Tópicos | curta-metragem

A 17ª edição Mostra Nacional Olhar Brasilis está marcada para o início de outubro, em Santos, cidade do litoral paulista. Nesta semana foi anunciada a lista dos quinze curtas-metragens que estão selecionados para o evento.

Entre os selecionados estão três curta-metragens pernambucanos: "Enraizada", documentário com direção de Tiago Delácio; "Nova Iorque", ficção com direção de Leo Tabosa; e "Volta Seca", ficção com direção de Roberto Veiga.

##RECOMENDA##

Confira a lista completa:

AQUELE CASAL

Direção: William de Oliveira | Ficção | Curitiba/PR | 2019 | 12 anos

Depois de ser vítima de um violento ataque homofóbico, Marco e Luciano tentam superar o trauma e seguir em frente.

AQUELES DOIS

Direção: Émerson Maranhão | Doc | Fortaleza/CE | 2018 | 12 anos

Dois rapazes. Duas histórias que se cruzam. Duas vidas unidas por uma condição que define suas existências. Duas jornadas em busca do amor e de se reconhecer no espelho.

AR DA MEMÓRIA

Direção: Chris Tigra | Doc | Belo Horizonte/MG | 2019 | Livre

A imagem a partir do som, ar da memória. Perspectivas diferentes a partir da escuta, com depoimentos da artista da dança Dudude Herrmann, do cineasta Cao Guimarães, da atriz e dramaturga Grace Passô, do músico Marcos Moreira e do artista plástico Nuno Ramos.

BIÉ DOS 8 BAIXOS

Direção: Eduarda Gama e Uyatã Rayra | Doc | Feira de Santana/BA | 2018 | 12 anos

Um olhar sobre a manifestação cultural que acontece no Centro de Abastecimento de Feira de Santana (BA) Do samba de roda à sanfona, surgem personagens e narrativas populares.

BOCA DE FOGO

Direção: Luciano Pérez Fernández | Doc | Niterói/RJ | 2017 | Livre

Cidade de Salgueiro, sertão de Pernambuco, Brasil. Na arquibancada, o sol castiga os torcedores. No rádio, Boca de Fogo incendeia a transmissão. O futebol como você nunca viu.

ENRAIZADA

Direção: Tiago Delácio | Doc | Recife/PE | 2019 | Livre

No coração do Recife, Olívia resiste.

O GRANDE AMOR DE UM LOBO

Direção: Kennel Rogis e Adrianderson Barbosa | Doc | S. Miguel do Gostoso/RN | 2018 | 10 anos

Na busca por um grande amor, um jovem faz da realidade seu próprio filme.

O MALABARISTA

Direção: Iuri Moreno | Animação | Goiânia/GO | 2018 | Livre

Fragmentos do cotidiano e experiências de artistas de rua, que em meio à hostilidade das grandes cidades, buscam levar cores e sorrisos aos que cruzam seus caminhos.

NO RIO DAS BORBOLETAS

Direção: Zeudi Souza | Ficção | Manaus/AM | 2018 | 14 anos

Uma escolha, uma consequência. Duas irmãs vivem um impasse diante da mãe enferma. A decisão mudará para sempre o destino delas e de outras mulheres.

NOVA IORQUE

Direção: Leo Tabosa | Ficção | Recife/PE | 2018 | 10 anos

Hermila e Leandro querem fugir. Hermila e Leandro querem ficar.

PARABÉNS A VOCÊ

Direção: Andréa Kaláboa | Ficção | Curitiba/PR | 2019 | 10 anos

Uma menina de oito anos vive com os pais agricultores em uma colônia de descendentes de ucranianos. Ela espera por sua primeira festa de aniversário, mas precisará lidar com algumas situações antes disso.

REALEZA GAY

Direção: Carlos Eduardo Magalhães e Maria Fernanda Ribeiro | Doc | Macapá/AP | 2019 | Livre

Em um Brasil profundo e distante, em uma pequena cidade do estado do Amapá, a diversidade de gênero nasce na Amazônia e se comunica com a vanguarda do mundo. É o desfile da Realeza Gay.

SÓ SEI QUE FOI ASSIM

Direção: Giovanna Muzel | Animação | Pelotas/RS | 2019 | 10 anos

Santiago, melhor amigo de Júlia, encontra um livro sobre a selva e decide que está na hora de finalmente agir como um tigre.

A VOLTA PARA CASA

Direção: Diego Freitas | Ficção | São Paulo/SP | 2019 | Livre

Em uma casa de repouso, um marceneiro aposentado espera a visita da família. O jardineiro percebe sua ansiedade e o leva em um passeio repleto de memórias pelo bairro de Santana.

VOLTA SECA

Direção: Roberto Veiga | Ficção | Petrolina/PE e São Paulo/SP | 2019 | Livre

Marieta retorna ao povoado onde nasceu, 30 anos depois. Ignácio divide seu tempo entre a xilogravura e os cuidados com seu filho e mãe. Eis aqui o desejo de expressar-se, de gritar à falta que lhe torna vazio.

Estão abertas as inscrições para a 11º edição do CineFest, que ocorrerá entre os dias 18 a 30 de novembro, na cidade de Votorantim, interior de São Paulo.

O CineFest é um festival de curtas-metragens dividido nas seguintes categorias: Mostra Pindorama (nacional), Mostra Cachoeira (regional), Mostra Raízes (ambiental), Mostra Musical (vídeo clipes), todas essas em caráter competitivo, além das outras mostras paralelas que são: Mostra Paralela (curtas-metragens nos bairros), Mostra Inclusiva (exibição audiovisual com áudio e vídeo descrição direcionada ao público com deficiência auditiva e visual) e Mostra Um Minuto (exibição de vinhetas criadas por alunos da rede pública de ensino).

##RECOMENDA##

Segundo Douglas Garcia, coordenador geral do evento, ter pessoas das mais variadas regiões do país discutindo cinema no interior paulista é um diferencial para o festival. “Poder contar com pessoas de todos os lugares do Brasil discutindo cinema na nossa região e trocando experiências é sensacional... Novamente esperamos inscrições de toda região e do Brasil todo", explica.

Para Marcelo Domingues, curador da 11º edição, O CineFest é muito importante para a região, primeiro porque é um dos maiores eventos de cinema do interior paulista, e segundo porque proporciona um grande encontro de pensamentos e reflexões sobre o nosso país, através dos filmes que nos chegam e que foram produzidos por todo o território nacional.

As inscrições poderão ser feitas até o dia 15 de setembro através do site oficial do festival.

Serra Negra, em Bezerros, vai celebrar a Semana Santa com cinema, música e teatro. A Mostra Curta na Serra leva aos municípios, no próximo sábado (20) e domingo (21), atividades culturais além da exibição gratuita de filmes independentes feitos no Nordeste.

A curadoria ficou sob responsabilidade dos produtores Marlom Meirelles, Eva Jofilsan e Amanda Ramos. Os curadores enfocaram duas vertentes fazendo um recorte de curtas-metragens nordestinos. No primeiro dia de exibições, serão 11 filmes com a temática da arte como resistência social e política; já no segundo, 7 filmes que provocam reflexões sobre afeto e coletividade.

##RECOMENDA##

Além dos filmes, o Curta na Serra também promove apresentações no Polo Cultural de Serra Negra, reverenciando projetos de música autoral pernambucana e, também, espetáculos cênicos. No sábado (20), o Som Na Rural recebe o projeto Corre-Campo, formado pelos artistas Marcello Rangel, Agda Moura e Luiza Fittipaldi. Já no domingo (21), haverá show de Gabi da Pele Preta e o espetáculo TrupeÇando.

Programação:

Sábado, 20 DE ABRIL:

Panorama 1: Nossa Arma é o Cinema – Anfiteatro de Serra Negra, 19h.

·        Cerimônia de abertura;

·        Homenagem à Marcélia Cartaxo;

·     Exibição de filmes:

Ultravioleta (PB)

O Poeta do Barro Vermelho (AL)

Julian, Sem A, Sem O (PB)

Tempo Circular (PE)

Não Te Quero Mais Mizéra (PE)

Desyrrê (PE)

Impávido Colosso (PE)

Eu o Declaro Meu Inimigo (PE)

Quanto Craude no Meu Sovaco (PE)

Avalanche (AL)

Revólver (PE)

Shows – Pólo Cultural de Serra Negra, 22h.

Som Na Rural recebe o projeto Corre-Campo: Marcello Rangel, Ágda Moura e Luiza Fittipaldi + Festa com DJs Clássico dos Clássicos

DOMINGO, 21 DE ABRIL:

Encontro do Panorama Nordeste – Casa das Flores, 10h.

Shows e Espetáculos – Polo Cultural de Serra Negra, 16h.

· Histórias da Caixola - Contação de histórias com Alexandre Revoredo e Stephany Metódio;

·   Espetáculo TrupeÇando, com o palhaço Allan Barros;

·   Som Na Rural recebe Gabi da Pele Preta.

Panorama 2: Segura Minha Mão – Anfiteatro de Serra Negra, 18h.

Homenagem a Lula Vassoureiro;

Exibição de filmes:

Família Tropa Trupe – O Circo Enquanto Vida (RN)

Guaxuma (PE)

Nova Iorque (PE)

Clandestino (SE)

Terra (PE)

O Som do Silêncio (BA)

Bala Perdida (PE)

Serviço

II Curta na Serra - Mostra de Cinema ao Ar Livre

Sábado (20) e domingo (21)

Serra Negra - Bezerros (PE)

Gratuito

 

A 11ª edição do Janela Internacional de Cinema do Recife abre sua programação no dia 7 de novembro, com sessões nos cinemas São Luiz e da Fundação. Este ano, serão exibidas produções de Israel, Alemanha, Congo e Colômbia, entre outros países, que disputarão as mostras competitivas do festival.

Foram selecionadas 19 obras, sendo 10 curtas brasileiros e nove estrangeiros, para participar das mostras competitivas, nesta edição. Na mostra nacional, participam filmes de Pernambuco, São Paulo, Minas Gerais, Ceará e Rio de Janeiro. Além das competições de curtas e longa-metragens, o Janela Internacional de Cinema contará, também, com programa de clássicos e seleções especiais, além da oficina Janela Crítica.

##RECOMENDA##

Excepcionalmente este ano, o festival terá duração menor que nos últimos anos devido a uma readequação orçamentária. A linha curatorial do evento seguiu o contexto político da atualidade para que o tema estivesse presente no festival através de produções variadas. A programação completa do 11º Janela Internacional de Cinema do Recife será anunciada em breve.

Confira os títulos selecionados para as mostras competitivas de curtas-metragens

Curtas Nacionais

Bup, de Dandara de Morais (PE)

Mesmo Com Tanta Agonia, de Alice Andrade Drummond (SP)

Conte isso àqueles que dizem que fomos derrotados, de Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cris Araújo e Pedro Maia de Brito (PE/MG)

Cartuchos de Super Nintendo em Anéis de Saturno, de Leon Reis (CE)

Plano Controle,  de Juliana Antunes (MG)

NoirBlue, de Ana Pi (MG/França)

Inconfissões, de Ana Galizia (RJ)

BR3, de Bruno Ribeiro (RJ)

Retirada Para Um Coração Bruto, de Marco Antonio Pereira (MG)

Quantos Eram Pra Tá?, de Vinícius Silva (SP)

Curtas internacionais

The Men Behind The Wall, de Ines Moldavsky (Israel)

I Signed the Petition, de Mahdi Fleifel (Reino Unido/Alemanha/Suíça)

Kaniama Show, de BALOJI (Congo/Bélgica)

No Democracy Here, de Liad Hussein Kantorowicz (Alemanha/Palestina/Israel)

My Expanded View, de Corey Hughes (EUA)

Palenque, de Sebastián Pinzón Silva (Colômbia)

Screen, de Matthias Müller e Christoph Girardet (Alemanha)

Skip Day, de Ivete Lucas e Patrick Bresnan (EUA)

Onward Lossless Follows, de Michael Robinson (EUA)

[@#relacionadas#@]

Já faz 11 anos que o caruaruense Jeremias saiu do anonimato para o estrelato. Após ser preso, completamente alcoolizado, quando pilotava uma moto e ser entrevistado em um programa de televisão, seu vídeo viralizou e virou um clássico da internet. A história fez tanto sucesso que uma década depois ainda rende brincadeiras.

O curta metragem "O Cão Foi Quem Butô Pa Noiz Bebê", produzido pelo canal de Youtube Origem dos Memes traz uma versão do que teria acontecido com o personagem principal antes de ele ser detido e parar na delegacia. A direção é de João Gabriel Kowalski e o ator Marcelo Menezes interpreta o protagonista. O filme já conta com mais 42 mil visualizações.

##RECOMENDA##

Confira o vídeo:

[@#video#@]

O curta-metragem “Pretas”, grande vencedor do Festival Osga de Vídeos Universitários 2016, promovido pela Universidade da Amazônia (Unama), foi selecionado para participar da 39ª edição do Festival du court métrage de Clermont-Ferrand, na França. O curta ficará em exibição no estande brasileiro até o dia 11 de fevereiro.

O "Pretas" aborda a representatividade racial e o papel do negro na sociedade. Dirigido por Lucas Moraga, graduando do curso de Publicidade e Propaganda da Unama, o curta também foi premiado no Osga 2016 nas categorias de melhor direção, melhor produção, melhor atriz, melhor figurino e melhor edição.

##RECOMENDA##

Em entrevista ao LeiaJá, Lucas Moraga falou sobre a participação do curta-metragem em um festival internacional de cinema. Para ele, essa oportunidade serve de incentivo para que a equipe continue produzindo e contribuindo com o cenário do audiovisual. "É uma sensação única porque ainda nem saímos da universidade e já temos todo um reconhecimento que não esperávamos. É muito gratificante e impulsiona a continuar os próximos episódios com ainda mais empenho", informou.

Segundo Moraga, o "Pretas" é um projeto que foi sonhado por toda a equipe que participou da produção. Mais que os prêmios já conquistados, o diretor destacou que o grande objetivo é dar cada vez mais visibilidade para a temática que foi abordada no curta. "Queremos que esse projeto se torne ainda mais reconhecido por entendermos da importância dos temas debatidos e o quanto eles precisam estar em evidência. As mulheres negras necessitam de representatividade e não tem como deixar isso para depois. Estamos lutando para que essa representatividade ganhe o mundo", afirmou Moraga.

Para Marina Chiari, coordenadora do Festival Osga de Vídeos Universitários, a exibição do "Pretas" em um festival internacional mostra que o Osga é um festival que estimula a produção. Segundo ela, o sucesso do filme está ligado diretamente ao empenho da equipe que produziu. "Ficamos satisfeitos em perceber que o festival é um espaço profícuo para a produção universitária. Ver um filme que foi premiado no Osga ganhar tanta visibilidade é muito importante porque as pessoas se sentem estimuladas a produzirem para esse festival e essa produções eventualmente podem gerar mais visibilidade ainda para essas pessoas e estimular que elas continuem produzindo", contou.

A coordenadora também destacou que a produção audiovisual dentro da universidade vem crescendo principalmente pelo interesse dos estudantes. "Acho muito legal que os nossos alunos estejam buscando seu espaço. Com certeza não foi o festival que veio bater na porta deles, foram os próprios alunos que procuraram espaço para divulgar seu filme, inscreveram a produção em diversas iniciativas. Isso mostra que basta a gente se organizar para conseguir dar visibilidade ao nosso trabalho. É um resultado que mostra a qualidade dos nossos alunos, a  competência, o empenho e o amor que eles têm pela produção audiovisual", afirmou. Abaixo, assista ao curta "Pretas".

[@#video#@]

O curta-metragem brasileiro "A moça que dançou com o diabo", de João Paulo Miranda Maia, que disputava a Palma de Ouro na categoria de melhor curta-metragem, obteve uma menção especial do júri do Festival de Cannes.

O curta, de 14 minutos, conta a história de uma menina que pertence a uma família muito religiosa e sai em busca de seu próprio paraíso.

##RECOMENDA##

Ao receber a distinção, Miranda comemorou a presença em Cannes de outros filmes do país, ausente do festival nos últimos anos.

Assim como fizeram outros cineastas durante a mostra, o diretor do curta aproveitou o espaço para protestar contra o governo de Michel Temer e sua decisão de acabar com o ministério da Cultura - da qual o presidente interino voltou atrás.

"É muito perigoso para a liberdade de expressão e a liberdade artística", disse o diretor, em coletiva de imprensa após a premiação.

No sábado, "Cinema Novo", de Eryk Rocha, sobre este movimento cinematográfico brasileiro, levou o prêmio Olho de Ouro de melhor documentário.

Apesar de muito aplaudido, o longa-metragem "Aquarius", de Kleber Mendonça Filho, protagonizado por Sônia Braga, único filme da América Latina na disputa pela Palma de Ouro, deixou Cannes com as mãos vazias.

LeiaJá também 

--> Mesmo sem prêmio, Kleber Mendonça Filho exalta participação em Cannes

--> 'I, Daniel Blake' leva Palma de Ouro em Cannes

--> 'Cinema Novo', de Eryk Rocha, é premiado em Cannes

O curta-metragem "A moça que dançou com o diabo", de João Paulo Miranda, vai representar o Brasil na disputa pela Palma de Ouro do Festival de Cannes.

A produção, de 14 minutos, está na lista de 10 curtas-metragens da mostra oficial, anunciada nesta quarta-feira pela organização do festival. O diretor brasileiro integra uma lista que inclui produções da Espanha, Colômbia, Tunísia, Reino Unido, Filipinas, França, Romênia, Itália e Suécia.

##RECOMENDA##

O comitê de seleção informou que recebeu 5.008 candidaturas, 458 a mais que em 2015. Um júri presidido pela japonesa Naomi Kawase anunciará a Palma de Ouro de curta-metragem em 22 de maio, no dia de encerramento do festival, mesma data do anúncio do vencedor entre os longas-metragens.

O festival de Cannes começará no dia 11 de maio. A seleção oficial de longas-metragens será anunciada na quinta-feira.

A Arena Permabuco terá uma progamação especial para a realização do último jogo de futebol deste mês de outubro, no próximo sábado (21), entre Náutico e Botafogo. Antes da complicada partida que pode colocar o Timbu no G4 da Série B, será exibido o curta-metragem Pedrinho e a Chuteira da Sorte, a partir das 15h.

O jogo terá convidados especiais: crianças das comunidades de Penedo de Cima, em São Lourenço da Mata, e Massangana, no Cabo de Santo Agostinho, que participam do projeto social financiado pela Arena Pernambuco e a Concessionária Rota do Atlântico, em parceria com a ONG estadunidense, Love.Fútbol.

##RECOMENDA##

Lembrando que crianças com até 7 anos, acompanhada de adulto pagante, têm gratuidade nos jogos da Arena Pernambuco. Para acesso ao estádio, os responsáveis devem apresentar obrigatoriamente o documento de identidade original (RG) ou cópia autenticada ou a Certidão de Nascimento original. Os ingressos para a partida entre Náutico e Botafogo já estão à venda com valores entre R$15 e R$ 50.

ASSISTA AO TRAILER DE PEDRINHO E A CHUTEIRA DA SORTE:

[@#video#@]

Os apaixonados pelos filmes de terror vão comemorar o retorno do projeto Cineclube Toca o Terror. A reestreia será no próximo sábado (28) e contará com a exibição de cinco curtas-metragens do gênero. As produções estarão disponíveis em sessão exclusiva, no auditório do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (MAMAM).  

Na ocasião, serão exibidos os seguintes filmes: Revelações de um cineasta canibal, Judas, A Cor Que Caiu do Espaço, Mal Passado e O Desejo do Morto. A maioria das obras é inédita na capital pernambucana. A sessão do Cineclube Toca o Terror será a partir das 16h. Outras informações estão disponíveis no site

##RECOMENDA##

O projeto é o primeiro do gênero no Recife, com edições mensais e entrada gratuita. O Cineclube Toca o Terror é inspirado no blog e podcast de mesmo nome, que leva comentários sobre publicações, filmes, seriados e HQs divulgando a produção nacional e internacional do gênero. 

Serviço

Cineclube Toca o Terror

Sábado (28) | 16h

Auditório do MAMAM (Rua da Aurora, 265, Boa Vista - Recife )

Entrada gratuita

Classificação indicativa: 16 anos

 

O filme O Caminhão do Meu Pai, uma produção entre Brasil e Vietnã, conquistou uma vaga entre os 10 pré-finalistas ao Oscar de melhor curta. Com direção de Mauricio Osaki e produção de Flavia Guerra, o longa foi rodado em Hanói em 2011.

O curta conta a historia de uma menina que descobre que seu pai, transportador de agricultores pelos campos de arroz, também recolhe cachorros e os leva para abatedouros.

##RECOMENDA##

O Caminhão do Meu Pai (My Father's Truck, em inglês) concorre com outros nove filmes. Os cinco finalistas, entretanto, só serão anunciados no dia 15 de janeiro do ano que vem. A cerimônia do Oscar será realizada em 22 de fevereiro.

Lista

Aya, de Oded Binnun e Mihal Brezis

Baghdad Messi, de Sahim Omar Kalifa

Boogaloo and Graham, de Michael Lennox

La Lampe Au Beurre De Yak, de Hu Wei

Carry On, de Yatao Li

Parvaneh, de Talkhon Hamzavi

The Phone Call, de Mat Kirkby

SLR, de Stephen Fingleton

Summer Vacation, de Tal Granit e Sharon Maymon

Os vampiros mais famosos do planeta estão com retorno à mídia marcado para o ano de 2015. Mas, desta vez o palco será a rede social 'Facebook'. Um projeto, idealizado pela autora da saga Stephanye Meyer e a produtora Lion´s Gate, vai escolher cinco curtas-metragens produzidos por cineastas mulheres com a tarefa de retomar a história de Bella e Edward.

As seleções serão feitas pela atriz, protagonista da série, Kristen Stewart e pela própria autora da obra. Também compõem a banca julgadora as atrizes Kate Winslet e Octavia Spencer, a roteirista da animação Frozen Jennifer Lee e a diretora Catherine Hardwicke, responsável pelo primeiro episódio de Crepúsculo.

##RECOMENDA##

O elenco original que deu vida aos personagens nos cinemas não foi confirmado para atuar nas novas produções. A ideia de usar o 'Facebook' para exibição e divulgação dos filmes tem o propósito de captar um novo público para a saga vampiresca. 

Estão abertas a partir desta terça-feira (1º), até o dia 1º de agosto, as inscrições para a sétima edição do Curta Taquary – Festival Internacional de Curta Metragem. O evento será realizado entre os dias 24 e 28 de novembro em Taquaritinga do Norte, Agreste pernambucano. As inscrições devem ser feitas através do site oficial do festival. Os interessados podem inscrever seus curtas em três mostras competitivas – Primeiros Passos (para estreantes), Dálias da Serra (participantes de oficinas) e Competitiva Nacional.

Os trabalhos selecionados para as mostras Primeiros Passos e Competitiva Nacional serão premiadas nas seguintes categorias: curta-metragem, direção, roteiro, direção de fotografia, edição, ator, atriz, direção de arte, som, e trilha sonora. A mostra Dálias da Serra contará com os mesmos prêmios, exceto os de som, trilha sonora e direção de arte. Os trabalhos que não forem selecionados podem participar de mostras paralelas.

##RECOMENDA##

Além da exibição de filmes, a programação desta edição do Festival Internacional de Curta Metragem inclui seminários, oficinas, palestras e homenagens a personalidades do cinema. Entre as novidades deste ano, o Curta Taquary terá um intercâmbio maior com países latino-americanos. Além de exibições especiais com curtas do Chile, Colômbia, Uruguai, República Dominicana, México e Argentina, haverá um seminário com participação de diretores estrangeiros.

O decano mundial dos cineastas, Manoel de Oliveira, que, em dezembro, completou 105 anos, volta ao trabalho esta semana no Porto, sua cidade natal, para filmar um curta-metragem. "Finalmente conseguiu o financiamento que esperava há vários meses", declarou Adelaide Maria Trepa, filha do cineasta.

As filmagens do novo curta-metragem, também confirmadas pela produtora O som e a fúria, acontecerão na cidade do Porto, onde Oliveira começou nos anos 30 com o filme Douro, Faina Fluvial, um documentário mudo sobre as margens do rio Douro. O novo filme, que tem o título O Velho do Restelo, é inspirado em um personagem do poema épico Os Lusíadas, escrito no século XVI por Luís de Camões para relatar as grandes descobertas marítimas dos navegantes portugueses.

##RECOMENDA##

O projeto de Manoel de Oliveira foi adiado por um contexto muito difícil para o cinema português, que sofre com os cortes orçamentários do governo para atender as exigências dos credores internacionais do país. O diretor, que tem mais de 50 longas-metragens de ficção e documentários no currículo, e que foi hospitalizado em várias ocasiões em 2012 por complicações após uma infecção, não quer ouvir falar de aposentadoria. "Está muito concentrado nas filmagens", explicou a filha.

O cineasta pernambucano Carlos Nigro começou a rodar seu novo curta Casa Cheia. O filme, que está sendo gravado em um apartamento nos Aflitos, na Zona Norte da cidade, é um uma homenagem ao cinema de terror da década de 1980.

A produção conta com verbas do Ministério da Cultura e da Fundarpe, mas será preciso patrocínio de empresas privadas para a finalização do curta. A película conta a história de uma jovem que é perseguida por um garoto durante sonhos perturbadores e angustiantes, que vão se repetindo até que ela entender as intenções de seu perseguidor. 

##RECOMENDA##

De forma divertida e reflexiva, o curta-metragem francês Maioria Oprimida mostra como a sociedade seria se os papéis de homens e mulheres fossem invertidos. A proposta é conscientizar as pessoas sobre o machismo.

Dirigido por Éleonore Pourriat, o filme mostra cenas cotidianas sob outro ponto de vista. O personagem principal é um homem, que sai de casa para levar seu bebê à creche, mas no caminho é paquerado por algumas mulheres na rua. Ao chegar no local, ele conversa com o responsável, que é um muçulmano oprimido pela mulher.

##RECOMENDA##

No caminho de volta para casa, o protagonista é ofendido por quatro bandidas. Ao respondê-las, ele é agredido e estuprado. Na delegacia, a policial mostra indiferença com o caso e diz que não poderá fazer nada. A história segue com uma discussão entre o homem e sua esposa.

O Festival de Roterdã, na Holanda, começa nesta quarta-feira (22) e segue até o dia 2 de fevereiro. Serão 10 dias de mostras de filmes de todo o mundo, com presença forte do cinema brasileiro.

Na disputa pelo Prêmio Tiger, o principal da competição, estão os filmes Casa grande, longa-metragem de Felipe Barbosa, e Riocorrente, de Paulo Sacramento. O primeiro explora a questão dos privilégios de classe, com a história de um jovem que tenta escapar dos seus pais supeprotetores enquanto a família passa por dificuldades financeiras. A trama do segundo é sobre um triângulo amoroso paralelo à história de um menino de rua. O Brasil é o único país com dois filmes disputando o prêmio Tiger de longa-metragem.

##RECOMENDA##

Além de Casa Grande e Riocorrente, o curta O Porto também entra na disputa do prêmio Tiger, mas na categoria de curta-metragem. A mostra Bright Future conta com os longas Depois da Chuva, de Cláudio Marques e Marília Hughes, e com A história da eternidade, primeiro filme do pernambucano Camilo Cavalcante. Depois da Chuva foi exibido no Janela Internacional de cinema do Recife, em 2013.

Na categoria Spectrum, serão exibidos Educação Sentimental, de Júlio Bressane, e Periscópio, de Kiko Goifman, além de O sangue na Bahia é quente, uma cooprodução com a Itália, dirigida por Aurelio Grimaldi. Já a seção dedicada aos curtas-metragens, com viés artístico e experimental, possui quatro filmes brasileiros: Rua de Mão única, de Cinthia Marcelle e Tiago Mata Machado; Terno, de Gabriela Amaral Almeida e Luana  Demange; A que deve a honra da ilustre visita este simples marquês?, de Rafael Urban e Terente Keller; e Verona, de Marcelo Caetano. Além desses, Apicula Enigma, uma coprodução Brasil-Reino Unido-Espanha de Marine Hugonnier, integra a mostra.

Entre os dias 6 e 9 de dezembro, na Praça Multieventos, em Maceió, acontece a quarta edição da Mostra Sururu de Cinema alagoano. As inscrições estão abertas até o dia 18 de novembro, exclusivamente pelo link.

No site da mostra, realizado pela Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-metragistas de Alagoas (ABD&C/AL), podem ser encontrados, além do regulamento na íntegra, mais informações sobre o processo de seleção.

##RECOMENDA##

Apenas filmes com duração máxima de 30 minutos, incluindo créditos, produzidos em Alagoas por produtores e realizadores alagoanos, ou residentes no estado há mais de dois anos, podem participar. Os curtas que concorrerão nas categorias ficção, documentário, animação, híbrido ou experimental devem ter sido concluídos entre novembro de 2011 e outubro de 2013, sendo vetada a participação de filmes exibidos em edições anteriores do evento.

Os filmes selecionados serão anunciados num prazo máximo de 10 dias após o término das inscrições. A soma total do prêmio é de R$ 18 mil, que será dividido em 11 categorias.

Serão eleitos o melhor diretor, roteiro, ator, atriz, direção de fotografia, montagem, desenho de som, trilha sonora e direção de arte, além do troféu Algás de Melhor Filme e Melhor Documentário. O anúncio dos vencedores será feito em uma cerimônia no encerramento do evento.

A noite deste sábado (26) foi marcada pelo encerramento do 1º Recifest - Festival de Cinema da Diversidade Sexual, no cinema São Luiz, Centro do Recife. Após cinco dias com uma programação diversificada, o último dia do evento trouxe uma apresentação de Ceronha Pontes e Lilli Rocha, do Coletivo Angu de Teatro.

Além das premiações, o festival- que contou com 47 curtas e dois longas-metragens voltados para o público LGBTTT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros)- prestou uma homenagem a Rutílio de Oliveira, produtor cultural que faleceu há cerca de um ano, e ao Coletivo Angu de Teatro. Os troféus entregues na noite foram confeccionados pela artista Xuruca Pacheco. 

##RECOMENDA##

Em um momento em que o país promove discussões sobre a homofobia, beijos gays começam a ser encarados com maior naturalidade na mídia e o casamento entre iguais entra em evidência, o evento surge em um momento de fortalecimento de espaço. "Minha grande luta é falar sobre visibilidade: como somos vistos, como devemos ser vistos e como queremos ser vistos", revelou Ricky Mastro, curador do evento, ao Portal LeiaJá.

Com muita emoção, a cerimônia recebeu a presença de Eleonora Pereira, coordenadora Nacional e Regional do Movimento Nacional Mães pela Igualdade e presidente do Instituto José Ricardo - Pelo bem da Diversidade. Eleonora, que perdeu seu filho, vítima de um crime homofóbico, declarou "Meu filho ainda está vivo, mas não fisicamente, está vivo na luta.  A partir do momento que retiraram o bem mais precioso dele e que caiu da sua mão a bandeira do arco-íris, a mãe dele ergueu a mesma bandeira sem vergonha de dizer que meu filho era gay e era muito amado, e ainda é", arrancando lágrimas da plateia. 

Allan Deberton, diretor do vencedor "O melhor amigo", na categoria curta nacional, eleito pelo Júri Oficial, emocionado com as palavras de Eleonora comentou como o preconceito também lhe afetou. "Me sinto covarde por minha família não ter assistido o filme ainda. Sei que vou magoá-los, ou, talvez eles tenham orgulho, mas ter o filme exibido e ter a simpatia do júri e do público me deixa muito feliz, então talvez agora eu me prepare para que eles possam assistir também", disse. 

Também estava presente na cerimônia o Procurador de Justiça do Ministério Público de Pernambuco, Adalberto Farias. O Procurador, que protagonizou o 1º casamento homoafetivo a ocorrer fora da região Sul-Sudeste do Brasil, explanou "Acredito que o casamento civil entre os homossexuais constitui um direito humano e o direito da cidadania em uma sociedade democrática". 

O Cinema São Luiz que sediou o evento durante os cinco dias de exibição contou com um público assíduo e sessões lotadas. "Não recebemos apenas um público GLS, muitas pessoas que prestigiaram o evento estavam aqui porque gostam de cinema", comentou a promoter Maria do Céu. 

Confira os premiados do 1º Recifest - Festival de Cinema da Diversidade Sexual:

Prêmio Estadual Sétima Arte Direitos Humanos

Curta Pernambucano - Khady, de Hanna Godoy

Curta Nacional - Quem tem medo de Cris Negão?, de René Guerra

Prêmio cineclubista de melhor filme para a reflexão

Quem tem medo de Cris Negão?, de René Guerra

Prêmio ABD/Apeci 

Melhor curta pernambucano - Garotas da moda, de Tuca Siqueira

Melhor curta nacional - Jessy, de Paulo Lice, Rodrigo Luna e Ronei Jorge

Prêmiação do Júri Popular

Melhor curta pernambucano júri popular

Tubarão, de Leo Tabosa

Melhor curta nacional júri popular

O diário de Márcia, de Bertrand Lira

Menção Honrosa Júri Oficial

O diário de Márcia, de Bertrand Lira

Quem tem medo de Cris Negão?, de René Guerra

Garotas da Moda, de Tuca Siqueira

Khady, de Hanna Godoy

Melhor curta nacional Júri Nacional

O melhor amigo, de Allan Deberton

Melhor curta pernambucano Júri Oficial

Tubarão, de Leo Tabosa

O Festival Curta Brasília abriu o período de inscrições para a segunda edição. O evento, inteiramente dedicado à exibição, difusão e valorização de produções no formato de curta-metragem, será realizado de 28 de novembro a 1º de dezembro, no Cine Brasília.

Este ano, o Festival Curta Brasília terá as mostras competitivas local e nacional, além de oficinas, debates, mostras paralelas nacionais e internacionais e circuitos itinerantes.

##RECOMENDA##

Uma das novidades é a mostra internacional de curtas-metragens franceses, além de Prêmio Cine França Brasil que oferecerá viagem ao país, em parceria com a Embaixada da França, para fortalecer o caráter de formação e intercâmbio cultural do evento. Um dos destaques é o prêmio Direitos da Infância, oferecido pelo Instituto Sabin e UNICEF às produções que abordem o tema.

Para participar, os filmes precisam ter no máximo 25 minutos, realizados a partir de janeiro de 2010, em qualquer formato e gênero. A Mostra Curta Brasília é restrita para quem é do Distrito Federal ou residente há mais de dois anos. Já a Mostra Curta Brasil é aberta para todos os brasileiros.

As inscrições podem ser feitas até o dia 31 de agosto pelo site do festival.

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando