Esportes

| Geral

Três semanas após o anúncio de restrições aos tênis tecnológicos, o queniano Eliud Kipchoge saiu em defesa do calçado que lhe ajudou a se tornar o primeiro homem a completar a maratona em menos de duas horas. E rebateu as críticas ao evento, não oficial, em que obteve a incrível marca de 1h59min40, em Viena, na Áustria, em outubro passado.

"Os tênis que eu utilizei em Viena são os corretos. Não vejo nada demais e nenhum motivo para concentrarmos nossa atenção nos tênis", disse o queniano de 35 anos, em Berlim, em evento do prêmio Laureus, o "Oscar do esporte".

##RECOMENDA##

Na capital austríaca, ele calçou o protótipo da Nike batizado de AlphaFly. Segundo especialistas, este modelo e outros similares, de outras fabricantes, poderiam dar um ganho de desempenho de até 4%.

Preocupada com estes novos tênis, a World Athletics (a federação internacional de atletismo) impôs seguidas restrições aos modelos, principalmente em razão do feito obtido por Kipchoge. O recorde, contudo, não foi homologado por não se tratar de competição oficial e por contar com condições favoráveis, incomuns em corridas do tipo, como "coelhos" ao longo de todo o trajeto de 42,195km.

"O que eu fiz em Viena não foi uma simulação, como se fosse uma máquina. Eu baixei o tempo para menos de duas horas correndo toda a distância. É um erro dizer que foi simulado. Antes ninguém havia corrido uma maratona em menos de duas horas. Deveríamos estar comemorando que um ser humano conseguiu este feito", rebateu Kipchoge, elevando o tom de voz, diante dos jornalistas em Berlim.

De fala calma e semblante tranquilo, o maratonista preferiu valorizar a conquista. "Aquele evento de Viena foi mais do que uma corrida, foi uma disputa contra o relógio. O que mais me lembro é cruzando a linha de chegada e vendo o tempo que marquei. Era o meu sonho e ele se tornou realidade", recordou.

Antes do feito, Kipchoge já era um atleta reconhecido mundialmente. Seu currículo é vasto. Ele, inclusive, foi campeão olímpico na maratona dos Jogos do Rio-2016. "Minhas melhores memórias do Rio foi durante a cerimônia de premiação. Parecia que todos estavam cantando o hino do Quênia. Foi muito legal e barulhento. Eu achava que aquelas 90 mil pessoas que acompanharam a corrida eram todas quenianas", lembrou.

Antes de se destacar na maratona, ele brilhava nos 5.000 metros. Nesta prova, foi medalhista de prata em Pequim-2008 e bronze em Atenas-2004. Além disso, tem um título mundial em Paris-2003 nesta mesma distância.

Atual campeão olímpico da maratona, ele já confirmou presença na Olimpíada de Tóquio, em julho. "Vou fazer o meu melhor lá. Mas acredito que todos os grandes atletas, principalmente da África e da América, vão fazer o mesmo. Será uma competição bem difícil", projetou o queniano, que não foi premiado no Laureus, na Alemanha.

Na categoria em que competia, a de Melhor Atleta Masculino de 2019, houve um empate entre o piloto britânico Lewis Hamilton e o atacante argentino Lionel Messi. Eles dividiram o prêmio, em resultado incomum na história do Laureus.

O jornalismo esportivo perdeu nesta terça-feira (18) uma das suas referências. Luis Alberto Volpe, que trabalhou como editor, repórter, apresentador e repórter, faleceu aos 67 anos. A informação foi confirmada pela ESPN, canal de tevê que marcou a sua trajetória, mas a causa da morte não foi revelada.

De Sertãozinho (SP), Volpe trabalhou por 20 anos na ESPN, entre 1995 e 2015, tendo ficado marcado pela participação em programas icônicos do jornalismo esportivo, sendo a voz do telejornal 30 Minutos e de programas como História do Esporte e Sportscenter. Além disso, participou de diversos documentários.

##RECOMENDA##

Antes, também havia trabalhado na TV Cultura, entre 1987 a 1994, com passagens por programas como Grandes Momentos do Esporte e Cartão Verde. "Adeus a Luiz Alberto Volpe! O maior locutor de offs de matérias especiais e documentários de todos os tempos nos deixou esta noite, aos 67 anos. Grande amigo, grande companheiro, um doce de pessoa. Nós, da antiga ESPN e da TV Cultura estamos muito tristes. Valeu, Volpinho!", disse José Trajano, seu colega por anos na ESPN e na TV Cultura.

Em seu currículo, também acumulava passagens por Rádio Globo, trabalhando em uma equipe que contava com Osmar Santos e Fausto Silva, Rede Globo e SBT. "Um dos nossos maiores, dono de uma voz que comunicava de forma impecável, apresentador do histórico '30 minutos', do fundamental 'Histórias do Esporte', entre tantas coisas, nos deixou hoje. Luis Alberto Volpe, um ótimo sujeito, grande jornalista. Fará muita falta", afirmou Thales Machado, editor adjunto de esportes do jornal O Globo.

"Luis Alberto Volpe foi a voz dos Grandes Momentos do Esporte. Também foi um dos rostos mais identificáveis dos primeiros anos de ESPN Brasil. Tive a felicidade de me tornar seu colega e dividir bons anos de redação. Sua voz se cala, fica o lindo legado. Que descanse em paz", acrescentou Leonardo Bertozzi, jornalista da ESPN Brasil.

Mais uma promessa do futebol brasileiro foi apresentado nesta terça-feira (18) pelo Real Madrid. Depois de Vinicius Junior, que começou no Flamengo, e Rodrygo, do Santos, o clube espanhol deu as boas vindas a Reinier, de 18 anos, outra cria das categorias de base do clube rubro-negro carioca. Emocionado, o atacante foi às lágrimas no salão nobre do estádio Santiago Bernabéu, em Madri.

"Boa tarde a todos! Hoje (terça-feira) é um dia muito feliz para mim. Um dia que realizo um sonho de infância! Muito obrigado presidente e diretoria e a minha família, que sempre esteve comigo e acreditaram que seria possível chegar até aqui. Quero fazer parte da história desse clube. Hala Madrid!", afirmou Reinier, que se esforçou para fazer o pronunciamento em espanhol.

##RECOMENDA##

Antes da apresentação oficial, o ex-jogador do Flamengo assinou um contrato até 2026 e posou para fotos ao lado do presidente Florentino Pérez. Depois do evento no salão nobre, Reinier foi ao gramado do Santiago Bernabéu para saudar os torcedores presentes e fazer as tradicionais embaixadinhas e jogar bolas para arquibancada.

Flamengo e Real Madrid acertaram no final do ano passado a venda de Reinier por 30 milhões de euros (cerca de R$ 136 milhões), valor referente à multa rescisória. O clube rubro-negro ficará com 80% do valor (aproximadamente R$ 109 milhões) e os outros 20% pertencem ao jogador e seus representantes. O anúncio oficial da contratação só aconteceu em janeiro, quando o atacante completou 18 anos.

Em um primeiro momento, Reinier ficará à disposição do ex-atacante espanhol Raúl González no Real Madrid Castilla, o time B merengue, que disputa a terceira divisão espanhola. Vinicius Junior e Rodrygo fizeram o mesmo caminho antes de ganharem chances na equipe principal com o técnico francês Zinedine Zidane.

"Uma das obsessões desse clube é a busca pelo talento onde ele está. Por isso vamos incorporando jovens jogadores que possam ser as grandes figuras do futuro", ressaltou Florentino Pérez durante a apresentação de Reinier.

Antes de se apresentar ao novo clube, o atacante campeão do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores pelo Flamengo em 2019 esteve na disputa do Pré-Olímpico com o Brasil, na Colômbia, e garantiu a vaga nos Jogos de Tóquio-2020.

O surto de coronavírus que atinge a China tem causado indecisão no futebol local. Os campeonatos estão paralisados por tempo indeterminado e os clubes treinam em outros países ou até liberaram o elenco. Os jogadores passam por exames médicos diários, em uma rotina que gera angústia e atrapalha o planejamento para a temporada. Dos 16 clubes da Primeira Divisão, 13 estão treinando fora da China. Os outros três deram folga a seus atletas.

O meia Renato Augusto atualmente está na Tailândia com os companheiros do Beijing Guoan. O elenco fazia pré-temporada na Espanha quando o surto de coronavírus teve início na China. Desde então, os jogadores não retornaram ao país. "Vamos ver como estará a situação na China mais para a frente. Ninguém sabe exatamente o que vai acontecer. Em princípio, os campeonatos por lá estão adiados por tempo indeterminado", disse Renato Augusto ao Estado.

##RECOMENDA##

Mesmo fora da China, as equipes convivem com o medo de contágio. O Beijing Guoan, por exemplo, só pode fazer amistosos na Tailândia se o elenco passar por exames antes de entrar em campo. O Chongqing Lifan teve dois amistosos cancelados pelos adversários. Já o Manchester United, da Inglaterra, mudou de hotel na Espanha para não ficar hospedado no mesmo lugar do Dalian Yifang.

O Guangzhou Evergrande é um dos clubes que liberaram seus jogadores, e o meia Talisca e o atacante Elkeson aproveitaram para retornar ao Brasil. Talista treina por conta própria, enquanto Elkeson mantém a forma física no Vitória. No último fim de semana, o Shanghai SIPG dispensou o elenco da pré-temporada em Dubai. O atacante Hulk veio ao Brasil e domingo foi ao Allianz Parque para acompanhar a partida entre Palmeiras e Mirassol.

O brasileiro José Jober, preparador de goleiros do Chongqing Lifan, conta que o time está em Okinawa, no Japão, desde 28 de janeiro. A previsão inicial era retornar para a China no último dia 14, mas a viagem de volta não tem data. O que está certo é apenas que o período de treinos no Japão vai ser ampliado pelo menos até o dia 26.

"É ruim trabalhar sem uma direção, sem uma previsão. Nós, que trabalhamos com esporte de alto rendimento, sempre temos que nos planejar. Por exemplo, tínhamos planejado três amistosos aqui no Japão, mas duas equipes desmarcaram. Não podemos afirmar o real motivo da desistência, mas talvez o receio de expor seus jogadores contra uma equipe que veio da China", conta Jober.

No Japão, o elenco Chongqing Lifan é monitorado de perto. "O médico do clube e sua equipe diariamente verificam se estamos com febre e fazem o controle e monitoramento. Usamos máscara quando saímos do hotel e tomamos os cuidados de higiene. "Em todos os lugares tem álcool gel", disse.

A epidemia do coronavírus ainda pode causar mais mudanças envolvendo jogadores e clubes da China. No domingo, Marcelo Moreno foi anunciado pelo Cruzeiro após ter rescindido contrato com o Shijiazhuang Ever Bright. O jogador tinha vínculo por mais dois anos e abriu mão de cerca de R$ 50 milhões que tinha a receber. O surto de coronavírus pesou na decisão do atacante, que estava treinando com o elenco em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.

O Campeonato Chinês começaria no dia 21 de fevereiro, mas está suspenso por tempo indeterminado. Outros eventos esportivos também foram paralisados. A expectativa é de que o país volte a ter as competições partir de abril, mas pode não se confirmar. A Fórmula 1, por exemplo, adiou na semana passada o GP da China que aconteceria no dia 19 de abril.

Com muita competitividade, emoção e jogadas memoráveis, o All-Star Game da NBA fez história neste domingo no ginásio United Center, em Chicago. Depois de mudanças nas regras do jogo para homenagear Kobe Bryant, morto em um acidente de helicóptero no último dia 26 junto com sua filha Gianna e outras sete pessoas, e premiar instituições educacionais de Chicago, o duelo teve a vitória do Time Lebron sobre o Time Giannis por 157 a 155.

Cestinha da partida com 30 pontos e mais de 50% de aproveitamento nos arremessos de três (oito em 14 tentativas) em apenas 20 minutos de ação, Kawhi Leonard, do Los Angeles Clippers, foi o primeiro jogador da história a receber o Troféu Kobe Bryant de MVP do All-Star Game. "Palavras não podem descrever o momento. Conseguir ser o primeiro a receber o troféu Kobe Bryant de MVP. Quero agradecer ao Kobe por tudo que ele fez por mim. Por todas as longas conversas e treinos. Obrigado! Esse aqui vai pra ele!", disse.

##RECOMENDA##

Além de Kawhi Leonard, os destaques do Time LeBron ficaram por conta do capitão, LeBron James, do Los Angeles Lakers, que terminou a partida com 23 pontos e seis assistências, e Chris Paul, do Oklahoma City Thunder, que também fechou o jogo com 23 pontos e seis assistências. Anthony Davis, do Lakers, também teve partida destacada, contribuindo com 20 pontos, nove rebotes e o último ponto da noite, que decretou a vitória de sua equipe.

Pelo Time Giannis, Giannis Antetokounmpo teve um primeiro tempo arrasador e terminou a partida com 25 pontos e 11 rebotes. Atrás do grego do Milwaukee Bucks, Kemba Walker, do Boston Celtics, apesar dos erros nos últimos minutos, foi bem, registrando 23 pontos. Joel Embiid, do Philadelphia 76ers, com 22 pontos e 10 rebotes, Rudy Gobert, do Utah Jazz, com 21 pontos e 11 rebotes em 19 minutos, e Trae Young, do Atlanta Hawks, com 10 pontos e 10 assistências, também tiveram grandes aparições.

O novo formato criou um cenário em que o último período foi eletrizante - depois de dois dos três quartos com vitória do Time Giannis -, com os times brigando posse a posse, ponto a ponto pela vitória. Tanto que o triunfo veio em um lance livre de Anthony Davis.

Com 133 a 124 no placar para o Time Giannis, o placar alvo para o fim ficou em 157 (133+24). Quem chegasse neste placar primeiro, ganharia a partida. Depois de uma grande escalada no placar, o Time LeBron virou o jogo para 156 a 153, após infiltração e enterrada de LeBron James, e ficou a uma cesta da vitória. Na posse seguinte, lances livres para Joel Embiid, que colocou os dois e deixou a equipe de Giannis a uma cesta da vitória também.

Com tempo pedido e jogada com tempo para execução, LeBron James esperou a situação de desequilíbrio defensivo após bloqueios fora da bola e lançou embaixo da cesta para Anthony Davis contra Kyle Lowry, que foi obrigado a fazer a falta. Após erro e susto no primeiro lance livre, o ala/pivô dos Lakers acertou o segundo e deu números finais a um dos All-Star Games mais emocionantes dos últimos anos.

Como aconteceu nos últimos anos, Dominic Thiem será a maior aposta do Rio Open, cuja chave principal terá início nesta segunda-feira (17). Desta vez, porém, o austríaco disputa o maior torneio da América do Sul, de nível ATP 500, com status de estrela inquestionável do tênis mundial. Número quatro do mundo, ele se tornou o maior candidato a desbancar o chamado Big 3 nas competições mais importantes do circuito.

Estrela em ascensão, Thiem ganhou atenção definitiva dos fãs do esporte e da imprensa em janeiro ao ficar muito perto de desbancar Novak Djokovic na final do Aberto da Austrália, Grand Slam marcado pela forte hegemonia do sérvio. Ele já tinha no currículo dois vice-campeonatos em Roland Garros, ambos com derrota para o espanhol Rafael Nadal.

##RECOMENDA##

Na Austrália, porém, ele fez Djokovic jogar cinco sets e mostrou estar em condições de desbancar os favoritos até no piso duro, que não é sua especialidade. "É realmente impressionante a evolução do Thiem, a evolução do seu status de estrela. Na primeira vez que ele jogou no Rio Open, não era tão badalado. E a diferença que faz uma final de Grand Slam na carreira... Ele já tinha feito duas em Roland Garros, mas a decisão na Austrália deu um status ainda maior para ele. Acabou catapultando a sua imagem ainda mais no mundo do tênis", atesta Luiz Fernando Carvalho, diretor do Rio Open, ao Estado.

Thiem jogou no Rio pela primeira vez em 2016, quando caiu na semifinal. No ano seguinte, foi campeão, confirmando sua condição de favorito na competição. Mas no ano passado ele decepcionou. Foi eliminado logo na estreia pelo sérvio Laslo Djere, que viria a ficar com o título.

Depois disso, porém, Thiem deslanchou na temporada, a melhor de sua carreira até agora. Derrubou Roger Federer na final do Masters 1000 de Indian Wells, onde o suíço costuma ser dominante. Bateu Nadal no saibro de Barcelona, venceu Federer novamente, no saibro de Madri, e bateu Djokovic em Roland Garros. Além disso, foi vice-campeão do ATP Finals. Neste ano, começou atropelando rivais na Austrália até a final, quando quase derrubou o sérvio.

"Ele não é mais uma promessa, já é realidade. Um dos melhores jogadores de tênis do mundo, franco favorito a desbancar o Big 3. Vamos ver como vai ser sua performance no Rio", projeta Carvalho.

No ranking, Thiem só está atrás justamente de Djokovic, Nadal e Federer, que compõem o chamado Big 3. Se fizer uma boa campanha no Rio, poderá até superar o suíço na lista da ATP e alcançar o terceiro posto. "É um grande objetivo e, se for bem aqui, vai me ajudar a ir atrás do terceiro lugar no ranking", diz o jogador de 26 anos.

A boa fase do austríaco é a grande aposta deste ano porque o Rio Open sofreu duas baixas de última hora. Matteo Berrettini e Diego Schwartzman alegaram problemas físicos para ficar de fora. O italiano é o número oito do mundo, enquanto o argentino é o 14.º e campeão em 2018. Sem Berrettini, a competição carioca conta com apenas um Top 10 do ranking em sua chave, como aconteceu no ano passado.

O Brasil terá três representantes na disputa em simples: Thiago Monteiro, Felipe Meligeni Alves e Thiago Wild, os dois últimos por convite. Meligeni, por sinal, será o adversário de estreia de Thiem. Nas duplas, Bruno Soares e Marcelo Melo e seus respectivos parceiros são os favoritos, ao lado dos colombianos Roberto Farah e Juan Sebastian Cabal, que formam a dupla número 1 do mundo.

TECNOLOGIA - A grande novidade em quadra na edição deste ano do Rio Open é a estreia do desafio eletrônico, que detecta se uma bola foi dentro ou fora da quadra ao fim de uma jogada. O desafio é presença constante em torneios disputados sobre quadra dura e grama, mas nunca é utilizado no saibro. A competição brasileira, portanto, será pioneira. A ferramenta conta com nova tecnologia e será usada em caráter de testes, o que vai acontecer com outros dois torneios na sequência da temporada.

Jesualdo Ferreira foi sincero: o Santos, segundo o treinador, fez em Araraquara a sua pior partida desde que ele chegou ao clube. O desempenho do time alvinegro no empate por 0 a 0 com a Ferroviária foi tão fraco que levou o português a admitir a sua decepção com o que viu no gramado da Arena Fonte Luminosa.

Ainda um pouco atordoado com o fraco futebol do Santos, que só não perdeu para o time de Araraquara por causa da boa atuação do goleiro Everson, Jesualdo disse após a partida que vai tentar descobrir o que deu errado neste domingo.

##RECOMENDA##

"Vamos tentar encontrar as razões para justificar o que aconteceu", comentou o treinador. "Esperávamos que o time estivesse no nível da partida anterior (vitória sobre o Botafogo-SP), ou melhor, mas não aconteceu."

De acordo com a análise superficial do experiente técnico, não há um setor da equipe que precise de um ajuste especial, já que todos se saíram mal em Araraquara.

"Não é o caso de fazermos grandes ajustes porque toda a equipe esteve mal. Humildemente, temos de admitir que não fomos bem", disse Jesualdo. "Todos estiveram em um nível baixo nesse jogo, temos de resolver esse problema entre nós."

No próximo jogo do Santos no Paulista, contra o Ituano, no sábado, em Itu, Jesualdo espera ver um desempenho muito melhor. Tentando tirar alguma coisa boa do que o Santos fez em Araraquara, o português disse que a decepção deste domingo servirá de base para a evolução do time.

"Temos de nos agarrar a essa atuação contra a Ferroviária, que não foi boa, para que no próximo jogo a equipe jogue melhor e ganhe."

Diante do Ituano, o zagueiro Luiz Felipe não estará em campo porque levou neste domingo o seu terceiro cartão amarelo. Lucas Veríssimo, que recentemente se recuperou de uma lesão de joelho, deverá fazer em Itu a sua primeira partida sob o comando de Jesualdo Ferreira.

A temporada 2020 do Circuito Mundial de Surfe ainda não começou, mas Italo Ferreira poderá faturar mais um troféu nesta segunda-feira, na cerimônia de premiação do Laureus, o "Oscar do Esporte", em Berlim, na Alemanha. O surfista é o favorito a levar o prêmio na categoria "Melhor Atleta de Ação". Para tanto, terá que superar uma compatriota, a jovem skatista Rayssa Leal, a Fadinha, que concorre na mesma disputa. A Chapecoense é outra esperança de prêmio para o Brasil.

Campeão mundial no ano passado, Italo vai tentar levar o troféu que outros dois surfistas do País não conseguiram em 2019: seu rival Gabriel Medina e Maya Gabeira, ambos na mesma categoria. O surfista potiguar chega para a disputa no embalo também da conquista da vaga olímpica - o surfe estreará nos Jogos de Tóquio, em julho - e da vitória nos Jogos do ISA (competição no Japão que era pré-requisito para obter a classificação olímpica).

##RECOMENDA##

"Me surpreendeu a indicação pelo fato de ter os melhores na premiação. Fico muito feliz de saber e ver o reconhecimento pelo meu trabalho no surfe", diz o brasileiro. "Se eu vencer, será um título muito importante para a minha carreira profissional."

Para ser premiado nesta segunda, Italo terá que superar outra surfista, a norte-americana Carissa Moore, também campeã mundial em 2019. Estão na disputa ainda a americana Chloe Kim e o canadense Mark McMorris, ambos do snowboard, e os skatistas Nyjah Huston, outro atleta dos EUA, e Rayssa Leal.

Fadinha, como ficou conhecida nas redes sociais, é uma das surpresas entre os indicados. Ela tem apenas 11 anos e foi a revelação de 2019 na modalidade street do skate. A indicação é resultado do título conquistado na etapa de Los Angeles, uma das mais importantes do circuito, e logo em sua terceira participação em um evento deste porte. Tornou-se a mais jovem da história a vencer a competição.

Neste momento, está na zona de classificação para a Olimpíada no street. E deve ser uma das favoritas ao pódio em Tóquio. Se superar Italo e os demais rivais em Berlim, a skatista se tornará a primeira mulher brasileira a levar o Laureus.

No total, o Brasil soma oito troféus na história do Laureus. O maior vencedor é o nadador Daniel Dias, com três conquistas, em 2009, 2013 e 2016, todas na categoria paralímpica. Na edição de 2003, foram duas vitórias. A seleção brasileira masculina de futebol levou o prêmio de equipe em razão do pentacampeonato, obtido no ano anterior, e Ronaldo faturou na categoria "Melhor Retorno", por ter sido o principal destaque daquela Copa do Mundo. Pelé também já foi premiado, logo na primeira edição do prêmio, em 2000, pela sua carreira vitoriosa. O skatista Bob Burnquist levou a melhor em 2002, na categoria onde brigam Italo e Fadinha nesta segunda. E a Chapecoense ganhou o "Momento Esportivo" em 2018.

Neste ano, o clube catarinense briga de novo na mesma disputa, que desta vez reuniu todos os vencedores anteriores desta categoria. A Chapecoense concorre ao prêmio como os "Eternos Campeões", em referência ao amistoso que homenageou as vítimas do acidente aéreo ocorrido em novembro de 2016. Na partida, em agosto de 2017, o lateral-esquerdo Alan Ruschel voltou ao campo defendendo a equipe brasileira contra o Barcelona. Ele jogou os primeiros 35 minutos da partida antes de ser substituído e foi aplaudido de pé.

Os demais "momentos esportivos" na briga pelo troféu são: "Tal pai, Tal filho", sobre o piloto alemão Mick Schumacher, filho de Michael; "Nos ombros de uma Nação", sobre a liderança de Sachin Tenulkar na seleção indiana de críquete; "Desafio do Destino", sobre o alpinista chinês amputado Xia Boyu, que subiu o Everest; e "O Poder da Mente", sobre a nadadora paralímpica sul-africana Natalie du Toit.

Após surfistas de 18 países entrarem em cena no Oi Hang Loose Pro Contest, em Fernando de Noronha, foi a bandeira do Marrocos que garantiu o destaque com Ramzi Boukhiam. Ele desbancou o brasileiro Weslley Dantas em um dos melhores dias na Praia da Cacimba do Padre ao anotar 14,40 pontos contra 11,23 do rival. Com o resultado, o surfista soma 5 mil pontos no ranking do QS, a divisão de acesso do Circuito Mundial de Surfe, e fatura a premiação de R$ US$ 15 mil (R$ 65 mil).

O marroquino está garantido nos Jogos Olímpicos de Tóquio e afirma que o título é apenas o início de uma bela trajetória ao longo da temporada. "Estamos no começo do ano e eu quero entrar no Circuito Mundial em 2021. Esse é o meu objetivo. Estou indo muito bem e tenho certeza que os planos vão dar certo". Agora, Ramzi ocupa a segunda colocação no ranking da divisão de acesso.

##RECOMENDA##

Para ele, que fala português quase de forma fluente e tem boa relação com os brasileiros, levantar um troféu em Fernando de Noronha é a realização de um sonho. "Eu gosto muito do Brasil e só queria surfar. Tudo aconteceu por mim. Estou feliz demais. Noronha é um paraíso", disse o surfista ao sair da bateria sob aplausos do público.

[@#video#@]

RESULTADOS - O favorito Filipe Toledo deu adeus à competição nas quartas de final. Ele foi derrotado por Weslley Dantas. Filipinho ficou com a média de 8,47 e Weslley garantiu 10,23. O duelo entre os dois animou o público presente na Praia da Cacimba do Padre.

Na segunda bateria das quartas de final, Wiggolly Dantas despachou o havaiano Ian Gentil. Eles disputaram ponto a ponto e o brasileiro levou a melhor com 11,43 sobre 11,23. Jadson André e Ramzi Boukhiam também avançaram.

Nas semifinais da competição, o duelo entre os irmãos Weslley e Wiggolly Dantas terminou com vitória para o primeiro. Ele superou Wiggolly ao somar 13,17 contra 12,47. Já na outra bateria, o marroquino Ramzi Boukhiam desbancou Jadson André ao anotar 15,73. O brasileiro somou apenas 9,23.

O Flamengo disputa a Supercopa do Brasil, neste domingo (16), às 11 horas, com o Athletico-PR, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, mas o assunto na véspera ainda foram as declarações do técnico Jorge Jesus após a semifinal da Taça Guanabara, quando o rubro-negro eliminou o Fluminense.

O português não se incomodou com as críticas que sofreu após o clássico, quando foi chamado de arrogante por jornalistas e torcedores, ao dizer que o Flamengo estava em outro patamar com relação ao rival.

##RECOMENDA##

"Vi alguns programas esportivos e volto a dizer. Constatei fatos. Fluminense mais forte do que ano passado, e que tinha como objetivo de conquistar o troféu, e que estávamos em outro patamar", disse o treinador, em entrevista coletiva no Mané Garrincha. "O Fluminense disputa o (título) nacional? O Fluminense vai disputar Libertadores? Mundial? Estamos em outro patamar de disputa. Isso é arrogância?"

Jorge Jesus se esquivou quando perguntado sobre a renovação de contrato. "Esse tema não é importante (futuro). Importante é a disputa dos títulos, esse que é meu foco. Estamos em três frentes e queremos conquistá-las. Esse é meu objetivo no Flamengo."

É difícil de imaginar, mas o atacante Diego Souza voltou a brilhar num Gre-Nal 13 anos após marcar um gol pelo Grêmio no longínquo ano de 2007. Desta vez ele marcou o gol da vitória sobre o Internacional, aos 46 minutos do segundo tempo, no Beira-Rio, na vitória por 1 a 0 que valeu a vaga gremista na final do primeiro turno do Campeonato Gaúcho. Para ele, só cumpriu a sua obrigação.

"A minha função é ajudar o time fazendo gols. O mínimo que eu posso fazer é dar meu 100%. Mais ainda temos muito a melhorar", assegurou o jogador experiente, de 34 anos, e que deixou o gramado aclamado como o melhor em campo. Este foi seu terceiro gol em três jogos.

##RECOMENDA##

"Voltar ao Grêmio é algo que já me passa um filme aqui na cabeça. É até difícil imaginar que tinha marcado um gol há 13 anos, lá atrás. Nosso time entrou focado, o que é importante. Mas nosso grupo é de qualidade e daí fica mais fácil jogar. Tenho certeza que o time vão melhorar, porque temos grandes jogadores e estamos ainda num ritmo físico inferior ao que podemos mostrar", concluiu.

Para o lateral Vitor Ferraz, o Internacional valorizou ainda mais a conquista da vaga na final do turno, contra Caixas ou Ypiranga. "Eu tenho 32 anos e disputei muitos clássicos, mas foi emocionante participar do Gre-Nal. Acho que houve uma grande exibição dos dois clubes e, no final, nós merecemos a vitória. Agora é esperar o nosso adversário e buscar a taça", comentou.

O Grêmio só vai decidir a final em casa, se houver uma definição do outro finalista através dos pênaltis, após empate no tempo normal. Se um deles vencer, então a decisão vai ser disputada no Interior. Ou em Caxias do Sul ou em Erechim.

Diego Souza já conseguiu justificar a sua volta ao Grêmio. Na tarde deste sábado, o veterano atacante marcou o gol da vitória por 1 a 0 no clássico contra o Internacional, no Beira-Rio, pela semifinal do primeiro turno do Campeonato Gaúcho. Para os tricolores, o gol teve um detalhe muito saboroso: ele saiu nos acréscimos do segundo tempo, o que não deu ao rival a possibilidade de reagir.

A semifinal do primeiro turno é disputada em jogo único, sem a vantagem do empate. Na decisão, o Grêmio vai enfrentar o vencedor do confronto entre Caxias e Ypiranga, que vão se enfrentar neste domingo, em Caxias do Sul.

##RECOMENDA##

Apesar de o jogo ter sido disputado em território colorado, o Grêmio foi superior desde o começo do Gre-Nal. E só não abriu o placar aos três minutos porque Alisson tentou passar a bola quando estava frente a frente com Marcelo Lomba, o que se mostrou um grave erro.

Depois de mais algumas boas oportunidades de gol desperdiçadas, o Grêmio finalmente balançou a rede aos 37 minutos. Diego Souza cruzou para Everton marcar, mas o tento foi anulado com a intervenção do VAR - o atacante estava em posição de impedimento quando fez o cruzamento.

Nos acréscimos da etapa inicial, o Grêmio ficou com um jogador a mais em campo. O volante Musto, que já tinha cartão amarelo, puxou a camisa de Diego Souza e levou o segundo cartão.

O Inter se mostrou valente no segundo tempo, pois recusou-se a adotar a retranca por causa da desvantagem numérica. Apesar disso, a chance de gol mais clara foi dos gremistas, aos 16 minutos, quando Victor Ferraz cruzou para Thiago Neves mandar uma cabeçada na trave.

Com o passar do tempo, o ritmo da partida ficou arrastado. O calor de Porto Alegre teve influência no andamento do clássico, pois as equipes deram evidentes sinais de cansaço. E nos acréscimos, quando as torcidas se preparavam para os pênaltis, Everton executou um cruzamento perfeito para Diego Souza, que fulminou Marcelo Lomba com uma cabeçada poderosa e deu ao time tricolor a vitória no primeiro Gre-Nal da temporada.

FICHA TÉCNICA

INTERNACIONAL 0 X 1 GRÊMIO

INTERNACIONAL - Marcelo Lomba; Rodinei (Thiago Galhardo), Bruno Fuchs, Víctor Cuesta e Moisés; Musto, Rodrigo Lindoso (Zé Gabriel), Edenílson e Boschilia (Marcos Guilherme); D'Alessandro e Paolo Guerrero. Técnico: Eduardo Coudet.

GRÊMIO - Vanderlei; Victor Ferraz, Paulo Miranda, David Braz e Bruno Cortez; Lucas Silva (Pepê), Maicon (Thiago Neves) e Matheus Henrique; Alisson, Everton e Diego Souza. Técnico: Renato Gaúcho.

GOL - Diego Souza, aos 46 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Jean Pierre Gonçalves Lima.

CARTÕES AMARELOS - Musto e Eduardo Coudet (Internacional); Matheus Henrique, Maicon, Lucas Silva, Thiago Neves e Diego Souza (Grêmio).

CARTÃO VERMELHO - Musto (Internacional).

LOCAL - Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

Guarani e Novorizontino empataram, por 1 a 1, debaixo de intenso calor neste sábado à tarde no estádio Brinco de Ouro em Campinas, pela sexta rodada do Campeonato Paulista. Um resultado que pareceu o mais justo, porque o time da casa dominou o primeiro tempo, enquanto o visitante criou mais chances na etapa final.

Para o time de Campinas, o resultado o deixa ainda na liderança do Grupo D, com nove pontos, na briga direta pela classificação às quartas de final. Para o Novorizontino, o empate o manteve ainda invicto, ao lado do Mirassol, e com a melhor defesa, com dois gols, ao lado do Palmeiras. Mas, com 10 pontos no difícil Grupo B, ocupa a terceira posição. O Palmeiras também está com 10, atrás do Santo André na liderança com 15 pontos.

##RECOMENDA##

No primeiro tempo, o Guarani teve amplo domínio do jogo, inclusive com 75% de posse de bola. Com o time bem armado em campo, chegou ao gol aos oito minutos. Após escanteio pelo lado esquerdo, a bola ficou com Lucas Crispin que levantou a bola em direção à pequena área. Igor Henrique subiu mais do que todos e cabeceou firme no canto esquerdo do goleiro Oliveira.

Mesmo sem conseguir acertar o seu sistema de marcação, o Novorizontino empatou aos 34 minutos, na sua única chance ofensiva. Após escanteio, Jenison subiu sozinho e testou de cima para baixo. O goleiro Jefferson Paulinho fez grande defesa, mas no rebote, na pequena área, o zagueiro Bruno Aguiar bateu com força e no alto.

O técnico Roberto Fonseca conseguiu no intervalo ajustar o sistema de marcação do Novorizontino. No início do segundo tempo, adiantou a sua equipe e criou dificuldades para a saída de bola do time campineiro. Depois recuou de forma estratégica, para explorar os contra-ataques.

Mas foi o Guarani que teve uma grande chance para marcar aos 27 minutos. Depois de cruzamento de Bruno Sávio o meia Lucas Crispim finalizou e o goleiro Oliveira fez grande defesa. Mas no contra-ataque, o Novorizontino criou as melhores chances para virar o placar.

O goleiro bugrino, Jefferson Paulino, salvou o Guarani duas vezes. Aos 29 minutos quando defendeu chute à queima roupa de Cléo Silva e aos 33 minutos, num chute de Danielzinho e depois no rebote quando abafou a conclusão de Guilherme Queiroz.

Pela sétima rodada, o Guarani vai enfrentar o Palmeiras, na quinta-feira no Allianz Arena, em São Paulo, a partir das 21h30. O Novorizontino volta a campo na próxima sexta-feira, em casa, diante do Mirassol, a partir das 19h15.

FICHA TÉCNICA

GUARANI 1 X 1 NOVORIZONTINO

GUARANI - Jefferson Paulino; Pablo (Cristovam), Romércio, Bruno Silva e Bidu; Deivid, Lucas Abreu, Igor Henrique e Lucas Crispim; Júnior Todinho (Giovanny) e Rafael Costa (Bruno Sávio). Técnico: Thiago Carpini.

NOVORIZONTINO - Oliveira; Celsinho, Everton Sena, Bruno Aguiar e Paulinho; Adilson Goiano, João Pedro (Léo Baiano) e Danielzinho; Cléo Silva, Felipe Marques (Capixaba) e Jenison (Guilherme Queiroz). Técnico: Roberto Fonseca.

GOLS Igor Henrique aos oito e Bruno Aguiar aos 34 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Raphael Claus.

CARTÃO AMARELO Bruno Sávio (Guarani). Cléo Silva e Capixaba (Novorizontino).

RENDA - R$ 62.234,00.

PÚBLICO 3.892 pagantes.

LOCAL Estádio Brinco de Ouro, em Campinas (SP).

Ana Marcela Cunha começou a temporada de 2020 com um pódio. Na primeira etapa da Série Mundial de Maratona Aquática, disputada em Doha, no Catar, a baiana conquistou a medalha de prata na prova de 10 km. Ela é a única atleta do Brasil classificada para competir na modalidade nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Faltou pouco para Ana Marcela conquistar o ouro neste sábado. Ela travou uma disputa muito dura com a alemã Leonie Back, que acabou levando a melhor com o tempo de 1h56min41s1, apenas dois décimos mais rápida do que a baiana. Em terceiro chegou a holandesa Sharon Van Rouwendaal, campeã olímpica da distância.

##RECOMENDA##

Apesar de ter perdido o ouro por muito pouco, Ana Marcela, eleita a melhor atleta da maratona aquática em 2019, ficou feliz com seu desempenho. Afinal de contas, ela ainda está no começo de preparação para os Jogos Olímpicos.

"Estou me sentindo muito bem. Foram apenas cinco semanas desde as minhas férias e agora eu começo o ano olímpico. Das dez nadadoras mais rápidas, oito nadaram aqui, então foi um ótimo treino para os Jogos", disse a baiana.

A próxima etapa da Série Mundial vai ser disputada no dia 3 de maio, em Seychelles. Agora Ana Marcela viajará para a Europa, onde vai dar sequência à preparação para a Olimpíada.

Na versão masculina da prova, Enzo Kihara ficou na 55.ª posição e Allan do Carmo terminou como o 66.º colocado. O francês Marc-Anthoine conquistou a medalha de ouro.

O sueco Armand Duplantis bateu novamente neste sábado o recorde mundial do salto do vara. Em Glasgow, durante o Meeting Indoor de atletismo, ele saltou 6,18m e estabeleceu a nova marca justamente uma semana após ter saltado 6,17m e quebrado o recorde anterior, que era do francês Renaud Lavillenie.

"Em primeiro lugar quero enaltecer os meus pais, que estão aí desde meu início no quintal de casa. São anos de muito trabalho duro, mesmo que agora pareça que seja fácil conseguir esta marca. Estou me sentindo muito bem, rápido e forte", disse o atleta de 20 anos, que é treinado na parte técnica por seu pai e no físico por sua mãe.

##RECOMENDA##

Mondo, como é conhecido, conseguiu passar o sarrafo com tanta tranquilidade, e na primeira tentativa, que especialistas até consideram que a nova marca não vai durar muito tempo. "A pista estava bem veloz, então foi um ótimo primeiro salto. Estava uma energia incrível na arena, o que me ajudou na hora. Definitivamente eu vou sempre me lembrar deste lugar", festejou.

Duplantis nasceu e cresceu em Lafayette, no Estado de Louisiana, nos Estados Unidos, mas representa a Suécia, de onde é sua mãe Helena, uma ex-atleta de heptatlo e jogadora de vôlei. Greg, seu pai, foi atleta de salto com vara. E foi no jardim de casa que ele começou a praticar a modalidade e logo mostrou muito talento.

Com 1,81 metro de altura, o garoto prodígio consegue imprimir uma boa velocidade na hora do salto, o que ajuda a 'voar' mais alto. Desde cedo coleciona ótimas marcas e com apenas 18 anos foi campeão europeu, quando saltou 6,05m em agosto de 2018, em Berlim. Seus irmãos Andreas e Antoine também praticaram a modalidade e sua irmã Johanna, de 17 anos, que já tem como marca pessoal 3,65m.

Em Glasgow, Mondo teve 5,50m como primeiro desafio, depois passou por 5,75m na segunda tentativa. Aí partiu para 5,84m, depois 6m e finalmente saltou 6,18m. O garoto prodígio tem tudo para ser uma das grandes estrelas da modalidade nos Jogos Olímpicos de Tóquio. "Estou emocionado porque temos a Olimpíada nesta temporada e espero fazer meu melhor salto lá. É um bom começo de ano, mas eu quero triunfar nos Jogos de Tóquio", avisou.

O Liverpool conseguiu neste sábado o resultado que esperava, mas não do jeito que esperava. O líder disparado do Campeonato Inglês confirmou seu enorme favoritismo ao vencer fora de casa o Norwich City, mas o lanterna da competição deu muito trabalho ao poderoso adversário e acabou caindo por 1 a 0 com um gol marcado na reta final da partida.

Agora o Liverpool ostenta 25 vitórias e um empate em 26 rodadas do campeonato. É a melhor marca da história das principais ligas europeias a essa altura da competição - até então, o recorde era do Bayern de Munique, com 24 vitórias e dois empates nas 26 primeiras rodadas do Campeonato Alemão da temporada 2013/2014.

##RECOMENDA##

Contando a temporada passada, o campeão do mundo completou 43 jogos de invencibilidade no Campeonato Inglês, superando as 42 partidas do Nottingham Forest na temporada 1977/1978. O recorde pertence ao Arsenal: 49 jogos sem derrota, marca alcançada em 2004.

A diferença de pontos entre o Liverpool e o Manchester City agora é de 25 pontos (76 a 51). A equipe comandada por Pep Guardiola, atual bicampeã inglesa, jogará na quarta-feira contra o West Ham. O time dirigido por Jürgen Klopp deu neste sábado mais um passo para conquistar o título nacional, o que não ocorre desde 1990. A vantagem na liderança é tão grande que o Liverpool só precisa de cinco vitórias nas 12 últimas partidas para ser campeão, independentemente dos resultados do City.

Com uma defesa bem montada, o Norwich complicou muito o jogo para o Liverpool no primeiro tempo. O time de Klopp tinha a bola constantemente em seus pés e trocava muitos passes, mas não conseguia entrar na área adversária. Do outro lado do campo, o ataque dos donos da casa nada fazia, e na única vez que criou um lance de perigo o goleiro Alisson apareceu para manter o 0 a 0 no placar.

O Liverpool continuou pressionando muito o Norwich no segundo tempo, mas a resistência do lanterna do Inglês se mantinha grande. Só que, aos poucos, a defesa dos anfitriões foi cansando. E aí apareceu Sadio Mané, que saiu do banco de reservas para marcar o gol da vitória. Aos 32 minutos, o senegalês recebeu um lançamento de Henderson, dominou a bola com o pé direito e rapidamente mandou um chute de pé esquerdo para abrir o placar.

Mané voltou neste sábado ao Liverpool após ter ficado fora das duas partidas do time no campeonato por causa de uma lesão muscular. Roberto Firmino ainda perdeu um gol fácil a poucos minutos do fim, mas essa chance desperdiçada não fez falta ao líder do Inglês, que já conta as semanas para comemorar o título.

Horas antes, o Burnley venceu o Southampton por 2 a 1 como visitante. Com isso, chegou a 34 pontos, na décima colocação do Campeonato Inglês. Já o Southampton está em 13.º lugar, com 31.

Um acidente de ônibus no norte peruano, na manhã deste sábado, causou a morte de oito torcedores do Barcelona de Guayaquil, do Equador. Outros 37 ficaram feridos. As vítimas voltavam de Lima, no Peru, onde a equipe equatoriana enfrentou o Sporting Cristal, na quinta-feira, pela Libertadores, e se classificou para a próxima fase.

Os sobreviventes foram encaminhados a hospitais da região, perto do balneário de Máncora. O acidente aconteceu às 5h no horário local (7h de Brasília), a cerca de 150 quilômetros da fronteira com o Equador, aproximadamente 1.100 quilômetros ao norte de Lima. O veículo saiu da estrada Panamericana e caiu em um abismo de 15 metros em uma zona desértica, segundo as autoridades locais.

##RECOMENDA##

Por intermédio de sua conta no Twitter, Lenín Moreno, presidente do Equador, lamentou o acidente e prometeu ajudar os feridos e os familiares dos torcedores mortos.

Segundo especialistas, acidentes são frequentes nas estradas peruanas, repletas de curvas perigosas, asfalto em condições precárias, falta de sinalização, excesso de velocidade dos motoristas e escasso controle policial. São registradas nove mortes por dia no trânsito do Peru.

As judocas Ketelyn Nascimento (57kg), Ketleyn Quadros (63kg) e Maria Suelen Altheman (+78kg), Gabriela Chibana (48kg) e Maria Portela (70kg) subiram ao pódio, neste sábado, em Bratislava, na Eslováquia. Das sete categorias de peso em disputa Todas femininas), o Brasil teve representantes em seis. Apenas a de 78kg, de Mayra Aguiar, não contou com lutadora nacional.

Brasil e Japão terminaram a competição com três ouros, mas a delegação asiática ficou à frente por somar duas medalhas de prata e um bronze, enquanto as brasileiras ficaram com duas de bronze.

##RECOMENDA##

Nos 57 quilos, Ketelyn Nascimento venceu sua chave ao superar a húngara Ibolya Siroki, a russa Katerina Dotcenko, a também húngara Brigitta Varga e a francesa Maryline Louis Sidney na final, ao impor um waza-ari.

Nos 63kg, Ketleyn Quadros, bronze em Pequim-2008, eliminou a dinamarquesa Helena Christensen, a suíça Carina Hildbrand e a romena Stefania Adelina. Na decisão do ouro, obteve um ippon sobre a japonesa Momo Tatsukawa.

Na categoria acima dos 78 quilos, Maria Suelen Altheman bateu a polonesa Wiktoria Lis, a japonesa Hiraku Kodama e a francesa Lea Fontaine (ippon) para ficar com o primeiro lugar.

Gabriela Chibana (48kg) ficou com o bronze ao vencer a italiana Elisa Adrasti e a belga Ellen Salens. Perdeu na semifinal para a japonesa Aoi Ogura, mas conquistou o bronze, ao ganhar da sérvia Andrea Stojadinov.

Nos 70kg, Maria Portela passou pela russa Ksenia Zadvornova e pela francesa Melissa Heleine, mas perdeu para a japonesa Utane Sugiyama nas semifinais. Na disputa do bronze bateu Ellen Santana, com quem disputa uma vaga em Tóquio.

Em Oberwart, na Áustria, o time masculino, composta por nove judocas, não teve o mesmo sucesso. Na categoria dos 73 quilos, Eduardo Katsuhiro foi o único a disputar medalha. Ele venceu o espanhol Javier Ortiz Cabello e o russo Magomedkarin Piduriev, mas perdeu para o alemão Alexander Bernd Gabler.

Na repescagem, Katsuhiro superou o casaque Zhanbolat Bagtbergenov, indo para a disputa do bronze, mas perdeu para o suíço Timo Allemann, que tinha eliminado outro brasileiro, Charles Chibana, na segunda luta.

Eric Takabatake (60 quilos) ganhou duas lutas, perdeu uma e caiu na repescagem, enquanto Felipe Kitadai perdeu na estreia. Nos 66kg, Daniel Cargnin perdeu na primeira luta. O Aberto de Oberwart continua neste domingo com mais quatro categorias: 81kg, 90kg, 100kg e +100kg.

A Procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ) protocolou denúncia contra o Flamengo em razão dos gritos homofóbicos entoados por torcedores do time rubro-negro durante o clássico com o Fluminense, disputado na última quarta-feira, no Maracanã, pela semifinal da Taça Guanabara.

A denúncia foi protocolada nesta sexta-feira pelo procurador Luis César. Neste sábado o TJD-RJ emitiu um breve comunicado confirmando a acusação. O Flamengo foi enquadrado nos artigos 243-G e 191 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

##RECOMENDA##

O primeiro diz respeito à prática de "ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência", e o segundo trata de "deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento, de regulamento, geral ou especial, de competição".

O TJD-RJ informou que divulgará nesta segunda-feira a Comissão Disciplinar sorteada para julgar o caso em primeira instância.

A denúncia foi motivada pelos gritos de "time de v..." vindo das arquibancadas do Maracanã onde estavam flamenguistas. O narrador e o comentarista da Fla TV, canal oficial do clube rubro-negro, também emitiram comentários homofóbicos durante a transmissão do jogo.

Após a partida, vencida pelo Flamengo por 3 a 2, o presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, foi às redes sociais cobrar a Procuradoria do TJD-RJ pelo comportamento da torcida do Flamengo. O mandatário disse, no texto, que o procurador André Valentim, este que denunciou o clube tricolor pelos gritos de "time assassino" "fechou os ouvidos e não leu as notícias".

O Barcelona passou sufoco no final, mas garantiu mais uma vitória no Campeonato Espanhol ao derrotar o Getafe por 2 a 1 neste sábado, no Camp Nou. O time catalão, com o triunfo, joga a pressão para o líder e arquirrival Real Madrid.

Como costuma ocorrer, Real Madrid e Barcelona polarizam a disputa pelo título. O time da Catalunha, no momento, é o vice-líder, com os mesmos 52 pontos do líder, que ainda entra em campo neste domingo e pode voltar a abrir três pontos se vencer o Celta.

##RECOMENDA##

O Getafe, do brasileiro Deyverson, que ficou no banco de reservas, é uma das surpresas positivas da competição, ao passo que vem logo atrás dos dois gigantes, na terceira posição, com 42 pontos.

Em campo, o Barcelona não abriu mão do seu estilo, de muita posse de bola e troca de passes intensa. Até fez um bom jogo, mas foi pressionado por um rival que, além de disciplinado taticamente, mostrou qualidade no campo ofensivo e chegou a sair na frente do placar. No entanto, o gol do camaronês Nyom, marcado no início da partida, foi invalidado pelo árbitro com o auxílio do VAR, que viu falta do lateral em Umtiti.

Ao ver sua rede balançar o Barcelona acordou na partida e abriu o placar com Griezmann. O francês recebeu passe de Messi pelo meio e bateu com precisão na saída do goleiro Soria. O primeiro gol saiu aos 32. Seis minutos depois, o time catalão voltou a balançar as redes do rival. Desta vez, Junior Firpo, que substituiu o machucado Alba, foi à linha de fundo e cruzou para Sergi Roberto marcar.

Na etapa final, os visitantes melhoraram com as entradas do brasileiro Kennedy, ex-Fluminense, e, especialmente, de Ángel Rodríguez. Foi o atacante espanhol que anotou o gol que reanimou o Getafe. No final, o time de Madri se lançou ao ataque, pressionou, mas deixou o Camp Nou derrotado pelo Barcelona, que viu Messi chegar ao quarto jogo seguido sem marcar.

O craque argentino, se não vive fase artilheira, no entanto, tem contribuído em outro quesito: as assistências. Ao deixar Griezmann em boa condição de marcar, o camisa 10 chegou à marca de seis passes nos últimos três jogos. São 12 em todo o campeonato.

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando