso, nasceu com o objetivo de estimular o dom empreendedor dos jovens, especialmente os de escolas públicas, onde há muitos talentos escondidos e boas ideias a serem impulsionadas. Nomeado como uma instituição sem fins lucrativos, seu principal plano de ação está em oferecer uma plataforma de cursos online e gratuitos, além de realizar diversas ações voltadas para o fomento ao empreendedorismo.

Da assessoria

A pandemia da Covid-19 tem afetado empresas e trabalhadores em todo o Brasil. A solução encontrada por quem tenta fugir da crise econômica é se reinventar e, até mesmo, apostar em um novo empreendimento. É o caso, por exemplo, do músico José Carlos Pereira, de 32 anos, que viu as contas chegarem, o faturamento cair e as festas, que eram sua fonte de renda no fim do mês, serem canceladas por conta das medidas restritivas contra o vírus.

Para driblar a crise, a saída foi colocar em prática sua ideia de abrir um pequeno negócio. “Quando veio a pandemia, fui impulsionado diretamente para abrir o Piva’s Grill”, diz. A hamburgueria, que funciona como delivery, surgiu em julho do ano passado depois de uma “brincadeira” que deu certo. “Já tinha escolhido os pratos que iria servir, e também os hambúrgueres de parrilla, a carne, o molho, tudo, só faltava o pão. Fiz uma brincadeira com meus amigos. Organizei uma hamburgada e cobrei R$ 10 por hambúrguer com a intenção de vender 20 unidades, acabei vendendo 80. Foi uma loucura, mas deu certo”, conta José Carlos.

##RECOMENDA##

O Piva’s Grill, localizado na Iputinga, Zona Oeste do Recife, está dando bons lucros. De acordo com José Carlos, o novo negócio está crescendo e pode ser melhorado em breve. “A princípio, meus planos é aperfeiçoar o delivery, pois virou uma realidade em Recife. Para se ter um bom serviço de entrega, eu preciso de equipamentos de qualidade, bons funcionários treinados e otimizar tempo. O tempo é a chave do delivery”, afirma.

Depois de melhorar o serviço, o dono da hamburgueria pretende ser criativo e abrir um canal no YouTube para apresentar os pratos que são feitos. Cada prato será provado por um amigo da música convidado. Em seguida, ele pretende abrir a primeira unidade para receber pessoas pós-pandemia. “Vai ser o Piva’s Grill (laje)”, promete.

O Piva’s Grill, criado do desejo e da necessidade do músico de se manter ativo em meio à crise, acompanha as 98,1 mil micro e pequenas empresas que foram abertas em todo o País no primeiro bimestre de 2021. O número, levantado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com base em dados da Receita Federal, ainda foi 1,7% abaixo do registrado no mesmo período de 2020.

Na visão de Luiz Nogueira, analista do Sebrae, essa quantidade de negócios abertos está relacionada à necessidade das pessoas de buscarem se reinventar para ter uma renda no fim de mês. “Com a retração da economia e do emprego formal, muitas pessoas passaram a empreender por conta própria, e para poderem atuar no mercado sem restrições, optaram por fazer a formalização do negócio”, explica.

Neste cenário competitivo, inúmeras empresas vêm buscando se reinventar para alcançar o consumidor e manter ativo o negócio. Como exemplo está a loja pernambucana Let it Beat, situada no bairro do Pina, Zona Sul do Recife, que tem apostado no uso da tecnologia e redes sociais para manter ativa a empresa. Hoje, boa parte do faturamento vem das vendas feitas pelo WhatsApp ou pelo e-commerce.

Let it Beat, situada no bairro do Pina, Zona Sul do Recife. Foto: Divulgação

A loja de roupas, impactada pela crise, investiu nas redes sociais como ferramenta para se manter próxima aos clientes e captar novos compradores. O empreendimento, além de divulgar novos lançamentos, posta em seu feed no Instagram, que conta com mais de 14 mil seguidores, fotos dos seus clientes reais usando peças de roupas, muitas delas originais e exclusivas.

Cristina Aline, uma das proprietárias da empresa, diz que essa ação ajuda a estreitar laços com possíveis consumidores. “Quando o cliente se vê em uma postagem nossa ele fica feliz, porque se sente valorizado. Além disso, os outros seguidores se sentem representados por essas postagens que buscam trazer pessoas comuns”, afirma, conforme sua assessoria de comunicação.

A Let it Beat também aposta em influenciadoras digitais para alcançar pessoas que tenham um perfil parecido com os dos clientes da loja. De acordo com o analista do Sebrae, muitos empreendedores que estão no processo de colocar em prática uma ideia de negócio, estão buscando identificar oportunidades, principalmente no meio digital. Ela ainda aponta que a crise pode ajudar o empreendedor e as micro e pequenas empresas.“A identificação de uma oportunidade no mercado e a projeção da mesma enquanto negócio será o indicador fundamental para este start”, afirma.

Qual é o melhor momento para abrir um negócio?

Abrir um empreendimento exige muito trabalho. Para alguns brasileiros, pode até ser um risco neste momento. No entanto, o economista do Conselho Regional de Economia de Pernambuco (Corecon), André Morais, aponta que mesmo com a crise econômica causada pela pandemia, o número de empresas abertas no Brasil superam as fechadas.

“As crises podem gerar riscos, mas também geram oportunidades”, diz. Entre iniciar um negócio por oportunidade ou necessidade, o que irá garantir o sucesso e o bom funcionamento é o comprometimento do empreendedor. “Por oportunidade ou por necessidade, o ideal é que o empreendedor tenha um plano de negócios bem definido para minimizar as chances de fracasso. Abrir um negócio exige objetivos claros, capital de abertura, análise de mercado e concorrência, e analisar a viabilidade de tudo que a empresa irá oferecer. Esses são pontos cruciais para que a sua ideia se transforme em um negócio de sucesso”, elenca.

Em um mercado competitivo, o empreendedor tende a enfrentar muitos desafios, o mais importante, segundo o economista, é “estar preparado para tudo”. Pensando nisso, André Morais, em entrevista ao LeiaJá, lista as cinco "dicas de ouro" para quem deseja começar um empreendimento com o pé direito neste período pandêmico. Confira:

1 - Abra um negócio por afinidade: “Primeiramente, você precisa ter amor pelo que faz. Já imaginou dedicar a sua vida a algo que você não gosta de fazer? Não faz sentido”.

2 - Tenha um plano de negócios bem definido: “Ele vai te ajudar a trilhar o que for previamente definido. Mas não precisa ser rígido, o empreendedor pode precisar ajustar ao longo do caminho”.

3 - Controle os gastos do negócio: “Mantenha um controle rígido do seu fluxo de caixa: controle suas receitas e despesas. Em tempos instáveis economicamente, tente, na medida do possível, ser mais conservador com os gastos, mantendo o negócio mais enxuto”.

4 - Tenha uma reserva para emergências: “Tenha sempre uma reserva de emergência: a pandemia nos ensinou que, mais do que nunca, imprevistos acontecem e é preciso estar preparados para eles”.

5 - Seja um empreendedor atualizado sobre o mercado: “Mantenha-se sempre atualizado. Fique de olho na concorrência e nas mudanças do mercado”.

O Sebrae Startup Way UPE e Federais Club está com inscrições abertas até o dia 24 de maio. A iniciativa é um desafio proposto para desenvolver negócios inovadores que tragam soluções para atender aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). Destinado a alunos das instituições federais de Pernambuco, o programa é gratuito e será ofertado de forma on-line.

Os estudantes aptos a participarem são os alunos de graduação e pós-graduação da Universidade de Pernambuco (UPE), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (Ufape), Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) e Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE) que estão organizando o evento em parceira com a Sebrae.

##RECOMENDA##

Previsto para acontecer em maio e no mês de junho, o desafio inclui palestras, sessões de mentoria e avaliações para a seleção das melhores soluções desenvolvidas. A Banca Final Top 5 será realizada no dia 9 de junho. Como premiação, as cinco melhores equipes participarão do curso Bootcamp no SebraeLab on-line. Consulte o regulamento

O cenário de pandemia causado pelo coronavírus (Covid-19) trouxe muitos desafios para líderes de empresas, que precisavam lidar com as medidas de distanciamento social e se reinventarem para manter a produção. Diante deste fato, uma pesquisa realizada pela International Business Report da Grant Thornton, com 4.812 empresas em 32 países, apontou que a liderança feminina soube lidar melhor com a pressão imposta pela crise sanitária.

Movida pela vontade de empreender, a empresária da JLira Green Life, Rayra Lira, 30 anos, de Jacarepaguá (RJ), cresceu na empresa de seu pai e aprendeu na prática as técnicas administrativas. Mais tarde, iniciou o curso de gestão empresarial e começou a modificar alguns aspectos internos da companhia. “Desde a abordagem ao cliente, o atendimento e a forma como somos vistos no mercado. Com isso, algumas mudanças funcionaram, e eu fiquei responsável por garantir que continuassem a dar certo”, comenta.

##RECOMENDA##

Diante de diversos preconceitos que se fazem presentes no mundo, Rayra destaca que ninguém está livre de ser rotulado, seja pela aparência, cargo ocupado ou por ser mulher. “Os rótulos impostos pela sociedade muitas vezes pesam na nossa trajetória. Porém, é muito importante não deixar que os outros falem quem você é. Independentemente do que as pessoas falam, pensam ou dizem sobre você, tenha a certeza do que você quer e sobre quem você é”, declara a empresária.

Crescimento e perspectivas para a mulher no papel de líder

  A perspectiva para participação da mulher em cargos de liderança, deve crescer em 50%, como indica um levantamento feito pela empresa global ZRG Brasil, que entrevistou 30 chefes de companhias de pequeno e médio porte, de segmentos variados, nos períodos de novembro e dezembro de 2020. 

A especialista em gestão de pessoas e liderança, Flávia Knop, afirma que a mulher possui capacidades elevadas em se comunicar bem, construir relacionamentos interpessoais, inspirar, motivar e transmitir confiança para realização de metas. “Tais competências são diferenciais reconhecidas ao assumir um cargo de liderança e gestão de pessoas. Transmitem maior segurança aos funcionários, ainda que em cenários de incertezas. Isso ressalta outra característica comum nas lideranças femininas, que é a preocupação com o bem-estar coletivo”, destaca. 

Além disso, Flávia lembra que as mulheres se diferenciam por serem mais intuitivas, empáticas, comunicativas, diplomáticas e cuidadosas, quando precisam lidar com assuntos delicados. “Mulheres administram muito bem as questões emocionais e são mais propensas a compreender questões latentes, como estresse e frustração”, salienta. 

De acordo com a especialista, as grandes organizações precisam incluir as mulheres, pois elas possuem habilidades naturais de gerenciar múltiplas tarefas. Esse fator trouxe diversos resultados positivos, principalmente nas empresas que adotaram o modelo de trabalho home office. “Acredita-se que a mulher vai conseguir, de fato, progredir até alcançar, pelo menos, 50% da fatia do mercado em posição de liderança, baseado no crescimento de quase 18% em relação ao ano de 2019”, calcula Flávia.  

Páginas

Leia Concursos

Procure os
Concursos

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando