Tópicos | Nostalgia

A infância é uma época que muitas pessoas sentem saudade por diversas razões e, muitas vezes, a convivência com os amigos no dia a dia dos tempos de escola é um desses momentos dos quais se pode guardar boas memórias. Neste Dia das Crianças, o LeiaJá traz histórias de pessoas que tiveram em suas escolas vários momentos felizes, outros nem tanto, mas que deixaram saudades e que valem a pena relembrar através de fotos, cartas e outros objetos repletos de memórias. 

Entre amigos e “rivais”

##RECOMENDA##

Camila Patrícia Paiva da Rocha tem 28 anos e é publicitária. Desde pequena, sempre morou no bairro da Iputinga, Zona Oeste do Recife, e estudou em colégios pequenos que ficavam perto de casa, dentre os quais o mais marcante foi Colégio Maria Consuelo, onde ela estudou da terceira série (atual quarto ano) até a oitava série (nono ano). No ensino médio e pré-vestibular, Camila estudou no Colégio Decisão do bairro da Boa Vista, Centro do Recife, e de lá seguiu para o curso superior de publicidade na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Ao recordar do ensino médio, Camila conta que a turma em que entrou era muito unida, pois todos muitos alunos estudavam juntos desde o maternal. Comunicativa, ela logo conseguiu se integrar e fazer amigos que cultiva até hoje. 

“No final do ano sempre fazia cartinha para meus amigos e ainda tenho as que eles me mandaram. Eu tinha medalhas porque participava sempre dos jogos. Não era atleta, mas participava pelo grupo. Eu gostava muito de dança, abertura dos jogos, handebol, eu sempre participava”, contou a publicitária.  

Além de ser envolvida em atividades esportivas e culturais da escola, Camila relata que sempre foi muito dedicada aos estudos. Ela ficava triste se tirasse uma nota baixa e chegou a ser premiada pela escola por seu desempenho escolar de destaque. O desejo de estar entre os melhores estudantes da turma criou uma certa competição com outro aluno, Nathan, que segundo ela, também se saía muito bem nos estudos e era querido pelos professores. 

“Nathan era o aluno 'A' da turma da manhã e eu era a aluna 'A' da turma da tarde com o grupinho dele, eu odiava. Tinha um professor de matemática que fazia muitas competições. Ele tinha um carimbo de ‘aluno estrela’ para os alunos que tivessem a maior nota da sala em cada prova. Esse professor foi muito importante, fazia apresentações, dava um matemático para cada grupo e a gente tinha que fazer uma apresentação teatral sobre ele, a gente não aprendia só números, mas também a história por trás. O grupo de Nathan sempre se dava bem, a raiva era essa”, conta, aos risos

[@#video#@]

Nem tudo, no entanto, foi apenas alegria nos tempos de Camila no Colégio Maria Consuelo, pois durante parte da sétima série ela foi vítima de bullying, motivo que lhe levou a mudar para a turma da manhã. “Tinha um menino que me chamava de gorda, de baleia, me desenhava no quadro e parece que ninguém vê, não é? Professor não vê, os outros alunos não veem e só fazem sorrir. Por mais que o pessoal me amasse muito e me tratasse bem, eles não notavam como aquilo magoava. Eu não era de revidar, aí mudei de turno, anos depois ele me pediu desculpas”, revela.

Ao concluir a oitava série, Camila não foi sozinha para seu próximo colégio. Como a escola não tinha turmas de ensino médio, todos os estudantes tiveram que ir estudar em outro lugar e a maioria seguiu para o Colégio Decisão. Ela e os ex-alunos de sua antiga escola passaram a ficar todos juntos nas aulas e intervalos, o que levou a uma maior aproximação entre todos e ao fim da rivalidade com Nathan, que passou a ser seu amigo daí por diante. 

Perguntada sobre o que sente mais falta em seus tempos de criança na escola, Camila aponta a tranquilidade e o tempo livre para ficar junto de seus amigos. “Naquela época não era tudo tão acelerado. Eu adorava a escola, eu não gostava de faltar. A época foi importante para mim porque eu gostava, eu queria estar na escola, era uma rotina boa para mim. Gosto do meu trabalho, mas tem uma responsabilidade que não tinha naquele tempo. E faz falta poder ter tempo para os meus amigos e para cultivar minhas amizades”, explica a publicitária. 

Salva da solidão

A aluna de Educação Física Isadora Faustino tem 27 anos e ao longo da infância e adolescência passou por várias escolas, mas conta que foi o Colégio Nossa Senhora das Graças, no município pernambucano de Sirinhaém, Litoral Sul de Pernambuco, que marcou sua vida. As amizades que, segundo ela, lhe salvaram da solidão, além de muitos momentos divertidos com as amigas nas aulas de educação física, lhe fizeram feliz e a conduziram à sua escolha profissional.

Isadora contou que ao chegar na escola não conhecia ninguém e era “inimiga” das pessoas que hoje são suas melhores amigas, até o momento em que uma reprovação lhe fez estudar com elas e desenvolver uma amizade. “Sempre fui uma pessoa bem só, quando entrei no colégio consegui muitas amizades, mas minhas melhores amigas são Nara, Kamilla e Karina. Elas que me salvaram da solidão, de uma certa forma era para me divertir com elas que eu acordava todas as manhãs e ia à escola”, conta ela. 

O dia na escola, que era católica confessional, começava com um momento de orações na quadra e depois os estudantes iam para as salas de aula onde, segundo Isadora, ela e suas amigas conversavam mais do que estudavam. Ela lembra momentos em que ela e Kamilla, uma de suas melhores amigas, foram expulsas de sala por cantar muito as músicas da banda mexicana RBD, para a qual as amigas escreveram uma carta de 15 metros, contando com doações de folhas de papel pedidas a outros estudantes. 

A prática esportiva nos recreios e aulas de educação física foram muito importantes para Isadora, que narra memórias de suas amigas jogando futebol e futsal com bolinhas de papel ou de tampa de garrafa. As amigas tiveram autorização de um professor para frequentar as aulas de educação física dos meninos, pois jogavam muito bem e as outras meninas normalmente não queriam participar. Os bons momentos nas aulas que envolviam esportes foram decisivos para a decisão que Isadora tomaria anos mais tarde para sua vida profissional. “A gente estava sempre jogando com os meninos. Foi lá que me apaixonei pela área de educação física e hoje estou prestes a me formar no curso”, diz.

A amizade com Kamilla é destacada pela estudante como uma relação muito especial e importante que ainda perdura. “Ela é minha pessoa. Hoje com todo mundo vivendo sua vida, complicado ter tempo uma para a outra. Tenho um vínculo muito forte com Kamilla, mas por causa da minha faculdade, eu e ela não saímos muito”, explica Isadora. Kamilla também esteve presente em um dos momentos que a estudante lista como os mais marcantes. 

“No dia em que descobrimos que o colégio iria fechar, eu e Kamilla bagunçamos toda escola, deitamos no chão da quadra, a farda era branca ficou preta. Nos jogamos na areia do parquinho, choramos na casinha do escorrego e quando largamos, pulamos na piscina de farda e sapato. Depois descobrimos que a piscina estava cheia de xixi de criança, que eles passaram o dia todo na piscina”, relembra Isadora. 

A saída de duas de suas amigas para outra escola também foi um momento de grande emoção tanto para Isadora quanto para todas as demais companheiras do grupo. “Nara e Karina foram para outra escola. Fizemos uma grande festa à noite, preparamos um vídeo, todo mundo chorou ao assistir. Me marcou, pois minhas melhores amigas estavam ‘indo embora’, tudo aquilo que vivíamos fazendo não iria acontecer mais. Para mim foi bem difícil, tinha acabado de descobrir o que era amizade e de repente elas foram embora”, explica a estudante. 

Entre as lembranças que sobreviveram ao passar dos anos, Isadora tem várias relíquias. Cartinhas, fotos com as amigas na escola e, o mais curioso, uma agenda de recordações que, entre entre elementos que remetem aos anos de colégio, há mechas de cabelo dos amigos guardadas. 

[@#galeria#@]

LeiaJá também

--> Celular integrado aos estudos é tema de debate na Bienal

--> Deputados do PSL invadem escola no RJ para “vistoria”

--> Escolas de robótica, o atalho para o futuro

A novela mexicana ‘Rebelde’ teve o seu primeiro episódio exibido em 4 de outubro de 2004 e hoje completa 15 anos. A novela deu início ao grupo de pop mexicano RBD, sucesso na américa latina. Formado por Alfonso Herrera; Anahí; Christian Chávez; Christopher von Uckermann; Dulce María e Maite Perroni, o grupo rodou o Brasil em turnê e até hoje tem fãs em todo o país.

Para comemorar a data, os fãs acordaram nostálgicos e não poderia deixar de desejar ‘Feliz Cumpleaños’. Com a hashtag ‘#15AñosRBD’, que chegou em primeiro lugar no Trending Topics do Twitter, os fãs recordaram os momentos marcantes da banda.

##RECOMENDA##

[@#video#@]

Os cantores Salgadinho e Netinho de Paula se únem para um show cheio de nostalgia no Recife. No próximo sábado (14), eles apresentam o projeto Amigos do Pagode 90, relembrando os clássicos da época. O show acontece na Feijoada do Carvalheira.

Idealizado por Salgadinho, o show Amigos do Pagode 90 tem rodado o Brasil relembrando clássicos que ficaram marcados na memória afetiva do público. Além da parceria com Netinho de Paula, Salgadinho também vem trabalhando na divulgação de seu novo single, Química de Amor.

##RECOMENDA##

O vídeo da música, que conta com as participações de Mumuzinho e Suel, já tem 700 mil visualizações em três semanas de lançamento. 

Serviço

Amigos do Pagode 90

Sábado (14) - 13h

Cachaçaria Carvalheira (Av. Sul. Gov. Cid. Sampaio, 4921 - Imbiribeira)

R$ 320

 

Quarenta minutos. Esse foi o tempo usado pela Nintendo, na noite da última quarta-feira (4), para apresentar novidades. A empresa de games despejou uma série de anúncios que, com certeza, fizeram o queixo de muitos fãs abrirem até quase o chão. No 'Nintendo Direct', como são chamados os vídeo em que a gigante traz seus comunicados, foi possível conferir novos games, remakes, uma nova biblioteca online cheia de clássicos e a chegada de um controle carregado de nostalgia. Confira abaixo os destaques de tudo o foi revelado pela companhia:

Overwatch no Nintendo Switch

##RECOMENDA##

Logo de cara o vídeo confirma os rumores de que Overwatch, da Blizzard, chega oficialmente ao console portátil da empresa em 15 de outubro. Lançado originalmente para PlayStation 4, Xbox One e PC, o game vai incluir skins de 14 personagens e uma assinatura de três meses do Nintendo Switch Online. 

Super Smash Bros. Ultimate 

Ainda no clima de nostalgia, a empresa anunciou um novo DLC para o Super Smash Bros. Ultimate. Depois de mostrar uma linha do tempo de consoles parando no NEO GEO (de 1991), a companhia anunciou que Terry Bogard, do Fatal Fury, deverá chegar ao game em novembro. Bogard será o quarto dos cinco lutadores de DLCs adicionados ao jogo, que inclui a dupla Banjo-Kazooie, que já pode ser encontrada no game.

Luigi’s Manson

Outro grande título que a Nintendo está investindo bastante suas fichas é Luigi’s Manson. Por isso foi possível conhecer um pouco do cenário em que vai se passar o jogo, seus vários níveis e até um modo ScreamPack em que pode-se convidar até oito jogadores divididos nas equipes de Luigi e Gooigi.

Acampamento Pokémon

Com a proximidade do lançamento do Pokémon Sword e Shield, o Nintendo Direct mostrou algumas novidades mornas que devem acompanhar a história como a possibilidade de personalizar o personagem principal, novos monstrinhos como Polteageist, pokémon tipo fantasma que vive dentro de um bule de chá, e Cramorant, um pássaro de água muito parecido com um pelicano azul.

Por fim, um acampamento foi introduzido para que o jogador consiga se conectar com seus monstrinhos, cozinhar e fazer amizades com outros jogadores. Lembrando que Pokémon Sword e Shield chegam no dia 15 de novembro, exclusivamente para Nintendo Switch.

É nostalgia que chama

Além de games novos, a Nintendo tem investido, cada vez mais, em fazer remakes ou remasterizar jogos que todo mundo amou em algum momento da vida. Para o Switch, foram anunciados Dragon Quest XI (além dos três primeiros que devem chegar ao console dia 27 de setembro), Trial of Mana (dia 24 de abril de 2020), The Legend of Zelda: Link's Awakening, DOOM 64 e vários outros.

Nintendo Switch Online

A Nintendo anunciou que a sua biblioteca on-line agora vai passar a contar com clássicos do Super Nintendo. Entre os 20 jogos anunciados, que ficam disponíveis a partir desta quinta-feira, estão Mario Kart, Kirby's dream course, The Legend of Zelda: A Link to the Past, F-Zero e Super Mario Word. Todos disponíveis gratuitamente para quem assina o Nintendo Switch Online.

O controle clássico de volta

 

E para aumentar ainda mais a sensação de voltar ao passado, quem se divertiu com o clássico SNES vai gostar ainda mais de saber que a empresa vai lançar uma versão mais moderna no controle do console.Ele poderá ser conectado via cabo USB para carregar, mas vai funcionar sem fio. É possível solicitar até quatro controladores, por conta da Nintendo, ao preço de US $ 29,99, cada.

 

Jogos, jogos e mais jogos

Além dos títulos mais populares anunciados durante o vídeo, a Nintendo também revelou um número considerável de games novos (ou com cara de novos) como Tetris 99 - para até 8 jogadores no modo arena, mais de 20 novas modalidades em Mario e Sonic Olympic Games Tokyo 2020, que conta com um modo de história que traz Mario, Luigi, Sonic, Bowser e muito outros personagens para escaparem das olimpíadas de 1964. Além da a versão definitiva do Xenoblade Chronicles.

Uma das grandes marcas nas novelas da Globo são as músicas, a começar pela abertura. Com o dom de pegar o público pelo ouvido nas cenas de romance, aventura, maldade e comédia, as trilhas sonoras são indispensáveis nas tramas. Na década de 1990, os LPs com os sucessos embalando os personagens não duravam nas prateleiras das lojas quando eram anunciados nas propagandas da emissora de Roberto Marinho.

Apesar do avanço da tecnologia, é muito raro ter discos daquela época disponíveis nos serviços de streaming, como Spotify e Deezer, exceto pincelado no YouTube. Os usuários da plataforma de vídeos sempre arrumam um jeito de voltar ao passado e disponibilizam na íntegra algumas discografias que arrebatavam os folhetins há 30 anos.

##RECOMENDA##

Surfando na onda da nostalgia, o LeiaJá relembra as canções que agitavam a ficção nos anos 1990, mas que até hoje vivem no imaginário dos noveleiros.

Listen To Your Heart - Roxette

Novela: Rainha da Sucata

Another Day In Paradise - Phil Collins

Novela: Gente Fina

Theme From Dying Young - Kenny G

Novela: Felicidade

Give It Away - Red Hot Chili Peppers

Novela: Perigosas Peruas

Please Don't Go - Double You

Novela: Despedida de Solteiro

Wishing On a Star - The Cover Girls

Novela: De Corpo e Alma

Let It Be Me - Ouriel

Novela: Mulheres de Areia

Under The Same Sun - Scorpions

Novela: Sonho Meu

Crazy - Julio Iglesias

Novela: A Viagem

Take A Toke - C+C Music Factory

Novela: Quatro Por Quatro

It's Too Late - Gloria Estefan

Novela: História de Amor

Torn - Natalie Imbruglia

Novela: Corpo Dourado

How Could An Angel Break My Heart - Toni Braxton

Novela: Por Amor

Te Perdi - Chris Duran

Novela: Andando nas Nuvens

Embora atualmente se pareça mais com um smartphone, com 'touch screen', memória interna e conexão à internet, o lendário Walkman da empresa japonesa Sony continua em forma e funcionando 40 anos depois de seu nascimento.

O primeiro aparelho, que surgiu em 1979, chamado Walkman TPS-L2, era complexo e cheio de peças mecânicas.

##RECOMENDA##

"Tinha uma precisão impressionante, até tal ponto que me pergunto se saberíamos fazê-lo de novo hoje", diz à AFP o engenheiro Hiroaki Sato, criador dos últimos walkmans e nostálgico dos antigos, que atualmente podem ser vistos em uma exposição organizada em Tóquio.

"Eu era estudante quando foi lançado o primeiro modelo e não tinha condições de comprá-lo", lembra Sato.

Hoje esse primeiro Walkman pode parecer uma velharia, com sua caixa que tinha que ser aberta para virar a fita, seu barulho ao rebobinar e as rodinhas para regular o volume.

Porém, ainda há exemplares circulando no mercado de segunda mão e um deles, apresentado como novo e nunca utilizado, acabou sendo vendido por 1,3 milhão de ienes (11.000 euros).

- Para escutar em casal -

"Não acho que os Walkmans atuais poderão ser utilizados daqui a 40 anos", afirma o engenheiro Sato, recordando que os formatos digitais serão provavelmente muito diferentes dos de hoje, e as baterias recarregáveis, impossíveis de se encontrar.

Sato se lembra de um tempo que os menores de 20 anos nunca conheceram: quando caminhar com fones nas orelhas pela rua era considerado um comportamento estranho.

Hoje, os fones de ouvido e os fones sem fio são um complemento anódino.

"Desde que eu era muito jovem, os aparelhos têm touch screen, não botões", afirma Scott Fung, estudante de 17 anos natural de Hong Kong, boquiaberto diante de um velho Walkman exposto em Tóquio.

E sua surpresa não acabou: o Walkman número 1 tinha duas entradas para os fones, de modo que "os casais podiam ouvir música juntos", lembra Sato.

Como os passageiros de um helicóptero, os dois usuários podiam falar e se ouvir pelo fones apertando o botão laranja "hot line".

- A melhor qualidade possível -

Após mais de mil variantes do Walkman (a Sony parou de contar em 2004) e mais de 420 milhões de exemplares vendidos, passando do cassete ao CD, depois ao minidisc e à memória flash, a gama continua crescendo.

Por um lado, existem modelos muito populares e, por outro lado, dispositivos que reúnem as melhores tecnologias de áudio da Sony, destinados a amantes da música dispostos a pagar cerca de 3.000 euros por uma excelente qualidade musical.

A Sony não é a única nesse nicho de áudio de alta resolução: lá estão também a sul-coreana Astell&Kern e os fabricantes chineses Cayin, Hiby e iBasso.

A marca japonesa, pioneira da reprodução de música em movimento, sofreu um duro golpe com a chegada do iPod da Apple em 2001. Mas depois conseguiu recuperar os maníacos do som, com os arquivos de áudio digital com formatos descomprimidos e técnicas aprimoradas de transmissão sem fio contribuindo para aumentar a qualidade.

"Ainda estamos perseguindo a mesma ideia que tínhamos com o primeiro modelo: ouvir música do lado de fora com a melhor qualidade possível", afirma Sato.

Isabelle Drummond voltou a ser a boneca Emília 13 anos depois do fim desse papel vivido por ela no Sítio do Pica-Pau Amarelo. A atriz voltou a encarnar a boneca falante para cenas da novela 'Verão 90' e emocionou o público.

Isabelle deu vida à personagem de Monteiro Lobato na versão televisiva do Sítio entre 2001 e 2006. Em entrevista ao GShow, a atriz contou que sonhava em ser Emília novamente e a novela das 19h, Verão 90 lhe deu essa oportunidade. "Essa novela é repleta de homenagens. E essa não poderia ser mais conveniente e, ao mesmo tempo, surpreendente, porque eu não esperava que viesse de mim. Estou realmente emocionada".

##RECOMENDA##

Mas não foi apenas a atriz quem se emocionou com a homenagem. Seus fãs e seguidores também adoraram vê-la novamente no papel e comentaram as cenas em seu Instagram. "Minha infância, cara"; "A Emília cresceu"; "Foi com a Emília que te conheci"; "Minha eterna Emília. Todas suas personagens são inesquecíveis".

A reunião de um trio de amigos que ficou muito famoso na década de 1980 levou os internautas à loucura, na última quarta (6). Os atores que interpretaram Arnold (Fred Savage), Winnie Cooper (Danica McKellar) e Paul Pfeiffer (Josh Saviano), na série Anos Incríveis, grande sucesso daquela década, se encontraram para botar o papo em dia, 26 anos após o término do programa, e compartilharam o momento com os fãs nas redes sociais.

A foto do encontro foi postada por Danica McKellar, atriz que vivia Winnie Cooper na série. na legenda, ela escreveu: "Eu pude encontrar esses caras para o almoço ontem. Foi tão divertido botar o assunto em dia e ver como suas lindas famílias estão". Ela ainda aproveitou para fazer uma declaração aos amigos: "Sim, vocês são como uma família, quero dizer, a gente cresceu juntos".

##RECOMENDA##

Nos comentários, os fãs de Anos Incríveis festejaram a amizade do trio. "Como o tempo voa, ainda é ótimo ver todos eles juntos"; "Isso deixou meu coração feliz"; "Isso é muito legal, obrigada por compartilhar"; "Meu Deus, essa foto é a melhor"; "Meu coração está transbordando nesse momento".  

Nos últimos dias, as linhas do tempo no Facebook foram tomadas por uma brincadeira - o desafio dos dez anos. Ela consiste em compartilhar, lado a lado, duas fotografias, sendo uma de 2009 e outra recente, de 2019. Aproveitando a febre, o LeiaJá decidiu relembrar cinco tecnologias que bombavam há uma década e suas versões atuais. Sinta-se confortável para receber sua dose de nostalgia abaixo.

Orkut

##RECOMENDA##

Em 2009, era difícil encontrar algum jovem brasileiro que não tivesse um perfil no famigerado Orkut. O site foi um grande sucesso e liderou o ranking dos sites de relacionamentos mais acessados no país por muito tempo, mas perdeu espaço para o Facebook e outras redes sociais. Em 30 de setembro de 2014, o Google decidiu acabar de uma vez por todas com a plataforma. Sua versão em 2019? O Facebook.

MSN

O programa da Microsoft era o WhatsApp da época. O MSN Messenger marcou a vida dos usuários no início dos anos 2000 e chegou a ter mais de 60 milhões de pessoas cadastradas. O aplicativo tinha recursos inesquecíveis, como o de chamar atenção de amigos, as fontes coloridas (e muitas vezes exageradas) e, claro, os winks que apareciam do nada na tela.

Naquela época, usar webcam também era uma febre. O software foi encerrado em outubro de 2014, mas deixou boas lembranças. Atualmente, o WhatsApp faz o papel do MSN Messenger, permitindo que os usuários estejam sempre em contato com amigos e familiares.

Fotolog

Instagram? Nada disso. Em 2009, postar fotos na internet era sinônimo de Fotolog. O serviço de blog permitia a publicação de uma imagem por dia, que podia ser vista e comentada por amigos. Com o surgimento de novas redes sociais, a plataforma foi caindo no esquecimento, até que, em 2016, seus criadores anunciaram que ela seria descontinuada.

Windows XP

Lançado pela Microsoft em 2001, o Windows XP fez sucesso por muitos anos. Com seu clássico papel de parede de uma colina verde e bucólica, o software permitia personalizar o estilo e as cores do sistema e criar vários usuários.

Além disso, ele ficou amplamente conhecido pela sua eficiência e estabilidade. Até o final de julho de 2010, o Windows XP era o sistema operacional mais utilizado no mundo, com 62,43% de participação no mercado. Em 2014 ele foi oficialmente abandonado pela Microsoft. Atualmente, a empresa investe suas fichas no Windows 10.

LeiaJá também

--> Tchau, Netflix! Conheça outros serviços de filmes e séries

  Casado há 10 anos com Sandy, Lucas Lima registrou um momento descontraído da esposa na noite dessa terça-feira (8). O músico gravou o momento em que a cantora dava banho no filho do casal e cantava uma música da franquia ‘Power Rangers’, sucesso dos anos 90.

Sandy não é vista nas imagens, mas ao fundo escuta-se sua voz entoando o clássico. "E agora: Power, power, power rangers. Power rangers tem a força, power rangers são heróis."

##RECOMENDA##

Lucas aparece se divertindo com a cantoria. No vídeo, compartilhado via stories, ele escreveu: “Quem diria que 'Power Rangers' voltaria para o setlist na hora do banho". Lucas e Sandy são pais de Theo, de 4 anos.

[@#video#@]

LeiaJá também

---> Laura Pausini relembra apresentação ao lado de Sandy

Durante entrevista a um programa na TV americana, em 2015, o ator Charlie Sheen repercutiu nos quatro cantos do mundo com a declaração de que era portador do vírus HIV. A notícia chocou os fãs do artista, que sempre o acompanharam em papéis engraçados no cinema. Assim como Charlie, o Brasil já passou por momentos de tristeza quando alguns astros do entretenimento abriram o coração para revelar que tinham a mesma doença.

Ícone do rock nacional, Cazuza, na década de 1980, foi um dos famosos que abriu discussão para as pessoas que passavam pelo mesmo problema de saúde, chegando a falecer em 1990 por complicações avançadas do vírus. Neste sábado (1º), é celebrado o Dia Internacional da Luta contra a Aids, reforçando a necessidade da prevenção para combater a doença e descontruir qualquer tipo de preconceito.

##RECOMENDA##

Relembre cinco famosos que deixaram saudade e que perderam a batalha contra a Aids.

Cazuza

Batizado como "o poeta" da música popular brasileira, Agenor Neto, o Cazuza, fez história com a sua rouca e rasgada o comando do Barão Vermelho. Querendo alcançar outros objetivos, o cantor partiu para a carreira solo. Sempre aclamado pela crítica, Cazuza, em 1986, começou a sentir os sintomas da Aids. Em tratamento nos Estados Unidos durante dois meses, o filho de João e Lucinha Araújo retornou ao Brasil para produzir o disco "Ideologia". Assumindo abertamente que tinha sido infectado pelo vírus HIV em 1989, Cazuza faleceu um ano depois em decorrência a um choque séptico.

Freddie Mercury

Sucesso em todo o mundo, Freddie Mercury imortalizou os vocais do Queen. Performático em todos os shows, Freddie arrastava uma multidão por onde passava, a exemplo de quando lotou o Rock in Rio em 1985. Dois anos depois da sua passagem pelo Brasil, o astro do rock recebeu o diagnóstico de que estava com Aids. Negando sempre quando lhe perguntavam se tinha a doença, Freddie Mercury decidiu revelar o problema de saúde em novembro de 1991, um dia antes de morrer. Em 2018, o eterno líder do grupo Queen recebeu uma homenagem através do cinema no filme "Bohemian Rhapsody", contando sua história na banda.

Renato Russo

No comando da Legião Urbana, Renato Russo mostrou genialidade em suas composições. Percorrendo o Brasil ao lado de Dado Villa-Lobos, Marcelo Bonfá e Renato Rocha, Russo ganhou o carinho do público jovem através dos clássicos "Pais e Filhos", "Faroeste Caboclo", "Índios", "Tempo Perdido", "Vento no Litoral", entre outros, vendendo aproximadamente 20 milhões de discos. O que o brasiliense não esperava era que o seu legado ficasse para os fãs tão cedo. Trilhando carreira solo, Renato Russo faleceu em 1996 por complicações causadas pela Aids. No dia 27 de julho, o público pernambucano conheceu um pouco do artista através do espetáculo "Renato Russo - O Musical". A peça contando um pouco da vida de Renato invadiu o Parque Treze de Maio gratuitamente.

Wagner Bello

Nos anos de 1990, a TV Cultura prendia a atenção das crianças quando exibia a história mágica do "Castelo Rá-Tim-Bum". Nino e toda sua trupe divertiam os telespectadores mirins com situações lúdicas, dando a oportunidade de cada criança construir seus mundos particulares. Entre os assuntos didáticos abordados no programa infantil, um personagem de outro planeta encantava com sua aparência colorida. O ator Wagner Bello fez muita gente rir com as trapalhadas do extraterrestre Etevaldo. Sucesso também no teatro, Bello foi vítima do HIV. Em 1994, aos 34 anos, o inesquecível Etevaldo faleceu semanas antes de gravar sua participação no "Castelo Rá-Tim-Bum".

Sandra Bréa

O talento da atriz Sandra Bréa invadiu todas as vertentes da arte. Interpretando personagens de grande importância para a história da teledramaturgia, Sandra teve que viver um roteiro pessoal que não estava anunciado. Por volta de 1993, a atriz decidiu contar publicamente que também era uma das vítimas portadoras do vírus HIV. No primeiro semestre de 2000, Sandra Bréa veio a óbito no condomínio que morava no Rio de Janeiro, Zona Oeste da cidade. A artista faleceu quando tinha 47 anos. A última aparição de Sandra em novelas da Globo foi em "Zazá", em 1997. 

Fotos: Reprodução/Youtube/Divulgação

No passado, o local por excelência para o amor adolescente, o cinema drive-in seguiu o caminho do toca-discos e se tornou um vestígio da nostalgia retrô.

Apesar da popularidade do hábito de ficar em casa para assistir algo no Netflix ou em plataformas similares, alguns cinéfilos acreditam que o romance está longe de desaparecer: em um cenário rural da Virginia, os espectadores dispostos a embarcar em uma viagem no tempo tem a oportunidade de aproveitar sua pipoca em uma sessão dupla sob as estrelas.

##RECOMENDA##

O público pode assistir os filmes na privacidade do automóvel ou do lado de fora dos veículos, como em uma pequena celebração, na qual os adultos conversam e as crianças brincam.

O cinema drive-in de Stephens City (135 km ao oeste de Washington) é um dos 300 da mesma categoria que ainda estão abertos nos Estados Unidos, longe dos 4.000 estabelecimentos que existiam na década de 1960, quando o conceito atingiu o auge e se tornou parte intrínseca do imaginário americano.

No cinema a céu aberto, dois filmes custam oito dólares, as crianças pagam meia-entrada e os cachorros de estimação são bem-vindos. Inaugurado em 1956, o drive-in de Stephens City hoje é o único da região.

"Isto é muito vantajoso do ponto de vista financeiro para nossa família", afirma Debbie Williams, que compareceu a uma sessão dupla com um grupo de crianças.

"Além disso, é diferente", completa. "É estar do lado de fora, ao ar livre, olhando para as estrelas, ao invés de estar em um local fechado lotado".

O dono do local, Jim Kopp, conta que incluiu tecnologia contemporânea, como som estéreo FM e projeção digital, para manter o drive-in da Virginia de acordo com os tempos modernos.

Tradicionalmente uma marca das zonas rurais, os cinemas drive-in começaram a estabelecer presença em um nicho nas áreas urbanas.

Uma vez por mês, o Union Market de Washington oferece um espaço para os nostálgicos, com as exibições de filmes que os espectadores podem assistir em seus carros ou deitados na grama, em cobertas para piquenique.

As sessões ainda incluem garçonetes em patins, que servem o público.

Para a adolescente Josephine Crittenden, o drive-in era uma relíquia que ela conhecia de filmes como "Grease", que tem uma cena entre os protagonistas em um cinema do tipo.

Assistir "Pantera Negra" sentada na caminhonete Bronco modelo 1968 de sua família é "algo especial" para a jovem.

"Faz com que eu me sinta como se fossem os velhos tempos", afirma.

Foi pensando em matar a saudade do público que Simony, Tob e Mike se reuniram novamente. Os três integrantes do Balão Mágico estão em uma turnê especial comemorativa dos 36 anos do grupo e chegam ao Recife no dia 28 de julho. O show da capital pernambucana será no Itaipava 14.

O Balão Mágico foi um dos maiores fenômenos fonográficos do segmento infantil na década de 1980. O grupo gravou cinco discos e fez parcerias com grandes nomes da música brasileira como Roberto e Erasmo Carlos, Djavan, Baby 7 Pepeu, Fábio Júnior, Moraes Moreira, Simone, além do lendário personagem Fofão.

##RECOMENDA##

Agora, mais de três décadas depois, o trio retoma as atividades, em uma ação comemorativa, para relembrar os bons tempos embalando os fãs em um show que promete muitos clássicos e muitas emoções.

Serviço

Balão Mágico

28 de julho | 22h

Itaipava 14 (Bairro do Recife) 

R$ 90

[@#relacionadas#@]

 

[@#galeria#@]

Em um mercado onde os consoles mais modernos são capazes de rodar games que mais parecem cenas de filmes, muitos fãs ainda prezam pela nostalgia e não trocam nenhum gráfico avançado pelo prazer de jogar "Super Mario World" ou "Top Gear". A prova disso é que mesmo 27 anos após o seu lançamento, o Super Nintendo, ou apenas SNES para os mais íntimos, continua entre os videogames mais cobiçados na internet e no comércio informal.

##RECOMENDA##

O popular console, mesmo depois de tanto tempo, ainda movimenta dinheiro e atrai gente interessada em relembrar a infância ou viver pela primeira vez a experiência que ele proporciona. No site OLX, por exemplo, foram registradas mais de 100 mil buscas pelo Super Nintendo somente nos seis primeiros meses de 2017, segundo dados divulgados recentemente pela empresa. No Recife, o cenário não é diferente.

No sebo de games antigos da capital pernambucana, localizado em uma transversal da Avenida Dantas Barreto, praticamente toda lojinha tem pelo menos um modelo do console à venda. Com valores que vão de R$ 170 a R$ 200 o Super Nintendo vende bem e é item quase obrigatório no estoque de quem comercializa seus produtos por ali. Em um dos boxes, o proprietário Giovanni Barbosa afirma vender pelo menos 10 unidades por mês.

Segundo ele, o Super Nintendo é muito procurado por ser um console barato e de fácil manutenção. "Além disso, se o dono quiser se desfazer dele depois, é muito fácil vender as fitas e o videogame em si, praticamente qualquer comerciante aqui está disposto a negociar por esses itens", informa Giovanni Barbosa.

[@#video#@]

Quem quiser aproveitar a experiência nostálgica, no entanto, tem que se preparar para gastar uma boa quantia em jogos. Cada cartucho é vendido por aproximadamente R$ 25, e games mais raros ou populares como "Super Mario World", "Donkey Kong" ou "The Legend of Zelda: A Link to the Past" podem sair por até R$ 80. Mas não é preciso sair de casa para encontrar uma dessas raridades.

Muitos fãs do console usam a internet como principal meio de compra de cartuchos e itens colecionáveis. Prova disso é que basta dar uma rápida busca em sites como Mercado Livre e OLX para encontrar dezenas de anúncios. É assim que o estudante Igor Barros aumenta sua coleção.

"Fico ligado nas redes sociais e nos sites de compra para achar os melhores preços. Os valores podem variar bastante e algumas pessoas chegam a vender cartuchos com defeito, por isso sempre é bom comprar apenas de comerciantes já conhecidos", afirma.

Viciado de carteirinha, Igor pretende em breve ostentar um acervo de 100 fitas. Ele não hesita ao explicar porque é mais apaixonado pelo Super Nintendo do que pelo moderno e conectado PlayStation 4. "Relembra minha infância, um tempo que não volta mais. O que mais tem atualmente são jogos com gráficos de cair o queixo, mas poucos trazem a sensação de soprar uma fita, juntar todo mundo na sala e jogar por horas sem preocupação", conta.

LeiaJá também

--> Eletricista perpetua arte de criar fliperamas em PE

Apostando na nostalgia, a Samsung lançou um celular pouco convencional com formato de flip. O modelo W2018 chama atenção pela sua aparência e também por causa das suas especificações técnicas, que superam muitos dos smartphones disponíveis atualmente. Outro destaque é a sua câmera com abertura de f/1.5, a maior já registrada em um aparelho móvel. O modelo será vendido exclusivamente na China.

O smartphone com visual retrô tem ainda 6 GB de memória RAM e duas telas de 4,2 polegadas - uma na parte frontal do modelo e outra junto ao teclado físico. Além disso, o telefone tem uma câmera traseira de 12 megapixels com um sistema que varia a abertura entre f/1.5 e f/2.4, que pode ser ajustado de acordo com as condições de luz. Na frente, há um sensor de 5 megapixels para selfies.

##RECOMENDA##

Outras configurações incluem uma bateria de 2.300 mAh, processador Snapdragon 835 e opções de armazenamento interno com até 256 GB. O modelo tem ainda um sensor de impressão digital na parte traseira, mas os usuários podem desbloquear o smartphone usando o scanner de íris se preferirem. O lançamento da Samsung será vendido pela China Telecom, que ainda não divulgou o preço sugerido.

LeiaJá também

--> Primeira mensagem de SMS completa 25 anos

Quando chega o mês de novembro, um trecho da Avenida Caxangá fica aglomerado de pessoas atravessando a pista, veículos diminuindo a velocidade e os ambulantes com suas barraquinhas de comida itinerantes. No bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife, é dia da tradicional Exposição de Animais e o cheiro do campo atrai milhares de recifenses que buscam fugir por algumas horas do cenário urbano e envolto das modernidades. No número 2.220 da Caxangá fica localizado o Parque Professor Antônio Coelho, conhecido como Exposição de Animais do Cordeiro.

Ao lado de uma das mais movimentadas vias da Região Metropolitana do Recife, o parque transborda a sensação do avesso à cidade. É calmo e parece mesmo uma grande fazenda de vários hectares iguais aos pedaços de terra do interior de Pernambuco. Logo na entrada do local, o piso de paralepípedo, as árvores bem verdes e as baias dos animais anunciam que por algumas horas de passeio o público vai se sentir no campo, distante da poluição sonora e visual dos grandes centros urbanos.

##RECOMENDA##

Nos altos falantes, espalhados por vários postes do parque, o forró é quase onipresente, mas divide espaço com a tradicional voz do locutor, que anuncia leilões de animais e a programação completa do evento rural. Divididos por áreas, os animais são postos cada um em seus respectivos locais. Há os bois e as vacas nas tradicionais baias laterais, os hamsters e suas gaiolas atrativas, os cachorros e as galinhas. Os cuidadores dos animais também instalam redes para dormir nas proximidades do local e dar suporte aos bichos durante a noite.

Ainda no início da Exposição, muitos apaixonados por betas aproveitam os viveiros para levar um peixinho para casa em pequenos sacos plásticos. O público é diversos e vai desde bebês, crianças até idosos. O traje chama atenção porque muitas pessoas aproveitam o evento anual para utilizar as vestimentas tradicionais do interior, como botas e chapéus de vaqueiro. Nas laterais do parque, nas duas calçadas, os vendedores montam seus comércios. Existem grandes estandes ou pequenas barraquinhas para comercializar artigos como brinquedos, sandálias e artesanatos, além dos famosos chapéus de couro de várias cores.

O parque foi fundado em 1941 e em 2017 completa o 76º ano de atividade. Por lá, se reúnem os criadores de bovinos, equinos, caprinos, ovinos e suínos de Pernambuco que se dividem entre os pecuaristas, empresários e profissionais ligados à agropecuária. Mas, quem marca presença mesmo é o público que vai aproveitar o evento e ter contato, pelo menos uma vez por ano, com o cenário rural.

As atrações são dispostas nas laterais do parque e seguindo em frente as pessoas vão desfrutando de uma série de atividades. Há leilão de animais, passeio de pôneis para as crianças e o famoso contato direto com os bichos do campo. As placas de “não toque” são facilmente ignoradas. Ninguém se contenta em apenas olhar os animais e aproveitam o momento para fazer carinho nos bichos e registrar as cenas em fotografias.

Sorvetes por R$ 2, vendedores escrevendo nomes em copos de metal ou em artesanatos de madeira, geralmente em forma de coração, acarajé, pastel, espetinho e comidas típicas do Nordeste. Parece até uma quermesse fora de época. As opções gastronômicas são muitas e para todos os bolsos. Há quem visite o parque para olhar o bichos, para aproveitar um dia diferente em contato com o ambiente rural ou matar as saudades da infância, quando frequentava o local com os pais.

[@#galeria#@]

A iluminação do local também é nostálgica e faz com que o público se sinta ainda mais acolhido como se estivesse na zona rural. São várias lâmpadas incandescentes enfileiradas nas laterais da pista que leva ao fim do parque. A última etapa do local é composta por uma espécie de praça de alimentação com direito a música ao vivo.

Para as crianças, talvez o mais esperado seja o parquinho de diversões. É a última etapa da Exposição e são dezenas de brinquedos, desde os carrinhos de bate-bate, carrossel, cama elástica, carrinhos motorizados, o samba, o mini kamikaze e antigamente a famosa “Monga”, que em 2017 não foi instalada no local. A mulher macaco também já atraiu muitos adolescentes para conferir a transformação através dos espelhos.

“Para mim, a exposição é total nostalgia. Cresci indo com meu pai e minha mãe e ainda hoje gosto de ir. Depois de todo esse tempo, mais velha, faço questão de ir todos os anos, tomar caldo de cana com pastel e comprar peixes. Também pretendo levar os meus filhos pra manter essa cultura”, diz a estudante de Medicina Synthia Barros.

Jéssica Gonçalves veio com a família de Jaboatão dos Guararapes conferir a abertura do evento, no último sábado (4), pela primeira vez. “Eu já tinha ouvido falar em outros momentos, mas por se distante de onde eu moro, sempre desistia. Esse ano decidi vir e achei o ambiente muito bom. Familiar e cheio de atrações para as crianças”, conta.

A  exposição de animais é considerada a maior do norte nordeste no segmento que oferece. Dura uma semana e em 2017 segue até 12 de novembro. Os valores dos ingressos variam entre R$ 5 e R$ 12. De acordo com a organização do evento, são esperados 200 mil visitantes; 4 mil animais estão expostos e a previsão de movimentação financeira com vendas de bichos passa de R$ 30 milhões.

Você pode não se lembrar, mas Angélica e Rodrigo Faro são amigos desde quando eram crianças. No Instagram, a esposa de Luciano Huck surpreendeu os seguidores ao relembrar um clique para lá de antigo ao lado do apresentador da Record. Na imagem em preto e branco, os dois aparecem para lá de sorridentes.

"Que bacana poder te ver feliz, realizado profissionalmente e com uma família linda. Que o caminho seja sempre de luz. Parabéns Rodrigo Faro. Amigo das antigas. Modelando juntos", escreveu na legenda da publicação feita para parabenizar o ator, que completou 44 anos de idade.

##RECOMENDA##

Em tempo: Faro, Angélica e Ticiane Pinheiro se conheceram ainda crianças quando integraram o grupo musical Ultraleve.

O conjunto de eurodance Double You, grande sucesso da década de 1980, vem ao Recife, nos dias 27 e 28 de outubro, para dois shows. Relembrando seus hits, eles sobem ao palco do Manhattan Café e prometem colocar o público pernambucano para dançar.

Formado por William Narraine, Gino Martini, Gustavo Filipovich, Paulo Soveral e Missaka, o grupo tem mais de 25 anos de estrada e seis álbuns de estúdio. Eles imortalizaram sucessos como Missing You, Please don't Go e Because I'm Loving You.

##RECOMENDA##

Serviço

Double You

27 de outubro e 28 de outubro | 21H

Manhattan Café Theatro (Rua Francisco da Cunha, 881 - Boa Viagem)

R$ 100

[@#video#@]

[@#relacionadas#@]

Após relançar os clássicos Super Nintendo e Nintendinho, ambos com unidades esgotadas no mercado, parece que a Nintendo quer apostar mais uma vez no poder da nostalgia e se prepara para anunciar uma nova versão do Game Boy. A informação veio à tona porque o grupo japonês recentemente registrou uma nova marca sugerindo que o console portátil ganhará um modelo renovado.

A patente descreve um programa para um videogame doméstico, junto a uma imagem do visual da primeira versão do Game Boy, lançada originalmente em 1989. Não está claro, porém, se a Nintendo planeja anunciar o console ainda em 2018 ou esperar até 2019, quando será comemorado o 30º aniversário do Game Boy.

##RECOMENDA##

Super popular na década de 1990, o Game Boy foi o primeiro console portátil da Nintendo. Foi graças ao videogame que a franquia "Pokémon" ficou reconhecida em todo o mundo, ganhando diversos títulos. Porém, games como "Tetris" e "Super Mario Bros." também fizeram sucesso na plataforma. Por enquanto, a Nintendo não se pronunciou sobre o assunto.

LeiaJá também

--> Forever 21 trará roupas inspiradas na Nintendo ao Brasil

--> Eletricista perpetua arte de criar fliperamas em Pernambuco

Boy band é termo usado para definir um grupo de rapazes bonitos, que cantam e dançam músicas sobre paquera, conquista e amor (de um modo geral), cada um com uma personalidade distinta para agradar a todos os gostos. A fórmula é simples e vem fazendo sucesso desde a década de 1960, produzindo inúmeros hits e milhares de fãs enlouquecidas.

Confira nesta linha do tempo algumas das boy bands que marcaram a história no mundo da música, no Brasil e em todo o planeta.

##RECOMENDA##

1963 - The Beatles

Os precursores do formato fora quatro rapazes de Liverpool, na Inglaterra, com cortes de cabelos iguais, terninhos combinando e personalidades distintas. Assim era a banda The Beatles, formada por John Lennon, Paul McCartney, Ringo Starr e George Harrison. O repertório dos rapazes, apelidados de ‘Fab Four’ (os quatro fabulosos), se dividia entre canções de amor e alguns rock’n’rolls mais dançantes. Músicas como Love me Do, Please Please Me e Eight Days a Week encabeçaram as paradas de sucesso da época, mas as fãs do grupo tornavam impossível ouvir qualquer tipo de som que não fossem seus gritos durante os shows ao vivo da banda. O movimento fanático dos seguidores dos Beatles ganhou até um nome, Beatlemania. Anos mais tarde, os rapazes transcenderam o estilo boy band e se consagraram como uma das bandas mais importantes da história da música.


1970 - The Jackson 5

Formada pelos irmãos Jackie, Tito, Jermaine, Marlon, Randy e Michael (aquele que anos mais tarde se tornaria o Rei do Pop), The Jackson 5 foi a boy band da Motown Records, gravadora americana que imortalizou diversos artistas de soul e Rythm & Blues. Os cinco rapazes logo caíram no gosto do público com suas roupas coloridas e jeito divertido de se apresentar. Algumas músicas, voltadas para o público jovem, são sucesso até hoje como ABC, I Want You Back e I’ll Be There.


1980 - Menudo

No final da década de 1970, o grupo porto riquenho Menudo já começava a despontar nas paradas musicais. Mas foi nos anos 1980 que eles ganharam sucesso absoluto e o reconhecimento das fãs. Durante quase 20 anos de banda, diversos rapazes passaram pelo grupo, mas foram Ray, Robby Rosa, Ricky, Roy e Charlie os responsáveis pela formação mais famosa do Menudo. Ricky Martin foi o que conseguiu manter-se na carreira musical com maior êxito no mundo do pop. Hoje, os hits do Menudo são lembrados sempre com bastante carinho pelos fãs.


1990 - New Kids on The Block

Quando os anos 1990 chegaram, os New Kids on The Block atualizaram as definições de boy band. Os meninos de Boston começaram a se apresentar juntos ainda por volta dos anos 1980, mas foi na década seguinte que o sucesso estourou. O grande hit 'Step by Step' permanece na memória afetiva de muita gente. Os NKOTB voltaram a se reunir em 2017, 15 anos após o término do grupo, e até lançaram um disco novo, o 'Thankful'.


1996 - Backstreet Boys

Alguns anos após o estouro dos New Kids on The Block, outra boy band conquistou os corações das fãs, os Backstreet Boys. Nick, Kevin, Alex, Brian e Howie ganharam o público rapidamente e emplacaram vários hits como 'Everybody', 'I want it that way' e 'As long as you love me'. O sucesso foi tamanho que eles chegaram a ser classificados como a maior boy band do mundo pelo Guiness Book.


1997 - N'Sync

Dividindo espaço e fãs com os Backstreet Boys estava o N'Sync. A banda seguia o mesmo modelo dos concorrentes mas tinha um trunfo, e ele era Justin Timberlake. É tanto que o cantor decidiu seguir carreira solo, em 2002, e acabou, também, se dedicando bastante à carreira de ator. O sucesso de Timberlake foi tão absoluto que ele sequer pensa na possibilidade de um retorno do N'Sync.


2006 - The Jonas Brothers

O século 21 traz uma boy band um pouco mais enxuta, mas não menos idolatrada pelas fãs. Os Jonas Brothers, formados pelos irmãos Kevin, Nick e Joe Jonas, fizeram tanto sucesso que até programa de televisão ganharam. Outro diferencial desta boy band é que os meninos não só cantavam mas também tocavam seus instrumentos. Entre os hits estão 'Keep it real', 'Can't have you' e 'Turn Right'.


2010 - One Direction

Na evolução das boy bands, a One Direction tem tudo de mais moderno que um grupo do tipo pode ter. Ela foi formada no reality show The X Factor UK quando os produtores do programa enxergaram potencial nos cantores que haviam se inscrito para disputar individualmente. Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Zayn Malik e Niall Horan gravaram três álbuns, mas o 'casamento' não durou muito: em 2016 eles anunciaram o fim do grupo, para desespero das 'directioners', as fãs.


2012 - BTS

A Coreia também tem sua boy band, integrada por rap Monster, V, Jin, Suga, J-Hope, Jimin e Jungkook. O BTS faz sucesso não só por lá, mas ao redor do mundo inteiro. No Brasil, já é febre entre os pré-adolescentes. As músicas no estilo K-pop são escritas pelos próprios integrantes e 'bombam' em todas as redes sociais. 

MADE IN BRAZIL

O Brasil também tem uma história no que se refere a boy bands. E os representantes brasileiros do gênero não deixam nada a dever às bandas gringas. Relembre alguns dos grupos brazucas que fizeram sucesso e deixaram saudades.

1984 - Dominó

Afonso Nigro, Nill, Marcos Quintela e Marcelo Rodrigues fizeram a alegria das noites de sábados de muitos fãs que os esperavam no Viva a Noite, programa semanal apresentado por Gugu Liberato, no SBT. Eles imortalizaram hits como P da Vida e Manequim. Em 2009 tentaram uma retomada mas sem sucesso.


1989 - Polegar

Seguindo os passos da Dominó, o Polegar também conquistou o público e os palcos dos programas de televisão que apresentavam os sucessos do momento. Integrado por Alan, Alex, Ricardo e Rafael, eles cravaram várias músicas nas paradas, uma delas foi 'Dá pra mim'. Rafael Ilha talvez seja o integrante mais famoso do grupo, mas, infelizmente, o cantor ficou marcado mesmo por seus problemas com drogas drogas e prisões. Hoje ele trabalha nos bastidores da TV.


1990 - Paquitos

Sim, eles eram a versão masculina das Paquitas. O figurino era bem extravagante e as coreografias impecáveis. Robson, Alexandre Canhoni, Egon Junio, Cláudio Heinrich e Marcelo Faustini passaram apenas dois anos juntos. Os dois últimos acabaram enveredando pela carreira de ator.


2000 - KLB

Assim como na gringa, os anos 2000 trouxeram ao Brasil boy bands mais enxutas. Formada pelos irmãos Kiko, Leandro e Bruno, os rapazes deram nova roupagem ao estilo, pois atuavam também como instrumentistas. Em 2012, os rapazes deram uma pausa na carreira, mas voltaram neste ano de 2017 com a gravação de um DVD e uma turnê pelo país.


2000 - Twister

No mesmo ano em que nasceu o KLB nascia o Twister. Banda formada por Sander, Léo, Luciano, Gilson e Alex. Eles deixaram marcado o hit '40 Graus' mas a banda não durou muito e acabou em 2002.


2003 - Bro'z

Cria do reality show Popstars, a banda era formada por Matheus Herriez, André Marinho, Jhean Marcell e Oscar Tintel. Inicialmente, o grupo durou apenas dois anos, mas em 2016 eles se reuniram para mais uma tentativa no meio musical, apostando na saudade das fãs.

BÔNUS - Hanson

Achou que íamos esquecer deles? Também no formato de trio, os irmãos de Oklahoma dominaram o cenário no final da década de 1990. Cantando e tocando, eles lançaram diversos hits, o maior deles, talvez, a canção 'MMMBop', seu primeiro sucesso. Em 2017, os três saíram pelo mundo numa turnê comemorativa pelos 20 anos de sucesso. Os fãs brasileiros puderam ver seus ídolos em shows no Rio de Janeiro, no último mês de agosto.

[@#relacionadas#@]

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando