Cultura

| Artes Cênicas

A Escola Pernambucana de Circo (EPC) encontrou uma forma de retomar parte de suas atividades e, ainda, ensinar à população sobre as formas de prevenção ao coronavírus de forma divertida. O projeto Circo em Frente de Casa vai promover apresentações em bairros da Zona Norte do Recife, através de doações arrecadadas na plataforma Benfeitoria.

Com as atividades regulares suspensas por conta da pandemia, a EPC espera visitar 30 comunidades da Zona Norte levando diversão e conscientização. A ideia é apresentar esquetes bem humoradas sobre as medidas preventivas ao coronavírus para os moradores, que poderão acompanhar tudo pelas janelas de suas casas. 

##RECOMENDA##

As apresentações serão feitas por duplas de palhaços, paramentadas e utilizando os equipamentos de proteção individual. Além do espetáculo com números circenses, os artistas vão distribuir kits de higiene e limpeza para as comunidades. Para colaborar com a ação, basta acessar o link da Benfeitoria.

Os palhaços da associação Doutores da Alegria são conhecidos pelo tratamento de “besteirologia” que, há 28 anos, é aplicado em hospitais de todo o país. Agora, com a pandemia do novo coronavírus, as equipes também precisaram se afastar do seu ofício por conta da necessidade de se fazer o isolamento social. Os doutores, então, fizeram adaptações ao seu trabalho e estão fazendo o Delivery Besteirológico, uma forma de, mesmo à distância, continuar tratando os pacientes. 

O Delivery Besteirológico dialoga com crianças hospitalizadas, seus acompanhantes, profissionais de saúde e todos aqueles que precisem de uma dose de “besteirologia” e de arte nesses tempos tão difíceis. Os doutores gravam vídeos e postam em suas redes sociais, três vezes por semana, além de enviá-los aos contatos dos hospitais parceiros.  Atualmente, Doutores da Alegria conta com 100 mil seguidores no Instagram e mais de dois milhões e meio de fãs no Facebook. 

##RECOMENDA##

[@#video#@]

Os vídeos tratam de temas que se integraram à atual realidade, por conta do coronavírus,  como as regras mais rígidas de higiene, o isolamento social e as relações humanas neste momento. Além disso, estão previstos números musicais com o repertório original dos palhaços e histórias que aconteceram nos hospitais ao longo desses 28 anos de atuação no país, sendo 17 deles na capital pernambucana.

Os famosos teatros da Broadway não reabrirão antes do início de setembro, anunciou o seu grupo de acionistas nesta terça-feira (12).

Embora a Broadway League não tenha definido uma data para a volta das performances, a associação informou que a troca de ingressos para as apresentações ou sua devolução agora estão disponíveis a partir do dia 6 de setembro.

##RECOMENDA##

A decisão não surpreende, já que Nova York continua sendo o epicentro da pandemia de coronavírus nos EUA. A Covid-19 continua sendo responsável pela morte diária de mais de 150 pessoas no estado.

A reabertura dos setores de artes e entretenimento, uma das principais características da vida nova-iorquina, integra a última fase do plano do governador Andrew Cuomo de retorno da atividade econômica e cultural no estado americano.

"Enquanto todos os shows da Broadway gostariam de retomar as apresentações o mais rápido possível, precisamos garantir a saúde e o bem-estar de todos os que vão ao teatro - atrás da cortina e na frente dela - antes que os shows voltem a acontecer", disse Charlotte St. Martin, presidente da Broadway League, em um comunicado.

Assim como quase todos os locais de entretenimento da cidade, os teatros da Broadway interromperam suas atividades em meados de março, quando 31 espetáculos estavam em cartaz e oito finalizavam os ensaios para as estreias durante a primavera.

O fechamento da atração turística mais lucrativa da cidade atinge fortemente a economia: usualmente, a Broadway é responsável pela arrecadação de US$ 33 milhões por semana nas vendas de ingressos.

O mágico Roy Horn, um dos integrantes da famosa dupla "Siegfried and Roy" de Las Vegas, morreu na sexta-feira aos 75 anos vítima de complicações vinculadas ao novo coronavírus. Ele apresentou resultado positivo para COVID-19 na semana anterior e morreu no hospital Mountain View, de Las Vegas.

Na capital dos cassinos e da diversão na região oeste dos Estados Unidos, sua dupla com Siegfried Fischbacher foi uma das mais famosas por muitos anos, caracterizado pelos figurinos extravagantes e atos com tigres, elefantes ou serpentes.

##RECOMENDA##

Em outubro de 2003, Horn foi atacado durante um espetáculo por um tigre de Bengala branco. Gravemente ferido, ele demorou meses em sua recuperação e o show nunca foi retomado.

"Hoje, o mundo perdeu um de seus grandes mágicos, mas eu perdi meu melhor amigo", declarou Fischbacher em um comunicado.

Roy Horn conheceu Siegfried Fischbacher em 1957 em um cruzeiro. Dois anos depois formaram a dupla.

A estreia em Las Vegas aconteceu no fim dos anos 1960.

A dupla "Siegfried and Roy" fez apenas mais um aparição após o ataque do tigre, em 2009, e os mágicos se aposentaram oficialmente em 2010.

Com as atividades interrompidas desde o último 12 de março, a Broadway continua cheia de incertezas sobre as condições necessárias para a sua reabertura, que não deve ocorrer antes de setembro, e teme uma catástrofe impossível de combater sem a ajuda pública.

À noite, as luzes neon permanecem acesas, mas há quase dois meses não há ninguém esperando na fila na entrada dos teatros do lado de fora da Times Square, em Nova York.

##RECOMENDA##

Toda semana, os US$ 33 milhões das bilheterias não entram por causa da pausa imposta pela crise do novo coronavírus.

Os profissionais que dão vida a esse setor receberam seus pagamentos duas semanas após o decreto do fechamento, mas agora têm a renda limitada ao seguro-desemprego - que muitos sequer receberam, por causa do caos administrativo que aumenta com a pandemia.

"Infelizmente, é quase impossível para um músico de palco ganhar dinheiro agora", lamenta Clayton Craddock, baterista da orquestra do musical "Ain't too proud".

A renda básica, de acordo com fontes, é estimada em US$ 2.000 por semana, mas muitos músicos recebiam pagamentos mais altos.

Segundo o presidente do sindicato dos músicos "Local 802", Adam Krauthamer, vários membros já morreram com a COVID-19.

Dos 16 espetáculos que estavam em fase de preparação no momento da interrupção das atividades, a partir da decisão do governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo, apenas dois foram oficialmente cancelados.

"Alguns podem não voltar, mas ainda não temos essas informações", disse Charlotte St. Martin, presidente da Broadway League, a principal associação dessa indústria.

A previsão é ainda mais sombria diante da certeza de que a volta das atividadesnão é considerada para antes de julho.

A Brodway não tem uma certeza sobre uma data para sua reabertura e muitos apontam que o melhor cenário será somente a partir de setembro.

O pessimismo é grande ao se comparar essa indústria com outras, como a do esporte profissional, que pensa em retornar suas atividades com estádios a portas fechadas ou ao menos com público restrito, opção impossível de ser implementada em um teatro.

"O modelo financeiro da Broadway está estruturado de tal maneira que o distanciamento social simplesmente não funciona", diz St. Martin.

"Mesmo com uma ocupação de 50%, um espetáculo não conseguiria pagar seus custos", ressalta a presidente.

As peças e musicais se enquadram na categoria de aglomerações "que provavelmente são as últimas a serem permitidas", explica a presidente da Broadway League.

Segundo um membro da orquestra de um musical que preferiu não ser identificado, "se a Broadway voltar em setembro e eu puder viver disso, tudo bem. Mas estou preparado para que seja mais complicado".

Para resistir até a reabertura, a Broadway busca conseguir ajuda pública.

"Economicamente, a cidade precisa que a Broadway retorne à vida, e que o turismo, hotéis e restaurantes sejam mais saudáveis", diz Charlotte St. Martin, citando um estudo que estima a participação econômica desse setor em US$ 14,7 bilhões por ano para Nova York.

A comédia chega à era das lives, nesta terça (5), com edição inédita do festival Risadaria. Reunindo grandes nomes do humor brasileiro, como Fábio Porchat, Leandro Hassum e Maurício Meirelles, o festival realiza sua primeira edição online em uma live no seu canal do YouTube, às 21h, com o Risadaria em Casa. 

Além de Porchat, Hassum e Meirelles, também se apresentam Marco Luque, Marlei Cevada, Igor Guimarães e Victor Sarro, além do idealizador do projeto e mestre de cerimônias, Paulo Bonfá. O objetivo é levar o stand-up comedy para a internet e também, promover um ato de solidariedade com a ajuda dos fãs.

##RECOMENDA##

A primeira live em formato de stand-up comedy do país pretende arrecadar doações para as comunidades impactadas pela pandemia. Todos os artistas participantes abriram mão de seus cachês e o projeto contará, ainda, com a parceria do Grupo BIG que contribuirá com o envio de mais de 200 toneladas de alimentos e produtos de primeira necessidade para entidades como Mesa Brasil, Amigos do Bem e Rede de Bancos de Alimentos do Rio Grande do Sul.

Uma nova plataforma de streaming é opção para prestigiar espaços e manifestações culturais sediadas em São Paulo durante o período de isolamento social. A partir desta segunda-feira (20), o conteúdo gratuito do projeto #CulturaEmCasa vai estar disponível na Internet e pode ser acessado por aparelhos como televisão, computador, tablet e smartphone.

Na programação, eventos como shows, peças de teatro e visitas virtuais ao acervo de museus instalados no território paulista. Entre as atrações, estão apresentações inéditas da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) e da Orquestra Jazz Sinfônica.

##RECOMENDA##

Além da música, o ambiente digital traz visitações virtuais pelos acervos de museus como a Pinacoteca, o Museu da Imagem e do Som (MIS) e o Museu do Futebol. Há também obras nunca vistas de equipamentos como a  da São Paulo Companhia de Dança, do Projeto Guri e as encenações em cartaz nos teatros São Pedro e Sérgio Cardoso.

Conteúdos como shows ao vivo, entrevistas, aulas, palestras, produções de outras instituições culturais e de artistas independentes somam-se à lista de opções da #CulturaEmCasa. Junto às opções audiovisuais, uma parceria com a Amazon disponibiliza 4 mil livros de maneira gratuita na plataforma.

A princípio, além das redes sociais, o ambiente virtual #CulturaEmCasa estará acessível por meio dos sites www.culturaemcasa.com.br e www.culturaemcasa.sp.gov.brDe acordo com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, o próximo passo é o lançamento dos aplicativos dos conteúdos. 

Renda e solidariedade

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19), os dados da pasta da Cultura mostram que cerca de 650 mil artistas foram afetados só no estado de São Paulo. Para tentar reduzir os impactos para a classe artística, os recursos destinados às apresentações presenciais foram remanejados para os eventos realizados no ambiente virtual.

A primeira das 120 transmissões ao vivo começa na próxima terça-feira (21). A partir das 21h, o Festival #CulturaEmCasa terá a participação de artistas como o cantor e compositor Erasmo Carlos, a atriz Eva Wilma e o humorista e apresentador Fábio Porchat. No decorrer das apresentações, o público será convidado a contribuir com a campanha de arrecadação do Fundo Social de São Paulo. A renda será destinada a artistas dos 70 circos de lona itinerantes do estado.

Confira a toda a programação:

Sites www.culturaemcasa.sp.gov.brwww.culturaemcasa.com.br

Redes Sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Uma bailarina brasileira foi a grande vencedora do concurso mundial Dance-Off, promovido pela Royal Academy of Dance, de Londres. Sophia Heringer, de Belo Horizonte (MG), tem 11 anos e não deixou de praticar o ballet mesmo confinada em casa, por conta da quarentena. Foi dançando em sua própria sala que ela desbancou dançarinos de todo o mundo e levou o concurso. 

Sophia dança desde os dois anos de idade e continua praticando diariamente mesmo estando em isolamento social. O seu pai montou barras na csa da família, para que a menina possa fazer os exercícios e ela mantém suas atividades com bastante disciplina. Para participar do concurso, a pequena bailarina coreografou sua performance sozinha e encantou os jurados. “Eu criei a coreografia. Eu só sinto a música. Quando eu danço eu fico no meu mundinho. Amo”, disse a menina em entrevista ao G1.

##RECOMENDA##

[@#video#@]

No mês em que se celebra a arte circense - dia 27 de Março é a data em que se comemora o circo -, os artistas que dedicam suas vidas à essa cultura estão impedidos de fazerem o que mais amam: trabalhar. Impossibilitados de fazer apresentações e também de viajar entre as praças (como chamam as cidades por onde passam), palhaços, mágicos, malabaristas e trapezistas precisam lidar com a ausência do aplauso do público e a falta de recursos para sobreviver. Para ajudá-los, a Comissão Setorial de Circo de Pernambuco está fazendo uma campanha para arrecadar doações para essas famílias.

Os circos itinerantes são, muitas vezes, o primeiro contato com arte para várias pessoas. Passando de cidade em cidade, algumas, às vezes, que nem dispõem de qualquer equipamento cultural, os circos levam entretenimento e diversão por onde passam. É o que faz Tita Alves, de 51 anos. Proprietária do Circo Alves,  ela vive da arte circense perpetuando o legado de seu bisavô. “Meus netos estão nascendo no circo e tenho fé em Deus que meus netos também nascerão aqui. A gente tem tanto orgulho de ser dessa cultura. O circo pra gente não é uma profissão, é uma tradição, além de profissão, ele é tudo”, disse em entrevista exclusiva ao LeiaJá.

##RECOMENDA##

O Circo Alves tem uma equipe de 15 pessoas, entre crianças e adultos e, agora, se encontra parado em Caruaru, no bairro de Fernando Lira. Com uma plateia que comporta até 400 pessoas, o circo está impedido de realizar espetáculos ante a proibição de se promover eventos que provoquem a aglomeração de pessoas, em prevenção à disseminação do coronavírus. Tita conta que, agora, precisa contar com a solidariedade do público. “Nós estamos impossibilitados de nos mexer, são pessoas que nasceram pra isso e vivem disso com a família. Nós não estamos acostumados a pedir, mas estamos vivendo de doações”. Esta é a primeira vez que a circense suspende os trabalhos por tanto tempo, em cinco décadas de dedicação a essa arte.

Assim como Tita e o Circo Alves, muitos outros artistas circenses se encontram na mesma situação. Para ajudá-los, a Comissão Setorial de Circo de Pernambuco pede a ajuda do público. O movimento já conta com a ajuda de de algumas prefeituras, artistas, movimentos culturais e sociais e  ONGs. As pessoas também podem ajudar levando doações de alimentos e outros materiais de primeira necessidade diretamente aos circos.”Com as orientações de evitar circulação não colocamos um ponto central (para a coleta dos itens)”, explica Williams Sant'anna, coordenador da comissão.  “Agora é a hora da gente ser agraciado na retribuição daquela alegria que a gente leva”, espera Tita. .


 

Com a impossibilidade de realizar apresentações, devido à necessidade de se fazer a quarentena em prevenção ao coronavírus, artistas têm procurado maneiras de de  compensar a falta de trabalho. O grupo Magiluth está vendendo, com antecedência, os ingressos para o seu próximo espetáculo Estudo nº 1: Morte e Vida. A estratégia visa manter um caixa para o grupo para que suas atividades possam voltar tão logo o período de isolamento termine. 

##RECOMENDA##

LeiaJá também

--> Arristas buscam meios de sobreviver à crise do coronavírus

Previsto para estrear no dia 8 de maio, o espetáculo está em suspenso e ainda sem nova data de estreia. O Magiluth pretende voltar aos poucos somente ao fim da crise instaurada pelo coronavírus. O Espaço Cultural Casarão Magiluth, inaugurado em janeiro, também segue fechado, por tempo indeterminado, para ensaios, exposições e shows.

Para manter o caixa, durante o período de trabalhos suspensos, o Magiluth colocou à venda os ingressos para o próximo espetáculo, Estudo nº 1: Morte e Vida. Os interessados podem garantir o seu através do site Sympla, pelo valor de R$ 30.  A montagem mergulha no universo poético do do clássico Morte e Vida Severina, escrito por João Cabral de Melo

 Neto (1920-1999), em adaptação sob direção de Rodrigo Mercadante e direção musical de Juliano Holanda.

A Paixão de Cristo de José Pimentel, que estreou em Olinda em 2019, também vai adiar sua segunda temporada, neste ano de 2020. O motivo é a determinação do governo de Pernambuco, que proíbe eventos com público superior a 500 pessoas, como medida preventiva à disseminação do coronavírus. O espetáculo, que aconteceria entre os dias 9 e 12 de abril ainda não tem novas datas, porém, continua sendo produzido pela equipe comandada pela produtora Lilian Pimentel. 

Em entrevista exclusiva ao LeiaJá, Lilian Pimentel, herdeira direta do ator e diretor José Pimentel, falecido em 2018, confirmou o cancelamento da segunda temporada do espetáculo. A produtora afirmou ainda não haver novas datas para a encenação, mas garantiu que toda a equipe continua o trabalho, ainda que de maneira individual. "A gente vai aproveitar isso para trabalhar com mais calma, a equipe não parou. Cada um levou seu texto pra casa e será marcada uma nova data, provavelmente continuará de quinta a domingo. A gente tem que pensar que essa é uma medida para o bem de todo mundo".

##RECOMENDA##

Lilian disse, ainda, que os detalhes da montagem como os cenários, estão sendo produzidos em Olinda e que toda a equipe está no aguardo para que a peça  seja remarcado. "É um espetáculo que se encaixa em diversas fases do ano. Tem o Dia de São Salvador em Olinda, em agosto, tem várias datas. Dá para aguardar. Corre risco o público, os atores, todo mundo no geral. O espetáculo passa, mas a vida, não", disse. 

 

Embora a organização do espetáculo Paixão de Cristo de Nova Jerusalém tenha divulgado que manteria suas datas - entre 4 e 11 de abril - a realização da montagem precisou ser adiada. Devido a um decreto, assinado pelo governador de Pernambuco Paulo Câmara, que proíbe eventos com grande aglomeração de pessoas, por conta da pandemia do coronavírus, o evento deve acontecer apenas no segundo semestre de 2020. 

A mudança no calendário da Paixão de Cristo foi anunciada neste sábado (14), durante coletiva de imprensa na sede do governo do Estado. Mediante a proibição de eventos de qualquer natureza, com público superior a 500 pessoas, o tradicional espetáculo deverá ser adiado para o mês de setembro. "É realmente necessário. Já existe a previsão de adiamento do espetáculo para o mês de setembro, aconteceria ali próximo ao feriado de 7 de setembro. Mas isso vai passar por reavaliação permanente", disse o secretário de turismo de Pernambuco, Rodrigo Novaes. O secretário assegurou, ainda, que a decisão foi tomada junto à produção do espetáculo. 

##RECOMENDA##

Após a coletiva, as redes sociais da Paixão de Cristo publicaram a nova informação a seus seguidores. "Em cumprimento às medidas preventivas adotadas pelo Governo do Estado de Pernambuco, com o objetivo de combater a expansão do contágio pelo coronavírus, a Sociedade Teatral de fazenda Nova resolve adiar a temporada 2020 da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, que seria realizada de 4 a 11 de abril, para o período de 2 a 7 de setembro de 2020". O comunicado assegura, também, que os ingressos já adquiridos continuam válidos para as novas datas. 

Nesta sexta-feira (13), a organização da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, em Fazenda Nova, no distrito de Brejo da Madre de Deus, no Agreste pernambucano, se pronunciou sobre a proliferação do coronavírus no Estado. Em nota divulgada nas redes sociais, a produção afirmou que os espetáculos, de 4 a 11 abril, não serão cancelados. No comunicado, a equipe ressaltou que a programação segue sem alterações.

"Tendo em vista as informações oficiais, até o momento, que relatam a baixa disseminação do coronavírus em nosso estado, e que todas as medidas sanitárias e de prevenção estão sendo adotadas pelos orgãos competentes, a programação da temporada 2020 da Paixão de cristo de Nova Jerusalém segue sem alterações e será realizada no período de 4 a 11 de abril conforme vem sendo divulgado", esclareceu a Sociedade Teatral de Fazendo Nova.

##RECOMENDA##

Ainda na publicação, foi informado aos internautas que todos os ambientes da cidade teatro irão receber ações de limpeza e desinfecção "antes, durante e depois de cada um dos espetáculos". 

[@#video#@]

Considerado o maior comunicador da história da televisão brasileira, Silvio Santos virou tema de uma comédia musical que estreia hoje em São Paulo. O espetáculo "Silvio Santos Vem Aí!" narra o caminho de sucesso traçado pelo carioca Senor Abravanel até se tornar um dos maiores empresários do Brasil. A peça fica em cartaz até 17 de maio, no Teatro Santander.

Na comédia musical de Marília Toledo e Emílio Boechat, boa parte da vida de Silvio Santos será representada. A peça, que tem direção de Fernanda Chamma, reproduz um recorte da carreira do dono do SBT desde a época em que o hoje consagrado empresário e comunicador era vendedor ambulante nas ruas da capital fluminense. O ator Velson D’ Souza, imitador do apresentador desde 2005, dará vida ao 'patrão' no palco do espetáculo. O mesmo artista já interpretou o apresentador na peça "Avoar", ao lado de Tiago Abravanel, neto do 'homem do Baú'. A atriz Bianca Rinaldi será Íris Abravanel, esposa de Silvio, na trama.

##RECOMENDA##

 

Serviço

"Silvio Santos Vem Aí!"

Quando: de 13 de março a 17 de maio de 2020; sextas-feiras (20h30), sábados (15h e 20h30), domingos (15h e 20h)

Local: 033 Rooftop - Teatro Santander, Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2.041, próximo à Estação Vila Olímpia (Linha 9-Esmeralda da CPTM)

Ingressos: R$ 37,50 e R$ 180

Informações: https://www.sympla.com.br/

O processo seletivo do curso técnico gratuito da SP Escola de Teatro está com inscrições abertas até 3 de abril. São 64 vagas disponíveis em linhas de estudo como Atuação, Cenografia e Figurino, Direção, Dramaturgia, Humor, Iluminação, Sonoplastia e Técnicas de Palco. O cadastro dos interessados deve ser feito pelo www.institutomais.org.br e a taxa para participar da seleção é de R$ 60. A solicitação de redução ou isenção do pagamento vai até às 17h da próxima segunda-feira (9).

Os cursos têm duração de dois anos, a partir do segundo semestre de 2020. As turmas são distribuídas nas sedes Brás e Roosevelt da SP Escola de Teatro, e as aulas realizadas de segunda a sexta-feira, durante os períodos da manhã e tarde.

##RECOMENDA##

Podem participar do processo seletivo candidatos de todos os estados brasileiros que tenham completado 18 anos até janeiro de 2020 e que comprovem a conclusão do ensino médio. Os estrangeiros com passaporte e situação legal no Brasil também estão habilitados a participar. Nas turmas, 20% das vagas de cada curso são direcionadas às pessoas autodeclaradas pretas ou indígenas.

Para solicitar redução ou isenção da taxa de inscrição, é necessário atender a alguns requisitos. Podem fazê-la estudantes de ensino médio, curso pré-vestibular, graduação ou pós, desempregados e cidadãos que recebem menos de dois salários mínimos (R$ 2.078). Além deste público, pessoas que tenham cursado o ensino fundamental ou os três anos do ensino médio em escola da rede pública e até mesmo na rede privada como bolsista integral também podem requerer o direito.

Calendário para a seleção e aulas

A escolha dos participantes será realizada em duas etapas. A primeira, uma entrevista que acontece entre os dias 25 de abril e 9 de maio. Os locais e horários da audiência serão divulgados no dia 17 de abril.

Já na fase seguinte, uma redação que deve ser elaborada no dia 17 de maio. Todos os admitidos no segundo ciclo seguem para as avaliações de habilidades artísticas. A seleção ocorre de 6 a 27 de junho. As informações sobre as sedes e hora dos testes serão publicadas no edital de convocação.

O resultado será divulgado em 8 de julho e as matrículas dos aprovados devem ser feitas em 13 e 14 de julho pela internet.

O humorista Léo Lins lançou, nesta quinta (5), o que seria sua 'candidatura à Prefeitura do Recife’. Na verdade, ele publicou alguns vídeos divulgando o show que vai fazer na capital pernambucana, no dia 14 de março, como se fosse um candidato ao governo municipal. Nas publicações, ele brinca com algumas particularidades da cidade como o metrô, a grande quantidade de farmácias e os tubarões de Boa Viagem. 

A divulgação do novo show de Léo, Perturbador, tem tons de campanha eleitoral e o humorista apresenta suas 'propostas' para a cidade do Recife. Ele promete lançar o programa Gordura Zero, para "secar" os frequentadores da praia Buraco da Véia; um hospital para a "quarta idade", exclusivo para "torcedores do Náutico"; e também promete fundar a "primeira escola brasileira de passinho", no bairro do Ibura, na qual os alunos vão dançar as coreografias ao som do Hino Nacional.  

##RECOMENDA##

Ele também 'promete' diminuir o número de farmácias na cidade: "Por que tantas, se tudo que tem lá já é vendido no metrô?". E lança os nomes dos 'secretários' que vai trazer para sua 'equipe': Shevchenko e Elloco para cultura, Troinha, para segurança, e Gildo Lanches, para o setor de alimentos. Finalizando, o humorista convida: "Se você quer me conhecer melhor é só comparecer no dia 14 de março no Teatro Guararpes, para ver o meu novo show". 

Léo Lins costuma fazer esse tipo de brincadeira com as cidades pelas quais passa. Em agosto de 2019, porém, o humorista causou mal estar em Taubaté, interior de São Paulo. O governo municipal não achou graça da brincadeira e notificou o artista proibindo a realização do seu show no teatro local. Parecendo não se importar com as polêmicas, Léo finaliza seu vídeo lançado hoje alertando: "Se antes eu incomodei, foi sem querer, agora é de propósito". 

[@#video#@]

Após temporada em São Paulo, o espetáculo Chaves - Um tributo musical, sai em turnê pelo nordeste do país. O Recife recebe a montagem nos dias 28 e 29 de março, no palco do Teatro RioMar. Esta é a primeira e única produção dessa natureza licenciada pelo Grupo Chespirito e pelo SBT.

Chaves - Um Tributo Musical reconstitui o cenário e o figurino do seriado que ganhou fama ao ser exibido pelo SBT. Os personagens Chaves, Chiquinha, Seu Madruga, Quico, Dona Florinda e demais moradores da vila criada por Roberto Bolaños, ganham vida novamente, dessa vez no teatro, em uma grande homenagem à obra e legado de seu criador. 

##RECOMENDA##

O roteiro do musical é original e tem assinatura da diretora Fernanda Maia. A direção geral do espetáculo é de Zé Henrique de Paula, e coreografia de Gabriel Malo. O repertório conta com canções clássicas da série da TV e composições inéditas. Os ingressos estão à venda pela internet e na bilheteria do teatro. 

Serviço

Chaves - Um tributo musical

28 de março - 21h30

29 de março - 16h e 20h

Teatro RioMar

Plateia Baixa: R$ 100 e R$ 50 (meia)

Plateia Alta: R$ 80 e R$ 40 (meia)

Balcão Nobre: R$ 60 e R$ 30 (meia)

 

A Cia Maravilha de Teatro está com inscrições abertas para o curso de teatro. As aulas têm início no próximo sábado (7) e podem participar crianças e adultos. As inscrições poderão ser feitas através do Instagram ou email da Companhia (maravilhascasa@gmail.com).

O curso é dividido em dois módulos e tem a duração de oito meses. Serão trabalhados princípios básicos do teatro e linguagem corporal, além de outros tópicos sob as instruções de Márcia Cruz, atriz e produtora, especialista em desenvolvimento corporal; e Paulo de Pontes, ator da Cia Maravilhas.

##RECOMENDA##

Serviço

Curso de Teatro - Cia Maravilhas de Teatro

Março a novembro

Crianças dos 05 aos 15 anos | Sábados, 10h às 12h

Pessoas à partir dos 18 anos | Sábados, 14h às 17h

Casa Maravilhas (Rua do Riachuelo, 641, Boa Vista)

R$100 ( Mensalidade)

Informações: (81) 98953 7289 (WhatsApp)

O Teatro Hermilo Borba Filho, no Cais do Apolo, recebe o espetáculo "Ainda escrevo para elas", durante todas as quintas e sextas-feiras de março, às 20h. A peça apresenta uma reflexão sobre a liberdade e o aprisionamento das mulheres no seu cotidiano.

Estrelado por Natali Assunção e direção de Hilda Torres e Analice Croccia, o espetáculo apresenta relatos intercalados de 11 mulheres de situações econômicas distintas, sobre suas vivências do tema.

##RECOMENDA##

Serviço

Espetáculo "Ainda escrevo para elas" 

Quintas e sextas de março | 20h

Teatro Hermilo Borba Filho (Cais do Apolo, 142 - Recife Antigo)

R$ 30 (inteira), R$ 15 (meia)

[@#galeria#@]

O Coletivas Xoxós dá início, neste semestre, a um circuito autoral em um evento intitulado Quartelada Teatral. Serão apresentados quatro espetáculos solos da atriz Andréa Flores, todas as quartas-feiras do mês, às 20 horas, de 4 de março a 24 de junho, no Teatro do Desassossego.

##RECOMENDA##

O circuito começa com o espetáculo “mEU pOEMA iMUNDO”, um compilado de cenas baseadas nas relações que a encenadora Wlad Lima, por causa do sobrepeso, tem com objetos de sentar. Em seguida, na dramaturgia “Rala, Palhaço!”, Andréa Flores brinca com uma casinha de bonecas enquanto relata, sem usar a voz, a cura de um relacionamento abusivo. Em “Curupirá”, resultado da tese de doutoramento da atriz, Andréa Flores pesquisou o riso ameríndio. Na última quarta-feira do mês, “Divina” mostra um antigo trabalho sobre histórias familiares e ancestralidade.

Coletivas Xoxós é um grupo de teatro liderado por mulheres, fundado em 2015. Prestes a completar cinco anos de existência, a equipe busca estimular as produções a partir do protagonismo feminino. O grupo também tem compromisso com a divulgação do teatro paraense. 

Serviço

Venda de ingressos com a produção do evento, pelo número (91) 98204-5030, ou no Teatro do Desassossego, na rua Dr. Malcher, 287, Cidade Velha, nos porões da Casa Cuíra, a partir das 19 horas do dia da apresentação.

Preços: R$ 30,00 (com meia-entrada para estudantes).

Capacidade máxima: 20 lugares.

Por Yasmin Seraphico (com informações de Danielle Cascaes, assessoria do evento).

 

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando