Carreiras

| Empreendedorismo

Rodrigo Barbosa conquista clientes com cortes modernos e estilosos. Foto: Rafael Bandeira

##RECOMENDA##

Em tempos modernos, o homem gradativamente passou a não considerar mais o mercado de beleza como algo estritamente feminino e adentrou nesse setor modificando todo um cenário estereotipado. As novas e mais modernas demandas de produtos e serviços para o cuidado com o corpo e a imagem masculina estão muito mais além do que barba, cabelo e bigode. 

Levantamento do Instituto Qualibest, realizado para a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Anihpec), revela uma conclusão que comprova a demanda constante de serviços de beleza entre os homens. De acordo com o estudo, oito entre dez homens afirmam que "foi o tempo em que só as mulheres se preocupavam com a beleza". A Anihpec ainda estimou que, em 2019, o mercado brasileiro masculino de cuidados pessoais movimentou 6,7 bilhões de dólares.

É comum vermos, por exemplo, estabelecimentos que oferecerem muito mais do que cortes de cabelos, adaptando o espaço com jogos, cervejaria, e, até mesmo, massoterapia e manicure. Essa atividades, outrora, eram vistas em salões de beleza exclusivos para o público feminino.

Paulo Barbosa, morador da Iputinga, Zona Oeste do Recife, revela que mensalmente corta o cabelo no famoso estilo degradê (fade) em uma das barbearias do seu bairro. Ele ainda destaca o número crescente de estabelecimentos desse segmento e como as barbearias estão deixando o estilo clássico e acrescentando novidades no corte em sua infraestrutura.

Rodrigo Barbosa da Silva, 29, é barbeiro há 3 anos no bairro da Iputinga, na comunidade do Detran, no Recife. Ele conta que concluiu seu curso no Centro Profissionalizante Osmar Soares, também localizado na capital pernambucana. Depois disso, começou a participar de outras especializações para aperfeiçoar seu corte. Através do arrecadamento mensal do salão, ele confessa que conseguiu pagar a formatura de sua filha.

“A profissão pede para que você se aperfeiçoe. Você quer fazer um corte melhor no cliente para que ele saia satisfeito. A maioria da terceira idade também pede o corte mais atualizado, eles não querem mais o tradicional, querem inovar, ficar mais jovem, querem o corte de cabelo no estilo degradê”, fala o barbeiro.

[@#video#@]

Boom de barbearias

A aparência não engana: o número de barbeiros e de barbearias na Região Metropolitana do Recife (RMR) cresceu exponencialmente. O quantitativo de pessoas que procuram se especializar na área reflete um mercado que está lucrando positivamente.

Segundo balanço do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) em Pernambuco, profissionais que já atuam na área também buscam qualificação e formação holística em torno da atividade. O curso de barbeiro da instituição formou, de 2018 a 2019, 733 alunos. As aulas foram realizadas nas unidades do Senac de Recife e Paulista.

De acordo com Fábio Luiz Alves de Melo, barbeiro e dono da Naipe Barber Shop, o curso de barbeiro que concluiu no ano de 2014, no Senac Recife, o ajudou a pôr em prática seu sonho de abrir um negócio com seus amigos de infância. Seu atual ambiente de trabalho inclui músicas, uma pequena loja de roupas, e um atendimento tradicional à moda vintage que utiliza para atrair os clientes.

Segundo a especialista em beleza do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Romarcia Lima, o 'boom' de salões de beleza, de fato, é resultado da procura por serviços masculinos. "Desde de 2017, o aumento no mercado de beleza masculino é resultado das mudanças de comportamento do consumidor. Os homens andam mais vaidosos, buscando ser atendidos em locais específicos, com produtos para cabelos e barba", comenta a especialista.

O serviço recompensa

Sempre ouvimos dizer que quando fazemos algo com paixão, nos destacamos por isso. É o que anda acontecendo nos bairros nobres e periféricos do Recife com o trabalho dos profissionais de beleza. Os ambientes despojados com cervejaria, jogos e conversas situam os homens em uma realidade já conhecida por eles. Antes, cada programa de lazer tinha um endereço, mas, hoje, tudo está reunido em um só lugar: a barbearia. 

Rodrigo fala como é o serviço em sua barbearia e diz por que sua propaganda é o cabelo do cliente. “Não tem segredo, a não ser cortar bem o cabelo do cara, atendê-lo bem, e conversar com ele, pois todos temos uma história para contar. Às vezes eles estão passando por uma situação meio complicada dentro de casa com a família, e você acaba passando uma calmaria”, revela o barbeiro.

O barbeiro Fábio Luiz relata como é o procedimento em seus estabelecimentos: “Trabalhamos de forma tradicional no corte de cabelo, porém, na barba, nos preocupamos em ter todo um processo; ter uma toalha e uma espuma quente para ajudar o pelo e a pele, fora o massageador oster que utilizamos para reativar a circulação sanguínea para devolvermos a pele do cliente como ela chegou”, fala Fábio.

Assim como os profissionais que buscam trabalhar de maneira mais independente e personalizada, oferecendo os melhores serviços, os clientes possuem suas particularidades. Os profissionais vivem em uma era de desconstrução e quebra de tabus. Essa era também chegou aos estabelecimentos que outrora eram exclusivamente frequentados por homens. As novas e modernas barbearias abrem espaços para as mulheres que desejam o corte baixo, especialidade dos barbeiros.

O dono da Naipe baber shop diz que corta o cabelo de quem está afim e não se importa com o sexo da pessoa. Ele se surpreendeu com o número de garotas dispostas a frequentarem suas barbearias. “Semana passada a gente abriu a casa e tinha cinco meninas esperando; isso me surpreendeu porque muitas imaginam um ambiente masculino e tem esse bloqueio de achar que por ser uma barbearia só cortamos cabelos masculinos", destaca Fábio Luiz.

Mulheres também aproveitam o serviço do barbeiro. Foto: Naipe Barber Shop/Divulgação

Os cortes de cabelos variam conforme o estilo. Há o baixo e curto corte, médio, freestyle, degradê (fade), undercut, moicano, estilo americano, corte militar, entre outros. Cada um possui um valor médio que podem variar conforme o serviço.

As barbearias Naipe, localizadas nos bairros das Graças e Rosarinho, no Recife, além de Jardim Atlântico e Sítio Histórico, na cidade de Olinda, na RMR, normalmente cobram de R$ 30 a 40 por cada corte. Já a barbearia de Rodrigo, localizada na Iputinga, periferia recifense, cobra, em média, de R$ 10 a 20 reais por corte. Rodrigo e Fábio possuem rendimentos diferentes. O primeiro fatura em média R$ 3.500 mensais, enquanto os empreendimentos de Fábio faturam, mensalmente, de R$ 50 a R$ 70 mil

Passando o legado

Não somente as instituições como o Senac formam novos barbeiros. Profissionais que já atuam na área acabam preparando outras pessoas para o mercado. É o caso de Rodrigo, que  pretende abrir um curso para expandir o negócio e trabalhar com amigos que estejam interessados em aprender a como cortar cabelos. Já o dono da Naipe oferece cursos profissionalizantes.

Serviço

Barbearia Rodrigo Barber

Endereço: Rua São Mateus, sem número, bairro da Iputinga, no Recife

Segunda a sábado, das 9h às 20h, e aos domingos, das 8h às 12h

Contato: (81) 99691-3440

Acompanhe o Instagram

Naipe Barber Shop

Jardim Altântico - Olinda

Sítio Histórico - Olinda

Graças - Recife

Rosarinho - Recife

Veja os endereços das unidades

Contato: (81) 3429-7239

Com a aproximação do ano novo, muitas pessoas desejam realizar mudanças em suas vidas e planejar a realização de antigos sonhos, como por exemplo o de transformar suas vidas profissionais. Desejo de muitos brasileiros, o empreendedorismo costuma ser muito lembrado nessa época, especialmente em tempos de economia retraída e desemprego. Entretanto, o caminho não é assim tão fácil: muitas pessoas nutrem o sonho de abrir seu negócio mas não sabem como dar o primeiro passo. 

De acordo com o Ecio Costa, Sócio Fundador da CEDES Consultoria e Planejamento, antes de responder qual é o primeiro passo, se faz necessário saber se a pessoa que deseja empreender já sabe que negócio quer ter. Ele explica que o ideal é buscar algo com que o futuro empreendedor gosta, se identifica, tenha alguma experiência prévia, aptidão ou já estudou em algum momento da vida, por exemplo. 

##RECOMENDA##

Uma vez decidida a área do empreendimento, Ecio explica que a primeira coisa a fazer é planejar tudo através da criação de um plano de negócio. O especialista conta que é comum os empreendedores, por falta de planejamento e expertise com projeções de mercado, cometerem erros que acabam custando muito dinheiro e, por vezes, comprometerem a saúde financeira da nova empresa. 

“Muitas vezes acontece de achar que vai fazer um investimento de x e o gasto efetivo ficar maior. Você pode acabar pegando dinheiro que seria do capital de giro e usando para fazer a implantação do negócio. É um erro muito comum e muitas empresas acabam fechando, não conseguem sobreviver a um período inicial de faturamento abaixo do esperado”, explicou ele. 

A contratação de um consultor profissional que possa ajudar a fazer análises, projeções e orientar o futuro empresário, é uma dica apresentada pelo especialista para dar mais segurança a quem deseja abrir um negócio. “A gente analisa qual seria a projeção de faturamento desse negócio, quais são os custos fixos, variáveis, impostos e o lucro final. É melhor ter a despesa da contratação de um consultor que te mostra sob que condições vai dar certo ou não do que realizar um investimento em um negócio que que depois de um certo tempo vai se mostrar inviável”, disse o consultor. 

Já o contador e analista do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) Pernambuco, Luiz Nogueira, também destaca a importância dos empreendedores conhecerem as possíveis legislações envolvidas na atividade empresarial escolhida, além de se atentar à formalização da empresa. “Caso o negócio tenha faturamento de até R$ 81 mil ao ano, tenha no máximo um empregado, o empreendedor não tenha sócio nem seja sócio de outra empresa e a atividade seja permitida ao MEI, a formalização e simplificada feita exclusivamente pela internet no Portal do Empreendedor de forma rápida e gratuita. Caso não preencha os requisitos, o processo se inicia no portal da junta comercial”, explicou ele. 

Confira, a seguir, uma lista elaborada por Nogueira com os primeiros passos que os futuros empreendedores devem seguir para planejar bem o início de seu negócios e evitar erros comuns: 

1 - Identificar atividades que goste e saiba fazer;

2 - Verificar, no mercado onde irá desenvolver sua atividade, qual a maior demanda;

3 - Levantar junto aos potenciais clientes como, quanto e em que periodicidade eles consomem o produto ou serviço que se pretende ofertar, qual anseio deles ainda não é atendido;

4 - Avaliar a estrutura de que os concorrentes dispõem, que condições oferecem e os preços praticados por eles;

5 - Verificar junto aos fornecedores quais as regras estabelecidas, se vendem à vista ou a prazo, se entregam (e como), preços praticados e se existe há redução de preço para grandes compras;

6 - Observar se a atividade está subordinada a alguma legislação específica e que exigências devem ser atendidas.

LeiaJá também

--> Veja dicas para abrir e manter o negócio ativo

--> Sem 'grana' para empreender? Veja onde conseguir dinheiro

Dados apresentados em 2018 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que ao longo de três anos seguidos (2016, 2017 e 2018), o Brasil fechou mais empresas formais do que abriu. Em 2016 foram 648.474 aberturas contra 719.551 fechamentos, por exemplo. Diante de um cenário econômico que ainda é incerto, muitos empresários podem se sentir inseguros em relação ao futuro de seus empreendimentos.

Para se manter no mercado, o contador e analista de orientação do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de Pernambuco, Luiz Nogueira, explica que é importante que os donos de empresas entendam a importância de ter um bom planejamento para os seus negócios, com visão de futuro que lhes permita traçar estratégias, antecipar problemas e minimizá-los.

##RECOMENDA##

“O planejamento não é eterno, ele é mutável e deve poder se alterar a todo momento, traduzindo o mercado para corrigir os rumos e atender sempre o cliente”, disse o especialista. Ele também apontou outros detalhes importantes para a saúde do negócio, como a qualificação constante, ouvir atentamente o cliente, manter contato com os fornecedores e atenção à concorrência.

Para o também analista do Sebrae Pernambuco, Vitor Abreu, os empresários devem estar atentos aos indicadores de suas empresas, que ele define como “termômetros” para saber se o empreendimento está indo bem, estagnou ou corre risco de falir. “Alguns dos principais indicadores que devem ser acompanhados mês a mês, são o faturamento, número de clientes, produtos mais vendidos e a rentabilidade do negócio”, afirmou o especialista. 

Confira, a seguir, uma lista com cinco dicas elaboradas pelo analista do Sebrae Vitor Abreu para não levar sua empresa à falência:

Implementar controles financeiros 

O empresário deve utilizar ferramentas como sistemas de gestão e controle financeiro. Isso significa, na prática, fazer um registro diário de entradas e saídas com detalhamento financeiro por produtos, que é apurar o resultado financeiro de cada produto vendido. Com esses controles, o empresário consegue saber se está valendo a pena comercializar aqueles produtos. 

Interagir com o cliente 

É preciso fazer uma sondagem diária com clientes que consomem o produto. Também é importante buscar novos consumidores em potencial, identificando quais são as necessidades que estão sendo atendidas e o que ainda não está satisfatório para que a empresa possa fazer melhorias. 

Acompanhar os sinais do mercado 

É estar atento a tudo que está ao seu redor, desde análise de concorrência até tendências do mercado. 

Presença digital 

Alcançar os clientes pela internet, pois as pessoas vêm adotando o consumo por meios digitais de forma cada vez mais crescente. Assim, as empresas precisam se adaptar a essa nova realidade. Todo o negócio deve estar na internet, desde a comunicação com o cliente, até o alcance às pessoas e a comercialização do produto ou serviço.  

Ser flexível

Em alguns momentos o mercado pode ficar inviável, sendo necessário mudar de rumo. O empresário tem que perceber e ter coragem de mudar de rota. Essa alteração pode parecer dolorida, mas às vezes é necessária para permanecer no mercado e, às vezes, a insistência na ideia inicial pode levar à falência.

LeiaJá também

--> Sem 'grana' para empreender? Veja onde conseguir dinheiro

--> Caixa lança crédito exclusivo para mulheres empreendedoras

--> O empreendedorismo negro e a relação com a oportunidade

Ter um negócio próprio é o desejo de muitas pessoas, o que faz o empreendedorismo crescer no Brasil. Segundo uma pesquisa realizada pelo Global Entrepreneurship Monitor (Monitor Global de Empreendedorismo, em Português) com apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) no início deste ano, 36 em cada 100 brasileiros de 18 a 64 anos têm um negócio/atividade empresarial ou está se preparando para começar. 

No entanto, se tornar empreendedor e manter o negócio crescendo não é fácil, pois exige planejamento prévio e recursos financeiros para investir e pagar as despesas. Esses fatores podem se tornar obstáculos para pessoas que desejam começar ou ampliar empreendimentos.

##RECOMENDA##

É o caso de Yslane Siciliani, que tem 25 anos e atualmente trabalha como corretora de seguros. Ela também costumava alugar kits de decoração para festas, vender calçados masculinos, roupas femininas e acessórios para celulares, no entanto, os resultados não estavam sendo bons devido à falta de recursos para investir.

Yslane já cursou direito, hoje está na graduação de cosmética e sonha abrir um spa. Ela conta que desde os 12 anos já vendia brincos e ajudava no caixa do restaurante do pai. Depois começou a vender cosméticos, pagando a faculdade e ajudando a família dessa forma.

Questionada sobre como busca recursos para investir e ampliar suas vendas, Yslane conta que sente medo de não conseguir pagar parcelas de um crédito por não ter uma renda fixa. Ela também teme a possibilidade de interromper os investimentos para ajudar em casa quando a família passa por dificuldades financeiras.

Alan Maia trabalha no Banco do Nordeste como gerente estadual da linha de crédito 'CrediAmigo' e explica que a preocupação com o endividamento é comum. “Esse medo muita gente tem, pois há pessoas que pegam empréstimos de qualquer forma, sem ter noção do que vai ser a parcela. Às vezes paga as primeira, mas depois não consegue mais e é pior. Em vez de se desenvolver fica com uma dívida quase impagável”, disse o gerente. 

Na opinião dele, o problema se resolve com um trabalho cuidadoso de analistas de crédito para conceder valores e condições de parcelamento adequados ao empreendedor. Confira a seguir algumas linhas de crédito bancário voltadas especificamente para pessoas que desejam investir o valor na abertura e/ou ampliação de pequenos empreendimentos:

Mais Mulheres - Caixa Econômica Federal

O recém-lançado programa de crédito “Mais Mulheres”, da Caixa Econômica Federal (CEF), tem por objetivo estimular e alavancar o protagonismo das mulheres no empreendedorismo brasileiro. Segundo a Caixa, o programa oferece “taxas diferenciadas”, anuidade gratuita e apoio à qualificação das empreendedoras. 

Microempreendedoras que estejam começando um negócio podem obter até R$ 5 mil com taxa de juros a partir de 1,99% ao mês para pagamento em até 24 meses. Já quem for formalizada como Microempreendedora Individual (MEI) pode solicitar até R$ 10 mil. 

Para ter acesso à linha de crédito, é preciso ter conta corrente na Caixa e fazer uma capacitação negocial reconhecida pelo banco. “A Caixa reservou R$ 5 milhões para empresas com maioria societária feminina para contratação de linha de capital de giro com recursos do PIS, com taxas disponíveis a partir de 0,83% a.m”, informou o banco.

O crédito começará a ser concedido no mês de dezembro de 2019. Para mais informações sobre o programa 'Mais Mulheres', as interessadas devem se dirigir a agências da Caixa espalhadas pelo Brasil. 

CrediAmigo - Banco do Nordeste

O programa CrediAmigo, do Banco do Nordeste, é destinado a pequenos empreendedores que têm ou querem iniciar atividades de comércio, serviços ou pequena indústria. O financiamento pode ir de R$ 100 a R$ 21 mil, com juros de 0,99% até 2,4% ao mês e até 24 meses de prazo para pagar o empréstimo. 

Para solicitar o crédito, de acordo com Alan Maia, gerente estadual do CrediAmigo em Pernambuco, não há impedimento para pessoas que têm dívidas ou que estejam em listas de instituições de proteção ao crédito, como o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e Centralização de Serviços dos Bancos (Serasa). “Mesmo se a pessoa tiver dívida com bancos ou outras pendências como de concessionária, água, luz, telefone, ou restrição no SPC e Serasa, podemos conceder esse crédito”, diz. 

O gerente explicou também que “nós não fazemos só empréstimo, nosso crédito é orientado para que a parcela sempre caiba na capacidade de pagamento do cliente”. Alan também esclarece que não há a necessidade de ter renda no momento da contratação do crédito, pois o banco faz a análise de crédito baseado nos ganhos que o negócio dará ao empreendedor. 

Empresa Simples de Crédito - Banco do Brasil e Sebrae

Na última segunda-feira (25), o Sebrae e o Banco do Brasil (BB) firmaram um acordo de colaboração para criar negócios sustentáveis para Microempreendedores Individuais (MEI), Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (EPP). A parceria vai, de acordo com o Sebrae, melhorar a qualificação do empreendedor. 

O banco irá atuar como plataforma das Empresas Simples de Crédito (ESC) através de uma cooperação técnica, oferecendo assistência ao crédito e taxas melhores, tarifas distintas e um Cartão do Empreendedor a clientes qualificados pelo Sebrae. Ainda de acordo com informações do Sebrae, as instituições promoverão educação financeira para empreendedores. 

Empresa Simple de Crédito (ESC) é um tipo de negócio para realizar empréstimos e financiamentos exclusivos para Microempreendedores Individuais (MEI), microempresas e empresas de pequeno porte. O objetivo é operar empréstimos, financiamentos e descontos de títulos de crédito, exclusivamente com recursos próprios, tendo como contratantes microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte. 

As ESC’s emprestam recursos apenas a pessoas jurídicas enquadradas como MEI, microempresas e empresas de pequeno porte. Entre as operações possíveis, há empréstimo, financiamento e desconto de título de crédito (operação de entrega do valor de um título ao seu detentor, antes do prazo do vencimento, e mediante o pagamento de determinada quantia). 

LeiaJá também

--> Como o jovem pode empreender com pouco dinheiro

--> Como é ser uma empreendedora negra no Brasil

--> EUA atraem brasileiro empreendedor

A Semana Global do Empreendedorismo, evento realizado desde 2007 para fortalecer e disseminar a cultura empreendedora em vários países, tem programação gratuita no Recife. Até o próximo domingo (24), serão realizadas feiras de oportunidades, palestras, oficinas, congressos e workshops em diversos pontos da cidade.

Entre os temas abordados, estão o uso de redes sociais para negócios, empreendedorismo feminino, empreendedorismo individual, comércio eletrônico e anúncios na internet. O hall da Prefeitura do Recife, por exemplo, recebe atividades gratuitas e a entrega de kits sorteados pelo projeto Renda Por APP, contendo bicicletas e smartphones com pacote de dados para possibilitar empreendimentos com serviço de entrega via aplicativo.

##RECOMENDA##

A Semana Global do Empreendedorismo é organizada por várias instituições, entre elas o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Para mais informações sobre a programação, os interessados podem acessar o site da Semana Global de Empreendedorismo ou ligar para o número 0800 281 3535. 

LeiaJá também

--> Caixa lança crédito exclusivo para mulheres empreendedoras

--> UNAMA promove feira de empreendedorismo e inovação

--> O empreendedorismo negro e a relação com a oportunidade

--> Como é ser uma empreendedora negra no Brasil

Mostrar os primeiros passos na carreira empreendedora é o foco  da Feira de Empreendedorismo, Inovação e Trabalhabilidade que vai ser realizada nesta quinta-feira (21), a partir das 9h, na UNAMA - Universidade da Amazônia, no campus Ananindeua. Uma exposição com empresas e oficinas sobre o assunto também serão oferecidas gratuitamente durante a programação destinada a alunos da Universidade.

Um dos organizadores do evento e coordenador do Núcleo de Trabalhabilidade, Emprego e Carreiras (NTEC), John Pablo, afirma que a ideia é incentivar os alunos a ter um caminho de sucesso. “Queremos que os nossos alunos sejam diferenciais no mercado como empreendedores de sua própria carreira e também despertar o interesse em começar a sua própria empresa”, afirmou.

##RECOMENDA##

Durante os turnos da manhã e da tarde, os alunos terão a oportunidade de conhecer produtos e empresas na Feira de Empreendedorismo e também a oportunidade de participar da oficina “Como abrir uma empresa”, ministrada por professores da Instituição. “A ideia é mostrar que o empreendedorismo pode ser entendido como a disposição ou capacidade de idealizar e realizar projetos e que é muito mais do que uma característica da personalidade”, concluiu John Pablo.

*Da assessoria de comunicação

LeiaJá também

--> Curso de Fonoaudiologia fala sobre prevenção à surdez

--> Encontro acadêmico discute a pesquisa na Amazônia

--> Estudantes da UNAMA conhecem marketing na prática

A Caixa Econômica Federa (CEF) lançou, nessa terça-feira (19), em Brasília, o programa ‘Mais Mulheres’, que tem como proposta estimular o protagonismo feminino e alavancar o empreendedorismo no Brasil. A instituição financeira oferece novas linhas de crédito, “taxas diferenciadas”, anuidade gratuita e apoio à qualificação para fortalecer a atuação das mulheres no universo do negócio.

Microempreendedoras em início de atividades podem conseguir crédito com taxa de juros a partir de 1,99% ao mês em até 24 meses. Segundo a Caixa, nesse formato, as empreendedoras informais poderão receber até R$ 5 mil, enquanto as formalizadas como MEI poderão adquirir o valor máximo de R$ 10 mil. “Os pré-requisitos para acessar essas linhas são possuir conta corrente na CAIXA e ter realizado uma capacitação negocial reconhecida pelo banco, sendo que já foram identificadas, na base de clientes ativos, mais de 350 mil mulheres que atendem essas condições”, informou o banco.

##RECOMENDA##

A entidade financeira afirma que está ampliando sua rede de parceiros para fomentar a capacitação de novos clientes, além manter um estudo cujo objetivo é o lançamento de linhas de crédito que possam atender todas as empreendedoras brasileiras. “A CAIXA reservou R$ 5 milhões para empresas com maioria societária feminina para contratação de linha de capital de giro com recursos do PIS, com taxas disponíveis a partir de 0,83% a.m”, acrescentou a CEF.

“Mais da metade dos empregados e clientes da CAIXA são mulheres e temos uma minoria à frente das lideranças. Queremos alavancar esses dados, de forma meritocrática, dando o apoio necessário para que nossas empreendedoras sejam cada vez mais protagonistas no mercado de negócios”, comentou o presidente da Caixa Econômica Federal Pedro Guimarães, conforme informações da assessoria de comunicação.

De acordo com a Caixa, só em 2019, mais de 3 milhões de empreendedoras acessaram recursos do banco. Conforme levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), as mulheres representam 48,7% dos donos de negócios com até três anos e meio de atividade. Para mais informações sobre o programa 'Mais Mulheres', o público pode procurar umas das agências da Caixa espalhadas pelo Brasil.

Abrir um negócio não é fácil: além da ideia, o empreendedor deve realizar uma série de etapas que envolvem planejamento, definição de mercado, marketing, entre outras. No entanto, muitas vezes a necessidade bate à porta e, para prover o próprio sustento ou da família, essas etapas são esquecidas.

Em outubro, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), divulgou dados sobre empreendedores negros e brancos no Brasil. O levantamento revelou que 55,56% dos empresários afrodescendentes abrem um negócio por oportunidade, ou seja, realizaram um planejamento bem articulado. Já o percentual de brancos nesse mesmo contexto sobe para 71,5%.

##RECOMENDA##

“Os dados refletem os números díspares entre a população negra e branca que também existe nos dados sociais. O negro recebe menos que o branco, tem oportunidades inferiores, visto que a população branca possui um nível de qualificação maior. É de fato uma conjuntura que também vai refletir na questão do empreendedorismo”, declara o economista Rafael Ramos.

O panorama traçado pela Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), que tem o apoio do Sebrae e mede a evolução do empreendedorismo, também aponta que entre os empresários que possuem renda familiar acima de três salários mínimos, 22,9% são negros e 42,4% são brancos.

Em 2003, o músico Sérgio Sombra, na época um jovem negro de 23 anos, resolveu unir o amor que tem pela música com a chance de possuir um negócio capaz de render o sustento necessário para si e seus dois filhos. “Não foi nada planejado, o estúdio de música era um espaço que tinha na casa dos meus pais, no qual eu estudava alguns instrumentos musicais e ensaiava com meus amigos. Só após alguns anos percebi que era algo profissional”, explica o empreendedor que é proprietário do Estúdio Raízes, localizado no bairro do Sancho, no Recife.

Ensino superior

A GEM também fez um recorte referente à escolaridade dos empresários, visto que de acordo com a pesquisa, a proporção de pessoas negras com nível superior completo é sempre a metade verificada entre os brancos. Os números indicam que na Taxa Total de Empreendedores (TTE), 6,6 % dos negros possuem graduação, enquanto entre os brancos o percentual sobe para 12,8%.

Foto: Arthur Souza/LeiaJáImagens

A dona do brechó NUA Clothing, Alana Barbosa, 23, é uma das pessoas que se encontram dentro da estatística dos negros empreendedores que possuem nível superior. “Fiz o curso de publicidade e propaganda, porém percebi que não queria ser publicitária, mas gostaria de trabalhar com vendas, então continuei trabalhando com artesanato, junto com a minha mãe”, explica.

A empreendedora também conta que, com o tempo, resgatou o sonho antigo de estudar e se formar no curso de design de moda, o qual, segundo ela, se trata de graduação burguesa e branca. "É muito raro ver uma pessoa negra dentro de uma universidade fazendo um curso superior nessa área", disse Alana. 

“Me fortaleci em outra amiga minha negra que também fazia moda e a partir daí passei a consolidar o meu brechó, que já existia a um tempo, já que eu morava sozinha e vendia as roupas que não utilizava mais para vender”, conta a empreendedora, que uniu publicidade e moda e faz com que seu empreendimento, localizado na capital pernambucana, conte com mais de oito mil seguidores no Instagram.

Conheça mais sobre a história da empreendedora Alana Barbosa:

[@#video#@]

LeiaJá também

-> Sebrae: de cada 100 negros adultos, 40 são empreendedores

Enquanto os feras concentram-se nas questões abordadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o comércio ao redor dos pontos de prova ganha força com toda essa movimentação. Pequenos e médios empreendedores garantiram uma renda extra durante o processo seletivo deste domingo (10), porém nem todos compactuam com o alto índice de vendas.

"A gente já se prepara não é? Para concursos como o Enem, a gente já fica atento. É o que salva um pouquinho. É o nosso 13°", afirmou a proprietária de uma lanchonete situada nas proximidades de um ponto de aplicação no bairro da Boa Vista, Centro do Recife, Alexsandra Rocha, ao referir-se à 'tranquilidade' que o Enem trouxe para o seu fim de ano.

##RECOMENDA##

[@#galeria#@]

Mesmo com o alto fluxo de pais e vestibulandos, o autônomo Edmilson Gomes contou que o Enem ainda não atingiu sua expectativa. Por isso, segue em frente a um dos locais de aplicação no Centro do Recife até a saída dos alunos. "Em concurso a pessoa consegue mais vendas", garantiu.

"Para mim foi fraco. Hoje em dia o povo já traz tudo", afirmou a senhora Margarida Oliveira ao relatar a baixa procura em sua barraca. Ela também vende livros, contudo, aguardava os clientes embusca de águas, chocolates e salgados.

Na tarde deste domingo, segundo e último dia do Enem 2019, os candidatos respondem questões de Ciências da Natureza e matemática. Há 90 questões; a duração da prova é de cinco horas. 

LeiaJá também

--> Preparação: gêmeos 'dividiram' conhecimento para o Enem.

--> No segundo dia de provas, alunos ainda repercutem redação

--> Segundo dia de provas do Enem 2019 terá meia hora a menos

--> Enem: 2° dia de provas gera expectativas em candidatos

Desta sexta-feira (8) até o domingo (10), acontece em São Paulo o Summit de Empreendedorismo Instituto Êxito – Facing the Giants, maior evento sobre empreendedorismo, criatividade e inovação do Brasil. Durante os três dias de evento, o público poderá acompanhar talks de 35 palestrantes, com grandes nomes do empreendedorismo nacional. O Summit acontece no São Paulo Expo, dentro do Welcome Tomorrow – evento que reúne startups e grandes empresas de inovação e tecnologia e que é referência em mobilidade na América Latina. Os ingressos estão à venda no site do evento.

O Summit de Empreendedorismo vai reunir um público de três mil pessoas. Entre os palestrantes confirmados, estão: Fábio Coelho, presidente da Google Brasil; Geraldo Rufino, fundador da JR Diesel; João Appolinário, fundador e CEO da Polishop; Murilo Gun, palestrante, professor de criatividade e fundador da Keep Learning Shool; Ana Carolina Paiffer, CEO da Atom; José Alberto Jr, controlador e atual CEO do Grupo Life Brasil S.A.; Thiago Nigro, fundador do canal do Youtube Primo Rico; José Roberto Marques, coach visionário, palestrante, empresário, escritor, fundador e presidente do Instituto Brasileiro de Coaching; Janguiê Diniz, fundador e controlador do grupo Ser Educacional; Gustavo Caetano, empreendedor, fundador e CEO da Sambatech; Eduardo Shinyashiki, consultor organizacional, escritor, conferencista nacional e internacional, especialista em desenvolvimento das competências de liderança organizacional; Leandro Marcondes, fundador da Experiência de Sucesso; Lilian Primo Albuquerque, executiva de desenvolvimento de negócios na IBM e diretora executiva de Tecnologia na Anefac.

##RECOMENDA##

A programação inclui ainda nomes como Celso Niskier, reitor do Centro Universitário UniCarioca e doutor em Inteligência Artificial, diretor-presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES); Claudio Castro, empreendedor, CEO e fundador da Ensinar Tecnologia, maior partner Google Education do Nordeste, sócio da Beyond Cloud e Sunrise Tecnologia, sócio da Faculdade ESM-FAMA, VP de inovação da Sucesu e do Instituto Êxito; Tatyane Luncah, CEO do Grupo Projeto, especialista em marketing e empreendedorismo feminino; Márcio Giacobeli, consultor empresarial nas áreas de liderança, vendas, gestão de pessoas e negócios, fundador do Conexão Rede e dirigente do Movimento Educacional Brasil Lúdico; João Kepler, partner Bossa Nova Investments e um dos maiores investidores-anjo no Brasil; Edgar Ueda, empresário do segmento imobiliário, com conhecimento adquirido em institutos de renome nacional e internacional; Bruno Pinheiro, especialista em Marketing Digital e fundador da Be Academy; Erika Stancolovich Veiga, escritora especialista em educação em resiliência empreendedora, idealizadora do método “Vença o stress em 21 dias”; Antônio Carbonari Netto, professor titular e reitor do Centro Universitário Anhanguera, diretor do Semesp e fundador da Miami University of Science & Technology; William Douglas, professor e juiz federal brasileiro, autor dos best sellers "Como passar em provas e concursos" e "As 25 leis bíblicas do sucesso"; Marc Tawil, empreendedor, palestrante, autor e filantropo, head da Tawil Comunicação, LinkedIn Top Voices & Live Broadcaster, colunista de Época Negócios, conselheiro da Revista HSM; Daniel Castanho, fundador do grupo Ânima Educação; Ricardo Bellino, ex-sócio de Donald Trump e fundador do Grupo SOL; Marcelo Cherto, advogado, presidente da empresa Cherto e um dos fundadores da Associação Brasileira de Franchising (ABF); e Juliano Belletti, embaixador global do Barcelona, palestrante e co-fundador da rede de franquias Arena Belletti.

Também integram a lista de palestrantes nomes como Nina Silva, executiva de TI, uma das 100 pessoas afrodescendentes com menos de 40 anos mais influentes do mundo e sócia fundadora do Movimento Black Money; Roman Romancini, 18º brasileiro a chegar ao cume do monte Everest e VP da Sales Force; Surama Jurdi, fundadora e CEO da iWE; Verônica Filgueira, inovadora social, fundadora do movimento global #AwakeHumanity2019, empreendedora e diretora de Inovação da Accenture; Vasco Patú, terapeuta, neurobiologista e CEO da AbiHub, especializada em tratamentos online para potencializar a saúde mental; Pyero Tavolazzi, Fundador do Nitro10X e Presidente da DTS Group; e Pablo Paucar, empreendedor, escritor e mentor de negócios e desenvolvimento pessoal.

O presidente do Instituto Êxito de Empreendedorismo, Janguiê Diniz, afirma que o evento promete entrar para a história. “Já temos grandes atrações confirmadas, incluindo palestras de alguns dos principais nomes do ecossistema empreendedor e do cenário de inovação do país”, explica. A programação do Summit de Empreendedorismo reúne ainda feira de estandes, Lounge Giants, pitches de startups, mentorias, tudo destinado ao fortalecimento de ideias empreendedoras e ao compartilhamento de experiências inovadoras entre o público envolvido. “No Lounge Giants, por exemplo, os participantes terão um espaço VIP com acesso aos gigantes do empreendedorismo que vão palestrar no evento. Também, quem tiver uma startup poderá apresentar seu pitch a uma banca de investidores e, quem sabe, sair do Summit com uma perspectiva de desenvolvimento de seu empreendimento”, completa Diniz.

Para a fundadora do Movimento Black Money, Nina Silva, uma das palestrantes do evento, o Summit Êxito chega em um momento muito apropriado. “É preciso disseminar a cultura empreendedora e o Summit vai permitir um contato direto com o que há de mais moderno no cenário atual, além de apresentar tendências e muitos cases para se inspirar e extrair lições”, comenta.

Os ingressos para o Summit Êxito estão disponíveis no site www.summitexito.com.br. O ticket também dá acesso livre aos seis dias da Welcome Tomorrow e a quase todas as áreas do evento. Toda a arrecadação será destinada aos projetos filantrópicos desenvolvidos pelo Instituto Êxito de Empreendedorismo, uma entidade sem fins lucrativos.

Sobre o Welcome Tomorrow

O Welcome Tomorrow é um evento de seis dias (5 a 10 de novembro) que vai discutir mobilidade, tecnologia e o futuro da humanidade. Serão oito palcos, 300 expositores e startups, 250 palestrantes globais, coworkings, academias, salão de beleza, cinema, food trucks, mercados digitais, pubs, chopperia, esquinas musicais e boxes para reuniões. Tudo isso em 25 mil metros quadrados dentro do São Paulo Expo, o maior centro de exposições da América Latina.

Serviço:

Summit de Empreendedorismo Instituto Êxito – Facing the Giants

Data: 8, 9 e 10 de novembro

Horário: 9h às 21h

Local: São Paulo Expo - Rod. dos Imigrantes, Km 1,5, Vila Água Funda, São Paulo/SP

Informações e ingressos: www.summitexito.com.br

*Da assessoria

Modelos de negócio que despontam inovações em prol do futuro. A XI Feira de Empreendedorismo e Negócio, realizada pelo Centro Universitário Joaquim Nabuco, em São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife, reuniu, na última terça-feira (29), moradores do município e cerca de 10 empresas locais, no pátio da instituição, para conhecerem os projetos desenvolvidos pelos estudantes do 8º período do curso de administração.

No evento, um grupo de alunos expôs o protótipo de uma bengala eletrônica que permite auxiliar o deficiente visual na locomoção.

##RECOMENDA##

Confira os detalhes na reportagem:

[@#video#@]

 

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) divulgou, nesta quarta-feira (30), números sobre empreendedores negros e brancos no Brasil. Os dados são resultado de um panorama traçado pela Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) e as informações correspondem ao ano de 2018.

Segundo o levantamento, no Brasil, de cada 100 negros adultos, 40 são empreendedores. A pesquisa do Sebrae aponta que 55,56% dos empresários afrodescendentes abrem um negócio por oportunidade, enquanto o percentual de brancos nesse mesmo contexto é de 71,5%.

##RECOMENDA##

Outra abordagem do levantamento mostra que quase 80% dos empreendedores negros faturam até R$ 24 mil, oito percentuais a mais do que os empresários brancos incluídos nessa faixa de ganhos. “Por outro lado, o percentual de empreendedores brancos com faturamento acima de R$ 36 mil foi de 13,6%, quase o dobro dos empreendedores negros (7,7%)”, informou o Sebrae. 

Ainda de acordo com a pesquisa do Sebrae, entre os empreendedores iniciais negros, 54,2% têm renda familiar até dois salários mínimos. Por outro lado, entre os empresários brancos, o dado é de 37,5%. “Ainda considerando os empreendedores iniciais, a pesquisa mostra que entre os negros, aqueles com renda familiar acima de três salários mínimos representam 22,9% e entre os brancos perfazem 42,4%.  Embora a diferença entre brancos e negros no perfil de renda dos empreendedores estabelecidos seja menor, o sentido da constatação permanece o mesmo: é maior a proporção de empreendedores negros que possuem renda familiar mais baixa do que empreendedores brancos e - ao contrário - é maior a proporção de empreendedores brancos que possuem rendas maiores”, detalha o Sebrae.

Nível escolar

A pesquisa também traz um recorte referente à escolaridade dos empresários. Segundo o Sebrae, “a proporção de pessoas com nível superior completo, entre os negros, é sempre metade que a verificada entre os brancos”. O estudo indica que, na Taxa Total de Empreendedores (TTE), 6,6% dos negros têm graduação, enquanto entre os brancos o percentual é de 12,8%

“A pesquisa mostra que uma proporção maior de empreendedores negros (51,3%), deixou de concluir o ensino médio, contra 41,5% dos brancos. Essa diferença se acentua quando são tomados os empreendedores estabelecidos. Entre os negros, 58,9% não alcançaram esse grau de escolaridade (o que significa a maioria), contra 45,6% dos brancos”, informa o Sebrae.

Sobre o nível de escolaridade dos empresários, o presidente do Sebrae, Carlos Melles, alerta para a importância das atividades de qualificação entre os empreendedores. “Empreender exige conhecimento, por isso, o Sebrae recomenda que donos de micro e pequenas empresas busquem aprendizado, aperfeiçoamento, se preparar. Na prateleira de produtos e serviços, o Sebrae tem cursos gratuitos, presenciais ou à distância, em inúmeras áreas – planejamento estratégico, gestão de pessoas, marketing, qualidade no atendimento”, orienta Melles, conforme informações da Agência Sebrae de Notícias.

Serviços domésticos estão entre as atividades mais desempenhadas entre os empreendedores negros, conforme informa a pesquisa, além de práticas de cabelereiros e de tratamento de beleza. Esses trabalhos correspondem a aproximadamente 16% do total de empreendimentos iniciais geridos por negros.

Confira a seguir os principais números da pesquisa do Sebrae:

A taxa total de empreendedores (TTE) negros é de 40,2%.

De cada 100 brasileiros negros adultos, 40 são empreendedores.

A taxa total de empreendedores (TTE) entre os brancos é de 35%.

Entre os empreendedores iniciais negros predominam os mais jovens: cerca de 55%. 12,8% dos empreendedores brancos possuem nível superior completo.

6,6% dos empresários negros possuem nível superior completo.

Entre os empreendedores negros iniciais, 43,7% não têm ensino médio completo.

54,2% do empreendedor inicial negro têm renda familiar de até dois salários mínimos.

Oportunidade x necessidade

Especialistas em empreendedorismo explicam que empreender por necessidade significa que o criador do negócio não fez o planejamento necessário e indicado antes de abrir uma empresa. Nesse caso, o empreendedor, vivendo um momento financeiro complicado e que exige renda para sua própria sobrevivência, abre uma atividade sob o risco de falência muito latente, uma vez que não existiu um planejamento de mercado adequado.

Já empreender por oportunidade é reflexo de um negócio bem articulado, com pelo menos seis meses de planejamento, em que o empreendedor estudou muito bem o mercado antes de se lançar aos clientes. Segundo especialistas, negócios abertos por oportunidade têm mais chances de alcançarem bons resultados.

O Centro de Inovação - Overdrives é um dos dez finalistas do Startup Awards, uma premiação do ecossistema brasileiro de startups organizado pela Associação Brasileira de Startups. Essa é a primeira fase da premiação as quais foram escolhidas as top 10 startups para a categoria 'Aceleradoras' pela experiência e atuação no mercado brasileiro. Na próxima etapa serão selecionadas três starups para irem disputar a final do concurso. 

Sendo a aceleradora mais jovem a concorrer ao prêmio e a única da lista que está representando o Nordeste, a Overdrives vem se consolidando em Recife por fazer um trabalho focado em impulsionar o desenvolvimento de startups com geração de resultados relevantes para os negócios. 

##RECOMENDA##

No fim da premiação, as startups vencedoras das outras 14 categorias, serão apresentadas na 6ª edição do Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo (CASE), maior conferência de startups da América Latina, que será realizada nos dias 27 e 28 de novembro, em São Paulo. 

No dia 19 de novembro, acontece a 5ª edição da Feira do Empreendedor da Universidade UNG, das 19h às 22h. O evento contará com a apresentação de 22 projetos, sendo 21 do Campus Centro e um de Bonsucesso, que estarão disponíveis no saguão do prédio F com estandes e banners. As inscrições são gratuitas e já podem ser realizadas no site

Na ocasião, os alunos do 8º semestre do curso de Administração irão apresentar os projetos de startups com estandes, banners e brindes aos alunos de Administração, demais cursos e convidados.

##RECOMENDA##

De acordo com o professor do curso de Administração da Instituição, Odair Gomes Salles, a ideia é expor os projetos que destinam inspirar o empreendedorismo perante a comunidade acadêmica.  “Além do apoio e estímulo aos colegas que estarão apresentando; constitui-se, uma excelente oportunidade para trabalhar projetos interdisciplinares e principalmente despertar o espírito empreendedor aos visitantes”, ressalta.

Serviço:

V Feira do Empreendedor da UNG

Data: 19/11 (terça-feira)

Horário: das 19h às 22h

Local: Saguão do Prédio F (Campus Centro)

Inscrições: https://extensao.ung.br/DetalhesEvento.aspx?EventoId=22058

*Da Assessoria de Comunicação

Ela é uma das 100 afrodescendentes com menos de 40 anos mais influentes do mundo e sócia fundadora do Movimento Black Money. Nina Silva é respeitada por onde passa e registra o que acredita. Ao lado de outras grandes empreendedoras, ela marcará presença no Summit de Empreendedorismo Instituto Êxito – Facing the Giants, que acontecerá entre os dias 8 e 10 de novembro no São Paulo Expo, na capital paulista.

Com a palestra 'Revoluções na revolução 4.0 – Humanos e Negócios', Nina Silva abordará temas que estão sendo muitos discutidos pela sociedade, como diversidade, inovação e justiça sócio-econômica, e de que forma eles impactam nos negócios e nas empresas. "Abriremos um diálogo sobre como empresas inovadoras colocam o humano no centro do negócio e quais as vantagens competitivas neste momento de revolução tecnológica" destaca a empresária, autora do movimento "Black Money" que promove iniciativas para educação, empreendedorismo e inclusão financeira da população negra.

##RECOMENDA##

Quem também palestrará no Summit Êxito é Carol Paiffer, CEO da ATOM S/A e uma das poucas mulheres que ocupam o cargo de presidente nas empresas listadas na Bolsa de Valores (B3) atualmente. Ela também integra o time de sócios do Instituo Êxito de Empreendedorismo, que surgiu com a ideia de fomentar o empreendedorismo, sobretudo para os jovens da rede de ensino pública. Reconhecida por sua atuação em prol da importância da democratização da educação financeira no país, a empreendedora falará sobre 'Como construir patrimônio de forma inteligente' no evento que abordará empreendedorismo, criatividade e inovação entre 8 e 10 de novembro.

“Apenas 0,3% da população brasileira hoje investe na Bolsa de Valores, enquanto que nos Estados Unidos, por exemplo, essa porcentagem chega a 50. O fato é que as pessoas precisam ter mais acesso à educação financeira, pois só assim conseguiremos ter mais consciência de como construir nosso patrimônio de maneira mais inteligente”, destaca Carol Paiffer.

Além de Nina Silva e Carol Paiffer, outras mulheres consideradas referências em suas áreas de atuação também irão palestrar. Farão parte do painel de empreendedorismo feminino Lilian Nino Albuquerque, executiva de desenvolvimento de negócios na IBM e vice-presidente de tecnologiana Anefac, Verônica Filgueira, inovadora social, fundadora do movimento global #AwakeHumanity2019 e diretora de inovação da Accenture e Erika Stancolovich Veiga, escritora, especialista em resiliência empreendedora e idealizadora do método Vença o stress em 21 dias.

"Os participantes do Summit de Empreendedorismo sairão renovados e ainda mais motivados a buscarem o sucesso e a realização de seus sonhos. Com o time de grandes nomes que escalamos para as palestras e todos os outros espaços que estarão disponíveis, quem passar pelo Summit vai aprender muito sobre desenvolvimento pessoal e profissional, como empreender e ter sucesso nos negócios, como desenvolver as principais características de um bom empreendedor, além de receber inúmeras lições de vida dos palestrantes e poder ter contato direto com eles", destaca Janguiê Diniz, fundador e controlador do grupo Ser Educacional e organizador do Summit Êxito.

O Summit de Empreendedorismo Instituto Êxito – Facing the Giants Será realizado dentro no Welcome Tomorrow, evento que reúne startups e grandes empresas de inovação e que ao longo de cinco dias discutirá mobilidade, tecnologia e o futuro da humanidade, com foco ao fortalecimento de ideias empreendedoras e ao compartilhamento de experiências inovadoras entre o público envolvido.

A programação do evento está repleta de profissionais renomados em diversas áreas. Entre os palestrantes confirmados, estão: Geraldo Rufino, fundador da JR Diesel ,Fábio Coelho, presidente da Google Brasil, João Appolinário, fundador e CEO da Polishop, Thiago Nigro, fundador do canal do Youtube Primo Rico; José Roberto Marques, presidente do Instituto Brasileiro de Coaching, Gustavo Caetano, empreendedor, fundador e CEO da Sambatech e Eduardo Shinyashiki, consultor organizacional, escritor, e especialista em desenvolvimento das competências de liderança organizacional; Leandro Marcondes, fundador da Experiência de Sucesso; Lilian Primo Albuquerque, executiva de desenvolvimento, entre outros. 

Serviço:

Summit de Empreendedorismo Instituto Êxito – Facing the Giants

Data: 8, 9 10 de novembro

Local: São Paulo Expo - Rod. dos Imigrantes, Km 1,5, Vila Água Funda, São Paulo/SP

Horário: 9h às 21h

 Ingressos

Os ingressos para o Summit Êxito estão disponíveis no site www.summitexito.com.br Toda a arrecadação será destinada aos projetos filantrópicos desenvolvidos pelo Instituto Êxito de Empreendedorismo, uma entidade sem fins-lucrativos.

*Da assessoria de comunicação 

No dia 22 de outubro, a Faculdade UNINASSAU João Pessoa, através do curso de Gastronomia, realiza o “Ted Talk”, evento que irá trazer profissionais da área para falar sobre as experiências profissionais, mercado de trabalho e empreendedorismo. As palestras acontecem nas salas de aula, das 8h20 às 10h e das 18h às 20h.  

O evento tem o objetivo de colocar os alunos do curso em contato com profissionais da gastronomia que montaram o próprio negócio e empreenderam. Entre os palestrantes estão a confeiteira Larissa Barbosa, o chef Renan Windsor, a consultora de gastronomia Maria Clara, entre outros.

##RECOMENDA##

 Para a coordenadora do curso de Gastronomia da UNINASSAU João Pessoa, Daiana Consuelo, a ideia de fazer o Ted Talk foi de proporcionar troca de experiências entre estudantes e empreendedores. “Será uma ótima oportunidade de os alunos conhecerem outras formas de atuação do curso com profissionais que já estão no mercado de trabalho”, afirmou.

*Da assessoria

Com o intuito de aproximar os estudantes e as oportunidades no mercado de trabalho, a Faculdade UNINASSAU Natal promove a terceira edição da Feira de Empregabilidade. Durante os dias 22 e 23 de outubro, empresas de diversos segmentos apresentam ofertas de estágios, vagas de emprego e recebem currículos dos estudantes.

Promovida pelo Núcleo de Trabalhabilidade Emprego e Carreiras (NTEC), a Feira tem como objetivo discutir o novo perfil profissional que o mercado exige. A programação conta com palestras, oficinas e mesas-redondas com todas as informações para os participantes conquistarem as vagas desejadas.

##RECOMENDA##

"O evento é importante para saber qual perfil profissional as empresas estão em busca e, dessa forma, aproximar os participantes do mercado de trabalho. Serão feitas triagens dos currículos que foram entregues às empresas que, posteriormente, entrarão em contato com os candidatos pré-selecionados para o agendamento das entrevistas”, explicou a analista de carreiras da UNINASSAU Natal, Andreza Carla.

Da assessoria de comunicação

A Gomes da Costa, empresa de produção e comercialização de pescados, irá inscrever mulheres, do dia 14 a 18 de outubro, para a ação “Gomes por Elas”. A campanha tem o objetivo de utilizar o espaço que a empresa possui na mídia online para divulgar o trabalho de mulheres maiores de 18 anos que têm pequenos negócios nos municípios de Recife e Caruaru, em Pernambuco.

De acordo com a organização, todas as inscritas que estiverem adequadas ao regulamento terão seu nome divulgado no site da empresa. Algumas também serão selecionadas para participar de ações especiais de comunicação online. Empresárias de quaisquer ramos poderão participar.

##RECOMENDA##

Interessadas podem realizar inscrição por meio de envio de uma mensagem para a página oficial da Gomes da Costa Brasil no Facebook, contendo nome completo, Cadastro de Pessoa Física (CPF), foto da empreendedora, além de uma lista de produtos que serão divulgados com foto.

O Instituto Peró, organização sem fins lucrativos, está com 30 vagas abertas para um curso gratuito de empreendedorismo em parceria com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Pernambuco (Fecomércio-PE), voltado para os moradores de Jaboatão dos Guararapes, localizado na Região Metropolitana do Recife. As candidaturas serão realizadas presencialmente do dia 14 de outubro, às 14h. 

O Programa Formação Empreendedora pretende direcionar e engajar os alunos para a abertura do seu negócio. O objetivo principal do curso é ampliar as competências de gestão e negócios e facilitar a vida dos profissionais, até mesmo daqueles que já atuam por conta própria.

##RECOMENDA##

No dia da inscrição, os candidatos vão participar de uma sensibilização para apresentação da proposta do curso. É preciso levar até o local, localizado na área externa do Shopping Guararapes, em Piedade, Jaboatão do Guararapes, xerox do RG, CPF, comprovante de residência e ficha 19. O pré-requisito principal é ser oriundo ou estudante de escolas públicas e ter mais de 18 anos.  

As aulas vão ser ministradas no turno da tarde, das 13h30 às 17h30, no Instituto Peró, com data de início previsto para 15 de outubro, e duração de um mês e meio. Para mais informações, os interessados podem entrar em contato com o Instituto Peró pelos telefones  (081) 2122.2284 e 2122.2250.

No dia 9 de novembro, um evento promete mostrar como o autoconhecimento pode contribuir para a vida profissional. O encontro, batizado de WorkCHOQUE, será realizado das 8h às 17h, no auditório do Overdrives, centro de inovação situado na área central do Recife.

Na ocasião, a coach e especialista em gestão de qualidade e produtividade, Lu Bazante, discutirá tópicos como “Pensar com clareza”, “Autoconhecimento”, “Quebra de crenças limitantes” e “Planejamentos para resultados”. As inscrições estão disponíveis e podem ser feitas pela internet.

##RECOMENDA##

O investimento na qualificação é de R$ 97. O Overdrives fica na Avenida Guararapes, 283, bairro de Santo Antônio, área central da cidade.

 

Páginas

Leia Concursos

Procure os
Concursos

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando