Tópicos | Tolima

O América-MG empatou em 2 a 2 com o Tolima (Colômbia) e viu acabarem suas chances de avançar na Copa Libertadores. Após o resultado alcançado na noite desta quarta-feira (18) no estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué, o Coelho passa a ter como ambição conquistar uma vaga nas oitavas da Copa Sul-Americana.

Porém, para atingir este objetivo o América, que ocupa a última posição do Grupo D com dois pontos, precisa terminar a primeira fase na terceira posição, que atualmente é ocupada pelo Independiente Del Valle (Equador), que tem cinco pontos e enfrenta o Atlético-MG na próxima quinta (19) no Mineirão. O Coelho disputa sua última partida pela Libertadores justamente contra o Del Valle, na próxima quarta (25).

##RECOMENDA##

O jogo

A partida começou com a equipe colombiana melhor, empurrando o time mineiro para a defesa. Porém, o América-MG conseguiu aproveitar os espaços dados pelo adversário para contra-atacar e abrir o placar logo aos seis minutos, quando o lateral Marlon aproveitou sobra de bola dentro da área para finalizar no ângulo.

Com a desvantagem no marcador o Tolima partiu de vez para o ataque. Mas foi o Coelho que conseguiu marcar, desta vez aos 26 minutos em cobrança de pênalti do zagueiro Iago Maidana.

Após abrir uma diferença de dois gols em tão pouco tempo o técnico Vagner Mancini decidiu recuar ainda mais as linhas de sua equipe. Porém não demorou para esta se mostrar uma opção equivocada, pois ainda antes do intervalo o Tolima igualou o marcador com Plata, aos 39 minutos, e Michael Rangel três minutos depois.

Na etapa final o América-MG teve uma postura mais ousada, inclusive acertando uma bola no travessão, mas foi insuficiente para superar mais uma vez a boa defesa do Tolima.

Agora o Coelho volta as atenções para o Brasileiro, onde recebe o Botafogo no sábado (21) no Independência.

Pouco agressivo, mas também sem correr riscos, o Internacional não saiu do 0 a 0 no jogo de ida da terceira fase preliminar da Copa Libertadores. Nesta quarta-feira, o time segurou a igualdade com o Tolima, na Colômbia, e agora decidirá a sua classificação à etapa de grupos no Beira-Rio.

O cenário é parecido ao da série anterior do Inter na Libertadores. O time ficou no 0 a 0 com a Universidad de Chile no primeiro duelo, em Santiago, e depois venceu por 2 a 0 em Porto Alegre. Agora, na próxima quarta-feira precisará conquistar novo triunfo para entrar no Grupo E, que já conta com América de Cali, Grêmio e Universidad Católica.

##RECOMENDA##

Pela postura em campo dos jogadores e pelas decisões do técnico Eduardo Coudet, o Inter pareceu satisfeito em voltar da Colômbia com o empate, mesmo encarando um adversário que pouco deu trabalho para a sua defesa. No ataque, a aposta na velocidade, com a escalação de Marcos Guilherme, não foi muito efetiva e ainda deixou o time sem criatividade.

Foi assim, o sétimo brasileiro a jogar em Ibagué com o Tolima e apenas o segundo a empatar - os outros cinco perderam para o time colombiano. Agora, então, o Inter confia em sua força no Beira-Rio para avançar na Libertadores.

O JOGO - O Inter entrou em campo com uma formação diferente da usual, especialmente pela decisão de Coudet de deixar D'Alessandro no banco, promovendo a entrada de Marcos Guilherme. Além disso, Uendel foi escalado na lateral esquerda por causa de lesão de Moisés. E Musto, mesmo após ser expulso no Gre-Nal, foi mantido na formação pelo técnico, assim como Bruno Fuchs, que havia sido a surpresa na escalação no clássico e nesta quarta impediu a derrota ao fazer um desarme dentro da grande área na etapa final.

Nos minutos iniciais, o Inter dominou e assustou o Tolima, tendo duas oportunidades de gol, em uma finalização de Boschilia após tabela com Edenílson e também em um cabeceio de Guerrero. Mas praticamente ficou nisso, pois o time era pouco agressivo na marcação, deixando os defensores do Tolima confortáveis, além de lhe faltar criatividade na organização das jogadas.

A equipe colombiana não fazia muito melhor. Em alguns momentos, tentou, mas não conseguiu aproveitar a insegurança de Cuesta na zaga nos minutos iniciais. O time buscava avançar em jogadas pelas laterais, especialmente em cima de Rodinei. Mas só foi criar sua chance de gol nos acréscimos. Aos 46 minutos, Campaz invadiu a área pela esquerda, se livrou da marcação e chutou. Lomba se esticou todo para fazer a defesa.

O nível técnico do jogo não melhorou muito no segundo tempo. O Inter, sem correr muitos riscos na defesa, intercalava trocas de passes sem agressividade com ligações diretas para tentar chegar ao ataque, mas quase sempre sem êxito. Satisfeito com o empate, Coudet só promoveu uma alteração no time, com a entrada de D'Alessandro. Mas a produção da equipe não melhorou.

O Tolima também tinha dificuldades na criação. E a não ser por uma jogada em que Bruno Fuchs fez um corte providencial, mal conseguiu assustar a equipe gaúcha. Nos minutos finais, ainda ameaçou uma pressão, mas Marcelo Lomba e os defensores exibiram segurança. Boschilia, em chute de longe, deu trabalho a Montero. Assim, não tinha mesmo como a partida terminar com outro placar que não o 0 a 0.

FICHA TÉCNICA

TOLIMA 0 X 0 INTERNACIONAL

TOLIMA - Montero; Castrillón, Quiñónes, Moya e Banguero; Gordillo, Robles, Campaz, Albornoz (Cataño) e Estupiñan (Miranda); Rodriguez (Rojas). Técnico: Hernan Torres.

INTERNACIONAL - Marcelo Lomba; Rodinei, Bruno Fuchs, Víctor Cuesta e Uendel; Musto, Edenilson, Rodrigo Lindoso, Gabriel Boschilia e Marcos Guilherme (D'Alessandro); Paolo Guerrero. Técnico: Eduardo Coudet.

ÁRBITRO - Roberto Tobar (Chile).

CARTÕES AMARELOS - Gordillo (Tolima); Cuesta e Bruno Fuchs (Internacional).

RENDA - Não divulgada.

PÚBLICO - 21.960 torcedores.

LOCAL - Estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué (Colômbia).

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando