Tópicos | educação

Ainda que seja apenas uma criança compartilhando dicas de leitura, Adriel Bispo, 12 anos, foi vítima de comentários racistas na noite desta quinta-feira (27) no Instagram. O agressor mandou uma mensagem direta dizendo que “preto está para estar cavando e não lendo”.

Há pouco mais de um ano o menino, que reside em Salvador, na Bahia, compartilha na rede social resenhas de série, filmes ou livros que costuma ler, com o objetivo de incentivar os 259 mil seguidores no perfil. Mesmo em meio a tantos elogios, pela iniciativa, ainda assim a criança foi alvo de racismo na rede.

##RECOMENDA##

Os ataques com teor racista foram direcionadas a Adriel através de mensagem privada. No direct, ele recebeu as seguintes palavras de internauta: “Porco gordo. Eu achava que Preto era para estar cavando mina não lendo. Para de ser trouxa e volta para a sua realidade seu merda. Você foi criado para ser preto e pobre”.

A visualizar a mensagem do leitor, Adriel mostrou a mãe, Deise Bispo, que monitora a rede do filho. Ela o orientou a “deixar passar, pois ele era muito mais do que aquele homem”. O print das mensagens, a seguir, foi postado nos stories de Adriel, com a seguida resposta ao agressor:

“Em pleno século 21 pessoas ainda são racistas? Atualizem-se. Insultos acabam com psicológico de pessoas fracas. Esse tipo de coisa não me abala em nenhum ponto. ALIÁS, tenho orgulho de ser negro”.

Desde a noite passada o caso tem repercutido nas redes sociais. Dentre os comentários a vencedora do Big Brother Brasil 2020, Thelma de Assis, incentiva que o garoto continue seu projeto.

“Meu querido! Que página linda você tem e que orgulho de te ver transmitindo tanta educação e conhecimento para as pessoas. Esse é o caminho, tá? Não permita que nenhum tipo de ofensa racista possa te magoar ou atrapalhar os seus objetivos. Somos muito mais fortes do que eles pensam, conte comigo”, disse Thelma, em comentário.

O Projeto de Lei do programa Future-se foi encaminhado ao Congresso Nacional. O despacho foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (27), mas não dá mais detalhes sobre o texto. A iniciativa ainda cria o dia nacional do estudante empreendedor, que será comemorado no primeiro sábado após o Dia do Trabalhador.

O Programa Future-se é direcionado às instituições federais de ensino superior, universidades públicas e institutos federais e tem por finalidade criar condições e incentivos para que essas instituições expandam as suas fontes adicionais de financiamento, sem prejuízo do investimento público. Além disso, o Instituto Militar de Engenharia (IME), Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e o Colégio Pedro II poderão participar do Programa. 

##RECOMENDA##

“A participação no Programa Future-se fica condicionada à celebração de ‘contrato de resultado’, firmado entre a universidade ou o instituto federal solicitante e a União, por meio do Ministério da Educação (MEC) . No ‘contrato de resultado’ serão fixados indicadores de resultados para a universidade ou instituto contratado, como contrapartida pela concessão de benefícios por resultado”, informa o Governo Federal

Além disso, o Programa será acompanhado e supervisionado por um comitê gestor, garantida a participação de representantes das universidades e dos institutos federais, do MEC e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Ao comitê gestor caberá subsidiar o MEC no aperfeiçoamento e no processo decisório do Programa, zelar pela destinação correta e regular dos recursos, e acompanhar a avaliação dos indicadores de resultado referente ao ‘contrato de resultado’.

LeiaJá também

-->   UFPE anuncia que é contrária ao programa Future-se

-->  ITA declara interesse em aderir ao Future-se

Os representantes das escolas públicas e privadas da educação básica do país já podem acessar o Sistema Educacenso para o início da coleta dos dados do Censo Escolar 2020 a partir desta quarta-feira (27). O Educacenso ficará disponível para a declaração das informações até 21 de agosto. 

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informa que manteve o diálogo com as coordenações estaduais e municipais do Censo Escolar das Secretarias de Educação para ajustar o cronograma ao cenário atual. 

##RECOMENDA##

 Essa parceria, segundo o Inep, possibilitou a alteração da data de referência para o dia 11 de março, imediatamente anterior ao início da suspensão das atividades escolares no país. Logo, as informações de matrículas declaradas ao Censo Escolar 2020 devem ter como referência essa data. 

O Inep esclarece que os dados do censo orientam os repasses do fundo para municípios e unidades da Federação. Além disso, a distribuição de recursos para merenda, livros didáticos e transporte escolar, por exemplo, é determinada pelas informações consolidadas na pesquisa estatística.

As informações coletados pelo Censo Escolar 2020, segundo o instituto, contribuirão ainda para o cálculo de indicadores que possibilitam a compreensão da situação educacional no Brasil, como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (ldeb), as taxas de rendimento e de fluxo escolar, a distorção idade-série, entre outros, que inclusive são referência para as metas do Plano Nacional da Educação (PNE).

Com a necessidade de isolamento social, a internet tem sido a única forma de manter contato com um parente, amigo, assistir a um show ou mesmo adquirir conhecimento sobre diversos temas. Com a pandemia do novo coronavírus e a suspensão das aulas presenciais, Instituições de Ensino Superior (IES)  realizam encontros com profissionais de destaque e acadêmicos renomados que, em condições normais, dificilmente poderiam comparecer a tantos eventos como se reúnem nas lives.

Especialistas que moram em diferentes regiões do Brasil e em outros países se disponibilizam a participar de bate-papos com estudantes e com o público em geral, levando conhecimento e conteúdo para quem está em casa.

##RECOMENDA##

As instituições mantidas pelo grupo Ser Educacional, UNAMA, UNINASSAU, UNINABUCO, UniNorte, UNG e UNIVERITAS, estão utilizando esse momento para qualificar ainda mais o momento de aprendizagem. “Essa integração foi uma forma que encontramos para trazer novidades e aumentar o interesse dos nossos estudantes, e até mesmo do público em geral, sobre as oportunidades de aprender sem sair de casa”, afirmou a reitora da UNAMA – Universidade da Amazônia, Betânia Fidalgo.

Segundo a reitora, a quarentena tem mostrado que a educação pode romper todas as barreiras. "Mesmo com o isolamento social, podemos sim continuar aprendendo todos os dias e, acima de tudo, podemos criar novas formas de aprender e ensinar”, disse.

“Temos que aprender com este momento. Graças à tecnologia, pudemos realizar uma palestra com um nome de peso do jornalismo português, como Hélder Silva, com professores de universidades lusitanas, entre outros”, destacou o coordenador do curso de Jornalismo da UNINABUCO Recife, Luís Boaventura.

Além de Hélder Silva, estiveram entre os convidados internacionais das instituições do Grupo Ser os jornalistas Rodrigo Alvarez, Rodrigo Carvalho e Sônia Bridi; o professor da Universidade Fernando Pessoa, em Portugal, Jorge Pedro Sousa; a pesquisadora brasileira da Universidade de Cambridge, Lívia Souza; o doutorando em Psicologia na Universidade de Lisboa, Emerson Bú; o fisioterapeuta do time chinês Shijiazhuang Ever Bright, Rodrigo Cavendish; a pesquisadora da Universidade de Michigan, Alessandra Campos; entre outros.

"O isolamento social abre a oportunidade para que possamos qualificar as nossas aulas, levando para os alunos a experiência de profissionais de destaque não apenas da nossa região, mas do mundo inteiro”, destaca o coordenador do curso de Psicologia da UNINASSAU Campina Grande, Bruno Medeiros, que mediou uma Live com uma pesquisadora brasileira da Universidade de Cambridge.

A tecnologia também tem proporcionado momentos diferentes entre diversas instituições de ensino. Assim como tem acontecido com diversos artistas que produzem lives em parceria, universidades e faculdades também estão se unindo para promover congressos, simpósios e palestras. A ideia é levar os profissionais de uma IES para conversar com alunos de outras. O conceito tem sido benquisto e possibilitado uma integração entre estados brasileiros.

Em São Paulo, por exemplo, a prática tem sido bastante utilizada para integrar os estudantes com profissionais de destaque no Nordeste. Já na região Norte, a busca tem sido por uma aproximação não apenas com a região vizinha, mas também com Instituições do Sudeste. “Esse é um momento em que precisamos nos unir e nos reinventar. E a tecnologia está nos proporcionando chances que eram dificultadas com a barreira da distância. Se todos estamos assistindo aulas por plataformas digitais, podemos sim juntar professores e turmas de duas Instituições diferentes”, destaca o reitor da Universidade UNG, de Guarulhos, Eloi Lago. A IES já promoveu lives em parceria com instituições de Pernambuco, Paraíba, Bahia, entre outras.

Com informações da Ascom UNAMA.

 

 

 

 

 

Com os crescentes casos do novo coronavírus no País e aulas suspensas desde março passado, alunos se deparam com os desafios de estudar em casa, por muitas vezes com recursos limitados. Com isso, desde o início do isolamento social, participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, encontraram na tecnologia uma rede de apoio entre eles. Tudo através de grupos de estudos pelo Whatsapp.

Da sala de aula para a sala de bate-papo

##RECOMENDA##

Nesse cenário de incerteza e de dificuldades para estudar, a tecnologia, ou mais especificamente o Whatsapp, tem desempenhado um papel importante para que participantes da edição possam estreitar relações e compartilhar materiais de estudos entre eles, em um rede de apoio, fornecidos de forma gratuita. 

Em entrevista ao LeiaJá, a estudante do ensino médio e idealizadora de um grupo de estudo, Giovana Nascimento, 18 anos, que reside em Carpina, Agreste de Pernambuco, explica que a ideia surgiu a partir dos erros na emissão do boleto na plataforma de inscrição do Exame. O ocorrido resultou em uma página no Instagram, com quase mil seguidores, chamada ‘Cadê o Beto’ - personagem que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) usa para tratar da parte financeira. Posteriormente, o conteúdo transformou-se em um grupo no aplicativo de mensagem Whatsapp.

“Teve início com o problema do boleto, daí o nome ‘Cadê o Beto' e já tínhamos três grupos lotados para tratar sobre os problemas. Quando o problema do boleto encerrou, muitas pessoas saíram e daí criamos um grupo só, atualmente com 184 pessoas”, afirmou Giovana.

A jovem ainda explica que acha válido compartilhar o material no grupo, pois notou que os vestibulandos são maioria dos participantes. A estudante e ressalta que ainda assim os integrates do grupo continuam a falar sobre o Enem no geral, tirando dúvidas sobre dos atuais problemas e repassando dicas de estudos para os demais. A comunidade tem maior movimentação durante a noite, devido às demandas com aulas remotas dos participantes ao longo do dia. 

O grupo de estudos 'Cadê o Beto', que começou em Pernambuco, ganhou o Brasil. Nele há participantes de outros estados, como Espírito Santo e Belo Horizonte. Uma delas é a vestibulanda Isadora Lima, de 17 anos. “Está sendo ótimo para tirar dúvidas de estudos e mandar conteúdos que podem ajudar”, disse a  estudante.

Ela ainda pontua que o grupo representa um apoio entre os demais candidatos. “Com todos esses problemas que aconteceram com o Enem, foi uma forma de se tranquilizar. É aquele clichê, mas verdadeiro sentimento de ‘não estou sozinho no mundo’ e de que ‘juntos somos mais fortes'”, desabafa. 

A psicóloga clínica Márcia Karine observa que a organização dos estudantes em ambiente virtual faz parte de um processo de adaptação e reforça que o espírito da coletividade ajuda em questões emocionais que ficam ainda mais latentes em meio a pandemia da Covid-19. “Os grupos unidos permitem a troca de informações, uma competição saudável de resposta às questões, como forma de treinar, os alunos conseguem dar apoio emocional uns aos outros”, afirma. 

Sem contar que “a união nos grupos auxilia a dividir as demandas e compartilhar os sentimentos, as questões emocionais ficam mais latentes e isso [o grupo de estudo] ajuda a aliviar mas a tensão promovida pelo momento de fortes cobranças”, analisa Márcia, que também é coordenadora do curso de psicologia da UNINABUCO - Centro Universitário Joaquim Nabuco Paulista.

Ajuda para pernambucanos

Um outro grupo também tem ganhado destaque, o chamado ‘Estudos na Quarentena’, que assim como ‘Cadê o Beto, compartilha conteúdos para que vestibulandos não fiquem para trás na corrida pela aprovação no Enem 2020. 

Com número menor de participantes no Whatsapp, cerca de 24 alunos engajados, a iniciativa da estudante de licenciatura plena em química pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Ana Cecília Fernandes, 18 anos, além de compartilhar conteúdos direcionados ao Exame ainda promove aulas através da plataforma Google Meet. 

Contando com Ana, o grupo tem um total de 13 professores, equipe formada apenas com graduandos na área de educação e licenciaturas da UFRPE e da Universidade de Pernambuco (UPE). Focado em estudantes do Estado que estão se preparando para as provas, os professores dão dicas de materiais atualizados, preparam aulas e tiram dúvidas de questões que podem cair na Enem.

“Além de participar da criação do projeto, eu também estou ministrando aulas de química para os vestibulandos que fazem parte desse projeto. As aulas são realizadas através da plataforma do Google Meet e também disponibilizamos materiais e vídeo aula extra pelo Google Classroom”, explica Ana, uma das criadoras do projeto.

Para manter a organização, assim como aulas presenciais, o grupo tem horário de funcionamento, sendo das 13h às 17h. A voluntária revela que a dinâmica, até o momento, tem gerado retornos positivos. 

“Eles [os estudantes] têm nos demonstrado um feedback muito positivo. Muitos deles estão totalmente dependente de nós! Ter um apoio como o nosso é essencial e creio que muito relevante”, disse Ana.

Até então, o projeto terá continuidade apenas neste período, em que com aulas suspensas os estudantes precisam de um olhar mais atento, sobretudo os alunos de rede pública que por vezes não possuem condições adequadas para receber aulas em casa. 

“Alguns estudantes são periféricos e vindos de escola pública. [Mesmo] com o pouco acesso que eles têm à internet, eles conseguem assistir as aulas e receber todo nosso apoio. E as aulas, por terem como objetivo alunos de rede pública, são bastante explicadas e detalhadas, de forma leve”, destacou. 

Ana também fala que “a maior dificuldade deles são nas disciplinas de ciências exatas. Muitos deles não conseguem elaborar cálculos básicos por conta da qualidade de ensino que tiveram acesso. Infelizmente, nossa rede pública de ensino ainda é muito precária”, crítica. 

Em conversa, a estudante do ensino médio Maria Cecília Ferreira, 16 anos, reitera as observações da professora de química do projeto, e explica que manter suas maiores dificuldades é manter o foco para absorver todos os conteúdos e ter sempre disposição para segurar o ritmo nos estudos. 

“A falta de disposição e foco me incomoda. Eu sei que conseguiria estudar sozinha, que tenho dificuldades nas aulas remotas, sendo que com tudo que está acontecendo e por ter ansiedade, eu acabo não conseguindo manter o foco e não tenho muito disposição. Esse é meu maior problema”, desabafa.

Dicas para render nos estudos

Os grupos de estudos pela internet não contam com apoio psicopedagógico. Sem este apoio, a longo prazo, o rendimento dos estudantes pode não representar uma resposta positiva no Enem. 

Pensando em como ajudar os estudantes, o LeiaJá, reuniu algumas dicas compartilhadas pela psicóloga Márcia Karine, para que os estudantes possam aproveitar melhor o tempo em casa e o auxílio desses voluntário nos preparatórios em grupos de estudos pelo WhatsApp. 

“A psicologia em sua essência nos mostra a importância de estarmos com o corpo são e a mente sã, por isso precisamos desse contato [entre ambos] para compartilhar as emoções", diz. Para isso algumas dicas podem orientar na absorção dos conteúdos:

Crie uma rotina, por exemplo, acordando e dormindo cedo;

Programe os horários para estudar;

- Realize um cronograma semanal dos conteúdos que precisa estudar ou revisar; 

- Busque compreender quais as disciplinas com maior dificuldade e coloque-as como as primeiras a serem estudadas;

- Estabeleça horários para se alimentar;

- Reserve um tempo para fazer alguma atividade que te dê prazer.

Márcia ainda recomenda como método de alívio das tensões a conversa por telefone - devido às restrições da pandemia - com algum amigo ou até mesmo com o professor, compartilhando o que sente. 

Vale ressaltar que as provas do Exame Nacional do Ensino Médio 2020 foram adiadas em até 60 dias após data prevista de aplicação, inicialmente planejada para novembro. As novas datas de realização das provas, na versão digital e impressa,  ainda não foram anunciadas pelo Inep. O dia em que serão realizadas as provas do Enem 2020 será decidido pelos participantes, por meio de votação em junho através da Plataforma do Participante.

[@#galeria#@]

Começa nesta segunda-feira (25) o prazo para solicitação do uso do nome social no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, adiado em até 60 dias pelo Ministério da Educação. O pedido pode ser realizado por pessoas transsexuais e travestis, através da Página do Participante, até o dia 29 de maio. 

Para realizar o pedido e obter a autorização para uso do nome social no Exame, o candidato precisa constar como inscrito no Enem 2020 - com prazo prorrogado até a próxima quarta-feira (27) - e anexar as documentações comprabatórias que justifiquem a motivação do pedido. 

##RECOMENDA##

Os documentos serão aceitos somente nos formatos PDF, PNG ou JPG, no tamanho máximo de 2MB. Confira, abaixo, uma lista com quais documentos que devem ser anexados no pedido:

 - Foto 3x4 atualizada, nítida, individual, colorida, com fundo branco (sem adereços que dificultem a identificação);

- Cópia digitalizada, frente e verso, de um dos documentos de identificação oficial com foto;

- Cópia assinada e digitalizada do formulário de solicitação de Atendimento pelo Nome Social, disponível na Página do Participante.

O resultado dos participantes autorizados a utilizar nome social será divulgado no dia 18 de junho, também através da Página do Participante. Em caso de reprovação da documentação anexada, o candidato poderá solicitar recurso, das 10h do dia 8 de junho às 23h59 do dia 12 de junho, no mesmo endereço eletrônico. Outros detalhes estão especificados no edital do Enem 2020

LeiaJá também

--> Nome social no Enem valoriza identidade de gênero

--> Homem constrói palco em garagem para formatura da filha

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, informou, em seu perfil no Twitter na manhã deste sábado (23), que o número de inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 alcançou um quantitativo de 5.501.768 candidaturas. 

Segundo a publicação, esse total foi apurado às 23h59 do dia 22 de maio. Ao todo, 5.400.668 candidatos optaram por realizar a prova impressa e 101.100 inscritos preferiram o exame digital.

##RECOMENDA##

Quem ainda deseja se candidatar ao Enem 2020 tem agora até o dia 27 de maio para se inscrever na Página do Participante. As inscrições que se encerrariam na última sexta-feira (22) foram prorrogadas.

“Decidimos prorrogar o prazo das inscrições do Enem até 23h59 da quarta-feira (27). Os boletos da taxa da prova poderão ser pagos até 28/05. Os candidatos devem ficar atentos à confirmação da inscrição na Página do Participante, do @inep_oficial”, disse Abraham Weintraub no Twitter.

[@#video#@]

Nesta sexta-feira (22), às 17h, o "Chega na Live" da Universidade Guarulhos (UNG) abordará o tema "Investimentos em Tempos de Pandemia". Será no Instagram da instituição.

O encontro terá a presença do economista e professor do curso de Administração da UNG Odair Salles e do consultor em finanças pessoais e professor da Universidade Mogi das Cruzes (UMC) Walmir Bello. "Vamos abordar a importância da reserva de emergência e o quanto ela se mostra necessária no momento atual para algumas das famílias", explica Salles.

##RECOMENDA##

Os professores debaterão os impactos que a Covid-19 causou na economia, onde para muitos o investimento só será possível por meio de cortes de gastos e da preservação dos empregos. "Vamos forçar as ideias de reinventar-se na crise, tentar identificar oportunidades e sempre ter uma visão otimista, mesmo com as adversidades. Haverá um novo normal, que não será nunca mais como o de antes", diz Salles.

Na programação dos webinars (videoconferências com objetivo educacional) que a diretoria da Academia Pernambucana de Ciências (APC) vem realizando acerca do impacto da pandemia da Covid-19 em vários setores e aspectos da vida, será realizada nesta quinta-feira (21), às 10h, o próximo webinar, que vai tratar do seguinte tema: O impacto da Covid-19 na Educação Pernambucana.

O webinar desta semana terá a participação do professor e coordenador da ação, Alex Sandro Gomes (UFPE,APC,SBC, ABD); do reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Alfredo Macedo Gomes, do secretário Estadual de Educação, Frederico da Costa Amancio; e do presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de Pernambuco (SINEPE-PE), José Ricardo Diniz. Cada um dos palestrantes terá de 15 a 20 minutos para abordar sobre o assunto do webinar.

##RECOMENDA##

A transmissão do webinar será por meio da plataforma Zoom e poderá ser acessado aqui. De acordo com o organizador, o público é grande “mas certamente o conteúdo interessa mais aos professores e estudantes das universidades e ensino médio público e privado, pois os participantes convidados são gestores desses sistemas”.

LeiaJá também

--> MEC adia provas do Enem 2020

A Faculdade Pernambucana de Saúde abriu inscrições para o vestibular 2020.2, nesta segunda-feira (18), para preenchimento de vagas nos cursos de graduação em enfermagem, farmácia, fisioterapia, medicina, nutrição, odontologia e psicologia através da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

São oferecidos 360 vagas distribuídas entre os cursos de graduação, com inscrições até 18 de junho para medicina; demais cursos têm cadastro até 25 de junho. Inscrições para o processo seletivo podem ser realizadas através do site da instituição.

##RECOMENDA##

Estudantes poderão utilizar a nota do Enem de edições passadas, entre os anos 2017 e 2019. A nota de avaliação do Exame será utilizada como processo seletivo em substituição a prova objetiva e a prova de redação. Para mais informações basta acessar os editais com detalhes das oportunidades no site da FPS.

Na última sexta feira (15), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, deu entrevista à CNN para falar sobre o adiamento do Enem. Entre as declarações, o ministro falou que a prova não é feita “para corrigir injustiça social”.

O ministro disse, durante a entrevista, que o “o Enem não é feito para corrigir injustiça social”. “O Enem não é feito para corrigir injustiça social, é para selecionar as melhores pessoas, mais capacitadas para serem os futuros médicos, os futuros engenheiros, os futuros enfermeiros. E se nós ficarmos seis meses ou um ano sem fazer o Enem, a consequência será menos 45 mil médicos no Brasil, menos 60 mil engenheiros, menos 50 mil enfermeiros, essa é a consequência”, disse.

##RECOMENDA##

Weintraub afirmou que a maioria das pessoas que solicitaram isenção da taxa do Enem alegam possuir acesso à internet pelo celular. ”Você vê muito parlamentar de esquerda, muito líder estudantil de 35 anos, dizendo que 40% das pessoas no Brasil não tem acesso à internet. O número de acesso à internet das pessoas que conseguiram isenção para não pagar a taxa do Enem, e é autodeclaratório, são: 75% tem internet em casa e 98,6% tem internet no celular, então a realidade não é tão como o pessoal fala”.

Na entrevista, o ministro falou também sobre as inscrições para o Enem e a programação para a realização da prova, que considera o caso da contaminação pela Covid-19: “Estamos ainda recebendo as inscrições, elas seguem até o dia 22. Nós temos a programação para fazer as provas e estamos levando em consideração já a questão da contaminação pela Covid-19, sendo que essa contaminação pela Covid-19 vai ser um pouco mais cara à elaboração da prova porque a gente vai precisar espaçar mais as carteiras para atender às determinações de segurança da saúde, caso daqui até novembro não tenha vacina, não tenha passado a pandemia, a situação continue grave. Os cuidados com a doença vão estar presentes nas salas de aulas, no local que vai ser aplicada a prova, vai ter um maior espaçamento, então vai precisar de mais fiscais de sala para atender o mesmo número de pessoas. Isso vai ter um impacto de mais ou menos 80 milhões de reais. Então diante desse quadro todo, eu não vejo risco de saúde para realização do Enem”.

Abraham assegurou que existe a possibilidade de avaliar novamente a data para realização do Enem caso a situação da pandemia coronavírus não esteja mais tranquila. “Tenho apresentado para senadores e deputados que eu não estou intransigente, está cedo para a gente adiar, vamos esperar mais um, dois meses, em agosto, se tiver piorado a pandemia, se não tiver passado, se tiver tido um dano muito grande, a gente avalia e aí posterga com calma. Em agosto a gente pode retomar o assunto e a gente vê. Nesse momento eu considero precipitado, equivocado e, de certa forma, até desumano adiar o Enem”, disse.

O ministro declarou ainda que “hoje, nesse momento, você tem um monte de jovens em casa estudando pro Enem com a perspectiva de fazer o Enem em novembro. A hora que você tirar, vai gerar um desalento muito grande”.

LeiaJá também

--> Covid-19: Prefeitura de Natal abre seleção com 228 vagas

 

 

 

 

Na manhã deste sábado (16) o ministro da Educação, Abraham Weintraub, informou por meio de seu perfil no Twitter que o Enem Digital alcançou a marca de 100 mil inscrições.

O ministro informou que a marca foi alcançada na última sexta-feira (15). “Fechamos sexta-feira com todas as 100 mil vagas do Enem Digital preenchidas”, tuitou ele.

##RECOMENDA##

Weintraub disse ainda que o Enem tradicional já tinha recebido 3.167.421 inscrições, marca superior ao mesmo período do ano passado, que, segundo ele, foi de 3.040. 959 inscrições.

[@#video@#]

A atriz Heloísa Périssé está aproveitando a quarentena para explorar os seus conhecimentos educacionais. Em quarentena, ela retomou os estudos da faculdade. Entrevistada por Fátima Bernardes, nesta sexta-feira (15), Heloísa disse que está feliz. 

"Estou fazendo faculdade. Eu voltei. Estou amando estar de volta, ter contato de novo com texto de teatro, com uma turma super mais nova e que me ajuda muito na internet. Estou me sentindo renovada", explicou. Seguindo à risca as medidas de isolamento social, Heloísa Périsse contou também como está sua relação com a casa.

##RECOMENDA##

Lolô, como é conhecida carinhosamente pela classe artística, afirmou que está focada nas atividades domésticas. "Eu faço tudo. Estou tipo Cinderella real, estou amando, porque me descobri uma excelente cozinheira. Faço um feijão maravilhoso", declarou a humorista.

O  Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) reforçou, nesta sexta-feira (15), que as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não são automáticas para quem solicitou isenção da taxa de inscrição e teve o pedido aprovado. O interessado precisa se candidatar, pela Página do Participante, até o próximo dia 22 de maio.

Ainda de acordo com o Inep, quem teve o pedido de isenção aprovado termina a inscrição mais rápido, “porque já declarou vários dados requisitados pelo sistema do Enem”.

##RECOMENDA##

Durante o período de solicitação de isenção, o Inep registrou em torno de 3,4 milhões de pedidos em seu sistema. Neste momento, os interessados em realizar o exame precisam finalizar a inscrição e completar as informações, como língua estrangeira selecionada para a prova, se precisa de algum atendimento especializado e em qual cidade deseja fazer o Enem.

Quem tem direito à gratuidade da taxa de inscrição, por se encaixar nos perfis mencionados nos editais do Enem, terá a isenção de ofício, mediante a análise dos dados alegados no sistema de inscrição. A decisão foi tomada com o intuito de facilitar o processo para quem teve dificuldades em fazer o pedido de isenção, por conta das restrições impostas pelo isolamento social determinado para conter a disseminação da pandemia da Covid-19.

Neste ano, o sistema do Enem inseriu a identificação por meio da foto. De acordo com o Inep, “quem não anexou a foto ou quiser trocá-la na Página do Participante deve aproveitar o prazo aberto para recepção de inscrições, que vai até sexta-feira da semana que vem (22)”.

As pessoas que desejam fazer o Enem 2020 e que não se encaixam nos perfis de isentos tem que gerar o boleto no término da inscrição.  O valor da taxa de inscrição custa R$ 85 e deve ser pago até o dia 28 de maio.

Nos modelos impresso e digital do Enem, os candidatos farão provas de Linguagens, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e matemática, com 45 questões de múltipla escolha em cada campo do conhecimento. Além disso, também haverá uma redação de até 30 linhas.

As provas do Enem impresso serão aplicadas no dias 1º e 8 de novembro, enquanto o  projeto piloto do Enem Digital terá aplicação em 22 e 29 de novembro.

LeiaJá também

-> Mais de 3 milhões já estão inscritos no Enem 2020

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou a lei que permite a suspensão de pagamento de parcelas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) durante a pandemia da Covid-19. O texto foi publicado no Diário Oficial da União, nesta sexta-feira (15), junto com as alterações para beneficiários de auxílio emergencial. 

Pela lei, que está em vigor, poderão suspender o pagamento os graduandos ou formados que estiverem adimplentes, ou seja, em dia com as parcelas antes da vigência do estado de calamidade, decretado em 20 de março. 

##RECOMENDA##

De acordo com o texto, a suspensão será em duas parcelas para os contratos em fase de utilização ou carência e quatro parcelas para os contratos em fase de amortização, ou seja, em processo de negociação para redução de dívida por meio de pagamento parcial ou gradual acertado entre as partes. Posteriormente, na forma facultativa, os prazos podem ser prorrogados pelo governo.

LeiaJá também

---> Weintraub confirma problema na emissão de boletos do Enem

O Governo de Pernambuco decidiu antecipar o período de recesso escolar para os alunos da rede estadual, devido à suspensão das atividades presenciais nas unidades de ensino e buscando reduzir os impactos das medidas restritivas de circulação adotadas contra a Covid-19. O recesso será iniciado nesta sexta-feira (15) e se estenderá até o próximo dia 29 de maio, com retomada das atividades em 1º de junho.

Com o recesso, as aulas remotas e outras atividades a distância também ficam suspensas. De acordo com a Secretaria de Educação e Esportes do Estado, no período de recesso os alunos podem estudar a partir de conteúdos já produzidos até o momento, veiculados na TV e no YouTube.

##RECOMENDA##

LeiaJá também

--> 'Ficamos sem rumo': jovens sofrem sem adiamento do Enem

--> Coronavírus e a reabertura das escolas, um tema complexo

 

Com escolas fechadas por conta da pandemia de coronavírus (Covid-19) e diante da realidade de muitos alunos que não têm acesso à internet, Cleusa Regina, 60 anos, diretora da Escola Municipal Maria Martins Budal, em Garuva, Santa Catarina, resolveu entregar pessoalmente o material didático para que os alunos não fossem prejudicados, como publicou o site Razões para Acreditar.

A educadora disse ao portal que não medirá esforços para que todos tenham acesso ao conhecimento. Na manhã da última quinta-feira (7), ela visitou alunos que moram na Vila das Pedras, uma comunidade à beira da BR 101, uma região onde o sinal de internet é instável.

##RECOMENDA##

 

Desde que foi decretada a quarentena e todos passaram a ficar em casa – ou ao menos deveriam –, o que mais vemos nas redes sociais são pessoas reclamando de estarem presas, sem contato com outros, entediadas, sem nada para fazer. O trajeto quarto-sala-cozinha virou rotina repetida exaustivamente. Esse período de reclusão, no entanto, pode – e deve – ser usado para diversas atividades que antes, pela correria do dia a dia, não eram possíveis. Uma das principais, e talvez a mais importante, é o estudo.

A quarentena deixou todo mundo com bastante tempo livre e pouca coisa para ocupá-lo. Por que não, então, utilizar esse tempo para investir em si mesmo? Buscar o estudo como forma de enriquecimento da mente e desenvolvimento pessoal é uma ótima alternativa. Basta pesquisar rapidamente que se acha diversas instituições, empresas e profissionais que estão liberando gratuitamente, durante o período de isolamento, cursos online. O Instituto Êxito de Empreendedorismo, através do site www.institutoexito.com.br possuem diversos cursos gratuitos. A Amazon, por outro lado, também disponibilizou milhares de títulos para download gratuito. Há várias outras plataformas que estão abrindo seus conteúdos e materiais para ajudar quem está dentro de casa. Essas ações são, inclusive, muito benéficas aos micro e pequenos empreendedores, profissionais informais e aqueles que perderem o emprego durante essa crise, pois terão maneiras de buscarem uma qualificação e se desenvolver.

Sempre defendi e continuarei defendendo a educação como principal e melhor forma de mobilidade social. Conhecimento é a única coisa que não podem tirar de você, sendo assim seu maior bem, mesmo que intangível. Hoje, graças à tecnologia, é possível ter acesso a uma infinidade de conteúdos, aulas online ao vivo e gravadas, minicursos, palestras, enfim, tudo para quem quer investir em si próprio. Que tal começar a desenvolver uma nova habilidade ou talento? Já pensou em buscar uma nova área de atuação? Todo profissional precisa se capacitar sempre em seu mercado, para não ficar para trás.

O isolamento social pode ser desmotivador, entediante e até mesmo depressivo, mas tudo isso some se você canaliza suas energias na direção certa. Ocupar a mente exercitando-a é uma saída muito interessante. Pense que, lá na frente, quando essa situação passar, você vai ter dado largos passos no seu desenvolvimento pessoal e profissional e absorvido conhecimentos que lhe garantirão diferencial competitivo no mercado de trabalho, que, é bom lembrar, ficará mais complicado nos próximos meses. Dessa forma, prepare-se para enfrentar os desafios que estão por vir.

A diretora do centro de políticas públicas da FGV, Claudia Costin, diz que vê esforços das redes públicas do País para a educação a distância durante a pandemia, mas que as dificuldades são bem maiores do que nas escolas particulares. "Há uma complexidade tremenda de logística porque são milhões de alunos, há leis que não deixam as coisas muito ágeis", afirma Claudia.

De qualquer forma, ela complementa que as estratégias criadas pelas redes são para tentar diminuir a desigualdade, que vai aumentar de qualquer jeito. "As soluções não são para garantir a aprendizagem, são para mitigar danos", afirma Claudia.

##RECOMENDA##

O secretário municipal de Educação de São Paulo, Bruno Caetano, reconhece que o maior esforço deve ser feito na volta às aulas. "A gente sabe que o mais importante vai ser na hora em que pudermos receber as crianças de volta na escola, para recuperar o tempo perdido", diz. "É impossível substituir o ambiente de sala de aula", acrescenta.

Ele diz que a secretaria fez um mutirão para atualizar os endereços das famílias e poder enviar o material de estudo remoto. O que ainda não chegou às casas vai ser direcionado às escolas para ser buscado pelas famílias. Segundo a Prefeitura, foram impressos 1 milhão de livros e cerca de 780 mil já foram enviados pelos Correios.

O secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, afirma que, na volta às aulas, além do diagnóstico do que os alunos aprenderam, será preciso fazer "a maior busca ativa da história de São Paulo" para que não aumente muito a evasão. Sobre as críticas, diz que a plataforma do Estado está sendo aprimorada.

Mesmo planejando como será a volta às aulas, nenhum dos dois secretários tem previsão de quando isso vai acontecer. "Queremos voltar, estamos fazendo protocolos de aulas com revezamento de alunos, para não haver aglomeração, mas a data será ditada pela Saúde", afirma Rossieli. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A Faculdade de Administração e Direito (Fcap) e o campus de Arcoverde da Universidade de Pernambuco (UPE) promovem a I Mostra Científica online: extensão e pesquisa. O evento será realizado nos dias 17 e 18 de junho.

O encontro tem por objetivo divulgar os resultados parciais e finais de projetos de extensão e pesquisa, por meio do canal da Mostra Científica no YouTube. O evento também irá divulgar a publicação dos resumos nos arquivos, sem que alunos extensionistas e pesquisadores necessitem sair de casa para participar da Mostra.

##RECOMENDA##

O edital do evento pode ser acessado neste link e o formulário para inscrição e submissão por meio deste outro arquivo. Confira, abaixo, o cronograma da I Mostra Científica online:

Época de inscrição e submissão dos trabalhos: 11 de maio a 13 de junho

Divulgação da lista de aprovados: 15 de junho

Exibição dos pôsteres em vídeo: 17 e 18 de junho

Divulgação dos trabalhos premiados: 26 de junho

LeiaJá também

-> Pandemia: empresas oferecem mais de 100 vagas home office

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando