Tópicos | ano novo

O custo dos danos causados pelo terremoto no Ano Novo, que matou ao menos 236 pessoas no centro do Japão, pode chegar a 17,6 bilhões de dólares (86,6 bilhões de reais na cotação atual), disse nesta sexta-feira um funcionário do governo japonês.

O terremoto de magnitude 7,5 e suas réplicas devastaram grandes áreas da província de Ishikawa, na costa do Mar do Japão, destruindo edifícios, estradas e causando grandes incêndios.

##RECOMENDA##

Segundo uma estimativa do governo, os danos em Ishikawa e em duas outras regiões vizinhas podem custar entre 1,1 bilhão e 2,6 bilhões de ienes (7,4 bilhões de dólares a 17,6 bilhões de dólares), confirmou o funcionário.

Estes números ficam muito abaixo dos 16,9 bilhões de ienes de danos causados pelo terramoto e tsunami de 2011 no nordeste do Japão, que matou 18.500 pessoas e causou um desastre nuclear na central de Fukushima.

As autoridades revelaram na quinta-feira os detalhes dos planos de reconstrução de Ishikawa, onde a neve e os danos na rede rodoviária complicaram as tarefas de resgate e assistência.

Embora o país esteja habituado a terremotos e tenha regulamentos de construção rigorosos, algumas zonas rurais, como as afetadas por este terremoto, têm estruturas mais antigas e desprotegidas.

Dezenas de pessoas se atiraram, nesta segunda-feira (1º), nas águas geladas do porto de Boston como parte de uma tradição de 120 anos na cidade e que é celebrada com um mergulho polar no dia de Ano Novo.

Desafiando temperaturas da água de cerca de seis graus Celsius e do ar apenas acima do congelamento, os nadadores mergulharam ao som de gaitas. Do lado de fora, os presentes exibiam fotos dos entes queridos que perderam no ano passado e que participaram de edições anteriores do festival.

##RECOMENDA##

Alguns dos participantes usaram máscaras de hóquei ou camisetas de seus times favoritos, enquanto outros usaram acessórios festivos, como a roupa vermelha do Papai Noel. Até mesmo uma família se vestiu de abelha para homenagear o pai falecido.

"Ao começar o Ano Novo desta forma, sinto que renasço ao sair da água. De verdade. Quero dizer, estou congelando, mas me sinto realmente bem", disse à AFP Ruth Tannert, de 65 nos, vinda de Roslindale, Massachusetts.

"Tenho esta como uma forma de dar o pontapé inicial ao ano novo. Não penso em nenhuma outra forma", acrescentou.

Nos Estados Unidos há vários destes clubes de natação em águas geladas, mas o chamado L Street Brownies de Boston diz ser um dos mais antigos, com uma tradição que remonta a 1904.

Arthur Aguiar e Jheny Santucci reatam após Réveillon juntos. O casal, que estava separado há três meses, espera o primeiro filho, que se chamará Gabriel. O ator publicou um registro ao lado da influenciadora no story do Instagram, na madrugada desta segunda-feira (1). Na gravação, o ex-BBB aparece abraçado com Jheny, enquanto trocam beijos e carícias. "Nosso início", escreveu na legenda.

##RECOMENDA##

Jheny Santucci e Arthur Aguiar via story do Instagram. Foto: Reprodução/Instagram/@arthuraguiar

O ator e a influencer se conheceram em março de 2023 e assumiram o namoro em junho, após um show de Gusttavo Lima juntos. Em setembro, o ator revelou a gravidez da namorada. "A gente está muito feliz em saber que já, já estaremos com um pedacinho de nós em nossos braços", disse. No entanto, três dias após o anúncio, Aguiar confirmou o término da relação. 

Para celebrar 2024, famosos da televisão e da música investiram nos looks para a chegada do ano novo. Nas redes sociais, os artistas compartilharam fotos das escolhidas para o momento da virada de ano. Confira: 

##RECOMENDA##

A apresentadora Sabrina Sato apostou no branco e transparência. Foto: Reprodução/Instagram

Larissa Manoela e André Luiz Frambach. Foto: Reprodução/Instagram

Fátima Bernardes e o namorado Túlio Gadêlha. Reprodução/Instagram

Mel Maia e o novo namorado curtiram a chegada de 2024 juntos. Foto: Reprodução/Instagram

Carol Peixinho e Thiaguinho. Reprodução/Instagram

Família Gagliasso. Foto: Reprodução/Instagram

Vih Tube, Eliezer e a filha, Lua. Reprodução/Instagram

Bruna Marquezine, Julitte e Sasha curtiram o ano novo juntas em Pernambuco. Foto: Reprodução/Instagram

Mirella Santos e Gabriel Farias (Zinho). Foto: Reprodução/Instagram

LeiaJá Também:

Maísa curte Réveillon em Pernambuco, 5 meses após incêndio

 

Multidões animadas começaram, neste domingo (31), a se despedir de 2023, um ano marcado por recordes de calor, o auge da inteligência artificial e as dolorosas guerras em Gaza e na Ucrânia.

A população mundial, que já supera oito bilhões espera em 2024 se livrar do peso do alto custo de vida e do tumulto global.

##RECOMENDA##

Em Sidney, a autoproclamada "capital mundial do Ano Novo", mais de um milhão de pessoas lotaram as margens do porto para admirar um espetáculo de oito toneladas de fogos de artifícios.

Antes de anoitecer, milhares de pessoas se reuniram em torno da icônica Harbour Bridge, em um clima inusualmente úmido.

Na cidade de Tel Aviv, em Israel, em guerra contra o grupo islamista Hamas em Gaza, muitos jovens lotaram restaurantes, bares e discotecas para comemorar a passagem do ano.

"As pessoas querem comemorar esta noite", explicou um jovem garçom, que admitiu não estar "tão feliz quanto gostaria", por causa dos atentados do Hamas, em 7 de outubro, e do conflito atual.

O ano de 2023 será lembrado, sobretudo, pela guerra no Oriente Médio, provocado pelo ataque do Hamas e as represálias israelenses.

Entre outros fatos notáveis do ano estão o primeiro transplante ocular completo do mundo e uma "Barbie mania" impulsionada pelo bem-sucedido filme dedicado à famosa boneca da Mattel.

Além disso, a Índia superou a China como o país mais populoso do mundo e se tornou o primeiro a pousar um foguete do lado escuro da Lua.

Também foi o ano mais quente desde o início dos registros em 1880, com uma série de desastres provocados pelo clima que afetaram da Austrália ao Chifre da África e a bacia do Amazonas.

O mundo se despediu da "Rainha do Rock 'n' Roll" Tina Turner, do ator de "Friends" Matthew Perry, do cantor e compositor anglo-irlandês Shane MacGowan e o mestre do romance distópico Cormac McCarthy.

- Que a guerra termine -

A Organização das Nações Unidas (ONU) calcula que quase dois milhões de habitantes de Gaza tenham sido deslocados desde o início do conflito, aproximadamente 85% da população em tempos de paz.

Os outrora movimentados bairros da Cidade de Gaza foram reduzidos a escombros e há poucos locais para celebrar o Ano Novo e menos entes queridos para festejar.

"Foi um ano obscuro, cheio de tragédias", disse Abed Akkawi, que fugiu da cidade com a esposa e os três filhos para um abrigo da ONU em Rafah, no sul do território.

O homem de 37 anos conta que a guerra destruiu sua casa e matou seu irmão. Ainda assim, mantém esperanças para 2024.

"Deus queira que esta guerra termine, que o novo ano seja melhor e que possamos voltar para nossas casas e reconstruí-las, ou mesmo viver em uma barraca sobre os escombros", afirmou.

A Ucrânia, onde a invasão russa se aproxima do segundo aniversário, vive entre a esperança e o desafio após um novo ataque de Moscou.

"Vitória! Estamos lhe esperando e acreditamos que a Ucrânia vencerá", disse Tetiana Shostka enquanto sirenes antiaéreas soavam em Kiev.

Na Rússia do presidente Vladimir Putin, também há cansaço em relação ao conflito.

"No novo ano gostaria que a guerra terminasse, que houvesse um novo presidente e a vida voltasse ao normal", disse Zoya Karpova, cenógrafa de 55 anos e residente em Moscou.

Putin é o presidente há mais tempo no poder na Rússia desde Josef Stalin e voltará a disputar a reeleição em março.

No Vaticano, o papa Francisco rezou pelos povos que sofrem com as guerras, citando ucranianos, palestinos, israelenses, sudaneses e rohingyas.

"Ao final de um ano, tenhamos a coragem de nos perguntar: quantas vidas humanas foram perdidas em conflitos armados? Quantos mortos?", interrogou Francisco após o último Angelus de 2023.

- As urnas -

O ano de 2024 se anuncia como o ano das eleições, já que o destino político de mais de 4 bilhões de pessoas será decidido em votações em Rússia, Estados Unidos, Reino Unido, União Europeia, Índia, Indonésia, México, África do Sul, Venezuela e outros países.

Porém, uma eleição promete ter consequências globais. Nos Estados Unidos, o democrata Joe Biden, de 81 anos, e o republicano Donald Trump, de 77, parecem dispostos a repetir em novembro a disputa presidencial de 2020.

Atual ocupante da Casa Branca, Biden tem dado sinais da idade avançada em algumas ocasiões e até mesmo seus apoiadores se preocupam com as consequências de outros quatro anos no poder.

Mas se por um lado há esta preocupação, por outro há temores pelo retorno de Trump.

O ex-presidente enfrenta várias acusações e pelo menos três dos julgamentos contra ele devem começar em 2024, antes das eleições presidenciais, embora no futuro imediato nada o impeça de fazer campanha.

Auckland, capital neozelandesa, foi a primeira grande cidade oceânica a comemorar a chegada de 2024. Devido ao fuso horário, a maior parte dos países da Oceania comemora o réveillon antes do restante do mundo. Na Nova Zelândia, o marco do Ano Novo é o show de pirotecnia, e a iluminação especial da Sky Tower - maior torre do país - e da ponte de Harbour. Milhares de pessoas se reuniram para assistir ao show, às 8h (no horário de Brasília).

Às 10h (horário de Brasília), foi a vez Sydney, na Austrália, comemorar a virada. Quiribati, Samoa, Polinésia e Tonga também já realizaram suas celebrações. Ao meio-dia (também no horário de Brasília), será a vez de países asiáticos como Coreia do Sul e Norte e Japão celebrarem o Ano Novo, e, às 13h, as Filipinas. A sequência continua pela Ásia, e então África, Europa e Américas.

##RECOMENDA##

DAVID GRAY / AFP

Ao todo, a Oceania possui 14 Estados soberanos (além de outras regiões administradas por países europeus), sendo eles Austrália (o maior do continente), Nova Zelândia, Papua-Nova Guiné, Micronésia, Fiji, Quiribati, Nauru, Palau, Tonga, Tuvalu, Vanuatu, Ilhas Salomão, Ilhas Marshall e Samoa. A maior parte é de ilhas de origem vulcânica, população pequena e presença de diversas etnias indígenas.

[@#video#@]

Festa, família reunida, gritaria e o zunido interminável dos fogos queimados durante os festejos de final de ano, especialmente no Réveillon, são verdadeiros inimigos dos animais de estimação - em especial cães, gatos e aves. Estes pets têm o comportamento afetado diretamente pelas movimentações, entradas e saídas de pessoas nas casas, e pelo estampido de rojões e foguetes utilizados para celebrar a chegada do novo ano. Dessa forma, mudanças como tremores, agressividade, necessidades fora de lugar e fugas fazem parte da rotina dos bichos neste período.

Michelle Holanda, titular da Diretoria de Bem-Estar e Proteção Animal, ligada à Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Resiliência, Bem-Estar e Proteção Animal (Secis), de Salvador, explica o que acontece com os pets neste período, a partir dessa sensibilidade maior a ruídos e cheiros. A gestora dá dicas para que proprietários e tutores ofereçam algum tipo de proteção eficaz durante estes dias.   

##RECOMENDA##

A diretora explica que a maioria dos animais tem uma sensibilidade auditiva maior do que os humanos, pois os cães conseguem captar vibrações entre 20 Hz e 20.000 Hz. A realidade para os felinos é ainda maior, chegando até 50.000hz, enquanto para os humanos fica entre 20 Hz a 20.000hz.

"Essa hipersensibilidade justifica o estresse, agitação, tentativas de fugas e tremor, como os principais sintomas observados no momento dos estampidos de fogos. Numa tentativa de amenizar essa situação, é orientado que antes de começar o momento da queima de fogos, sejam fechadas janelas, portas, sacadas, varandas, pois isso irá reduzir o volume do barulho", explica Michelle.

Ela enfatiza ainda que, deixar a televisão ou o rádio ligado junto ao animal no cômodo em que ele mais permanece na casa, é uma outra dica forte para aliviar o momento de tensão do bichinho. Além disso, interagir com o pet é fundamental para que ele saiba que não está sozinho.

"Caso o animal tente buscar por abrigo embaixo da cama, dentro de armário ou outro local que o faça sentir seguro, não o impeça de se esconder. Por fim, vale a pena salientar que qualquer tipo de medicamento só pode ser aplicado com a orientação de um médico veterinário", finaliza a titular da Dipa. 

Da assessoria

As tradicionais reuniões familiares para celebrar a chegada de um novo ano são sempre marcadas por muita alegria e comemorações e têm ganhado novos integrantes nos últimos anos: os pets inseparáveis. Cada vez mais presentes nos lares, é importante saber a maneira correta de lidar com esses animais ao sair um pouco da rotina e estar pronto para possíveis emergências Pensando nisso, a veterinária Marcela Barbieri, especialista em comportamento canino, revela o que é mito e o que é verdade quando o assunto é petiscos e agrados que podem fazer mal aos pets.

Chocolate pode fazer mal para cachorros

##RECOMENDA##

Verdade: O chocolate contém teobromina, uma substância tóxica para cães. Ingeri-lo pode causar desde desconforto gastrointestinal até problemas mais sérios, como convulsões. Mantenha longe!

Uva e uva passa são lanches saudáveis para cães

Mito: Uvas e passas são altamente tóxicas para cães e podem levar a insuficiência renal. Evite oferecê-las como petiscos.

O álcool pode ser divertido para os pets

Mito: O álcool é extremamente perigoso para cães e pode causar intoxicação. Nunca ofereça bebidas alcoólicas a eles.

Todos os enfeites da decoraçaõ da festa são seguros para cães

Mito: Alguns enfeites, como bolas de vidro, fitas e ornamentos pequenos, podem representar riscos de engasgamento ou lesões intestinais. Fique de olho!

Deixar o cão comer comida humana nas festas pode ser perigoso

Verdade: Muitos alimentos que estamos acostumados a comer, especialmente aqueles temperados ou ricos em gordura, podem ser prejudiciais para cães. Evite compartilhar o que está no seu prato ou na mesa.

Cachorro também merece comer um docinho

Mito: Mantenha doces, petiscos e alimentos festivos fora do alcance dos cães para evitar ingestão acidental.

O cão pode esperar a festa acabar para ser socorrido

Mito: Em caso de ingestão de qualquer coisa que esteja fazendo mal, entre em contato com o veterinário o mais rápido possível.

Oferecer a comida que o pet está acostumado antes da festa é uma boa idéia

Verdade: Ofereça uma refeição equilibrada antes das festas para reduzir a tentação dos cães de ficarem rodeando a mesa pra tentar ganhar algum pedacinho de alimento.

Cuidado com o barulho dos fogos de artifício, isso pode incomodar o cachorro

Verdade: Esteja atento aos sinais de estresse, como tremores, latidos excessivos e agitação durante os fogos de artifício.

Seguindo esses cuidados explicados pela veterinária, você mantém a segurança do seu cãozinho durante as festas de fim de ano. 

Da assessoria

A virada de um ano para outro é considerada, por muitos, como uma renovação de ciclos, além de ser um momento de limpeza espiritual e de ambientes. Diversas práticas são repetidas todos os anos, e muitas delas já fazem parte da tradição brasileira de comemorar o Réveillon. Confira algumas superstições comuns, que podem trazer sorte para o novo ano que está para começar. 

Faxinar a casa 

##RECOMENDA##

Foto: Pixabay 

A limpeza da casa, mesmo sendo uma prática comum na rotina doméstica, se torna especial no período de fim de ano. Além de tirar a poeira dos móveis e passar um pano no chão, a faxina feita a poucos dias de acabar o ano costuma ser mais completa, uma limpeza mais minuciosa, e a retirada de roupas e outros objetos que não vão mais estar presentes no ano seguinte. Muitas pessoas tomam o tempo para separar o que será jogado fora e o que será doado, mas sempre com o intuito de abrir espaço na casa, e se livrar do que não se quer mais. 

Pular sete ondas 

Foto: Rafael Bandeira/LeiaJá/Arquivo 

Com a extensa faixa litorânea em todo o território nacional, é muito comum que famílias se reúnam em praias para celebrar a virada do ano. A tradição de pular sete ondas, geralmente com o pé direito, no entanto, vem da cultura religiosa da Umbanda, de matriz africana. De acordo com os preceitos da religião, cada onda deve ser pulada com um pedido em pensamento, para que eles se realizem no ano. 

Tomar banho de ervas 

Foto: Pixabday 

Outra prática que também vem de crenças religiosas é o banho de ervas, que serve para purificar o espírito. Além de ervas específicas, como arruda, muitas pessoas também usam sal grosso e outras especiarias. 

Guardar folha de louro na carteira 

Foto: Pixabay 

Já para os que buscam acumular riquezas no ano que está por vir, é recomendado guardar uma folha de louro dentro da carteira. A folha de louro era usada pelos romanos como enfeite na cabeça como uma forma de representar prosperidade e sucesso. Na superstição atual, a pessoa deve enrolar uma folha em uma nota de dinheiro, que deve permanecer intocada dentro da carteira o ano todo. 

Comer 12 uvas à meia-noite