Tecnologia

| Mobilidade

Até o início deste ano, quando pensávamos em aplicativos de transporte particular, nossas preocupações eram voltadas para o valor da fatura no final do mês ou, quando muito, se o motorista que vinha ao nosso encontro era bem avaliado ou não. Com a chegada da Covid-19 ao Brasil, pequenos e grandes hábitos precisaram ser repensados, adaptados e, mesmo que temporariamente, extintos. Bares e restaurantes fecharam, para conter o risco de contaminação, reuniões sociais passaram a acontecer virtualmente e a preocupação com o inimigo invisível passou a dominar não apenas os noticiários, como também a cabeça da grande maioria dos brasileiros. 

Não é para menos. No mês de agosto, o Brasil bateu a marca das 100 mil mortes por Covid-19, doença que começou a se espalhar por aqui em março deste ano. Nesses cinco meses, sair de casa passou a ser um desafio que envolve coragem e passadas meticulosas de álcool em gel 70%, ao menor toque em uma superfície diferente. Para quem tem o privilégio de não precisar do transporte público, os automóveis particulares parecem a opção ideal. Porém, como se sentir seguro em um carro desconhecido e que transporta dezenas de pessoas diferentes por dia?

##RECOMENDA##

“Nossa preocupação principal, desde o início, foi com a segurança das pessoas”, afirma Eduardo Roithmann, gerente de operações da 99, uma das principais empresas que oferecem serviço de transporte particular em Recife. Ele explica que, antes de todas as medidas de higiene serem implementadas, o grupo, que pertence a empresa global DiDi Chuxing, criou um fundo para ajudar colaboradores que estivessem com suspeita de Covid-19 e precisassem se afastar do trabalho. A companhia ainda procurou orientar usuários e colaboradores com informações oriundas de órgãos oficiais, como a Organização Mundial de Saúde (OMS).

“No primeiro momento, o que a gente podia fazer era mandar mensagens para os nossos passageiros e motoristas dando orientações que tinham embasamento nas orientações da OMS e do Ministério da Saúde. Com o tempo fomos adaptando as nossas tecnologias para criar, por exemplo, o reconhecimento facial em relação à máscara. A gente vai evoluindo e está construindo coisas porque ainda estamos em situação difícil e a gente entende o nosso papel na sociedade”, diz. 

Assim como a 99, a Uber - que também opera em alta demanda na capital pernambucana, procurou estabelecer, em um primeiro momento, um fundo de apoio e mensagens de conscientização para motoristas e passageiros. Além disso, suspendeu serviços como o Uber Juntos, que permitia o compartilhamento de viagens entre passageiros desconhecidos, patinetes, e passou a oferecer um reembolso para itens como álcool em gel e máscaras.

[@#video#@]

Segurança para quem dirige, existe?

O montador de móveis Pedro Guedes dirige para as duas empresas diariamente e afirma que, apesar de um início de medidas lento, tanto a Uber quanto a 99, tem tido a preocupação de instruir os motoristas a respeito dos cuidados na quarentena. “Antes do lockdown eles fizeram o básico, falaram para a gente evitar ar condicionado, manter o vidro aberto. Mas depois, falaram sobre o número de pessoas no veículo, não colocar ninguém na frente, essas coisas”, contou.

Ele confirma que ambas as gigantes custeiam os gastos com materiais de limpeza como luvas, máscaras e álcool em gel e, desde agosto, começaram a incentivar a aplicação do vidro de proteção que separa o motorista e o passageiro. Para ele, no entanto, o problema tem sido quem solicita as corridas, clientes que insistem em desrespeitar regras de proteção.

“A grande maioria das pessoas que eu pego alega que não recebeu as mensagens de orientação, mas eu tenho o aplicativo de passageiro e mostro que tá lá”, explica. Mesmo assim, Pedro reclama que, como não há como fiscalizar 'de perto', muita gente tenta burlar o limite de ocupantes do veículo e poucos são os que cobram medidas de distanciamento. 

Em maio, o motorista foi infectado pelo novo coronavírus e precisou se distanciar das atividades para cumprir o isolamento necessário ao tratamento da doença. “A Uber mandou mensagem dizendo que 'a gente vai dar suporte à vocês, auxílio financeiro, caso vocês peguem Covid-19 e se for o caso a gente paga até o tratamento no médico', mas eles queriam que informasse”, explicou, e conta que o tratamento das duas companhias com a notícia da doença foi diferente.

“Informei a Uber que tinha pego a Covid e eles passaram três dias para verificar meu atestado, então, bloquearam minha conta por 14 dias, mas me deram o equivalente a 14 dias rodados”, conta. Com a 99 o suporte oferecido foi apenas em caso de internação. “Eles perguntaram se era caso de internação, se fosse, eles pagariam as despesas médicas, mas não era o meu caso. Como eu fiquei em casa não tive verba nenhuma. O fundo de R$ 10 milhões não é para pagar a gente em dinheiro é para pagar os custos. Levar ao médico, se precisar ficar internado, etc. Mas a maior preocupação que eu tinha era justamente os boletos”, diz. 

De janelas abertas e temor no peito

A preocupação do montador é a mesma de milhares de brasileiros. Apesar da recomendação principal da Organização Mundial de Saúde e das Secretarias de Saúde nos Estados ser para que a população fique em casa, muita gente precisou e ainda precisa trabalhar ou resolver burocracias presencialmente. Pagar boletos, fazer a feira, ir ao médico, são atividades que não puderam ser suspensas para todos. Ficar em casa é privilégio de alguns e sair, usando aplicativos de transporte como opção de deslocamento, de outros.

É o caso da assessora jurídica Rafaela Clericuzi, que precisou se locomover pela Região Metropolitana do Recife (RMR), mesmo durante o isolamento social. Ela optou por utilizar o transporte particular por considerá-lo mais seguro. Mesmo assim, o medo de se contaminar com a Covid-19, a deixava alerta em toda viagem. “Eu achava que podia [me contaminar] sim, principalmente quando eu colocava o cinto de segurança, mas tentava tomar as medidas necessárias, usando máscara e usando álcool em gel antes de entrar no carro, além de não ir conversando com o motorista, deixando as janelas abertas”, afirma.

Usuária principalmente dos serviços da Uber, ela confessa não ter visto nenhuma ação prática, como distribuição de kits para os colaboradores, mas afirma que, apesar disso, tem achado os motoristas bastante cuidadosos durante as viagens. “Não sei se a Uber passou alguma informação para eles, mas achei que os motoristas estavam bem conscientes. Sempre estavam de máscara, alguns com álcool no carro e sempre abriam as janelas assim que eu entrava”, afirma. 

De acordo com o relato de Pedro, Rafaela faz parte de um grupo pequeno de passageiros que se atenta às medidas de prevenção para não só sair ileso do risco de contaminação, mas também deixar em segurança quem precisa permanecer no transporte. As medidas tomadas por ela estão nas orientações passadas pelas empresas de transporte particular atraves dos aplicativos e devem continuar sendo seguidas, mesmo com a retomada gradual das atividades.

Para quem se preocupa com a volta da "normalidade", nem a Uber, nem a 99 intencionam diminuir as medidas de prevenção no combate ao novo coronavírus. Eduardo Roithmann, gerente de operações da 99, afirma que o momento ainda não é de desacelerar os cuidados ou retomar as atividades totalmente. “A gente quer que as pessoas fiquem em casa, mas se precisarem sair, que façam isso com segurança”.

Motoristas da 99 podem colocar escudos para aumentar a proteção contra o novo coronavírus. Foto: Rafael Bandeira/LeiajaImagens

O que dizem os especialistas

Coordenador de Clínica Médica do Hospital Miguel Arraes e um dos profissionais que ajudaram a montar o protocolo de saúde da casa, o clínico geral Fábio Queiroga acredita que a chave para proteção contra o novo coronavírus está na prevenção. “O uso da máscara parece realmente estar fazendo com que a pandemia diminua o número de infectados e a gravidade da doença. Ele diminui a carga viral que chega ao paciente”, explica o médico.

Queiroga aponta para a utilização do item, obrigatório no Estado, como um dos motivos para o recuo da enfermidade e alerta que, se você precisar tossir ou espirrar, deve fazer isso com o objeto cobrindo o rosto, principalmente dentro de veículos de transporte. "Carro é um local muito confinado. O vidro tem que estar aberto ou vira um elevador. Imagine uma pessoa espirrar em um elevador. O vírus se espalha por ali”, comenta.

Sobre as medidas tomadas pelas representantes dos aplicativos de transporte, Queiroga reconhece que muitas delas formam, sim, barreiras para a disseminação do vírus. O uso obrigatório da máscara, o limite de passageiros e o álcool 70% são verdadeiros aliados durantes as viagens. “Mas o que vai ser fundamental é a limpeza das mãos, o uso de máscaras e estar sempre higienizando onde se pega”, alerta. 

Ele reforça que o cenário ideal seria o condutor conseguir higienizar o veículo a cada passageiro. “Se ele conseguisse fazer o mínimo de higienização, seria uma segurança a mais”, diz. “Apesar dos números estarem diminuindo, a pandemia ainda não acabou. Ainda é o momento de ter cautela”, finaliza.

A Uber anunciou, nesta quinta-feira (3), suas novas medidas de segurança para garantir viagens mais seguras para clientes e colaboradores. Uma das principais é a exigência da apresentação do RG ou da CNH para passageiros que não tenham cartão de crédito cadastrado e vão fazer a sua primeira viagem em dinheiro. Além disso, a empresa revelou novos protocolos para restaurantes que usam o Uber Eats, gravação de aúdio e a expansão de ferramentas como a detecção de paradas inesperadas, que passa identificar se a viagem termina antes do destino final.

“Hoje damos mais um passo para aprimorar a identificação dos usuários em nossa plataforma. As pessoas que solicitarem sua primeira viagem em dinheiro terão de tirar uma foto do documento de identidade (RG ou CNH), além de passar pela verificação existente de CPF", explicou Erik Theuer, gerente geral de produtos da companhia.

##RECOMENDA##

Ele também explicou como vai funcionar a gravação de áudio durante a viagem. Passageiros que não se sentirem seguros dentro dos veículos podem gravar o áudio da viagem antes ou enquanto ela estiver acontecendo. Ao fim da gravação a conversa poderá ser enviada para a Uber sem conhecimento do motorista e vice e versa.

Ainda sobre as viagens com o aplicativo de transporte, o U-ajuda, que já identificava quando o motorista fazia várias paradas antes do destino final, recebeu uma atualização para detectar quando uma viagem acaba antes do esperado. A ferramenta perguntará tanto ao passageiro, quanto ao motorista, se há algum problema que precisa ser reportado à plataforma. 

Uber Eats

Para entregadores que usam o Eats, foram adicionados conteúdos educacionais sobre segurança viária, elaborado em parceria com a Confederação Brasileira de Ciclismo e consultores de engenharia de trânsito e análise de comportamento como a Hora H e a Talentos Agregados.  Já os restaurantes ganharam um checklist de medidas de higiene.

Os estabelecimentos cadastrados no Uber Eats precisam passar por uma lista de verificações para confirmar que seguem medidas sanitárias, como monitoramento da saúde dos funcionários e higienização de utensílios. Ter uma área para distanciamento físico, lugar para higiene constante das mãos, são alguns dos itens exigidos.

A Uber divulgou, na última segunda-feira (31), a nova função do aplicativo de viagens, que oferece o serviço de táxi na cidade de São Paulo. O Uber Taxi faz parte da estratégia de ampliação dos serviços dentro da plataforma, garantindo mais opções aos usuários, inclusive aos clientes corporativos.

Taxistas da cidade já podem baixar o app e se cadastrar desde o mês de agosto, e o cadastro segue aberto. São Paulo foi a segunda cidade da América Latina a ser contemplada com a novidade, depois de Santiago, capital do Chile. A categoria faz parte do catálogo de serviços da empresa há mais de cinco anos, e já está disponível em 22 países.

##RECOMENDA##

Segundo a empresa, o serviço já era um pedido recorrente dos clientes corporativos no país, e há alta demanda em São Paulo. Com esse recurso, clientes do Uber para Empresas podem compartilhar viagens em tempo real e utilizar outras opções de segurança do aplicativo. Além disso, os táxis na cidade têm autorização de corrida e parada nas faixas de ônibus, o que pode ser conveniente para os usuários.

Para Claudia Woods, diretora geral da Uber no Brasil, o Uber Taxi é mais um passo para a consolidação do aplicativo como favorito no país. "Com mais essa novidade, a Uber avança rumo à missão de se tornar o app de preferência dos brasileiros, não apenas para se movimentar pelas cidades usando carro, táxi, ônibus ou o que for mais conveniente no momento, mas também para fazer compras de refeições, supermercado ou enviar pacotes, tudo pelo celular", afirma a executiva.

O preço do serviço segue a tabela de tarifas determinada pela legislação municipal, e o motorista deve inserir no aplicativo o valor da viagem de acordo com o cálculo do taxímetro. Por enquanto, apenas meios de pagamento digitais são aceitos, medida tomada em consequência da pandemia. O usuário poderá optar por receber um código de verificação, também informado ao motorista, para que ambos confirmem as informações de viagem.

Sobre o cadastro dos motoristas, taxistas são submetidos ao mesmo processo que os demais parceiros da Uber, que inclui a checagem de antecedentes criminais e verificação de segurança do veículo. Usuários e motoristas devem comprometer-se a respeitar as medidas de controle e higienização diante da Covid-19, utilizando máscaras de proteção e respeitando o limite de passageiros por viagem.

A SkyDrive Inc. do Japão está tentando tornar o sonho de muito jovem dos anos de 1980 uma realidade. Se você cresceu assistindo os Jetsons na TV ou até mesmo sonhando com o DeLorean, da franquia de Volta Para o Futuro, saiba que carros voadores são uma realidade mais próxima do que imaginamos. A companhia japonesa realizou um voo bem sucedido e tripulado de um automóvel voador. 

Em um vídeo mostrado à imprensa, a engenhoca, que mistura um design de lancha e motocicleta, tem quatro pares de hélices, um de cada lado e chegou a subir cerca de dois metros, se mantendo no ar por quatro minutos. Tomohiro Fukuzawa, CEO da SkyDrive, disse que espera que "o carro voador"  vire um produto da vida real até 2023, mas reconhece que é importante torná-lo seguro primeiro.

##RECOMENDA##

"Dos mais de 100 projetos de carros voadores do mundo, apenas alguns tiveram sucesso com uma pessoa a bordo", disse ele à Associated Press. "Espero que muitas pessoas queiram pilotá-lo e se sintam seguras". Por enquanto, a máquina pode se manter no ar de cinco a dez minutos. Espera-se conseguir que o tempo aumente em 30 minutos para que ela comece a fazer pequenos voos. 

[@#video#@]

O SkyDrive começou como um projeto voluntário chamado Cartivator em 2012, com financiamento das principais empresas japonesas, incluindo a montadora Toyota Motor Corp., Panasonic Corp. e a desenvolvedora de videogames Bandai Namco. Um voo de demonstração recente não teve o objetivo desejado, mas serviu para dar melhorias ao projeto que deve enfrentar alguns problemas no futuro como tamanhos de baterias, controle de tráfego aéreo e preço. 

Quem usa o Bike PE, serviço de bicicletas compartilhadas em Pernambuco, agora pode liberar o modal sem a necessidade de digitar o código no painel. Um sistema de desbloqueio via QR Code foi instalado nas estações para evitar contato com o equipamento, diminuindo assim possíveis formas de contágio do novo coronavírus. 

A partir de agora, usuários de smartphones com sistema operacional Android poderão fazer o desbloqueio apenas aproximando o celular da bicicleta que deseja pegar. De acordo com a Tembici, responsável pelo modal, além da instalação do recurso, as bicicletas e estações já vêm recebendo uma higienização reforçada. Além da limpeza diária com álcool 70%, ainda no centro de operações da empresa, todas as bikes são lavadas com cloro diluído em água. Mesmo assim, a empresa recomenda que os usuários também apliquem álcool em gel 70% nas mãos antes e depois de utilizar o transporte.

##RECOMENDA##

Aumento na procura por bikes

Dados da empresa afirma que, em julho, o número de viagens do Bike PE foi quase três vezes maior que a projeção esperada. A quantidade de pessoas que usaram o sistema também foi cinco vezes maior do que no mês de maio. Para usuários de iOS que queiram utilizar o recuso, a companhia afirma que ele será disponibilizado a partir do próximo mês.

A Uber inaugurou, na terça-feira (4), um centro de higienização destinado aos motoristas e entregadores do aplicativo que funciona de segunda a sábado, das 9h às 18h, na Rua Padre Carapuceiro, 777, localizado no bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife. A iniciativa permite que os trabalhadores informais façam a limpeza dos veículos e das mochilas de entrega usando um material que é aplicado também na limpeza de hospitais.

Os parceiros do aplicativo também podem retirar seus kits com itens de proteção e higiene como máscara, álcool em gel e desinfetante. Para fazer a higienização e ganhar o kit, os motoristas e entregadores precisam agendar previamente no site da Uber.

##RECOMENDA##

A limpeza é gratuita e o processo dura, em média, até dez minutos para os veículos e três minutos para as mochilas. A solução não é tóxica e não tem cheiro. O Centro de Higienização também vai oferecer a aquisição e instalação de divisórias de proteção de PET dentro dos veículos.

O serviço de transporte 'Patinete Uber', oferecido na cidade de São Paulo, teve sua operação interrompida. A empresa Uber, conhecida no mercado de aluguel de carros, ainda não se pronunciou oficialmente sobre o encerramento do serviço. O aluguel dos patinetes elétricos da Uber começou no início do mês de março.  

Segundo o blog Avenidas, o fim deste serviço foi uma decisão global da empresa. O portal explica que além dos patinetes, foram encerradas atividades com bicicletas no Brasil e em outros países, mais precisamente sob a marca Jump. Em maio passado, a companhia realizou um acordo com a empresa Lime - considerada maior empresa de compartilhamento de patinetes-, a qual repassou os equipamentos, além de fazer um investimento no valor de US$ 170 milhões. 

##RECOMENDA##

No entanto, a empresa Lime deixou de operar no Brasil em pouco menos de seis meses. A companhia de compartilhamento de patinetes esteve em funcionamento de julho de 2019 até janeiro deste ano, em solo brasileiro. Em resumo, a queda na utilização dos transportes de aluguel se deu por consequência da pandemia do coronavírus, que possibilitou o encerramento da atividade, visto que os usuários encontram-se em quarentena.

O app da Uber, atualizado em 2019, pretendia com a iniciativa proporcionar aos usuários do aplicativo mais opções para realizar viagens, integrando informações sobre ônibus e demais serviços somados ao serviço de uso global. Os demais serviços da companhia Uber seguem inalterados, sendo o aluguel de carros e o delivery possibilitados pela modalidade Uber Eats. Até o momento a companhia não se pronunciou sobre o fato.

No começo do mês de maio, a Uber anunciou que estaria começando o serviço de envio de objetos pelo aplicativo. A nova categoria, chamada de Uber Flash, aporta na capital pernambucana nesta quarta-feira (10). Usuários do aplicativo poderão solicitar viagens para enviar itens e artigos pessoais para seus amigos e familiares pelo mesmo preço do UberX.

Além de Recife, outras nove cidades também devem receber a novidade como, Curitiba, Goiânia, Brasília, Florianópolis, Manaus, Fortaleza, Campinas, Santos e São José dos Campos. De acordo com a companhia, a categoria foi lançada com o objetivo de colaborar com o distanciamento social durante a pandemia de coronavírus e, ao mesmo tempo, possibilitar uma opção complementar de ganhos para os motoristas.

##RECOMENDA##

Os objetos mais enviados

De acordo com a Uber os itens mais enviados pelo Uber Flash, desde que começou a funcionar em alguns estados do sudeste, têm sido presentes, flores, comida, documentos, roupas e chaves. Outros itens que podem ser enviados pelo serviço são pacotes e outros artigos pessoais, de porte médio ou pequeno, que possam ser acomodados com segurança no porta-malas do veículo.

Para minimizar o contato físico, a recomendação da empresa é usar o chat do aplicativo para conversar com o motorista parceiro e fornecer mais orientações para o envio, se necessário. Não são permitidos itens de valor ou cujo transporte seja proibido por lei ou pelas regras da categoria. Antes de cada solicitação, as regras do Uber Flash serão exibidas no aplicativo para que o usuário possa verificar e concordar antes de seguir com o pedido.

Confira como pedir 

Abra o aplicativo da Uber e digite o endereço de retirada e de entrega do item que você deseja enviar.

Selecione a opção Uber Flash, reveja as regras, e confirme o envio.

Esteja com o item pronto para entregar ao motorista parceiro e informe, via chat do aplicativo, o nome do destinatário e as orientações para a entrega. Quando o motorista chegar, você deve entregar o item a ele.

Compartilhe a viagem com o destinatário que irá receber o item para que ele possa seguir os detalhes do envio em tempo real.

O governo italiano começará a fazer os testes com o aplicativo de rastreamento de pessoas que contraíram o novo coronavírus (Sars-CoV-2) em três regiões do país entre o fim do mês de maio e o início de junho, informam fontes à ANSA.

Chamado de "Immuni", o app será liberado nas regiões da Ligúria, Púglia e Abruzzo e tem como objetivo rastrear as pessoas que foram infectadas pela Covid-19 e verificar como o vírus se espalha por esses locais.

##RECOMENDA##

Em entrevista à "Radio 24", o vice-ministro da Saúde, Pierpaolo Sileri, confirmou que o aplicativo estará disponível, no máximo, nos "primeiros dias de junho" e que ele será "importantísAsimo" para uma "reorganização da medicina territorial e de prevenção".

O contrato para a criação da ferramenta foi assinado pelo governo da Itália no dia 17 de abril. A empresa de Milão, Bending Spoons, cedeu de maneira gratuita a licença do uso do software de "contact tracing" e repassou o código-fonte do app para o governo. O uso do aplicativo será voluntário e as informações ficarão disponíveis para o governo até 31 de dezembro deste ano. 

Da Ansa

A Uber estabeleceu novas regras para o uso do serviço de transporte durante a quarentena. A partir da próxima segunda-feira (18), tanto motoristas quanto passageiros só poderão rodar com o serviço se estiverem usando máscaras. O item, que vem sido indicado para evitar a proliferação do novo coronavírus, precisará cobrir o rosto, do nariz até o queixo.

Outra mudança é que, durante o trajeto, os passageiros só poderão sentar no banco de trás do veículo, sendo no máximo três por viagem. Em Pernambuco, nas cinco cidades que entram no regime de isolamento mais rígido (Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata) a partir deste sábado (16), o número desce para três ocupantes do carro, incluindo o motorista.

##RECOMENDA##

Apenas quem estiver saindo para realizar atividades essenciais, deliberadas pelo Estado, como distribuidoras de água e gás, energia, Correios, imprensa, alimentos, funerárias, coleta de lixo, obras, guinchos e ambulâncias, táxis, ônibus e motocicletas de entrega estão liberados. Para os aplicativos de transporte é preciso respeitar o rodízio de placas. Quem precisa trabalhar também deverá estar com uma declaração do empregador, documento e comprovante de residência. 

A Uber vai dar uma forcinha para quem precisa entregar ou buscar pertences na casa de outras pessoas. Por conta do distanciamento social, instaurado para combater o avanço do novo coronavírus, a empresa vai possibilitar uma opção chamada Uber Flash, que entre artigos pessoais para amigos e familiares. 

Cobrando o mesmo valor da tarifa do UberX. a partir desta segunda-feira (11), os usuários poderão solicitar viagens Uber Flash. Inicialmente, a categoria estará disponível nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Salvador, mas deve se expandir nas próximas semanas.

##RECOMENDA##

Podem ser transportados objetos como pacotes, presentes, documentos e outros artigos pessoais, de porte médio ou pequeno, que possam ser acomodados com segurança no porta-malas do veículo. Para minimizar o contato físico, a recomendação da empresa é usar o chat do aplicativo para conversar com o motorista e fornecer mais orientações para o envio, caso seja necessário.

Não é permitido enviar itens de valor ou cujo transporte seja proibido por lei ou pelas regras da categoria. Antes de cada solicitação, as regras do Uber Flash serão exibidas no aplicativo para que o usuário possa verificar e concordar antes de seguir com o pedido.

Quatro lojas do Shopping Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, estão oferecendo seus serviços via delivery. O Cantinho do iPhone, Nagem, Claro e Quiosque 4G estão fazendo vendas e reparos em aparelhos para toda a RMR, com preços variados para atrair consumidores. A maioria dos agendamentos é feita por WhatsApp, Instagram ou, no caso da Nagem, e-mail para o SAC.

Como funciona

##RECOMENDA##

A maior parte do catálogo das lojas segue disponível via redes sociais, que é a principal forma de contato com as empresas. Para quem precisa consertar dispositivos da Apple, por exemplo, o Cantinho do iPhone agenda o delivery via WhatsApp ou Instagram e o motoqueiro vai até a residência do cliente equipado com os devidos EPIs, além de devolver o aparelho no prazo estipulado pela loja.

Para quem quiser solicitar os serviços da Nagem, o processo é um pouco mais burocrático, tendo que ser enviado um e-mail para o Serviço de Apoio ao Consumidor, que solicita o recolhimento do produto. Para evitar o contágio do novo coronavírus, a maioria dos entregadores das empresas participantes utiliza máscaras e álcool 70% para higienização, além de permanecerem a uma distância segura dos clientes.

Cuidados para evitar contágio

Um rigor maior foi observado pelo Cantinho iPhone que, além dos materiais básicos, garante luvas máscaras, álcool gel e álcool isopropílico utilizado na higienização dos aparelhos após o recolhimento. Os aparelhos recolhidos ficam dentro de um saco que seguem para o laboratório. O técnico, ao receber, faz um vídeo mostrando o recebimento, abertura do saco e os testes iniciais para tentar dar mais segurança ao cliente.

No fim, é feito o mesmo vídeo de testes após o reparo e enviado via WhatsApp, e as ordens de serviço via e-mail com todas as informações necessárias.O valor da taxa de entrega varia de acordo com a empresa, mas fica entre a gratuidade e R$ 18.

Com a necessidade das medidas de isolamento social por conta do novo coronavírus, práticas como a doação de sangue, acabam sendo prejudicadas. Para ajudar os bancos de sangue a se manterem abastecidos durante a pandemia, a Uber anunciou nesta segunda-feira (6) que vai custear a viagem de doadores que queriam se deslocar para bancos de sangue. 

A princípio, o apoio às doações vai começar no Rio de Janeiro, em Belo Horizonte, Fortaleza e Teresina, mas deve ser ampliado para outras cidades nas próximas semanas. A empresa gerou um código promocional específico para cada região e pagará até R$ 30, por trecho de viagens ida e volta. Cada cidade definiu os melhores e mais urgentes locais para receber as doações, observando a situação emergencial de cada estoque. 

##RECOMENDA##

A medida faz parte de uma série de ações anunciadas pelo CEO da companhia, Dara Khosrowshahi. Ele pretende fornecer, em todo o mundo, 10 milhões de viagens e entregas de alimentos gratuitas para profissionais de saúde que atuam na linha de frente, idosos e pessoas em necessidade durante a pandemia. 

No Brasil, as medidas de enfrentamento da crise sanitária da Uber incluem um programa nacional de apoio aos parceiros que oferece assistência financeira para qualquer motorista ou entregador parceiro que fosse diagnosticado com a COVID-19. Quem estiver em quarentena individual solicitada por uma autoridade de saúde ou por um médico por correr o risco de disseminar a doença recebe os mesmos benefícios.

Além disso, a empresa tem oferecido materiais de higiene para os veículos, descontos consultas, exames e compra de medicamentos e enviou mensagens aos usuários do Uber Eats para realizarem entrega de pedidos sem contato direto, entre outras ações.

Como Inserir o código

1. No aplicativo da Uber, selecione a opção "Pagamento".

2. No item "Promoções", selecione a opção "Adicionar código promocional".

3. Insira o código da sua cidade

4. Por último, clique em "Adicionar".

Confira os locais e Instruções para Doação de Sangue

Rio de Janeiro - Hemorio

No Rio de Janeiro, a unidade em que vai concentrar as doações é a do Hemorio, que fica na R. Frei Caneca, 8 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20211-030. Confira aqui os requisitos para fazer a doação de sangue.

Para evitar filas e aglomerações, os doadores devem agendar um horário diretamente com o Hemorio por meio do telefone 0800 282 0708.

Belo Horizonte - Hemominas

Em Belo Horizonte, a unidade em situação crítica fica na Alameda Ezequiel Dias, 321 - Santa Efigênia | CEP: 30130-110.

Os doadores precisam agendar a doação (no site ou no app). Pelo próprio site dá pra acompanhar os estoques de sangue e aqueles que estão em situação de alerta

Fortaleza - Hemoce

Em Fortaleza, o agendamento deve ser feito por meio do link: hemoce.reservio.com ou do telefone: 085.3101.2305. Os doadores poderão escolher o horário e local mais apropriado entre as quatro unidades determinadas para a iniciativa.

Postos para doação em Fortaleza:

Sede: Av. José Bastos, 3390 - Rodolfo Teófilo, Fortaleza - CE, 60431-086

Posto de Coleta IJF

Rua: Barão do Rio Branco, 1816 - Centro - CEP: 60.025-061 - Fortaleza-CE

Posto de Coleta Praças da Flores

Av. Desembargador Moreira, sn- Aldeota - Fortaleza-CE

Posto de Coleta Mercadinho São Luiz

Av Oliveira Paiva, 170 - Cidade dos Funcionários

Teresina - Hemopi

Em Teresina, o agendamento para as doações de sangue deve ser feito por meio do número 86 98894-6614.

O endereço do Hemopi é R. Primeiro de Maio, 235 - Centro (Sul), Teresina - PI, 64001-430

Em 30 de dezembro, pesquisadores que usavam sistemas de inteligência artificial para revisar mídias e redes sociais detectaram a propagação de uma doença incomum com sintomas de gripe em Wuhan, na China.

Isso aconteceu vários dias antes da Organização Mundial da Saúde (OMS) publicar uma avaliação de risco e um mês antes que a agência da ONU declarasse uma emergência de saúde global para o novo coronavírus.

##RECOMENDA##

Os sistemas de inteligência artificial poderiam ter acelerado o processo e limitado ou até retardado o avanço da pandemia de COVID-19?

Clark Freifeld, cientista da computação da Northeastern University que trabalha com a plataforma de vigilância global de doenças HealthMap, uma das que detectou o surto, diz que ainda não há resposta para essa pergunta.

"Identificamos os primeiros sinais, mas a verdade é que é difícil determinar, diante de uma doença respiratória não identificada, se há uma situação séria", diz Freifeld.

Dataminr, uma empresa de tecnologia de detecção em tempo real, disse que emitiu os primeiros avisos sobre a COVID-19 em 30 de dezembro com base em relatos de testemunhas dentro de hospitais em Wuhan, fotos da desinfecção do mercado onde o vírus se originou e um alerta de um médico chinês que morreu mais tarde do vírus.

"Um dos nossos maiores desafios é reagir a essas situações", diz Kamran Khan, fundador da empresa canadense de rastreamento BlueDot, um dos sistemas que alertaram sobre a epidemia em dezembro.

"Quando lidamos com uma doença nova e emergente, não temos todas as respostas. O tempo é o nosso recurso mais valioso e não podemos desperdiça-lo", assegura.

Khan, que também é professor de medicina e saúde pública na Universidade de Toronto, disse à AFP que os dados mostraram "ecos do surto de SARS que ocorreu há 17 anos, mas não se sabia o quão contagioso era".

Em todo caso, os sistemas de inteligência artificial provaram ser valiosos na detecção de epidemias por meio de uma ampla variedade de fontes, como reservas aéreas, Twitter, notícias e sensores de dispositivos conectados.

- Decisões humanas -

No entanto, Freifeld insiste que os sistemas de inteligência artificial são limitados e que os humanos devem tomar as grandes decisões.

"Usamos a inteligência artificial como um multiplicador de forças", declara.

Esses sistemas podem ajudar de várias maneiras: desde o monitoramento do surto em si até a aceleração dos testes de medicamentos.

"Podemos fazer simulações como nunca antes, entendemos as trilhas biológicas como nunca antes e isso é devido ao poder da inteligência artificial", explica Michael Greeley, da empresa Flare Capital Partners, que investiu em várias startups de inteligência artificial médica.

Mas Greeley diz que ainda é um grande desafio aplicar essas tecnologias a setores como o de medicamentos, onde o tempo de teste pode levar anos.

Segundo Khan, a inteligência artificial está ajudando na fase de contenção com sistemas que usam informações de localização de smartphones para rastrear o progresso da doença e encontrar focos, além de determinar se as pessoas seguem as diretrizes de "distanciamento social"

Andrew Kress, diretor da empresa de tecnologia da saúde HealthVerity, afirma que continua sendo um desafio coletar informações sobre surtos de doenças, respeitando a privacidade do paciente.

É possível identificar tendências com dicas como visitas a farmácias, venda de certos medicamentos ou até pesquisas online, aponta Kress, mas compilar tudo isso tem implicações na privacidade.

"Precisamos de uma discussão real sobre equilíbrio e utilidade (...) para continuar determinando novos caminhos que nos permitirão tirar proveito de algumas dessas fontes de dados não tradicionais", diz Kress.

- Mineração de dados -

Os sistemas de inteligência artificial também estão sendo usados para revisar milhares de pesquisas em busca de pistas sobre os tratamentos que podem funcionar.

Na semana passada, pesquisadores se uniram à Casa Branca em um esforço para disponibilizar cerca de 29.000 artigos de pesquisa sobre o coronavírus, para que possam ser analisados em busca de dados.

O esforço inclui a Microsoft, a Chan Zuckerberg Initiative, a Universidade de Georgetown, entre outros.

Por meio do Kaggle, uma comunidade de aprendizado autômato e dados científicos de propriedade do Google, essas ferramentas estarão disponíveis para pesquisadores em todo o mundo.

"É difícil para as pessoas revisarem manualmente mais de 20.000 artigos e resumirem suas descobertas", aponta Anthony Goldbloom, CEO da Kaggle.

"Os recentes avanços tecnológicos podem ajudar nisso. Estamos disponibilizando versões legíveis por máquina desses artigos à nossa comunidade de mais de quatro milhões de cientistas de dados. Esperamos que a inteligência artificial possa ser usada para ajudar a encontrar respostas para perguntas-chave sobre a COVID-19 ", assegura.

Quem usa aplicativos de transporte com certa frequência pode acabar pegando uma viagem com um mesmo motorista. Apesar de rara, a situação pode ser tornar desconfortável se a primeira experiência não foi das melhores. Para cortar essa conexão de uma vez por todas e evitar uma viagem desagradável, o aplicativo de transporte 99 vai permitir, a partir desta segunda-feira (16), que tanto motoristas e passageiros possam informar quando não desejarem ver - nunca mais - uns aos outros.

Chamada "Função Bloquear", a ferramenta está disponível em todas as cidades do país e pode ser usada por qualquer pessoa que não se sinta confortável com o comportamento do motorista ou passageiro. E não precisa ser apenas em casos extremos. Quem não gostar da playlist do motorista ou do nível baixo de limpeza de um passageiro, por exemplo, já pode pedir o bloqueio, que pode ser feito ao fim do percurso.

##RECOMENDA##

Como funciona

De acordo com a 99, ao fim da corrida, o usuário deve realizar uma avaliação do motorista ou passageiro na seção "Como foi sua corrida?", inserindo uma nota de 1 a 5 estrelas. Logo em seguida, ele será direcionado para uma tela que trará a opção "Bloquear esse motorista" ou "Bloquear esse passageiro", onde o recurso pode ser ativado por ambas as partes. O bloqueio é feito de maneira completamente anônima. Nenhuma das partes é notificada quando a funcionalidade é usada. Além da Função Bloquear, o usuário também pode deixar críticas e sugestões no próprio app.

A Uber parece mesmo querer dominar todos os modais que usamos. A empresa de aluguel de veículos lançou, na última segunda-feira (2), em São Paulo, uma série de patinetes para quem quer variar de transporte. O aluguel do transporte é feito dentro do próprio aplicativo da empresa, que já havia incorporado o app de entregas na mesma ferramenta. Testes com o novo modal aconteciam desde dezembro de 2019.

O aplicativo oferecido pela empresa de transporte particular já conta, em São Paulo, com uma integração ao transporte público, funcionando de forma parecida com o que o Google Maps oferece. Lá é possível conferir informações sobre linhas de ônibus, metrô e trens direto no aplicativo. A intenção da empresa é oferecer formas de seus usuários se locomoverem pela cidade de forma mais ágil. 

##RECOMENDA##

De acordo com Ruddy Wang, diretor de Novas Modalidades da Uber na América Latina São Paulo realiza, atualmente, o maior número de viagens no mundo usando o aplicativo. O sistema de patinetes, que vai integrar o serviço, terá um preço promocional para tentar angariar mais usuários. Não haverá nenhum custo para desbloquear o veículo e o usuário só pagará R$ 0,90 por minuto de uso.

Por onde rodar

A área de operação inicial ficará nos bairros de Vila Olímpia, Moema, Itaim Bibi, Vila Nova Conceição, Jardim Luzitânia, e deverá crescer conforme a demanda - se houver. Uma vez que, diversas empresas de patinetes elétricos estiveram cancelando seus serviços por falta de procura e por não conseguirem se adaptar as normas brasileiras. Porém, a concorrência minguar aos poucos pode dar a Uber o que ela precisa para crescer. 

Como funciona

Para alugar um patinete elétrico basta ter um aplicativo da Uber e seguir o passo a passo:

Abra o app da Uber e clique no ícone de patinete na parte inferior da tela

 Veja onde estão os patinetes disponíveis, escaneie ou digite o código para desbloquear

 Se preferir reservar, você tem 15 minutos para caminhar até o patinete e desbloquear

 Dirija com responsabilidade e segurança, seguindo todas as regras de trânsito

 Ao final, estacione o patinete, sem bloquear a passagem, na área de operação.

Um carro do futuro, ao menos no visual. É isso o que a Mercedes-Benz apresentou na última segunda-feira (6), primeiro dia da CES 2020. Junto com o diretor vencedor do Oscar e criador do filme AVATAR, James Cameron, o presidente do Conselho de Administração Daimler AG e Mercedes-Benz AG, Ola Källenius, mostrou um novo automóvel, que ele mesmo chamou de “veículo vivo”.

Com o nome de VISION AVTR, o carro é inspirado no visual do filme de Cameron e levanta a bandeira da mobilidade sustentável com uma bateria orgânica fabricada a partir de materiais recicláveis.

##RECOMENDA##

O futuro parece brilhoso e confuso

Mas não é apenas a sustentabilidade que impressiona. O veículo de visual totalmente futurista não traz os acessórios que estamos acostumados a ver nos carros normais, como pedais ou um volante. O motorista que adentrasse no veículo, controlaria o carro através de uma conexão biométrica. Como assim? Um controlador multifuncional, instalado entre os dois bancos (passageiro e motorista), que parece quase como um joystick, em que é possível mover o carro para frente, para trás e até 30 graus lateralmente - como um caranguejo - usando apenas uma mão.

De acordo com seus criadores, ao colocar a mão na unidade de controle o interior do automóvel "ganha vida" e o veículo reconhece o motorista pela pulsação e respiração. Além disso, há 33 abas móveis multidirecionais - as "abas biônicas" - na parte traseira do veículo, que funcionam como faróis, mas parecem ajudar também na aerodinâmica do carro.

Muito do que foi mostrado cria uma nova conexão com o filme de Cameron, desde as “escamas” presentes no carro, até as luzes e fios que parecem formar uma conexão entre motorista e dispositivo. Apesar disso, não se sabe se este é apenas um protótipo para promover o novo Avatar 2 ou se, realmente, a Mercedes-Benz colocará esse carro do futuro no mercado. Se a resposta for a segunda opção, esperamos que esse veículo futurista possa ser visto, rodando por aí, em breve.

[@#galeria#@]

O aplicativo de transporte 99 firmou uma parceria com os postos Shell que vai beneficiar os condutores integrados à plataforma com o desconto de 5% no abastecimento. Para conquistar o abatimento, os 600 mil motoristas da startup brasileira devem baixar o app de pagamento desenvolvido pela rede de postos de combustível, disponível para iOS e Android.

Os condutores interessados no desconto devem possuir o Cartão99 da bandeira MasterCard e vinculá-lo como forma de pagamento ao aplicativo Shell Box. Após o cadastro, a redução no valor do abastecimento de etanol e gasolina será permitida, segundo a 99. A promoção não se estende ao abastecimento de gás natural. 

##RECOMENDA##

 O objetivo é difundir a plataforma para proporcionar mais agilidade e segurança às viagens dos 18 milhões de clientes no país. Outros benefícios como o acúmulo de milhas também são prometidos na plataforma.

 

O Waze, aplicativo de navegação por satélite do Google, já é conhecido por permitir que seus usuários personalizem a voz que indica as direções no trânsito. Na última quinta-feira (5), além de algumas celebridades de humor e até mesmo gravações dos próprios condutores, o app passou a permitir que seus motoristas sejam guiados pela voz do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em uma das indicações de direção, a imitação da voz do petista parece mais animada ao pedir para o motorista virar à esquerda. “Vire à esquerda, companheiro!”, indica a gravação. O mesmo não acontece se o condutor precisar ir na direção contrária. O “vire à direita” na voz de Lula é consideravelmente mais desanimado. 

##RECOMENDA##

Para ter a voz do ex-presidente fazendo as orientações de trânsito, basta fazer o download no site do aplicativo. A imitação também informa os comandos padrões, além de começar a viagem com um  “Está pronto? Eu estou! Vamos, companheiro, tomar os meios de produção!”.

A Uber começou a investir em outros tipos de modais para os brasileiros. Além dos carros particulares e das entregas de refeições - feitas tanto por ciclistas quanto motociclistas - a empresa iniciou as operações, na última terça-feira (3), de seus novos patinetes elétricos. Inicialmente, os usuários poderão testar o transporte apenas na cidade de Santos, no litoral de São Paulo.

A proposta da empresa é que todos os serviços sejam oferecidos em um único aplicativo, deixando que o usuário decida o modal de acordo com sua necessidade. O preço inicial de uso dos patinetes elétricos é de R$ 1,50 para desbloquear o veículo mais R$ 0,75 por minuto de uso. 

##RECOMENDA##

Educação no trânsito

Para ajudar a população a usar o serviço com segurança, a empresa também preparou uma série de materiais educativos para seus clientes de Santos. O conteúdo vai ajudar a relembrar regras de trânsito e dar dicas para dirigir os veículos com segurança. O material está disponível no site da empresa, no próprio aplicativo e será distribuído em panfletos na área de operação, que vai da Ponta da Praia até o Emissário. 

Para começar a usar os patinetes elétricos, basta atualizar o app. Ainda não há previsão de expansão do serviço para outros estados. 

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando