Tópicos | conscientização

Membros da Polícia Nacional da Colômbia usaram o 'meme do caixão' para conscientizar a população da cidade de Quibdó a ficar em casa devido à pandemia do novo coronavírus. Na mesma ação, policiais usam pias improvisadas para ensinar como a população deve lavar as mãos.

 As imagens que circulam nas redes mostram quatro homens, possivelmente membros da polícia, fazendo a coreografia no ritmo da música do meme do funeral de Gana.

##RECOMENDA##

 Também é possível ouvir um áudio dizendo em espanhol "Recomenda-se, por sua saúde e de sua família, procurar permanecer em casa. Polícia Nacional, somos um somos todos."

 Os dançarinos estão em cima de uma caçamba em uma rua de Quibdó. Ao lado, policiais fardados lavam as mãos em pias improvisadas. 

 Essa não é a única ação lúdica realizada pela Polícia Nacional. Membros da corporação também já dançaram zumba nas ruas para a população acompanhar das varandas, e se fantasiaram de super-heróis para o Dia das Crianças na Colômbia, celebrado em 25 de abril.

[@#video#@]

Governos de todo o mundo têm agido incisivamente para conscientizar a população sobre a gravidade do novo coronavírus, que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarar a instalação de uma pandemia. Na cidade de Chennai, no leste da Índia, chamou a atenção dos motoristas um alerta inusitado sobre os perigos da Covid-19: a Secretaria de Saúde do município decorou de coronavírus um auto-riquixá, mais conhecido por tuk tuk, para reforçar o bloqueio nas estradas. 

 Um agente de saúde municipal foi flagrado dirigindo o ‘coronacarro’ nessa quinta-feira (23) em uma das estradas de Chennai. Para evitar a proliferação do coronavírus na Índia, o governo adotou medidas de restrições no país, uma delas foi um bloqueio das estradas. 

##RECOMENDA##

Até essa quinta, a Índia havia registrado 23.077 casos de Covid-19 e 718 mortes. O Estado de Tamil Nadu, de onde Chennai é a capital, tem 1.629 casos e 18 mortes.

Com a pandemia do coronavírus varrendo o planeta, as organizações de saúde mundiais têm orientado as pessoas a fazerem quarentena e distanciamento social. As medidas visam conter a disseminação do vírus e, para que todos se convençam de que elas são necessárias, não só os órgãos competentes como artistas, e até anônimos, estão se empenhando em criar campanhas de conscientização. Uma delas, criada por uma organização de Los Angeles, recria capas icônicas de bandas de rock, como Beatles e Queen mostrando seus integrantes com o afastamento sugerido para o combate à contaminação do vírus. 

A ideia foi da Activista Los Angeles. Batizada de Six Feet Covers, a campanha traz até no nome a orientação de distanciamento necessário. “Six feet”, ou ‘seis pés’, na tradução literal, representa na verdade uma medida de espaço de cerca de dois metros, o recomendado pelas organizações de saúde como distância mínima de segurança em tempos de pandemia. A campanha traz capas de discos clássicos do rock, como o Abbey Road, dos Beatles, trazendo os Fab Four bem longe um do outro. 

##RECOMENDA##

Também integram a campanha a banda Queen, com o disco Queen II; U2, com The Joshua Tree; Blondie, com o disco homônimo de 1976; Kiss, com Destroyer; ea banda Ramones, com o álbum Anthology.

[@#galeria#@]

 

A UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau, em Campina Grande, uniu a teoria à prática para o combate ao novo Coronavírus. Isso porque todo o álcool gel disponibilizado nos setores e distribuídos nas ações de conscientização internas e externas está sendo produzido na própria unidade, pelos alunos do curso de Farmácia.

A produção está sendo supervisionada por professores e pela coordenação do curso, que ressaltou que o foco é ajudar no combate ao Coronavírus. “Nossos alunos estão unidos e conscientes de que estão fazendo uma atividade importante para a sociedade. Além disso, estão tendo a oportunidade de colocar em prática o conhecimento adquirido em sala de aula”, destacou o coordenador do curso de Farmácia da UNINASSAU, Rômulo Vidal de Negreiros.

##RECOMENDA##

“Está sendo uma experiência bem inovadora. Estamos percebendo a grande relevância da profissão que escolhemos. Além disso, é uma grande iniciativa da UNINASSAU, frente ao Coronavírus. Agradecemos a oportunidade que a Instituição está dando aos alunos e também por realizar essa ação de conscientizar a comunidade nesse momento”, destacou a aluna do 5º período do curso de Farmácia, Karen Bernardino.

Na última sexta-feira (13), a UNINASSAU promoveu uma ação de conscientização, no largo do Açude Velho, na qual prestou orientações sobre prevenção da Covid-19. Na ocasião, foram distribuídos 500 frascos de álcool gel 70%, produzido pelos alunos e mais de dois mil folhetos com informações sobre como evitar o contágio e como proceder em casos suspeitos de infecção por Coronavírus.

No mesmo dia, foram disponibilizados tubos de álcool gel, também produzido pelos alunos, em todos os setores da UNINASSAU, a fim de estimular o uso preventivo. Além disso, vídeos informativos sobre a maneira correta de higienizar as mãos e como prevenir a infecção estão sendo veiculados em todos os televisores das duas unidades da Instituição em Campina Grande.

*Da assessoria

LeiaJá também

--> Covid-19: UNINASSAU suspende atividades acadêmicas em PE

O futebol também pode ser ferramenta para a conscientização de pautas importantes para a sociedade. A Federação Paulista de Futebol (FPF), apostando nisso, promoveu uma iniciativa inédita alterando o placar da partida final do Campeonato Paulista Feminino, entre Corinthians e São Paulo. O objetivo era chamar atenção para a disparidade salarial entre homens e mulheres. 

O primeiro gol da partida, marcado pela equipe do Corinthians foi marcado no placar como 0,8, ao invés de 1. A marcação tirou 20% do primeiro ponto marcado e assim foi feito em todos os gols marcados no jogo. A diferença fez referência ao que é praticado no mercado de trabalho que paga salários 20,5% menores às mulheres, em relação aos homens, mesmo em funções similares.  Os números foram levantados em recente pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

##RECOMENDA##

A ação da FPF contou com as parcerias da ONU Mulheres e da agência de publicidade BETC/Havas aproveitando a visibilidade histórica alcançada pelo Campeonato Paulista feminino deste ano. Algumas transmissões bateram recordes de audiência, nas redes sociais da Federação e também em emissoras que mostraram alguns jogos como a Rede Vida, Cultura e Sportv.

A final - Com mais uma atuação avassaladora, o Corinthians sagrou-se, pela primeira vez, campeão paulista de futebol feminino ao bater novamente o São Paulo por 3 a 0, neste sábado em Itaquera. A conquista consagra a excelente campanha do time de Parque São Jorge, que venceu simplesmente todos os 20 jogos que disputou na competição.

Foram marcados diante do rival os últimos três dos 67 gols anotados (com somente sete sofridos) pela equipe, dispensando a vantagem obtida há duas semanas no Morumbi, quando as corintianas venceram por 1 a 0.

Do outro lado, a derrota freia a rápida ascensão do São Paulo, que veio da Série A2, chegou à terceira final de campeonato no ano e tentava sua terceira taça estadual - vencera em 1997 e 1999.

Com informações da Agência Estado

Nem só de ‘aê aê aê’ e ‘ôooo ôooo’ vive a música baiana. Apesar de ter sido consagrado como ritmo para ‘tirar o pé do chão’ e ‘correr atrás do trio’, alguns hits do axé são recheados de mensagens sociais, conscientização e até protesto. O LeiaJá deu uma garimpada e fez uma seleção de músicas do gênero que trazem em suas letras densidade e conteúdo bem ‘cabeça’, dignos das playlists mais sérias, mas é claro, sem deixar a alegria e animação de lado. 

Protesto do Olodum 

##RECOMENDA##

Esse clássico da música baiana traz o protesto logo em seu título. A canção do grupo Olodum chama atenção para a prostituição no bairro do Pelourinho, o aumento da Aids no país e o abandono da região Nordeste por parte dos governantes brasileiros. A música ganhou tamanha importância no cenário baiano que foi regravada por diversos artistas.  

Devastação 

A música lançada por Margareth Menezes em 1988 não poderia soar mais atual. Naquela época, a baiana já clamava pela necessidade da preservação da natureza do país. A letra ainda passa pela pobreza e pela importância da atuação dos que “têm poder” para garantir o futuro da nação. 

Atual Realidade

O pai do axé também já cantou em favor da natureza. Nessa canção, Luiz Caldas diz que desmatar é uma “burrice” e também envereda pelo lado da política dizendo que “eleger um cara que só dá mancada”, também não “tá com nada”. 

Xibom Bombom

O grupo As Meninas fez um grande sucesso, no final dos anos 1990, com o refrão chiclete de Xibom Bombom. A música, no entanto, trazia uma reflexão sobre a desigualdade social no país “onde o rico cada vez fica mais rico e o pobre cada vez fica mais pobre”. Uma forma descontraída de denunciar a exploração do trabalho e a luta de classes no no Brasil. 

Apertheid da Alegria

Luiz Caldas também questionou a comercialização do Carnaval em outra de suas canções. Apertheid da Alegria critica a indústria que se apoderou da folia baiana com camarotes e abadás. Para o artista, a "chuva de grana" da festa causa separatismo, atingindo a espontaneidade do Carnaval. 

Conversa Fiada

Em 1991 a Banda Mel já dava o recado: “consciência anda faltando”. Em Conversa Fiada, a banda já dizia que não acreditava no papo de que o Brasil é o país do futuro e que cantar seria uma das formas de mostrar a indignação do povo. 

Respeito é bom e eu gosto

Mais uma do pai do axé, ícone do gênero. Nesta música, ele fala contra intolerância e até contra a polarização que toma conta do país atualmente. Aqui, Luiz Caldas relembra  a importância do respeito entre as pessoas, independente de sua orientação política, sexual e religiosa. Um verdadeiro hino contra o preconceito. 

Proibido o Carnaval

No início de 2019, Daniela Mercury lançou, em parceria com Caetano Veloso, esse axé que fala sobre censura, liberdade sexual e citou até a ministra de Estado da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. A música ‘brinca’ com uma possível proibição da maior festa popular do Brasil, curiosamente, meses mais tarde no mesmo ano de 2019, a Câmara Municipal de Salvador aprovou um projeto que proíbe a realização de festas na Quarta-Feira de Cinzas, derradeiro dia da folia. 

Crianças Desabrigadas

Aqui, o Araketu denuncia o sofrimento de crianças em situação e rua e abandono, que acabam levadas ao vício de drogas e situações de violência. A mensagem da canção é sobre a necessidade de ajudar esses pequenos.  

Cansei de esperar

Mais uma do Olodum, grupo que, além de ter em seu repertório diversas canções com mensagens de conscientização, exerce há 40 anos um trabalho de valorização da cultura afro-brasileira e enfrentamento ao racismo. Em Cansei de Esperar, a banda fala sobre a luta pela liberdade e igualdade racial. 

Nesta sexta-feira (27) é celebrado o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos. A data, que foi instituída pela Lei nº 11.584/2.007, tem como objetivo conscientizar a sociedade brasileira sobre o assunto e fazer com que o tema seja pauta em rodas de diálogo.

Para o professor de redação Eduardo Pereira, o tema pode ser considerado uma das apostas para a redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) edição 2019, que será realizado nos dias 3 e 10 de novembro. “O assunto passa por todos as análises para ser escolhido pela banca, já que, de acordo com a cartilha do participante, os temas da prova normalmente se firmam sobre quatro pilares que são sociais, políticos, culturais ou científicos. O tema sobre doação de órgãos e tecidos toca nos quatro ao mesmo tempo”, declara.

##RECOMENDA##

Além dos quatro pilares citados, Eduardo explica que o Enem pode utilizar também critérios que não sejam oficiais. “As melhores apostas para temas são os assuntos que são atuais, mas que não estão em evidência nos meios de comunicação. Temas como a doação de órgãos e tecidos permeiam discussões há décadas e vão continuar permeando”, comenta o docente.

Outro aspecto citado pelo professor sobre o motivo pelo qual o tema pode ser abordado no exame é que o assunto é um tema universal, que toca todas as esferas sociais, já que pessoas ricas, pobres e de todos os extratos podem ser doadoras e, ao mesmo tempo, podem precisar da doação. 

“O tema também não encontra barreiras regionais, pois é um assunto no qual um candidato que reside no Estado de São Paulo pode escrever, assim como um participante do Acre, Amapá, Rio Grande do Norte e outros”, fala o professor ainda sobre como a doação de órgãos e tecidos é um tema universal.

Sobre a proposta de intervenção, que é um dos critérios exigidos pela redação no exame, Eduardo conta que a base principal da proposta é o esclarecimento da população sobre o valor da doação. No entanto, dá dica ao candidato. “O participante precisa entender que a doação percorre núcleos que vão desde a família do doador até uma logística mais complexa que envolve o hospital que vai receber o órgão, Ministério da Saúde, Secretaria Estadual de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde”, conclui.

No verso do bilhete da companhia de trem italiana, um quadro informa a quantidade emitida de dióxido de carbono por passageiro em viagem, conforme o meio adotado. De Roma a Veneza, são 17 quilos por pessoa a bordo de trem, 57 quilos de carro e 81 quilos de avião. Em Bled, na Eslovênia, cartazes deixam claro: há torneiras de água potável por toda a parte - não compre garrafas plásticas. Em pequenas cidades alemãs, o reúso de produtos é institucionalizado pela vizinhança, que organiza bazares de doação.

A preocupação com o consumo sustentável está por toda a Europa. Levantamento do Eurobarômetro, instrumento de pesquisas da Comissão Europeia, perguntou a jovens de 15 a 24 anos dos 28 países membros da União Europeia qual deveria ser a prioridade máxima do continente. Em 20 países, a maioria respondeu: combater a crise climática. Consciência, discurso e ações começam a andar juntos. E isso se reflete em novos hábitos. "A crise climática é a questão mais importante para o europeu médio hoje", diz Tiago Reis, pesquisador de meio ambiente na Universidade Católica de Louvain, Bélgica. "E a primeira coisa que qualquer um pode mexer é no que consome. Muitos já optam por soluções mais sustentáveis, mesmo quando custam um pouco mais."

##RECOMENDA##

Isso é visível nas prateleiras do supermercado, é claro, cada vez mais dominadas por alimentos orgânicos e sempre com informações sobre quem produziu, onde e como. Mas também está na outra ponta, quando o descarte é feito de forma mais responsável. "Minha máquina de lavar louças, por exemplo, é de segunda mão e eu peguei em uma calçada", conta o artista plástico alemão Dieter Roos, morador do povoado de Münsingen, região de Stuttgart, no sudoeste da Alemanha.

Ele conta ser comum por lá colocar na frente de casa eletrodomésticos, livros e outros objetos que não queiram mais. E uma plaquinha, onde se lê zu verschenken, algo como "para doar". Pega quem quer. O que sobra, alguns dias depois, aí sim vai para o lixo. "Quem tem plantas no quintal põe até frutas e verduras, na época da produção. Cestos com maçãs, peras, cerejas", enumera Roos, enaltecendo a iniciativa comunitária que abomina desperdícios.

Transporte. Mas um dos principais vilões ambientais do dia a dia são os ires e vires motorizados. A ativista sueca Greta Thunberg, de16 anos, deixou em evidência o termo flygskam, expressão que significa "vergonha de voar". É um fenômeno de gente que não quer mais andar de avião por causa do impacto ambiental. Para dar um radical exemplo, ela cruzou o Atlântico a bordo de um iate movido só com energia limpa até Nova York, onde participará da Cúpula do Clima das Nações Unidas (ONU), que começa amanhã. "Não uso avião por razões climáticas", costuma dizer Greta, que opta pela malha ferroviária.

Na carona de outro termo que está ficando popular na Suécia - tagskryt ou "orgulho de andar de trem" - Greta já comentou que a decisão de cruzar o Atlântico em barco havia sido tomada porque "infelizmente não há uma linha de trem" capaz de ligar os continentes. Ontem, ela participou na ONU da primeira Cúpula Jovem do Clima, que reuniu ativistas de vários países.

Pesquisas. O meio acadêmico também segue o trilho. Pesquisadores da Universidade Chalmers de Tecnologia e da Universidade de Gotemburgo, ambas da Suécia, lançaram uma plataforma online para que o turista avalie as opções de deslocamento conforme o meio adotado em cada viagem: o site travelandclimate.org.

A plataforma considera cálculos da Agência Ambiental Europeia, que aponta que a emissão de dióxido de carbono por quilômetro é de 14 gramas por passageiro de trem - ante 285 gramas de quem vai de avião. E soma a isso o impacto ambiental estimado conforme a acomodação escolhida. Por fim, situa a viagem em uma escala de verde a vermelho, para alívio ou peso na consciência do turista.

Uma versão beta do sistema, em sueco, funcionou por cerca de um ano, antes de a plataforma ser lançada, e registrou mais de 50 mil usuários. Um dos pesquisadores que desenvolveu o sistema, o cientista Jörgen Larsson disse, no lançamento, que espera que a ferramenta auxilie a diminuir os impactos ambientais causados pelo ser humano. "Nossos estudos apontam que as emissões causadas pela aviação sueca é de cerca de uma tonelada de dióxido de carbono por cidadão. Isso é cinco vezes mais do que a média global", pontuou ele, com base em análise de banco de dados de 1990 a 2017.

Além do transporte em si, viagens também são uma oportunidade para pensar de modo sustentável por meio de ações menores. É o caso das garrafas plásticas. Durante o verão, Bled insiste nos avisos para que turistas não comprem água - tomem de suas torneiras públicas. "Acho muito bom que seja feita essa conscientização", diz a funcionária pública Francesca Meneghini, moradora de Lucca, na Toscana.

Ela passou férias na Eslovênia em agosto. "Na Itália também é comum ter fontes públicas de água. Mas nunca havia visto uma campanha enfática como a de Bled", afirma. "A consciência ecológica está também nas pequenas coisas."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Nesta terça-feira (10) é o dia mundial de prevenção ao suicídio. Pensando na importância da temática, a Escola Conecta, no Recife, realizou uma mesa redonda com participação dos pais, responsáveis e profissionais que atuam na preservação da saúde mental, também em referência à campanha do Setembro Amarelo.

Entre os assuntos debatidos estavam a depressão, ansiedade, automutilação, tratamentos e a prevenção do suicídio. Para a psicóloga da instituição este momento com as famílias é importante para todos. “A saúde mental precisa ser valorizada, é uma questão de saúde pública. Precisamos criar estratégias desde o apoio do governo, a situações de escutas e fala entre os familiares, as escolas e os profissionais”, frisou.

##RECOMENDA##

Estiveram presentes a psicóloga escola Shirley Carvalho, a psiquiatra Adriana Zenaide, o psicólogo e psicoterapeuta Alessandro Rocha e a psicopedagoga clínica Rosemeri Souza. Rosemeri inclusive fez questão de ressaltar que os pais estarem presentes na vida das crianças e dos adolescentes contribui para qualidade da vida escolar deles.

De acordo com a psicopedagoga inserir a questão no ambiente educacional é fundamental para fazer a família enxergar problemas que os filhos possam estar enfrentando. “A gente sabe que o ser humano é constituído de sentimentos e emoções. Se a criança e o adolescente não está bem emocionalmente ele não avança pedagogicamente. Quando a gente lança uma palestra sobre essa temática a gente está trazendo esse olhar para os pais, do que estamos percebendo dentro da escola, os pais precisam ter esse alerta. O profissional não consegue sem a parceria da família”.

O Setembro Amarelo no Brasil foi criado em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). Desde de o lançamento da campanha até hoje houve um engajamento de escolas, universidades, entidades do setor público e privado e a população de forma geral, que utilizam o amarelo na fachadas dos prédios, nas roupas, nos monumentos históricos como uma forma de chamar a atenção para o problema que afeta milhares de pessoas ao redor do mundo.

 

A partir desta quarta-feira (21), a Prefeitura de Olinda inicia uma programação especial para a Semana da Pessoa com Deficiência 2019. Os olindenses contarão com a emissão gratuita de documentos, assistência jurídica, mutirão de saúde, lazer e cidadania, exposição fotográfica e orientações voltadas para os direitos das pessoas com deficiência. 

Confira a programação

##RECOMENDA##

Dia 21 de agosto

Distribuição de lacinhos na cor verde, o qual representa a Pessoa com Deficiência

Local da ação: entrada do Shopping Patteo

Horário: das 13h às 15h

Dia 23 de agosto 

Será ofertada à Pessoas com Deficiência serviços de lazer, saúde e cidadania, como aferição de pressão, laudo caracterizador, avaliação nutricional, terapias alternativas, aulão de ritmos, emissão do cartão livre acesso, emissão do cartão de estacionamento para Pessoa com Deficiência, CADUNICO e orientações jurídicas.

Local da ação: Vila Olímpica de Rio Doce

Horário: das 09h às 12h

Dia 25 de agosto

Primeira Marcha da Inclusão NAPEE que tem por objetivo propagar a cultura da inclusão contribuindo com o combate ao preconceito e à discriminação.

Local da ação: sairá da Praça do antigo Quartel e seguirá até as imediações do

Colégio Luiza Cora

Horário da concentração: 08hs

Dia 28 de agosto

Exposição fotográfica (fotos tiradas por pessoas com deficiência), apresentações artísticas de pessoas com deficiência e demonstração de projetos, como o bike sem barreiras e calçada sensorial itinerante, da UNINASSAU

Local da ação: Piso L1 do Shopping Patteo

Horário: das 13h às 17h

Nesta sexta-feira (28), é comemorado internacionalmente o dia do orgulho LGBT (lésbicas, gays, bissexuais ou transexuais). Por essa razão, alguns clubes brasileiros de futebol manisfestaram-se a favor do movimento, das mais diversas formas.

O Internacional iluminou o estádio Beira-Rio com as cores que representam a luta, reforçando a importância de uma sociedade livre de preconceitos. Já os funcionarios do Mineirão cobriram 420 assentos do estádio com as mesmas cores. A iniciativa parte de um índice brasileiro deplorável: os números, representam a quantidade de pessoas mortas em 2018 no país, pela condição de gênero. Os dados fazem parte de uma pesquisa do Grupo Gay da Bahia.

##RECOMENDA##

As homenagens também estenderam-se às redes sociais de algumas equipes. O São Paulo, o Grêmio, o Figueirense e o Fluminense manifestaram-se em suas páginas.

[@#galeria#@]

A data 28 de junho foi escolhida por representar o episódio ocorrente em 1969, na cidade de Nova Iorque, marcado pela reações das vítimas de preconceito de gênero, a uma série de ataques policiais. Em 2019, a revolta completa 50 anos.

Por Gabriela Ribeiro

[@#galeria#@]

Quarenta e nove mil crianças trabalham no Pará, aponta o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos). Para mudar essa realidade, o Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT8) realizou, na quarta-feira (12), uma série de eventos de conscientização das pessoas sobre a importância de combater o trabalho infantil. No evento, voluntários se reuniram em vários pontos da cidade com cartazes e informativos sobre o trabalho infantil, que é crime.

##RECOMENDA##

As escolas da rede estadual de Ananindeua, e algumas da rede municipal, também participaram do movimento contra o trabalho infantil. “Diretores, gestores de escolas e alunos foram às ruas para dizer não ao trabalho infantil. Subimos em vários ônibus, onde as próprias crianças e adolescentes falaram com os passageiros e distribuíram o material que foi dado pelo tribunal”, disse Walcircley Alcântara, conselheiro tutelar de Ananindeua.

Para Walcircley, ações como essa são importantes para chamar a atenção da sociedade para o problema do trabalho infantil que, segundo ele, é muito recorrente no município e região metropolitana. “Ainda hoje muitas crianças e adolescentes estão em situação do trabalho na idade indevida. Muitas dessas crianças, após vender chopp, pamonha, biscoitinhos nos sinais ou nas casas, estão indo à escola cansadas e sem rendimento”, afirmou.

O conselheiro orientou para que as pessoas não comprem nada de crianças pensando que estarão ajudando a sair da pobreza. Pelo contrário, diz, porque estarão ajudando a perpetuar a probreza dessa criança. Ele explicou que a escola precisa ser canal de conscientização da sociedade para combater o trabalho infantil. “Existem muitas crianças que têm dificuldades, que estão com autoestima baixa, com baixo peso, crianças que estão no trabalho e não conseguem se desenvolver na escola e há muita evasão escolar por conta do trabalho infantil", disse Walcircley.

"A sociedade precisa ter consciência de não comprar nada de crianças, porque quando ela está comprando de criança ela não está ajudando a criança, está perpetuando a pobreza daquela criança, porque o adulto utiliza as crianças para fazer a venda desses produtos, porque é uma forma deles emocionarem as pessoas, que ficam bastante comovidas de comprar de crianças e não de adultos. Isso acontece muita na nossa cidade, por isso a importância desse evento, para que o trabalho infantil possa ser eliminado”, explicou Walcircley.

Os sambistas da Escola de Samba da Matinha também participaram da ação. Distribuídos entre os semáforos do bairro de Fátima, em Belém, eles disseram não ao trabalho infantil. “A participação foi de extrema importância porque veio a concretizar aquilo que nós vivenciamos durante o ano de 2018, até março de 2019, que foi o projeto Ninho da Coruja – Sem Trabalho Infantil, que culminou com o desfile da Escola no carnaval 2019, com o enredo 'No Ninho da Coruja a criança e o adolescente têm direito de sonhar', onde retratamos na avenida as piores formas de trabalho infantil e o que seria uma infância ideal”, disse Rodolfo Trindade, presidente da Escola de Samba da Matinha.

A #BrasilSemTrabalhoInfantil também foi lançada no mesmo dia. A Comissão de Combate ao Trabalho Infantil do TRT8 e alguns voluntários prestigiaram o momento. Vinte e quatro tribunais do Brasil participaram da campanha, que marca o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Inafantil. “Isso faz parte da semana de luta contra o trabalho infantil”, disse disse Vanilza Malcher, Juíza do TRT8.

O encerramento do vento foi na praça Brasil, com a ligação das luzes que projetaram um catavendo gigante, no lado de fora do forúm trabalhista de Belém. As luzes se acenderam às 18 horas, mesmo horário em que o Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília, também projetou o catavento gigante. “É mais uma forma de mostra o engajamento da Justiça do Trabalho, como um todo, na luta contra o trabalho infantil”, disse a juíza.

 

 

 

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) entra na campanha “Maio Cinza”, para conscientizar sobre o câncer do Sistema Nervoso Central (SNC). Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), 4% das mortes por câncer estão associadas ao SNC, ficando entre os 10 tipos de câncer que mais matam no mundo - a estimativa era de mais de 11 mil novos casos deste tipo de tumor no último ano. Sem forma conhecida de prevenção, a detecção precoce é a maneira mais eficiente para conseguir a cura.

A doença é caracterizada por um tumor maligno formado pelo crescimento desordenado de células no cérebro, podendo ocorrer de forma primária, quando se origina no próprio cérebro, ou de forma metastática, quando o tumor tem origem em outro órgão e se espalha pelo corpo.

##RECOMENDA##

Para que ocorra o diagnóstico precoce é preciso atenção aos sintomas, que variam de acordo com a localização e extensão do tumor – entre eles: convulsões, tonturas, falta de equilíbrio, desmaios, dores de cabeça, perdas de visão, visão duplicada, gagueira e perda da fala; dormência em pernas ou braços; confusão mental, esquecimentos, dificuldade ou incapacidade de engolir os alimentos; movimentos involuntários, entre outros.

“Os sintomas estão relacionados com o tamanho e a localização em que esses tumores se desenvolvem. Como são sintomas que podem ser confundidos com outras doenças, é importante ficar atento às alterações no tipo e forma que eles se apresentam. Nas dores de cabeça, por exemplo, se começarem a ocorrer com intensidades diferentes do habitual, já é um alerta para procurar um médico”, destaca o coordenador do Serviço de Oncologia Clínica do HCP, Ilan Pedrosa.  

O médico alerta que, identificando um ou mais sintomas, o indivíduo deve procurar um profissional imediatamente, podendo ser um clínico geral ou um neurologista clínico que irá solicitar exames para confirmar o tumor, como a tomografia computadorizada e/ou a ressonância magnética.

“Identificado o tumor, o tratamento dependerá do tamanho e localização do câncer, podendo ser a radioterapia, quimioterapia e/ou cirurgia. Importante destacar que a cirurgia é o único tratamento curativo. Se o paciente tiver condições de ser operado, aumenta muito a chance de sobrevivência”, Pontua Ilan.

*Da assessoria

Para o Maio Amarelo, mês voltado para a conscientização no trânsito, a Associação das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) está lançando a campanha #MeOuça. Serão cursos de capacitação, palestras e distribuição de materiais informativos para a conscientização de alguns riscos presentes no trânsito.

De acordo com o Ministério da Saúde, do total de acidentes nas estradas do Brasil, cerca de 0,5% envolve transporte coletivo como ônibus. Uso de celular ao volante e ingestão de bebidas alcoólicas estão entre as principais causas de acidentes.

##RECOMENDA##

Palestras e capacitações

Para marcar o mês o Maio Amarelo, as empresas Metropolitana e Rodoviária Caxangá realizam capacitação de 1.300 motoristas. O treinamento contempla atualização das leis do código de trânsito, direção defensiva, penalidades, direitos e deveres dos operadores, além de dicas práticas sobre situações comuns ocorridas no dia a dia nas cidades.

O Conorte receberá alunos de escolas públicas para assistir a palestras sobre civilidade, respeito aos idosos e cuidados no trânsito. A Borborema também foca as ações do Maio Amarelo com estudantes, promovendo uma sequência de atividades educativas. Já a Transcol, a São Judas Tadeu e a Pedrosa unem-se ao Detran e à Operação Lei Seca para levar palestras às comunidades atendidas pelas empresas.

O Espaço Ciência, localizado no Complexo de Salgadinho, na cidade de Olinda, Região Metropolitana do Recife, realiza a partir do domingo (14) a abertura da Semana dos Povos Indígenas. O evento tem como finalidade desconstruir estereótipos instituídos ao redor dos primeiros povos do Brasil.

 De forma gratuita, a população poderá assistir a oficinas, conhecer constelações indígenas em sessões no planetário, ver apresentações culturais e participar de rodas de conversa. Os visitantes que participarem das oficinas poderão entender como os povos indígenas se guiavam pelas estrelas e terão oportunidade de produzir a tradicional tinta de urucum, que ajuda em pinturas corporais tradicionais.

##RECOMENDA##

 O evento também contará com a presença de um grupo da etnia Fulni-ô, da cidade de Águas Belas, no Agreste de Pernambuco. Além de assistir a apresentações, o público poderá participar de uma roda de conversa com os índios e tirar dúvidas sobre as experiências deles. A programação se estende até a quarta-feira (17). Confira todas as atividades neste link.

Neste sábado (30), pelo 11° ano consecutivo, o Brasil participa do movimento mundial "Hora do Planeta", que utiliza o ato de apagar luzes por uma hora para conscientizar sobre o consumo excessivo de energia e os riscos do aquecimento global. A ação organizada pela ONG suíça WWF acontece entre das 20h30 às 21h30.

Na capital paulista, alguns monumentos importantes para a história da cidade, como os Arcos do Anhangabaú, a Estátua Borba Gato, o Monumento às bandeiras, a Ponte Octávio Frias de Oliveira (Ponte Estaiada) e o prédio da Prefeitura serão apagados durante a ação.

##RECOMENDA##

Luzes da fachada do Teatro Padre Bento, Guarulhos, ficarão apagadas durante ação | Foto: Divulgação/Prefeitura de Guarulhos

Em Guarulhos, região metropolitana de São Paulo, as luzes do Teatro Padre Bento também ficarão apagadas. A cidade participa do evento desde 2013 e, este ano, estará na ação junto a outras 125 cidades brasileiras que já foram confirmadas como participantes.

por Laura Dantas

[@#video#@]

A programação da prefeitura de Belém em alusão à Semana de Trânsito deste ano começou na terça-feira (18), com uma ação educativa na faixa de pedestres localizada entre as avenidas Nazaré com Generalíssimo Deodoro, e foi até o dia 25 de setembro. A campanha deste ano tem o tema “Nós Somos o Trânsito!”. O objetivo é estimular que motoristas e pedestres adotem práticas para melhorar o trânsito de Belém. A programação teve apresentações de teatro, brincadeiras, blitz educativa, entre outros.

##RECOMENDA##

O motociclista Eric Trindade, 20 anos, apontou a imprudência dos motoristas como um dos problemas do trânsito nas grandes cidades. “Um dos principais riscos que eu sofro é a questão das pessoas dirigindo de forma incorreta, às vezes o motorista me fecha ou eles não prestam atenção e jogam o carro pra pista em que eu estou ou avançam o sinal”, disse. Eric também falou sobre os perigos de acidentes. “Meu pai já foi batido em moto na Júlio Cesar. Ele estava na pista e o motorista simplesmente dobrou e bateu nele. Mas só se machucou e quebrou a clavícula, nada muito sério”, contou.

 Anderson Castro, 37 anos, falou sobre as dificuldades de ser pedestre no trânsito da cidade e criticou a falta de planejamento das autoridades. “O trânsito de Belém é muito mal organizado. Eu acho que falta um planejamento maior por partes das autoridades do trânsito, principalmente em horários de pico. Com o engarrafamento, o deslocamento se torna muito caótico e prejudica quem anda de ônibus”, comentou.

A programação se encerrou com uma mesa-redonda no Comando da Guarda Municipal de Belém, na avenida Pedro Álvares Cabral. A Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), por meio do Projeto Vida no Trânsito, fez a apresentação de dados estatísticos consolidados do primeiro trimestre dos anos de 2016, 2017 e 2018 a respeito do trânsito na capital.

Por Lucas Neves. Com apoio de Amanda Lima.

 

 

A Secretaria da Saúde de Guarulhos vai dedicar o mês de junho para conscientização de questões ambientais. Para isso, todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) vão desenvolver atividades para alertar a população como os impactos do meio ambiente alterado pode adoecer as pessoas, a partir da próxima segunda-feira (4).

Dentre as atividades propostas estão: exibição de vídeos educativos sobre impacto da poluição em nossa saúde, implantação de hortas comunitárias, oficinas de artesanato com produtos recicláveis, palestras sobre plantas medicinais, entre outras ações.

##RECOMENDA##

“Diante de uma pauta tão importante e essencial para a preservação dos ecossistemas e sobrevivência do homem, o Projeto Movimenta Saúde tratará da saúde ambiental neste mês em que se celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente. O objetivo será desenvolver ações e atividades que intervenham nos condicionantes e determinantes em saúde, e por conseguinte, nos aspectos da sustentabilidade e preservação da vida saudável”, afirmou a diretora do Departamento de Assistência Integral à Saúde, Ana Cristina Kantzos.

O Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) desenvolve atividades gratuitas com o público infantil para ressaltar a importância das normas de trânsito. Neste Maio Amarelo, mês dedicado internacionalmente às questões de conscientização de segurança no trânsito, o objetivo é compartilhar os princípios básicos de segurança e cidadania nas vias públicas de maneira lúdica.

Além de receberem carteirinha de habilitação, as crianças ganham uma espécie de talão de multas para entregar aos pais à medida que observarem alguma atitude errada no trânsito, como excesso de velocidade e falta de cinto de segurança. A ideia, segundo a coordenadora, é criar crianças responsáveis.

##RECOMENDA##

O Museu do Catavento está localizado na avenida Mercúrio, s/n - Brás, São Paulo, e funciona das 9h às 17h.

Slow Fashion e moda sustentável são temas para o Fashion Revoluiton, evento de porte mundial que chega ao Recife na próxima terça (24). Serão cinco dias de palestras, debates e mesas redondas, entre outras atividades, na UniFBV, Marco Pernambucano da Moda e no Garagem Café. A programação é gratuita. 

Divindo-se entre estes três lugares, o Fashion Revolution tem o objetivo de promover uma reflexão sobre como são fabricadas as roupas que as pessoas vestem e como são consumidas. Até o domingo (29), o evento promove oficinas, exibições de filmes, debates e troca de roupas.

##RECOMENDA##

O Fashion Revolution foi criado por um conselho de líderes da indústria da moda sustentável que se uniu após o desabamento do edifício Rana PLaza, em Bangladesh, no dia 24 de abril de 2013. O acidente vitimou fatalmente 1.133 pessoas e deixou 2.500 feridos.  A campanha surgiu com o objetivo de aumentar a conscientizaçãosobre o custo da moda e seu impacto em todas as fases do processo de produção e consumo. 

Serviço

Fashion Revolution

Terça (24) a domingo (29)

UniFBV; Marco Pernambucano de Moda; Garagem Café

Gratuito

[@#relacionadas#@]

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando