Tópicos | River Plate

Especulado em alguns clubes europeus, o técnico Marcelo Gallardo garantiu que não deixará o River Plate. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, o treinador afirmou que nunca teve dúvidas quanto à sua permanência e assegurou que estará na apresentação do time argentino para a pré-temporada.

"Nunca tive dúvidas sobre minha continuidade", garantiu Gallardo. "No dia 2 de janeiro vou estar aqui para começar a pré-temporada, que pode ser no Uruguai, em Buenos Aires ou no sul da Argentina. Não me interessa gerar nenhum tipo de incerteza", continuou.

##RECOMENDA##

Prestigiado no mercado pelo trabalho de sucesso à frente do River Plate, Gallardo passou a ter seu nome ligado a alguns times da Europa. O Everton, que recentemente demitiu o português Marco Silva, foi o último deles, de acordo com a imprensa inglesa. De acordo com a mídia espanhola, o Barcelona também sondou o técnico. Certo é que ao menos por enquanto, Muñeco, como é conhecido, não vai deixar o River.

"Meu desejo é continuar, disse hoje aos jogadores. Além de que em meu contrato, que termina em dezembro de 2021, não há cláusulas e temos uma relação muito cordial e afetiva com (o presidente) Rodolfo (D'Onofrio)", explicou Gallardo.

No cargo desde 2014, Gallardo foi protagonista do ressurgimento do River Plate ao resgatar um combalido time e o transformar em um dos mais temidos da América do Sul. Logo, se tornou o treinador mais vitorioso da história do clube, com sete títulos internacionais: duas Libertadores, uma Copa Sul-Americana, uma Copa Suruga e três Recopas.

Além disso, também venceu uma Supercopa Argentinas e duas Copas Argentinas, torneio este que ele pode vencer pela terceira vez, uma que o River joga a final nesta sexta-feira contra o Central Córdoba.

Falta a Gallardo o título do Campeonato Argentino, que o River não vence desde 2014. Talvez por isso queria ficar mais algum tempo na Argentina antes de se aventurar no futebol europeu.

Campeão da Copa Libertadores em 1981, o Flamengo finalmente conquistou seu bicampeonato do torneio continental. De forma dramática, o time brasileiro virou sobre o River Plate nos acréscimos do segundo tempo, com dois gols do atacante Gabriel, e venceu por 2 a 1 no Estádio Monumental de Lima, no Peru, neste sábado. O atacante colombiano Rafael Borré fez o gol do time argentino.

O jogo começou com protagonismo ofensivo do Flamengo, que tomou a iniciativa e marcou presença no campo adversário. O River, porém, manteve a linha de defesa sólida e resistiu à pressão nos minutos iniciais.

##RECOMENDA##

Bem na marcação e objetivo no contra-ataque, o time argentino foi traiçoeiro e surpreendeu aos 15 minutos: Nacho Fernández cruzou rasteiro da direita, Arão e Gerson não cortaram e Borré apareceu livre para bater o goleiro Diego Alves.

Depois do 1 a 0, o Flamengo seguiu com mais posse de bola, mas o River manteve a solidez defensiva e passou a levar mais perigo, criando boa chance com De La Cruz, que não concluiu.

Já o time brasileiro não conseguia ameaçar Armani, que via seus companheiros subirem a marcação. A partir dos 20 minutos, a partida ficou mais aberta, mas sem grandes chances, exceto perigoso chute de Palacios de fora da área.

No segundo tempo, o Flamengo voltou com mais iniciativa e mostrou potencial com chute de Gabriel, de fora da área, aos dois minutos. O River respondeu na mesma moeda, novamente com Palacios, sem sucesso.

Aos 11, o time brasileiro teve sua melhor chance. Na área, Bruno Henrique cruzou rasteiro e Arrascaeta furou, mas a zaga não conseguiu tirar. Na sequência, Gabriel chutou em cima de De La Cruz e, no rebote, Éverton Ribeiro parou em Armani.

Pouco depois, Gerson acusou dores e foi substituído por Diego. E o River voltou a assustar: aos 21, Suárez recebeu dentro da área, livre, e cruzou rasteiro. Marí se esticou todo para cortar o perigo. Logo após, chute perigoso de Fernández.

A partida seguiu tensa e o Flamengo voltou a ter uma boa oportunidade aos 30 minutos: Diego tocou para Gabriel, que rolou para Éverton Ribeiro cruzar em direção a Arrascaeta, que errou o voleio. No rebote, Diego isolou.

Nos minutos finais, o time brasileiro foi para o 'abafa' e levou perigo com Gabriel, que teve bom passe para Bruno Henrique interceptado. Corte providencial para o River. O time argentino, porém, sucumbiria logo na sequência.

Aos 43, Bruno Henrique achou Arrascaeta dentro da área. O uruguaio cruzou rasteiro e achou Gabriel livre. O atacante só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo das rede. E ele não parou por aí.

Três minutos depois, após lançamento, o camisa nove levou a melhor sobre o zagueiro Pinola e soltou a bomba de pé esquerdo para virar o jogo. Gabriel ainda seria expulso em confusão no fim da partida, mas isso não impediu o título dramático do Flamengo, campeão da Libertadores 38 anos depois.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 2 x 1 RIVER PLATE

FLAMENGO - Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Arão (Vitinho) e Gerson (Diego); Éverton Ribeiro, Arrascaeta e Bruno Henrique; Gabriel. Técnico: Jorge Jesus.

RIVER PLATE - Franco Armani; Montiel, Martínez Quarta, Pinola e Casco (Paulo Díaz); Enzo Pérez, Nacho Fernández (Julián Álvarez), Palacios e De La Cruz; Borre (Lucas Pratto) e Suárez. Técnico: Marcelo Gallardo.

GOLS - Borré, aos 14 minutos do primeiro tempo. Gabriel, aos 43 e aos 46 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Casco, Suárez e Pérez (River Plate); Marí e Rafinha (Flamengo).

CARTÕES VERMELHOS - Palacios (River) e Gabriel (Flamengo).

ÁRBITRO - Roberto Tobar (CHI/Fifa).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Monumental de Lima, no Peru.

Às vésperas da grande decisão da Copa Libertadores da América, ocorrida neste sábado (23), mais um ato de racismo no futebol foi registrado. Já em Lima, no Peru, um grupo de torcedores do Flamengo entoava cânticos exaltando o time, em um shopping na região de Miraflores, quando foram insultados por 'hinchas' do River Plate, que fizeram gestos em alusão a um macaco.

A massa rubro-negra vibrava no térreo do shopping Larcomar, enquanto os argentinos respondiam aos brasileiros com os insultos, em um pavimento acima. Em maior número, os flamenguistas foram até os representantes do River Plate para tirar satisfação.

##RECOMENDA##

A confusão iniciou em frente à agentes da polícia peruana, que apenas observavam e até demoraram para apaziguar os ânimos dos envolvidos. Mesmo após taxar os brasileiros de macacos - caso explícito de racismo - os argentinos foram liberados pelas autoridades, o que aumentou a insatisfação dos flamenguistas.   

Acompanhe

[@#video#@]

Infelizmente, não é a primeira vez neste ano que parte da torcida do River utiliza o preconceito para ofender adversários brasileiros. Após a derrota em casa por 1x0 diante do Athletico Paranaense, na primeira partida da Recopa Sul-Americana, o meia-atacante Nikão revelou que foi chamado de "negro horrível" e "macaco de merda" nas redes sociais.

No entanto, o esporte é maior que a discriminação e o futebol vai além do preconceito. Também circula um vídeo que mostra o 'confronto' entre as torcidas em uma rua de Lima. Frente à frente, brasileiros e argentinos trocam músicas de arquibancada, até que em determinado momento os grupos opostos se cumprimentam e se abraçam.

Confira 

[@#podcast#@]

Além da grande concentração de torcedores em Lima, no Peru, o Flamengo espera conseguir encher o Maracanã também na tarde deste sábado (23). O principal estádio do Rio de Janeiro terá shows e a transmissão ao vivo da final da Copa Libertadores contra o River Plate. Com valores entre R$ 30 e R$ 640, a chamada Final Fun Fest tem a previsão de receber até 50 mil pessoas.

Segundo dados da organização, até a tarde de quinta-feira já haviam sido vendido 30 mil ingressos. Os rubro-negros poderão entrar no estádio já a partir das 14 horas e desfrutar de shows antes do início da partida, marcada para as 17 horas. Atrações como Ludmilla, Buchecha, DJ Marlboro e Ivo Meirelles vão se apresentar no Maracanã antes do pontapé inicial.

##RECOMENDA##

Para transmitir a partida, o clube vai instalar no Maracanã 10 telões de LED de 60 metros quadrados cada um e mais 14 torres de som posicionadas ao redor do campo. Os torcedores vão ficar acomodados nas cadeiras para preservar o gramado. Além da opção de comprar apenas o ingresso, os flamenguistas podem optar por um pacote especial, que inclui comidas, doces e cerveja. Os ingressos estão à venda pela internet.

O estádio Mané Garrincha, em Brasília, terá evento com estrutura parecida para transmitir a partida. Na capital federal, as entradas custam de R$ 40 a R$ 240. Antes do jogo, quem vai se apresentar no estádio é o cantor Diogo Nogueira.

São Paulo também terá uma exibição especial da final da Libertadores. O Museu do Futebol, no estádio do Pacaembu, terá telão e uma lista de atrações ao longo do dia, com exibição de camisas de futebol e torneios de futmesa. O ingresso será de R$ 20. A Arena Pantanal, em Cuiabá, é outra cidade em que está prevista um evento do mesmo tipo para acolher os flamenguistas.

Após sofrer um infarto e realizar um cateterismo às presas, na manhã dessa quinta-feira (21), Galvão Bueno está consciente e apresenta um bom quadro clínico, garantem os médicos da Clínica Anglo-Americana. Ele já estava em Lima, no Peru, para narrar a decisão da Libertadores marcada para esse sábado (23).

Os profissionais pontuam que Galvão mostrava-se consciente e não foi necessária a colocação de stents no coração. Ele deve ficar em observação no Centro de Tratamento e Terapia Intensiva (CTI) da unidade de saúde entre 24 e 48 horas.

##RECOMENDA##

Para assumir o comando da transmissão da final entre Flamengo e River Plate, a TV Globo escalou Luis Roberto. Ele está familiarizado com os torcedores cariocas, pois é responsável por narrar os jogos das equipes do Rio de Janeiro.

Confira a nota divulgada pela emissora:

"Como divulgado mais cedo, nosso companheiro Galvão Bueno se sentiu mal hoje cedo, em Lima, no Peru, onde se encontrava para narrar a final da Copa Libertadores, no sábado. Galvão foi levado para a Clínica Anglo-Americana, acompanhado da mulher Desiree Galvão Bueno, e foi prontamente atendido. O hospital ainda não emitiu um boletim médico mas, em conversa privada com a esposa de Galvão e com a direção de Esporte da Globo, os médicos explicaram que Galvão entrou no hospital com um quadro de infarto e passou por um cateterismo. No procedimento, os médicos disseram que não havia obstrução nas artérias principais. E que, por esse motivo, não foi necessária a colocação de stents. Ele está bem, consciente e bem disposto. Deve ficar de 24 a 48h em observação no CTI. Todos nós torcemos por uma rápida recuperação. No próximo sábado, Luis Roberto será o narrador da final da Libertadores."

O Flamengo é favorito para a final da Copa Libertadores diante do River Plate, neste sábado, em Lima, no Peru, de acordo com as cinco principais casas de apostas presentes no mercado sul-americano. O clube brasileiro mantém a vantagem sobre o atual campeão da América nos palpites dos sites Sportsbet.io, 188bet, Bodog, BET365 e Sportingbet.

As apostas on-line representam um negócio relativamente novo no Brasil. As casas especializadas foram autorizadas no país em dezembro de 2018 com a Lei 13.756/2018. Ainda está pendente a regulamentação do setor, ou seja, o Ministério da Economia precisa determinar as regras para que as apostas sejam definitivamente liberadas. O prazo para a regulamentação é de dois anos, prorrogáveis por mais dois.

##RECOMENDA##

À espera da regulamentação definitiva, empresas estrangeiras de apostas se tornaram patrocinadoras importantes no futebol brasileiro. Hoje, 11 times da Série A do Campeonato Brasileiro já fecharam algum acordo com o setor de apostas. São eles: São Paulo, Flamengo, Fluminense, Atlético-MG, Bahia, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Fortaleza, Santos e Vasco.

Patrocinadora do Flamengo com um contrato de R$ 20 milhões por dois anos e meio, a casa Sportsbet.io decidiu oferecer um prêmio inédito para cada apostador em caso de título da Libertadores. O site vai pagar 11 vezes o valor investido no palpite a favor do time rubro-negro - o teto da aposta é R$ 10 por pessoa. Isso significa que, para cada real investido, a empresa vai pagar R$ 11. Na média de casas de apostas esportivas, a cotação para cada real apostado é de R$ 1,70 de retorno com o eventual título do Flamengo. A vitória do River Plate paga R$ 2,30.

A ação, aberta a todos os torcedores, inverte a lógica do mercado que oferece uma premiação menor quanto maior o favoritismo da equipe. "Esse contato com a torcida do Flamengo, de propor novas experiências e criar conteúdos para o torcedor, tem sido algo enriquecedor. A torcida é enorme e apaixonada, então conseguimos sentir um retorno quase que imediato", disse Justin Le Brocque, diretor de Marketing do Sportsbet.io.

Na quarta-feira, torcedores lotaram a porta do CT Ninho do Urubu, na zona oeste do Rio, e também as imediações do Aeroporto Internacional do Galeão, no embarque da equipe para Lima. Nesta sexta, os dois times treinam na capital peruana. O Flamengo enfrenta o River Plate na decisão da Libertadores neste sábado, às 17 horas (de Brasília), no estádio Monumental.

O lateral-esquerdo Filipe Luís, do Flamengo, afirmou nesta quinta-feira em Lima, no Peru, que o adversário do time carioca na final da Copa Libertadores neste sábado leva vantagem no confronto por estar mais ambientado a decisões de torneios sul-americanos. O experiente jogador de 34 anos disse que os argentinos do River Plate estão mais preparados para confronto desse tipo do que o Flamengo, que não chegava à final da competição continental desde 1981.

Em entrevista no centro de treinamentos da seleção peruana, o lateral do Flamengo explicou que em momentos decisivos como uma final de Libertadores quem tem experiência prévia é favorecido. "A única pequena vantagem que o River pode ter é estar acostumado com finais, jogos importantes, final de Libertadores", disse. O River Plate é o atual campeão da competição, além de ter vencido neste ano também a Recopa Sul-Americana.

##RECOMENDA##

Filipe Luís relembrou que enquanto defendeu o Atlético de Madrid, da Espanha, disputou as finais da Liga dos Campeões da Europa em 2014 e 2016. Nesta última ocasião, notou a diferença do quanto a experiência prévia tem peso. "Na segunda final individualmente foi melhor do que a primeira. Eu estava bem mais tranquilo. Tecnicamente, taticamente é um jogo diferente", afirmou.

O Flamengo realizou na manhã desta quinta-feira no Peru o primeiro treino na cidade sede da final da Libertadores. A comissão técnica tratou de forrar o campo de treino com lonas para evitar espionagens, assim como reforçou a segurança. Os jornalistas só puderam acompanhar os 15 primeiros minutos do trabalho. Na sequência, o elenco trabalhou por cerca de 1 hora e 30 minutos.

Após terem deixado o Rio de Janeiro na quarta-feira com grande festa na saída do CT e também no aeroporto, o elenco do Flamengo garante que não vai sentir um clima excessivo de euforia. "É um momento especial que a gente está vivendo. Vemos que a torcida está do nosso lado, é uma comunhão completa. Foi uma demonstração de carinho, mas pés no chão. Quero que essa festa fique para depois do jogo, e não antes", afirmou.

O elenco do Flamengo volta aos treinos na sexta-feira pela manhã, no último trabalho antes da decisão da Libertadores contra o River Plate. O trabalho também será no CT da seleção peruana. Horas depois, no fim da tarde, o time vai ao estádio da final, o Monumental, para fazer o reconhecimento do gramado.

Confiantes na conquista do título da Copa Libertadores na final que será realizada no próximo sábado (23), Flamengo e River Plate desembarcaram em Lima na noite desta quarta-feira (20). O time rubro-negro chegou à capital peruana depois de sair do Rio, no fim da tarde, apoiado por uma imensa festa de sua torcida, que começou pela manhã no CT do clube e se estendeu durante todo o trajeto do ônibus da equipe até o Aeroporto Internacional do Galeão.

Na chegada a Lima, os flamenguistas também tiveram uma recepção calorosa por parte de torcedores que já estavam no Peru e deram as boas-vindas aos atletas no desembarque no Aeroporto Internacional Jorge Chavez e também no caminho até o hotel onde a delegação do clube está hospedada.

##RECOMENDA##

Ao adentrar no hotel, o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, concedeu entrevista coletiva aos repórteres que o esperavam no local e disse que o time carioca está pronto para triunfar na decisão marcada para começar às 17 horas (de Brasília) de sábado, no Estádio Monumental de Lima.

"A Libertadores é o sonho de qualquer um, um sonho do atleta, um sonho do dirigente, um sonho do clube. E é o que eu falo, para você estar próximo sonho você tem que estar preparado. O Flamengo está preparado, está muito tranquilo. E agora vamos aguardar o que vai ter para gente no sábado. Eu acho que o Flamengo não poderia estar melhor preparado do que está. Se vai ganhar, perder ou empatar, é do jogo. Mas o que eu posso falar é que a gente chega muito confiante", afirmou o dirigente.

Já ao comentar a grande festa feita pelos torcedores antes do embarque da equipe no Rio, Braz exibiu satisfação com o forte apoio dos rubro-negros, mas exibiu euforia antecipada ao projetar a decisão.

"O Flamengo já tinha tido algumas experiências com saídas (do time) do Ninho (do Urubu), mas quando a gente começou a ver o tamanho da torcida lá do lado de fora, é que a gente ficou entendendo o que estava acontecendo na cidade. Os jogadores estão felizes, estão aproveitando o momento. Eles estão muito concentrados, tranquilos e bem treinados. É um jogo de futebol e tudo pode acontecer, mas espero que aconteça o melhor para a gente", completou.

Já pelo lado do River Plate, que antes de chegar ao Peru teve um embarque com uma festa tímida de seus torcedores em Buenos Aires, o clima de confiança também esteve presente na chegada à capital peruana. Atual campeão continental, o time passou pelo Boca Juniors nas semifinais desta Libertadores, depois de também ter superado o arquirrival na decisão do ano passado, que foi definida em Madri, na Espanha.

"Todas as finais são difíceis, com o Boca foi difícil e esta também vai ser. Esperemos conseguir um bom resultado", afirmou o volante Nacho Fernández, no hotel em que a equipe argentina se hospedou. "Chegamos bem, com confiança. Estamos jogando bem, será uma partida decisiva. A ideia é buscar o gol e controlar o jogo. Depois veremos o que vai acontecer", reforçou o jogador.

Os jogadores do Flamengo ganharam uma festa de despedida em grande estilo nesta quarta-feira antes da viagem para Lima, no Peru, onde neste sábado (23) o time disputa a final da Copa Libertadores contra o River Plate. Torcedores lotaram a porta do CT Ninho do Urubu, na zona oeste do Rio de Janeiro, onde o técnico português Jorge Jesus comandou o último treino antes da viagem.

O clima é de festa, com muitas bandeiras, fogos de artifício e a torcida entoando sem descanso o hino do clube e outros hits da arquibancada do Maracanã. Uma aglomeração se formou na porta do CT, tornando difícil a movimentação no local. Personagens como Mickey, Batman, um "Gabigolzinho" e um sósia do técnico do Flamengo se destacavam na multidão de torcedores.

##RECOMENDA##

"Cheguei aqui às 8h30 e vou seguir até o Galeão. Essa placa tá comigo desde o primeiro jogo. Meu objetivo é fazer homenagem ao Jesus. É carreira solo: Jesus e eu. Minha expectativa é que o Flamengo vai ter um jogo muito duro, mas vai ganhar", disse o bancário aposentado João Roberto, de 64 anos, que encarna o técnico e carrega o cartaz com os dizeres "Hoje tem Jesus no controle".

Já conhecido da torcida como "Gabigolzinho", por se fantasiar com o cabelo e a barba do craque, o pequeno Emerson Rebello, de 5 anos, acompanhava a festa nos ombros do pai, Wallace Rebello. Vestindo a camisa que ganhou de presente do atacante, o menino fez com as mãos um 4 a 0 quando questionado sobre seu palpite para a final.

Rubro-negra fanática, Flávia Banca conseguiu arrastar o marido botafoguense com ela e os dois filhos, Yasmin e Yago, de 16 e 10 anos, respectivamente, para o Ninho do Urubu. "Trouxe ele pra ver se convenço a virar flamenguista de uma vez. Vai ser 3 a 0: Gabigol, Arrascaeta e Bruno Henrique", arriscou.

Com o escudo do Flamengo tatuado no peito, o torcedor Carlos Felipe contou que queria ir ao jogo, em Lima, mas não conseguiu ingresso. Funcionário de uma siderúrgica, ele disse que não se importa nem um pouco em passar o feriado na porta do CT do clube. "Mengão é paixão. Se estivesse trabalhando 'desenrolava' uma folga", brincou.

Integrante da torcida organizada Fla Manguaça, Leonardo Barbosa, de 27 anos, empunhava com empolgação uma bandeira do Flamengo, mas lamentou não assistir à partida in loco. "Acompanhei todos os jogos, fui até a Bolívia (na partida contra o Bolívar). A gente já tinha fechado três ônibus para Santiago, mas com a mudança da partida pra Lima ficou difícil", contou.

Viaturas e motocicletas da Polícia Militar estão a postos para fazer a escolta dos ônibus que vão levar o time e a equipe técnica até o Aeroporto Internacional do Galeão, saindo do Ninho do Urubu no início da tarde. Parte da torcida pretende seguir os jogadores até lá, mas o embarque será realizado pelo terminal de cargas, sem passagem dos atletas pelo saguão.

O treino pela manhã contou com a equipe completa, sem desfalques. A imprensa pode acompanhar apenas o aquecimento, por cerca de 10 minutos.

A Conmebol anunciou, nesta sexta-feira, uma série de proibições impostas aos torcedores que irão ao estádio Monumental de Lima, no Peru, para assistir à final da Copa Libertadores, entre Flamengo e River Plate no próximo sábado, dia 23. Entre as restrições, estarão boné, óculos de sol e pessoas com aparência de embriaguez.

De acordo com texto divulgado pela entidade, não será permitido o acesso ao estádio não só de bebidas alcoólicas, estupefacientes, substâncias psicotrópicas, estimulantes ou substâncias similares como de "pessoas em evidente estado de embriaguez ou com alteração de consciência" devido ao efeito dessas substâncias listadas.

##RECOMENDA##

Para realizar este tipo de controle, torcedores que sejam abordados com esses sinais de alteração serão submetidos um teste de alcoolemia, que, com um bafômetro semelhante ao utilizado em blitze brasileiras de trânsito, medirá a concentração de álcool na corrente sanguínea. Em caso de resultado positivo, o torcedor não poderá ingressar na praça esportiva.

De acordo com a Conmebol, as restrições seguem a Lei 30.037 do governo peruano, que "previne e sanciona a violência nos espetáculos esportivos" daquele país. A norma proíbe ainda que pessoas usem acessórios que dificultem a identificação dentro do estádio, tais como bonés e óculos escuros. Outros acessórios de vestuário vedados são correntes e cintos.

Por outro lado, será permitida a entrada com papel picado, bandeiras com dimensões de até dois metros por um, e balões, desde que sejam inflados com expiração pulmonar.

O chileno Roberto Tobar, que apitou a final da última Copa América, na qual o Brasil ficou com o título ao vencer o Peru por 3 a 1, no Maracanã, foi anunciado nesta terça-feira pela Conmebol como o árbitro da decisão da Copa Libertadores, no próximo dia 23, em Lima, no Peru, onde Flamengo e River Plate lutarão pela taça.

Com 41 anos de idade, Tobar é considerado o juiz de futebol mais renomado do Chile e pertence ao quadro da Fifa desde 2011. E ele conduzirá a arbitragem do esperado confronto entre o time carioca e a equipe argentina auxiliado pelos seus compatriotas Claudio Rios e Christian Schiemann, que serão os bandeirinhas do duelo.

##RECOMENDA##

Foi exatamente este mesmo trio de arbitragem que trabalhou na final entre Brasil e Peru, no dia 7 de julho deste ano, quando o juiz principal do duelo chegou a expulsar Gabriel Jesus e marcou duas penalidades que só foram confirmadas após consulta ao VAR. Naquela ocasião, o atacante da seleção brasileira, nervoso em campo e que já tinha cartão amarelo, recebeu o vermelho por uma falta no peruano Tapia.

Já nos lances nos quais consultou a arbitragem de vídeo, Tobar primeiro assinalou um pênalti após um toque de mão na bola do zagueiro Thiago Silva, que resultou na cobrança que Guerrero converteu e então empatou a partida na etapa inicial. Nos minutos derradeiros do segundo tempo da decisão, o chileno marcou uma penalidade cometida em Everton, com a qual Richarlison definiu o placar final de 3 a 1.

Formado em Engenharia da Computação, Tobar também apitou o confronto entre Brasil e Paraguai na última Copa América, válido pelas quartas de final, e ainda foi o juiz principal do jogo no qual a Colômbia bateu a Argentina por 2 a 0 na estreia das duas seleções nesta competição realizada em solo nacional.

Experiente como árbitro de partidas da Libertadores, o chileno também já trabalhou em torneio organizados pela Fifa, como o Mundial Sub-17. Entretanto, ele também se envolveu em episódios polêmicos nos últimos anos. No principal interclubes da América do Sul e no Campeonato Chileno, por exemplo, chegou a ser acusado de ameaçar agredir jogadores. Para completar, em 2012 viveu a maior crise da sua carreira ao ser afastado por oito meses pelo envolvimento no chamado "Clube do Pôquer", esquema em que os árbitros chilenos decidiam por meio de um jogo de cartas quem apitaria as partidas dos campeonatos locais.

A Conmebol também confirmou nesta terça-feira que o colombiano Andres Rojas será o quarto árbitro da final entre Flamengo e River Plate e que o peruano Diego Haro foi escolhido como principal responsável pela arbitragem de vídeo. Os outros nomes escalados para trabalhar no VAR durante a decisão são o colombiano Alexander Guzman e o uruguaio Esteban Ostojich. Carlos Astroza, do Chile, foi confirmado como observador do VAR.

Vale lembrar que um trio de arbitragem do Chile conduzirá dentro de campo a decisão desta Libertadores depois que a mesma foi transferida de Santiago para Lima porque a onda de protestos e a situação política complicada no país inviabilizaram a realização do confronto na capital chilena.

O zagueiro Joel Carli ainda não se recuperou da derrota no clássico para o Flamengo. Um dia depois da derrota sofrida no clássico com um gol aos 44 minutos do segundo tempo, no estádio do Engenhão, no Rio de janeiro, o argentino revelou que, apesar de ser torcedor do Boca Juniors, vai torcer contra o Flamengo na final da Copa Libertadores, no próximo dia 23, em Lima. O adversário do rival rubro-negro é o River Plate, arquirrival do Boca.

"Olha, estou há quatro anos no Brasil e o Botafogo tem uma rivalidade muito grande com o Flamengo. Não vou dizer que vou torcer pelo River porque meus amigos na Argentina me matariam, mas não quero que o Flamengo ganhe nada", disse o defensor botafoguense, em entrevista ao programa Estudio Fútbol, do canal argentino TyC Sports.

##RECOMENDA##

Durante o clássico, Joel Carli foi um dos jogadores mais exaltados durante os 90 minutos. O zagueiro travou uma "guerra" com o atacante flamenguista Bruno Henrique e por várias vezes tentou intimidá-lo com faltas, empurrões e gritos.

O defensor também reclamou muito da arbitragem do gaúcho Leandro Pedro Vuaden, além de discutir ao final do jogo com o técnico Jorge Jesus, do Flamengo. O botafoguense precisou ser seguro por companheiros para não chegar às vias de fato com o treinador português, que teria tripudiado depois da vitória.

Capitão do Botafogo, equipe na qual atua desde 2016, Joel Carli tem 33 anos, mede 1,91 metro e disputou 145 jogos pela equipe alvinegra, com seis gols marcados.

Depois que a Conmebol definiu a mudança da sede da final em jogo único da Copa Libertadores entre Flamengo e River Plate de Santiago, no Chile, para Lima, no Peru, a questão da segurança é uma das que mais ganhou importância. Nesta sexta-feira, a pouco mais de 15 dias para o duelo - será no próximo dia 23, no estádio Monumental -, a polícia peruana revelou que pedirá ajuda a colegas do Brasil e da Argentina para obter informações sobre torcedores dos dois clubes finalistas, especialmente os organizados.

O coronel Percy Tenorio, chefe da unidade de serviços especiais da Polícia e designado como gerente de segurança da final da Libertadores, afirmou que "trabalhará com a Polícia Federal da Argentina e com a do

##RECOMENDA##

Brasil para que nos permita saber quem está vindo (para Lima)".

Tenorio acrescentou que, devido ao violento cenário dos torcedores organizados (barra bravas na Argentina)das duas equipes, entre as mais numerosas do continente, a polícia utilizará um maior número de agentes do que costumam usar para monitorar as partidas do futebol local. "Teremos que usar a equipe de reserva ou outras unidades administrativas para nos apoiar no serviço", disse, sem divulgar o número de agentes que pode ser empregado no dia.

A violência de torcedores não é estranha no futebol peruano. Na última quarta-feira, torcedores dos clubes locais Alianza Lima e Universitario brigaram em região periférica de Lima e o saldo foi de duas mortos e quatro feridos. Confusão entre torcidas locais são frequentes em áreas humildes que não contam com a presença policial.

Esta é a segunda vez consecutiva que a partida decisiva da Libertadores é mudada de local. A primeira foi justamente por conta da violência. No ano passado, o jogo de volta da final, entre River Plate e Boca Juniors, teve que ser jogado em Madri, na Espanha, depois que torcedores do River atacaram o ônibus em que estava a delegação do Boca na chegada ao estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires.

No lado do Flamengo, torcedores se envolveram em confusão com fanáticos do Peñarol, do Uruguai, em março passado, nas ruas da zona sul do Rio de Janeiro antes da partida entre os clubes pela fase de grupos da Libertadores. Havia promessa de retaliação em Montevidéu, três semanas depois, mas a ameaça não se concretizou.

Outra preocupação da polícia peruana é que o dia da final da Libertadores coincidirá com outros cinco eventos musicais que concentrarão um grande número de pessoas em outros estádios de Lima.

A cantora brasileira Anitta irá fazer o show de abertura da decisão da Copa Libertadores da América, em Lima. A final que mudou de Santigo no Chile, para capital peruana, por conta da onda de protestos no país, acontece no dia 23 de novembro.

Essa será a primeira vez que o Estádio Monumental de Lima recebe uma final de torneio internacional. Já Anitta realiza seu terceiro show em um estádio. Em 2016 a cantora participou dos Jogos Olímpicos do Rio e, em 2019, da Copa América.

##RECOMENDA##

A final estava marcada inicialmente para ser realizada em Santiago, capital do Chile. Porém a onda de protestos contra o governo de Sebástian Piñera impossibilitou a realização do show e da decisão no país. A Conmebol então mudou o local para dia 23 em Lima, no Peru.

LeiaJá também

--> Arrascaeta sofre entorse no joelho e desfalca Flamengo

--> CBF antecipa Flamengo x Vasco por causa da Libertadores

O presidente da Conmebol, o paraguaio Alejandro Domínguez, justificou na noite de terça-feira (5) a decisão da entidade de levar a final da Copa Libertadores, entre Flamengo e River Plate, no próximo dia 23, às 17h (de Brasília), de Santiago para Lima e explicou a complexidade da reunião entre as partes envolvidas.

"Houve consenso, mas não foi rápido. Vínhamos trabalhando a respeito de uma cidade havia mais de um ano e agora tivemos que encontrar a opção mais viável", declarou o dirigente em entrevista coletiva após o encontro na sede da Conmebol, em Luque, no Paraguai.

##RECOMENDA##

A definição de levar o jogo para o estádio Monumental de Lima, no Peru, foi feita em encontro de mais de seis horas de duração entre representantes dos dois clubes envolvidos, da CBF, das confederações de Argentina e Chile e de Domínguez. Todos eles também estiveram presentes na entrevista coletiva.

O dirigente disse que a decisão foi tomada depois de uma conversa com a ministra de Esporte do Chile, Cecilia Pérez, e de ter analisado a crise política que passa o país "em 360 graus". "A alternativa mais viável para todos, e tendo as garantias do governo peruano, é que o jogo seja realizado em Lima", afirmou. Curiosamente, o país também viveu problemas políticos nos últimos meses.

INGRESSOS - O presidente da Conmebol anunciou que devolverá o dinheiro dos ingressos dos torcedores que haviam comprado bilhetes para ver o jogo no Chile. Eles também terão preferência caso queiram entradas para a partida no Peru. Por outro lado, o cartola paraguaio não explicou se será possível reaver o valor das passagens aéreas compradas para Santiago, mas prometeu conversar com as empresas aéreas.

O presidente da Conmebol esclareceu que a decisão foi tomada devido às trocas no governo peruano e na presidência da federação de futebol do país, mas fez questão de dizer que todos esses temas estão superados. "O problema tinha a ver com a falta de autoridades com quem levá-lo adiante e atualmente está completamente restabelecido", revelou.

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou no início da noite desta terça (5) que a final da Copa Libertadores de 2019, entre Flamengo (Brasil) e River Plate (Argentina), será realizada em Lima (Peru) no dia 23 de novembro.

O anúncio foi feito após a realização de uma reunião da entidade com representantes da equipe brasileira, do clube argentino, da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e da Associação de Futebol Argentino (AFA).

##RECOMENDA##

Protesto no Chile

Esta decisão foi tomada após os protestos que tomaram conta do Chile nas últimas duas semanas e que já deixaram 18 mortos e milhares de pessoas detidas.

Antes da mudança de sede da final da Libertadores, o presidente do Chile, Sebastián Piñera, já havia anunciado o cancelamento da realização de duas cúpulas internacionais: a Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec) e a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2019 (COP25).

A Conmebol anunciou nesta segunda-feira que vai promover uma reunião entre os presidentes do Flamengo e do River Plate nesta terça para discutir os preparativos para a grande final da Copa Libertadores, marcada para o dia 23 deste mês, em Santiago, no Chile. O principal tema da conversa será a crise social e política por qual passa o país vizinho.

O encontro será fechado e vai contar também com representantes da CBF e da federações de futebol da Argentina e do Chile. "A Conmebol convidou os presidentes dos clubes finalistas da Libertadores e os presidentes das associações da Argentina, Brasil e Chile para uma reunião neste dia 5, com o objetivo de revisar todos os aspectos da organização da final", anunciou a entidade, em suas redes sociais.

##RECOMENDA##

A definição da final em Santiago passou a ser questionado extraoficialmente nas últimas semanas em razão dos seguidos protestos promovidos pelos chilenos contra o governo do presidente Sebastián Piñera. As manifestações em quase duas semanas já deixaram 20 mortos e forçaram o governo a cancelar o Foro de Cooperação Ásia Pacífico (APEC) e a Conferência do Clima (COP-25). Os dois grandes eventos estavam agendados para este mês e para dezembro.

Apesar disso, o governo chileno vem mantendo firme sua posição de receber a primeira final disputada em jogo único na Libertadores. Recentemente, a ministra dos Esportes, Cecilia Pérez, reiterou em declaração ao presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, a "firme vontade e o compromisso" do governo em apoiar a realização da partida em Santiago.

O River Plate, atual campeão, busca o bicampeonato da Libertadores, após conquistar o título da edição passada em final disputada em Madri, no estádio Santiago Bernabéu, do Real Madrid.

A ministra de Esportes do Chile, Cecilia Pérez, afirmou na tarde desta quarta-feira que a final da Copa Libertadores da América entre Flamengo e River Plate, marcada para o dia 23 de novembro em Santiago, às 17h30 (de Brasília), um sábado, será mantida para ocorrer no Estádio Nacional da capital chilena.

"Vamos trabalhar com o Ministério do Interior para levar adiante este evento. Eu tenho o compromisso do presidente (do Chile, Sebastian Piñera) de que o jogo será realizado", afirmou Cecilia, em entrevista coletiva.

##RECOMENDA##

Horas antes do anúncio da ministra, Piñera havia desistido de receber duas importantes cúpulas internacionais que ocorreriam este ano no país. Uma delas seria a reunião da Cooperação Econômica Ásia Pacífico (Apec), que reuniria líderes mundiais nos dias 16 e 17 de novembro.

O outro encontro era a Conferência do Clima da ONU, a COP25, inicialmente prevista para acontecer no Brasil. Depois da negativa do presidente Jair Bolsonaro em abrigar o evento, ele havia sido remarcado para Santiago, onde foi agendado para ocorrer entre os dias 2 e 13 de dezembro.

Porém, a ministra de Esportes do Chile afirmou nesta quarta-feira que a final da Libertadores não tem relação com as cúpulas com líderes mundiais, por se tratar de um evento esportivo "que une a todos".

Ao justificar as desistências de receber a Apec e a COP25, Piñera atribuiu a medida "às difíceis circunstâncias que tem vivido nosso país e considerando que nossa primeira preocupação e prioridade como governo é se concentrar absolutamente em, primeiro, restabelecer plenamente a ordem pública, a segurança cidadã e a paz social". Ele acrescentou ainda que a decisão havia causado "muita dor".

Piñera enfrenta uma série de manifestações que começaram como uma reação ao aumento da tarifa no metrô e ampliaram suas reivindicações. Nesta quarta-feira, uma nova marcha deve parar o centro de Santiago. Desta vez, o foco principal é o preço dos pedágios na região metropolitana.

Antes do anúncio feito pela ministra chilena, a Conmebol já havia assegurado na última terça-feira que não havia planos para mudar o palco da final da Libertadores. Na ocasião, a entidade também confirmou que tinha agendada uma audiência entre representantes do órgão com o presidente do Chile, alegando que a mesma serviria apenas para cuidar dos preparativos para a realização da decisão no Estádio Nacional de Santiago.

E nesta quarta-feira a ministra de Esportes do Chile destacou: "Recebi a ligação do presidente da Conmebol (Alejandro Domínguez) e ratifiquei em nome do presidente Sebastián Piñera nossa firme vontade e compromisso de fazer a final da Copa Libertadores em nosso país".

A convulsão social do Chile já provocou 20 mortes durante os protestos contra o governo de Piñera, iniciados no último dia 18 de outubro, mas a Conmebol confia que a decisão do dia 23 de novembro será realizada com sucesso e sem incidentes de violência no estádio com capacidade para abrigar 49 mil torcedores.

"Desde a Conmebol agradecemos o compromisso demonstrado pelo governo do Chile para garantir as condições de segurança para celebração da final única da Conmebol @LibertadoresBR 2019. A final é a celebração do futebol com e para o povo chileno. Seguimos avançando!", publicou a entidade, por meio de publicação em sua página no Twitter, pouco depois do anúncio feito pela ministra de Esportes do Chile.

A Conmebol anunciou nesta quinta-feira (25) que Flamengo e River Plate terão um total de 25 mil ingressos para seus torcedores, sendo 12.500 para cada clube, para a decisão da Copa Libertadores, dia 23 de novembro, em Santiago, no Chile. Os clubes deverão fornecer senha aos seus torcedores e as vendas começam no dia 30 de outubro.

Caberá a cada clube estabelecer as condições para emitir as senhas personalizadas para a compra de ingressos. A venda das entradas será feita por meio do site https://www.copalibertadores.com/ingressos.

##RECOMENDA##

Antes, a Conmebol havia divulgado por meio do site da Libertadores que colocaria à disposição dos clubes finalistas a venda de ingressos a partir desta sexta-feira, dia 25. Nesta quinta-feira, no entanto, veio o anúncio de uma nova data, dia 30 de outubro. A cada finalista será destinado um setor exclusivo do estádio Nacional de Santiago.

Nesta quinta-feira, a Conmebol também garantiu que a final da Libertadores não sairá de Santiago. O Chile atravessa momento político conturbado em meio a violentos protestos e saques em várias partes do país, com 18 mortes confirmadas até o momento.

A final será jogada em partida única pela primeira vez desde a criação da Libertadores, em 1960. O campeão da Libertadores receberá premiação de US$ 12 milhões (cerca de R$ 48,4 milhões), enquanto o vice levará US$ 6 milhões (R$ 24,2 milhões).

No dia 26 de junho de 2011, quando o River Plate empatou por 1 a 1 com o Belgrano no Monumental de Núñez e foi rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Argentino, um torcedor de 23 anos tentou se matar cortando as próprias veias, tamanho era o desespero do fanático fã com a queda inédita do tradicional clube na competição. Oito anos depois, o "Más Grande", como se autointitula o time argentino, vive um dos períodos mais vencedores de sua história. O torcedor que havia tentado suicídio sobreviveu e agora vai acompanhar a busca por mais um título da Libertadores.

O River Plate chega à sua terceira decisão continental desde 2015. É o time que mais chegou às finais nos últimos cinco anos. Será a sétima vez que a equipe jogará a decisão da principal competição continental em sua história, a segunda vez diante de um brasileiro. Na primeira ocasião, o clube argentino acabou sendo derrotado pelo Cruzeiro, em 1976.

##RECOMENDA##

A reconstrução desde o rebaixamento, o episódio que tentou o torcedor à tentativa de suicídio, está diretamente ligada à gestão do presidente Rodolfo D’Onofrio, que assumiu o clube no fim de 2013. O dirigente não tentou "reinventar a roda", mas adotou uma política austera gastando menos do que arrecadava. Ele tomou medidas como a profissionalização da gestão, renegociações de dívidas, o lançamento do programa de sócio-torcedor "Tu lugar en el Monumental" (Seu Lugar no Monumental, em português), com descontos anuais para os sócios, o desenvolvimento da comercialização de ingressos e pacotes, além de um mecanismo de indexação para as cotas dos afiliados.

O faturamento praticamente dobrou em cinco anos. A gestão de D'Onofrio também investiu no pagamento das dívidas. Em 2014, por exemplo, os débitos do clube estavam em 600 milhões de pesos (cerca de R$ 111 milhões na cotação atual).

Hoje, as principais fontes de receita do River são as seguintes: bilheteria e arrecadação em dias de jogos (30%), programas de sócios (30%) e patrocínios (mais de 20%). Mais abaixo estão os direitos de transmissão em TV e bônus de competições (aproximadamente 10%). A venda de atletas também é um ponto considerável, embora variável. Recentemente, o River faturou cerca de 41,7 milhões de euros com a negociação de atletas. As principais vendas foram de Lucas Alario para o Bayer Leverkusen, da Alemanha, por 24 milhões de euros, e Sebastián Driussi para o Zenit, da Rússia, por 15 milhões de euros.

Depois de quatro anos, o clube voltou a justificar o apelido de "Millonario". O time foi quem mais investiu em contratações entre todos das Américas no ano passado. Foram € 32,29 milhões - o equivalente a quase R$ 128,5 milhões. O principal reforço foi o atacante Lucas Pratto, comprado ao São Paulo por 11,5 milhões de euros. Como comparação, o clube brasileiro que mais gastou no mesmo período foi o São Paulo, com 15,79 milhões da mesma moeda europeia (algo em torno de R$ 59,6 milhões).

A recuperação econômica deu suporte para a construção de um time forte e competitivo, gerido por um treinador acima da média. Marcelo Gallardo é visto com fundamental na reconstrução do River. Desde que chegou, em junho de 2014, o Muñeco, como é conhecido, elevou o patamar da equipe. Pegou o mesmo elenco da época da segunda divisão e maximizou o potencial dos jogadores. Com ele no comando, os Millonarios conquistaram a Copa Sul-Americana e a Recopa do continente, assim como ficaram em segundo lugar no Campeonato Argentino no começo de sua trajetória.

O treinador mais vitorioso da história do River Plate vai disputar a 14ª decisão desde que assumiu a equipe. A média é de três finais por temporada. Das 13 finais disputadas neste ciclo, o time de Gallardo venceu 10. Os três raros momentos em que o técnico de 43 anos não ficou com o título foram nas finais da Supercopa da Argentina 2014 (Huracán venceu por 1 a 0), do Mundial de Clubes de 2015 (vitória do Barcelona por 3 a 0) e da Supercopa da Argentina de 2017 (3 a 0 para o Lanús).

"Sinto uma felicidade enorme pelos jogadores e por nossos torcedores, que devem estar muito felizes e contentes. O River vai jogar outra final de Libertadores depois de eliminar mais uma vez o Boca. A felicidade não cabe no meu corpo", disse o comandante.

O sucesso do técnico está fundamentado no convencimento dos atletas da ideia de jogo, baseando na posse de bola, intensidade e ofensividade. Além disso, Gallardo se apoia em sua própria história. Ele foi um dos grandes jogadores da história do clube e passou a ser considerado por muitos torcedores o maior treinador da história do River.

Gallardo mostra uma sinceridade incomum ao afirmar que o ápice de suas conquistas já passou. Para o comandante, o maior momento foi a conquista da Libertadores no ano passado, quando a final foi disputada em Madri depois de incidentes de violência no jogo de volta da decisão em Buenos Aires - o ônibus do Boca Juniors foi apedrejado na chegada ao estádio do River.

"A partida da minha vida eu já joguei, foi a final em Madri - disse ele na segunda-feira, véspera do Superclássico. Essa é uma partida muito importante, um grande desafio. Mas nada mais do que isso", concluiu.

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando