Tópicos | acesso

Acabou a agonia. O Sport está de volta à Série A do Campeonato Brasileiro. Só bastava empatar contra a Ponte Preta, nesta quarta-feira (20), na Ilha do Retiro, porém o time fez mais. Foi difícil, de virada, mas o rubro-negro venceu por 2 x 1. Confira imagens da festa:

[@#galeria#@]

##RECOMENDA##

 

Após a vitória sobre a Ponte Preta, nesta quarta-feira (20), na Ilha do Retiro, o treinador Guto Ferreira era só alegria. Depois do acesso sacramentado, o comandante rubro-negro falou sobre o trabalho realizado esse ano no Sport. Ele aproveitou para agradecer elenco, funcionários e diretoria.

“Vou relatar o trabalho que começou em fevereiro, com muita dificuldade. Os jogadores formaram um ambiente sadio e entenderam o que buscávamos aqui dentro. No peito e na raça, com dificuldades, com a direção se esforçando. E todos os funcionário empurrando, essa energia cresceu dentro do clube e transformou a equipe no que foi. Agradeço à direção por ter me escolhido, nos momentos difíceis terem respeitado o trabalho e fortalecido o comando”, disse. 

##RECOMENDA##

“Classifico o trabalho como brilhante. Fico feliz de ter o artilheiro e o vice. A terceira defesa menos vazada e o segundo melhor ataque. O melhor ladrão de bola da competição (Charles), Mailson como o goleiro com mais defesas difíceis. E o mais importante, de volta à primeira divisão. Trabalho marcante dentro da minha carreira. É um clube muito grande, não pode estar fora da série A”, completou.

Guto, porém, foi discreto ao falar sobre renovação. “Agora, com as coisas definidas, teremos tempo para conversar. Estou feliz aqui, o que pode me tirar é a falta de condição de um projeto maior ou se aparecer algo grande, mas não vou em qualquer lugar, não vou em qualquer barca”, garantiu.

Acabou a agonia. O Sport está de volta à Série A do Campeonato Brasileiro. Só bastava empatar contra a Ponte Preta, nesta quarta-feira (20), na Ilha do Retiro, porém o time fez mais. Foi difícil, de virada, mas o rubro-negro venceu por 2 x 1. Após uma primeira etapa ruim, o Leão voltou melhor do intervalo e sacramentou o resultado com dois gols de Guilherme.

O JOGO

##RECOMENDA##

Foi um primeiro tempo horroroso dos donos da casa. Não só porque o time não chegou ao ataque, mas porque também sofreu com a velha “lei do ex”. Em cobrança de escanteio, Roger escorou o cruzamento de perna esquerda e abriu o placar para a Macaca.

Aos 5 minutos da segunda etapa, finalmente o Leão chegou assustando. Guilherme recebeu cruzamento e rolou para o meio da área. Guilherme Lazaroni chegou batendo de primeira e obrigou Ygor Vinhas a espalmar.

A pressão continuou até que o empate veio nos pés do artilheiro do Campeonato Brasileiro da Série B. Triangulação dentro da área e Elton fez o pivô. Guilherme bateu rasteiro no canto esquerdo do goleiro e deixou tudo igual.

O clima esquentou depois disso e Hyuri e Marquinhos se estranharam. Ambos acabaram expulsos. Vico também levou cartão vermelho, após agredir Éder. Com um a menos a Ponte não fez mais nada e Guilherme, aos 46, virou, pegando um rebote do goleiro.

FICHA DE JOGO

Competição: Campeonato Brasileiro da Série B

Local: Ilha do Retiro (Recife)

Sport: Luan Polli; Raul Prata, Rafael Thyere, Éder (Cleberson) e Guilherme Lazaroni; Marcão (Yan), Charles, Leandrinho (João Igor) e Hyuri, Guilherme e Elton. Técnico: Guto Ferreira

Ponte Preta: Ygor Vinhas; Edílson, Renan Fonseca, Henrique Trevisan e Arnaldo; Camilo, Lucas Mineiro, Araos (Vico) e Renato Cajá (Dadá); Marquinhos e Roger. Técnico: Gilson Kleina

Gols: Guilherme 2x (SPO); Roger (PON)

Arbitragem: João Batista de Arruda (RJ)

Assistentes: Silbert Faria Sisquim (RJ) e Thiago Gomes Magalhães (RJ)

Cartões amarelos: Raul Prata, Guilherme e Yan (SPO); Araos, Renan Fonseca e Roger (PON)

Cartões vermelhos: Hyuri (SPO); Marquinhos e Vico (PON)

Ainda não foi dessa vez que o torcedor do Sport soltou o grito “eu vou pra primeira”. Nesse domingo (17), o Leão ficou no 0 x 0 diante do Vila Nova e ainda não confirmou 100% seu acesso. Quarta-feira (20), de novo em casa, o time encara a Ponte Preta para subir. Segundo o treinador Guto Ferreira, é hora de calma.

“Nosso time teve dificuldade em vários aspectos, mas não tem que arrumar desculpas, tem que arrumar solução. Ansiedade não depende do quanto de experiência que você tem, mas do momento que você está vivendo. Mais uma vez vamos terminar o campeonato sem vencer três seguidas”, lamentou.

##RECOMENDA##

Sobre o empate, o técnico disse que “o problema não foi garra, foi a gente conseguir colocar a bola dentro do gol e jogar com calma”. “No final do jogo a gente até desarrumou a defesa, tentando decidir. Isso mostra como estávamos ansiosos. O jogo começou amarrado e no segundo tempo acelerou até passar do ponto. A experiência que eles tiveram hoje é pra procurar tranquilizar. Diminuir a expectativa”, completou.

Ainda não foi dessa vez que o torcedor do Sport soltou o grito “eu vou pra primeira”. Nesse domingo (17), o Leão ficou no 0 x 0 diante do vice-lanterna Vila Nova, no dia em que a Ilha do Retiro recebeu seu maior público nessa Série B. Com o empate, a equipe rubro-negra ainda não confirmou 100% seu acesso. Quarta-feira, de novo em casa, o time encara a Ponte Preta para tentar, finalmente, fazer a festa

[@#galeria#@]

##RECOMENDA##

O JOGO

O Sport foi intenso desde os primeiros minutos. Os donos da casa tiveram boa chances com Guilherme, com Elton, de cabeça e até de bicicleta, com Marquinho batendo cruzado, mas a partida foi para o intervalo com o placar em branco.

Já a segunda etapa começou com o Vila Nova assustando com Gustavo Henrique quase marcando de cabeça. Mas, aos 27, a melhor oportunidade foi rubro-negra. Guilherme cabeceou, Rafael Santos defendeu e, no rebote, ele mesmo acertou a trave. Nos últimos minutos, Willian Farias ainda obrigou o goleiro visitante a se esticar todo, em um chute de fora da área, mas no fim das contas “ninguém foi de ninguém”.

FICHA DE JOGO

Competição: Campeonato Brasileiro da Série B

Local: Ilha do Retiro (Recife)

Sport: Luan Polli; Norberto, Adryelson (Éder), Cleberson e Sander; Willian Farias, Charles, Marquinho (Yan) e Guilherme; Hyuri (Marcinho) e Elton. Técnico: Guto Ferreira

Vila Nova: Rafael Santos; Felipe Rodrigues, Diego Jussani, Elivelton e Jeferson; Edinho, Araújo (Joseph), Magno e Robinho (Elias); Capixaba e Gustavo Henrique (Mailson). Técnico: Itamar Schulle

Arbitragem: Marielson Alves Silva (BA)

Assistentes: Jucimar dos Santos Dias (BA) e Jose Carlos Oliveira dos Santos (BA)

Cartões amarelos: Sander e Willian Farias (SPO); Magno, Felipe Rodrigues e Capixaba (VIL)

Público: 24.420

Quase todos os caminhos terão como destino a Ilha do Retiro no próximo domingo (17). A partir das 16h, o Sport, vice-líder do Campeonato Brasileiro da Série B, enfrenta o Vila Nova, que briga na parte inferior da tabela. Mais que uma simples partida, o jogo pode cravar o retorno do clube pernambucano à elite do futebol nacional e, com mais de 17 mil ingressos comercializados, o clube deverá receber na Ilha do Retiro seu maior público em 2019.

Nesta sexta-feira (15), caso América-MG, que encara o Vitória em casa, e o Paraná, que enfrenta o Atlético-GO em Goiás, tropecem, o Sport pode confirmar, matematicamente, sua subida. No entanto, muitos torcedores rubro-negros querem marcar presença no caldeirão leonino no domingo, independente dos resultados de hoje; estão esgotados ingressos para vários setores da Ilha do Retiro: arquibancada frontal, arquibancada sede e sociais. Ainda restam bilhetes para assentos especiais e cadeira de ampliação.

##RECOMENDA##

Vencendo o Vila Nova e automaticamente somando os 66 pontos, o Sport confirmará matematicamente o retorno ao Brasileirão da Primeira Divisão. A equipe vermelha e branca, por sua vez, teme o fantasma do rebaixamento, na 19ª colocação, com apenas 34 pontos. Confira, a seguir, detalhes sobre as vendas de ingressos:

Sexta-feira (15):

Bilheterias sociais e do arco: das 9h às 17h

Sábado (16):

Bilheterias sociais e do arco: das 9h às 17h

Domingo (17):

Bilheterias sociais e do arco: das 9h às 17h15

Bilheteria do muro: das 9h às 17h15

Bilheteria visitante: das 12h às 17h15

VALORES DOS INGRESSOS

Sócios

Sociais – R$ 

Arquibancada sede – R$ 20

Arquibancada frontal – R$25

Assento especial – R$ 50

Cadeiras de ampliação – R$ 50

Cadeiras Centrais – R$ 60

Não-sócios

Arquibancada sede – R$40 (inteira)/ R$20 (meia)

Arquibancada frontal – R$50 (inteira)/R$25 (meia)

Assento especial – R$100 (inteira)/R$50 (meia)

Cadeira ampliação –R$100 (inteira)/R$50 (meia)

Cadeira central – R$120 (inteira)/R$60 (meia)

Proprietários

Camarote – R$ 60

Cadeira central – R$ 60

Assento especial – R$ 50

Cadeira ampliação – R$ 50

Proprietário e sócio

Camarote – R$ 25

Cadeira central – R$ 25

Assento especial – R$ 25

Cadeira ampliação – R$ 25

Conselheiro (todos os portões) – R$ 30

Sócio Campeão 87

Cadeira central – R$ 25

Visitante – R$40 (inteira)/R$20 (meia)

Outros pontos de vendas: Arena Torcedor Shopping Rio Mar, Recife, Patteo Olinda e Carol Esportes Areias.

O Sport já desembarcou em Porto Alegre para o confronto do próximo domingo (20) contra o Brasil de Pelotas. Antes de seguir viagem nesta quinta-feira (17), o zagueiro Rafael Thyere e o volante Willian Farias falaram sobre o momento do clube nessa reta final da série B.

O Sport tem a terceira melhor campanha fora de casa na competição. São 14 partidas com cinco vitorias, sete empates e duas derrotas. Mas o zagueiro Rafael Thyere, que já enfrentou o Brasil de Pelotas em algumas oportunidades nos tempos de Grêmio lembrou que o leão não terá vida fácil.

##RECOMENDA##

"A gente vem fazendo uma bela campanha fora de casa. A gente sabe da dificuldade que é enfrentar o Brasil lá, eu já enfrentei algumas vezes, sabe da força do adversário. Mas a gente vem se preparando bem, temos a consciência que esses pontos fora de casa nós dá uma condição muito boa na competição", disse.

Já Willian Farias, que interrompeu uma sequência de oito jogos como titular, está de volta à equipe. Mesmo ciente de que os próximos jogos vão definir o acesso e o título, Willian não quer saber de fazer contas.

"A gente tem que vivenciar jogo a jogo. Você faz conta simulando jogos e resultados, dependendo da conta que você faz se o resultado não for aquilo que você pensou tem que refazer. O importante é pensar jogo a jogo", cravou.

Cerca de 24,3 milhões de crianças e adolescentes, com idade entre 9 e 17 anos, são usuários de internet no Brasil, o que corresponde a cerca de 86% do total de pessoas dessa faixa etária no país. A informação consta na pesquisa TIC Kids Online Brasil 2018, divulgada hoje (17) pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), por meio do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br).

“Este percentual é mais alto do que a média da população em geral [conectada], que está em torno de 70%. Isso mostra que crianças e adolescentes são um público bastante conectado à rede”, disse Fabio Senne, coordenador de projetos de pesquisas do Cetic.br. Segundo ele, há três anos o uso da internet por esse público era 79%. “Há um incremento constante no percentual de usuários. E isso tem a ver também com as faixas etárias. Quando se chega na faixa entre 15 e 17 anos, esse percentual é ainda maior que os 86%”.

##RECOMENDA##

A pesquisa apontou também que, no ano passado, 3,8 milhões de crianças e adolescentes não tinham acesso à internet por falta, por exemplo, de acesso à rede em casa (8%) ou pela impossibilidade de usar a internet na escola (5%). Segundo Fabio Senne, as regiões Norte e Nordeste são as que menos usam internet no país (75%), enquanto a Região Sul (95%) é o local onde crianças e adolescentes estão mais conectadas.

“A pesquisa estima que cerca de 3,8 milhões de crianças e adolescentes não usaram a internet nos últimos três meses. E elas estão concentradas nas parcelas mais vulneráveis da população, especialmente nas classes D e E e uma quantidade grande também [está] presente na Região Nordeste do país, o que mostra que é preciso políticas específicas de inclusão mais focalizadas nesses públicos”, disse.

Multimídia

Segundo a pesquisa, oito em cada dez crianças e adolescentes do país assistem a vídeos, programas, filmes ou séries na internet. O estudo revelou que o uso da internet para atividades multimídia por crianças e adolescentes (83% do total dos entrevistados) é maior que a utilização da internet para o envio de mensagens instantâneas (77%), que o hábito de jogar sem conexão com outros jogadores (60%) ou conectados com outros jogadores (55%) e pouco maior que o uso da internet para escutar música (82%).

A internet é mais usada por meio de telefone (93%). Desde 2014, o uso de telefone celular ultrapassou o uso de computadores e Senne acredita que isso deve ainda aumentar. Também vem crescendo o uso de internet por meio da televisão (chegando a 32%, quando em 2014 era acessada por 5% dos entrevistados). A pesquisa apontou que em setores mais vulneráveis da população, as pessoas tendem a usar a internet exclusivamente por celular, como no caso das classes D e E, em que esse tipo de uso exclusivo foi apontada por 71% das pessoas.

Educação

Cerca de 74% das crianças e adolescentes utilizam a internet para pesquisa em trabalhos escolares. Pouco mais da metade ( 53%) usa a internet para ler ou assistir a notícias, enquanto 66% diz que costuma fazer pesquisas na internet por curiosidade ou vontade própria.

No entanto, o uso de internet dentro das escolas atinge em torno de 40% das crianças e adolescentes do país. “Isso mostra que, apesar do uso já atingir 86% das crianças e adolescentes, quando vamos olhar para a escola, a escola não está sendo um espaço prioritário de uso da rede”, disse Senne.

Redes sociais

De acordo com a pesquisa, cerca de 82% das crianças e adolescentes usuárias de internet relatam usar e ter perfil nas redes sociais, o que corresponde a cerca de 22 milhões de usuários dessa faixa etária no país. “Ela [a pesquisa] traz uma tendência bastante marcante de crianças e adolescentes nesses ambientes. Se a gente olha esse dado por faixa etária, temos quase 97% de crianças e adolescentes usuários de internet, entre 15 e 17 anos, que possuem perfil na rede social, o que é bastante expressivo”, disse a coordenadora da pesquisa Luísa Adib.

Pela primeira vez na pesquisa, o número de crianças e adolescentes com contas no WhatsApp superou o número de perfis no Facebook. Também cresceu o número de usuários dessa faixa etária no Instagram, que é a terceira plataforma em número de uso entre esse público.

Apesar dos benefícios, Luisa disse que o uso da internet por crianças e adolescentes também envolve riscos, como o contato com estranhos, embora não necessariamente, segundo ela, isso possa incorrer em um problema. Também pode haver a exposição a conteúdos sensíveis e a própria conduta da criança e do adolescente poder ser considerada ofensiva para seus próprios pares.

Luisa alerta que atividades de mediação entre pais e seus filhos e o acompanhamento no uso da internet podem ajudar na prevenção desses riscos. “O que a gente observa é que as medidas mais ativas e participativas são as que tendem a trazer melhores resultados do que aquelas que são restritivas. A restrição pode inibir o uso, mas também não prepara para o uso. Então, é o acompanhamento [dos pais] que possibilita que a criança crie mecanismos e desenvolva habilidades necessárias para a presença nesse ambiente”.

[@#video#@]

Após o empate por 0 a 0 no Mangueirão, em Belém, na noite de domingo (1), diante da equipe do Náutico, o técnico bicolor Hélio dos Anjos revelou o nome dos três primeiros cobradores do Paysandu para uma eventual decisão por pênaltis no jogo decisivo de domingo (8), às 18 horas, no estádio dos Aflitos, em Recife. São eles, respectivamente, Tomas Bastos, Tony e e Caíque Oliveira (veja vídeo acima).

##RECOMENDA##

Hélio ressaltou que, numa decisão por pênaltis, os três jogadores citados são claramente os seus preferidos. Declarou, também, que espera conseguir a classificação para a Série B sem a pressão das penalidades. “Só esperamos que não seja algo tão dramático, que seja um pouquinho mais relaxado, porque se está bom, é porque está sendo sofrido e na vida a adversidade maior faz você crescer”, disse.

Com reportagem de Cássio Kennedy.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo (5) que assinará, na próxima terça-feira (7), decreto para facilitar a vida de caçadores, atiradores e colecionadores de armas, os chamados CACs. Sem entrar em detalhes, ele disse que o texto tratará de quantidade de munição e do transporte de arma municiada. A declaração foi dada após ser questionado por pessoas que o aguardavam na porta do Palácio do Alvorada.

Em janeiro deste ano, pouco após assumir o cargo, Bolsonaro assinou decreto que flexibilizou a posse de armas no País. Na ocasião, o texto foi considerado "tímido" pelos que defendem mais acesso a armas pela população.

##RECOMENDA##

Bolsonaro deixou a residência oficial, no início da tarde deste domingo, para participar do enterro da mãe de um ex-funcionário de seu gabinete na Câmara. A cerimônia ocorreu na cemitério Campo da Esperança, em Brasília. Segundo os presentes, trata-se da mãe de Eduardo Guimarães.

Na chegada ao local, o presidente cumprimentou pessoas que acompanhavam o cortejo e caminhou abraçado ao ex-funcionário. O filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) também participou do enterro.

Nova York

Questionado sobre o cancelamento de sua ida a Nova York, prevista para a semana que vem, o presidente respondeu apenas que ainda "vai aos Estados Unidos", mas não detalhou itinerário, nem a data.

Na sexta-feira, o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, divulgou nota em que comunicava a desistência de Bolsonaro de ir a Nova York receber o prêmio Pessoa do Ano, organizado pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. O motivo do cancelamento foi a repercussão negativa da presença do presidente no evento, previsto para o próximo dia 14.

Bolsonaro vinha recebendo críticas de políticos americanos, principalmente do prefeito de Nova York, Bill de Blasio, e do senador Brad Hoylman, ambos democratas. Os dois comemoraram a desistência do brasileiro.

No sábado, o vice-presidente Hamilton Mourão atribuiu o cancelamento a disputas internas nos EUA. "A realidade é que o presidente se sente incomodado pela atitude do prefeito de Nova York, que nada mais é do que uma disputa interna nos Estados Unidos", disse Mourão após participar da Festa Nacional da Cavalaria do Rio Grande do Sul, no município de Tramandaí. "O prefeito é democrata, o presidente Donald Trump é republicano e o presidente Jair Bolsonaro julgou por bem não se meter em algo que é uma disputa de outro país", afirmou o vice.

A Receita Federal identificou que os dois servidores que acessaram dados do presidente Jair Bolsonaro e de seus familiares fizeram várias consultas ao longo de 2018 e em períodos que coincidem com datas importantes do calendário eleitoral, disse ontem ao Estadão/Broadcast o secretário da Receita Federal, Marcos Cintra. "Está comprovado e está nas mãos da polícia. Nem o secretário da Receita pode entrar e fuçar o que quiser."

De acordo com o secretário, dois acessos feitos no final de outubro não foram justificados e estão sob investigação.

##RECOMENDA##

Foram levantados dados de irmãos e tios do presidente, além do próprio Bolsonaro. Em depoimento à Polícia Federal, um dos servidores investigados, Odilon Alves Filho, disse que fez apenas um acesso e consultou só dados cadastrais, por curiosidade. Ele é irmão da deputada Norma Ayub (DEM-SP).

A Receita abriu sindicância depois de a corregedoria ter sido informada que dados confidenciais do presidente e de vários CPFs relacionados à família dele estavam sendo acessados - os sistemas do órgão são monitorados e cada consulta é registrada. "Pedimos à PF que investigue se há ligações externas, se isso faz parte de um plano maior, se tem gente por trás", afirmou o secretário.

Cintra avisou Bolsonaro da sindicância no fim de janeiro e disse que o presidente pediu para dar andamento à investigação "como qualquer outro caso". O secretário teve vários encontros com Bolsonaro nos últimos meses. Na sexta-feira (5), o presidente escreveu no Twitter que os servidores procuravam "algo para vazar" e incriminá-lo antes das eleições.

Os acessos aos dados foram feitos em datas próximas a convenções de partidos, no início do segundo turno e logo depois do resultado das eleições, entre outros períodos. A PF foi acionada no fim de janeiro e, segundo apurou o Estado, está agora investigando a dimensão dos acessos e que dados os servidores, ambos administrativos, conseguiram levantar. Na quinta-feira (4), os policiais apreenderam computadores e ouviram os servidores. A operação está em andamento e o sigilo foi redobrado.

Sindicância

Foi aberto um processo disciplinar dentro do Fisco, que pode levar à suspensão ou exoneração dos investigados. Além de Alves, que trabalha em uma delegacia da Receita em Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo, é investigado também um segundo servidor vinculado à delegacia da Receita Federal de Campinas, que acessou dados em Sumaré, ambas cidades do interior de São Paulo. Os dois funcionários teriam agido de forma separada.

Apesar de não ser presidente na época, a consulta a dados de Bolsonaro já não poderia ser feita por servidores sem justificativa, já que, como deputado federal, ele era uma "pessoa politicamente exposta". Políticos e familiares fazem parte dessa lista em que há um controle ainda maior no sistema da Receita e, quando os dados são consultados, é gerado um alerta para o superior imediato do servidor.

De acordo com o advogado Yamato Ayub Alves, irmão de Odilon, ele admitiu ter feito um acesso a dados cadastrais do presidente, no dia 30 de outubro - dois dias depois do segundo turno das eleições presidenciais e quando já se sabia que Bolsonaro havia sido eleito presidente.

Ayub disse que o irmão acessou apenas dados do chamado sistema via, que permite consulta a nome, CPF e endereço, e não entrou em um segundo sistema da Receita que tem dados fiscais, como a declaração de Imposto de Renda do contribuinte. "Ele fez isso de forma ingênua, sem maldade. Não houve vazamento nem quebra de sigilo."

Segundo a deputada Norma Ayub, "Odilon é Bolsonaro doente". Ela afirmou que também fez campanha para ele ano passado. O servidor é agente administrativo da Receita na agência de Cachoeiro do Itapemirim. Ele ingressou no órgão em 1981 e recebe cerca de R$ 5 mil por mês. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Temporariamente "ilhados" em relação à comunicação, moradores e turistas de Fernando de Noronha, em Pernambuco, não conseguem realizar ligações e estão sem acesso à internet desde o último domingo (31). O caso afeta os clientes da operadora TIM.

Como a maioria dos nativos utiliza a operadora, além da dificuldade de comunicação com o continente, a falta de acesso à internet traz prejuízos a Ilha. Voltado ao turismo, o comércio sentiu a queda nas vendas no primeiro dia do corte dos serviços, como revelou a balconista da farmácia Mix Sandra Helena. Perguntada sobre a alternativa utilizada para não perder as vendas, ela afirma: "a gente tá usando a internet da Vivo, e até que tá melhor. A gente tá conseguindo passar os cartões", declarou. 

##RECOMENDA##

Em nota, a empresa explicou que o problema foi provocado pela "queima de um equipamento da operadora, causada pela falha de energia que aconteceu no último domingo (31)". Segundo a TIM, técnicos tentam normalizar o serviço desde a terça-feira (2), porém, a comunicação ainda não foi reestabelecida. 

A Nova Zelândia anunciou nesta segunda-feira (18) que adotará uma legislação mais rigorosa para a venda de armas depois do massacre de 50 pessoas em duas mesquitas cometido por um supremacista branco, que decidiu fazer a própria defesa, sem advogado, nos tribunais.

"Tomamos uma decisão como governo, estamos unidos", disse a primeira-ministra Jacinda Ardern, ao lado do vice-premier, Winston Peters, ao anunciar medidas para restringir o acesso às armas.

Peters, cujo partido Nova Zelândia Primeiro era contrário às mudanças na lei de acesso às armas, afirmou que respalda totalmente a primeira-ministra.

"A realidade é que depois das 13h00 de sexta-feira nosso mundo mudou para sempre. E o mesmo acontecerá com nossas leis", disse, ao citar o horário em que começou o mais violento ataque já registrado em território neozelandês.

Ardern também anunciou a abertura de uma investigação interna sobre o ataque, que provoca muitas perguntas, em particular sobre como Brenton Tarrant, fascista autoproclamado, passou despercebido pelos radares das agências de inteligência.

As redes sociais também estão no olho do furacão pela transmissão ao vivo, no Facebook e durante vários minutos, do massacre filmado por seu autor, um australiano de 28 anos.

A empresa americana afirmou que retirou 1,5 milhão de vídeos do ar. Apesar dos esforços, as redes sociais são acusadas de não terem bloqueado as imagens em "tempo real do ataque terrorista".

Um jovem de 18 anos foi acusado nesta segunda-feira por um tribunal de Christchurch por ter divulgado o vídeo transmitido pelo autor do massacre, por ter publicado uma fotografia da mesquita de Al Noor de Christchurch com a frase "objetivo alcançado" e por incitação à violência.

A tragédia provocou uma grande comoção na Nova Zelândia, país de cinco milhões de habitantes - apenas 1% deles muçulmanos -, famoso por sua tradição de hospitalidade.

Nesta segunda-feira, os neozelandeses de todas as tendências expressaram o repúdio aos ataques e ao ódio racial.

- Cerimônia de purificação -

Na mesquita Al Nur foi organizada uma cerimônia maori de purificação, que reuniu neozelandeses aborígenes, líderes da comunidade muçulmana e autoridades locais. Estudantes depositaram flores e acenderam velas.

Outros participaram em um novo haka, dança tradicional maori, em homenagem aos mortos. Em Auckland, os alunos de um colégio se uniram para criar a forma de um coração e a mensagem "Kia Kaha" ("Sejam fortes").

Os organizadores do maior salão de armas da Nova Zelândia, o Kumeu Militaria Show, perto de Auckland, anunciaram o cancelamento do evento após o massacre e em consequência dos "elevados riscos para a segurança".

A Nova Zelândia reforçou a legislação sobre as armas nos anos 1990, mas as leis sobre posse de armas de fogo permaneceram muito permissivas. Quase todos os pedidos de porte de armas recebem resposta positiva.

David Tipple, gerente da Gun City, loja que vendeu quatro armas de fogo ao suspeito, afirmou nesta segunda-feira que não se considera responsável pelo massacre.

"Não percebemos nada fora do comum sobre este dono de uma licença de armas", disse Tipple.

Brenton Tarrant, que compareceu a uma audiência no sábado em um tribunal de Christchurch, planeja representar a si mesmo no julgamento, afirmou o advogado designado pela corte.

O advogado Richard Peters, que o representou durante a audiência preliminar, disse à AFP que o australiano, de 28 anos, "indicou que não quer um advogado".

"Ele pareceu como alguém racional e sem algum problema mental. Parece entender o que aconteceu", completou Peters.

- Confiança na justiça -

De acordo com a legislação neozelandesa, ele será julgado se alegar inocência, o que pode permitir um confronto com os sobreviventes e parentes das vítimas fatais.

Mustafa Faruk, presidente da Federação de Associações Islâmicas da Nova Zelândia, afirmou que confia na justiça.

"Como comunidade, gostaríamos que esta pessoa fosse tratada de maneira justa, com acesso a todos os direitos. Acreditamos na justiça e sabemos que fará o que é necessário", completou.

Ao mesmo tempo, a impaciência é cada vez maior entre as famílias, que desejam receber os corpos de seus parentes. A tradição muçulmana prevê o sepultamento em um prazo de 24 horas após a morte.

Nesta segunda-feira, operários cavavam dezenas de covas em um cemitério de Christchurch. Os legistas afirmaram que esperam atender os pedidos das famílias o mais rápido possível.

De acordo com uma lista que circula entre as famílias, as vítimas fatais tinham entre 3 e 77 anos. Algumas pessoas moravam no bairro em que ficam as mesquitas, outras eram de países afastados. Ao menos dois mortos eram da mesma família, pai e filho.

De acordo com seus respectivos governos, cinco indianos morreram no massacre, assim como nove paquistaneses, um deles quado tentava deter o agressor. Trinta e uma pessoas permanecem hospitalizadas em estado crítico.

Quem está tentando financiar um curso de graduação pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies e P-Fies) enfrenta problemas na manhã desta quinta-feira (7). Segundo estudantes, o site do programa está lento e não permite que os alunos realizem as inscrições.

Em diversas redes sociais, os alunos reclamam do questionário inicial, em que o candidatos devem preencher informações pessoais como nome, município e curso  que desejam concorrer à oportunidade, está com problemas. "Não tá disponível pra preencher as outras opções no Grupo de Preferência do FIES... alguém me ajudaaaaaaaaaaaaaaaa!!! Já tentei no Mozilla, Google explore." [sic], tuitou uma internauta.

##RECOMENDA##

Confira abaixo uma galeria com as reclamações dos estudantes:

[@#galeria#@]

O acesso ao plenário da Câmara está bloqueado no início da tarde desta segunda-feira (4), para jornalistas que devem cobrir a primeira sessão do Congresso Nacional da nova legislatura, programada para iniciar às 15h.

Normalmente, os profissionais da imprensa podem circular ao redor das cadeiras do plenário e também no café que fica atrás do Plenário.

##RECOMENDA##

No entanto, nesta segunda-feira, há uma fita e seguranças impedem a entrada de jornalistas. Questionados, seguranças disseram que há uma ordem da Polícia Legislativa para o bloqueio.

Embora o Ministério da Educação (MEC) tenha garantido que o site do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) iria voltar ao normal até o fim desta terça-feira (22), a página virtual continua com problemas para realizar inscrição dos estudantes. 

Entre as limitações, estão a dificuldade no carregamento da página e nas alternativas do desafio proposto para a realização do login. Após colocar o número de inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e a senha previamente cadastrada, o candidato deve responder a um desafio, que inclui clicar o objetivo pedido pelo sistema. Muitas vezes, o objeto solicitado não aparece na lista disposta para escolha.

##RECOMENDA##

Até o final desta reportagem, o LeiaJa.com não conseguiu contato com o Ministério da Educação.

Sisu

Com inscrições abertas até dia a próxima sexta-feira (25), o Sisu irá oferecer mais de 230 mil vagas são ofertadas em 129 instituições públicas de ensino do País. No processo de candidatura, o estudante precisa informar até duas opções de curso, que podem ser alteradas ao longo das inscrições. Para se inscrever em no Sisu, basta acessar o site do sistema.

 

Esta semana será de mudanças na legislação com a edição de um decreto e uma medida provisória (MP), ambos aguardando aprovação do presidente Jair Bolsonaro. Uma delas flexibilizará a posse de armas de fogo no país. A outra combaterá fraudes no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). 

As duas propostas passaram os últimos dias em fase de ajustes finais pela equipe técnica do governo e chegarão à mesa de Bolsonaro esta semana.

##RECOMENDA##

Facilitar o acesso do cidadão à arma de fogo foi uma das principais propostas de Bolsonaro durante a campanha eleitoral. Em menos de um mês de governo, ele cumprirá sua promessa e vai desburocratizar a posse desse tipo de arma.

Licença

A MP deve tirar do delegado da Polícia Federal (PF) a decisão de conceder ou não a licença apenas com base na justificativa do solicitante. “[Atualmente,] se o delegado não for com a sua cara, ele pode dizer não porque esse requisito da necessidade comprovada é subjetivo, depende do arbítrio do delegado. Com o decreto, isso desaparece”, disse o deputado Alberto Fraga.

Na semana passada, Fraga foi chamado por Bolsonaro para tratar do assunto, uma vez que relata na Câmara um projeto de flexibilização do Estatuto do Desarmamento.

Segundo o deputado, ainda será necessário embasar o pedido de posse de arma, mas a justificativa não poderá ser usada como fundamento para uma negativa. Conforme o parlamentar, serão exigidos que o cidadão não tenha antecedentes criminais e a aprovação em teste de aptidão psicológica.

O decreto deverá aumentar para dez anos o prazo para renovação do registro de arma de fogo, além de conceder uma espécie de anistia para armas sem registro ou com o registro vencido. Será concedido um prazo para o cadastro dessas armas na Polícia Federal, desde que não tenham sido usadas para cometer crimes.

Fraudes

Bolsonaro também está prestes a assinar uma MP que visa a diminuir de R$ 17 bilhões a R$ 20 bilhões as perdas na seguridade social até dezembro. O secretário especial da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, esteve reunido com os ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, na semana passada, para tratar do texto que promete fechar o cerco às fraudes em benefícios previdenciários.

“[O presidente] assinando, passa a ser do conhecimento público e a gente vai poder explicar em detalhes o que pretende nesse projeto, que combate a fraude, aperfeiçoa os mecanismos de validação de benefício em todo o país e atende a uma preocupação da sociedade como um todo”, disse na ocasião.

Conforme o secretário, a MP também vai trazer “segurança jurídica” para o INSS. “Estamos prevendo algumas alterações na legislação que vão dar uma segurança jurídica ao próprio trabalho do INSS. Ao longo dos últimos anos, várias ações feitas pelo INSS para aperfeiçoar o sistema esbarraram na falta de fundamentação legal. Essas dificuldades que foram identificadas estão sendo corrigidas”.

De acordo com ele, existem mais de 2 milhões de benefícios que devem ser auditados pela Receita Federal. São benefícios que têm indícios de ilicitude e devem passar por um mutirão de investigação. “Há relatórios de ações anteriores, inclusive convalidados pelo TCU [Tribunal de Contas da União], que demonstram uma incidência de 16% a 30% de fraudes nesse tipo de benefício”.

A MP deve tirar do delegado da Polícia Federal (PF) a decisão de conceder ou não a licença apenas com base na justificativa do solicitante. “[Atualmente,] se o delegado não for com a sua cara, ele pode dizer não porque esse requisito da necessidade comprovada é subjetivo, depende do arbítrio do delegado. Com o decreto, isso desaparece”, disse o deputado Alberto Fraga.

Na semana passada, Fraga foi chamado por Bolsonaro para tratar do assunto, uma vez que relata na Câmara um projeto de flexibilização do Estatuto do Desarmamento.

Segundo o deputado, ainda será necessário embasar o pedido de posse de arma, mas a justificativa não poderá ser usada como fundamento para uma negativa. Conforme o parlamentar, serão exigidos que o cidadão não tenha antecedentes criminais e a aprovação em teste de aptidão psicológica.

O decreto deverá aumentar para dez anos o prazo para renovação do registro de arma de fogo, além de conceder uma espécie de anistia para armas sem registro ou com o registro vencido. Será concedido um prazo para o cadastro dessas armas na Polícia Federal, desde que não tenham sido usadas para cometer crimes.

Fraudes

Bolsonaro também está prestes a assinar uma MP que visa a diminuir de R$ 17 bilhões a R$ 20 bilhões as perdas na seguridade social até dezembro. O secretário especial da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, esteve reunido com os ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, na semana passada, para tratar do texto que promete fechar o cerco às fraudes em benefícios previdenciários.

“[O presidente] assinando, passa a ser do conhecimento público e a gente vai poder explicar em detalhes o que pretende nesse projeto, que combate a fraude, aperfeiçoa os mecanismos de validação de benefício em todo o país e atende a uma preocupação da sociedade como um todo”, disse na ocasião.

Conforme o secretário, a MP também vai trazer “segurança jurídica” para o INSS. “Estamos prevendo algumas alterações na legislação que vão dar uma segurança jurídica ao próprio trabalho do INSS. Ao longo dos últimos anos, várias ações feitas pelo INSS para aperfeiçoar o sistema esbarraram na falta de fundamentação legal. Essas dificuldades que foram identificadas estão sendo corrigidas”.

De acordo com ele, existem mais de 2 milhões de benefícios que devem ser auditados pela Receita Federal. São benefícios que têm indícios de ilicitude e devem passar por um mutirão de investigação. “Há relatórios de ações anteriores, inclusive convalidados pelo TCU [Tribunal de Contas da União], que demonstram uma incidência de 16% a 30% de fraudes nesse tipo de benefício”.

O Santa Cruz apresentou nessa terça-feira (18) o volante Diego Lorenzi de 28 anos. Apesar da apresentação tardia, o atleta já está treinando com a equipe a pouco mais de uma semana. Na apresentação o jogador que é ítalo-brasileiro falou sobre suas características e se colocou como um jogador polivalente apesar de ser volante de ofício.

Demonstrando muito respeito pelo clube o jogador falou sobre a oportunidade de vestir a camisa do Santa Cruz. "Agradeço ao Santa Cruz por estar abrindo as portas para mim. Desde o primeiro momento do contato, os olhos brilharam pela grandeza do clube. Estou me motivando a cada dia", comentou o atleta.

##RECOMENDA##

O jogador aproveitou para vender o seu peixe. Falou sobre sua versatilidade e deixou claro que não se importa em atuar em diferentes funções, se colocando à disposição do técnico Leston Junior. “Já joguei em várias funções. Tanto faz ser primeiro ou segundo volante. Na Itália atuei como lateral (direito)”, completou.

Com experiência na Europa por conta da sua nacionalidade, o atleta estava atuando pela equipe do Londrina e costuma ter sucesso quando se trata de acesso para outra divisão. Quando atuava pelo Boa Esporte-MG no inicio de carreira o jogador ascendeu da série B para a elite do futebol mineiro.

Em 2015, Diego viveu aquilo que ele considera “a maior conquista da carreira”. O acesso à elite do futebol brasileiro pela equipe do América-MG com um velho conhecido do torcedor coral: Givanildo de Oliveira.

Diego inclusive elogiou muito o treinador e grande ídolo do Santa Cruz. “Um cara que levo para minha vida, me ajudou muito e foi lá onde conseguir meu maior objetivo. Espero conseguir outro grande objetivo aqui no Santa Cruz, que seria o maior do ano, o acesso a série B”, completou.

A diretoria da Ponte Preta veio a público nesta terça-feira para afirmar que o Goiás deve ser considerado o responsável pela eventual condição irregular do lateral-esquerdo Ernandes na Série B do Campeonato Brasileiro. Com chance de ser beneficiado por uma possível punição ao rival, o que lhe daria o acesso à primeira divisão, o time de Campinas admitiu que poderá oferecer denúncia sobre o caso ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

"A Ponte entende, categoricamente, que o Goiás tem responsabilidade nessa situação. Seria um salvo conduto para eles. Até acho que realmente não sabiam, mas existe a responsabilidade. Decisão da diretoria é aguardar até quarta-feira para ver se a Procuradoria vai oferecer a denúncia. Se eles oferecerem, vamos acompanhar como terceira interessada. Caso não, vamos tomar nosso caminho e oferecer a denúncia por conta", afirmou Giuliano Guerreiro, diretor jurídico da Ponte.

##RECOMENDA##

A notícia da suposta irregularidade na documentação de Ernandes foi divulgada pela Rádio Central, de Campinas, na segunda-feira. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) ainda não recebeu nenhuma denúncia, mas o time correria o risco até mesmo de ser rebaixado para a Série C.

De acordo com a denúncia, Ernandes nasceu em 11 de novembro de 1985 e tem sua certidão autenticada em São Félix do Araguaia-MT, mas nos últimos anos vem usando uma certidão com a data de nascimento de 11 de novembro de 1987. Essa data, inclusive, é a que está no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

A Ponte Preta aponta a responsabilidade do Goiás ao fazer referência ao artigo 234 do Código Brasileira de Justiça Desportiva: "Falsificar, no todo ou em parte, documento público ou particular, omitir declaração que nele deveria constar, inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que deveria ser escrita, para o fim de usá-lo perante a Justiça Desportiva ou entidade desportiva. PENA: suspensão de cento e oitenta a setecentos e vinte dias, multa de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais) e eliminação na reincidência; se a infração for cometida por qualquer das pessoas naturais elencadas no art. 1º, § 1º, VI, a suspensão mínima será de trezentos e sessenta dias.

"Com relação ao artigo 234, entendemos até que seria de competência da procuradoria em propor a denúncia. O STJD, tendo ciência de falsidade ideológica, tem que instaurar procedimento e depois passar para o Ministério Público. O artigo fala da responsabilidade objetiva dos clubes, que é o que o STJD tem levado em conta em algumas situações. Não há um caso similar, e seria um divisor de águas no futebol", afirmou o advogado Artioli, que participou da coletiva desta terça.

No entanto, segundo o advogado, existe uma brecha no regulamento que deve evitar o Goiás de levar qualquer tipo de punição. "Diferentemente da Copa São Paulo, não há especificação nos regulamentos geral da CBF e também da Série B. Nem seria questão da idade interferir ou não, mas sim da regularidade da documentação que se originou de um documento inválido", concluiu o advogado.

A Ponte Preta é a maior interessada no caso, pois com a possibilidade de punição ao Goiás com a perda de pontos, conquistaria o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro.

Na manhã desta quarta-feira (21), o Goiás usou seu perfil oficial no Twitter para sair em defesa do policial militar que acabou viralizando nas redes sociais por comemorar o acesso da equipe à Série A do Brasileiro. Em nota enviada à Corregedoria da Polícia Militar da cidade, o clube pediu a reconsideração do processo administrativo disciplinar instaurado contra o tenente. 

"Enviamos hoje à Corregedoria da PM/GO, um pedido de reconsideração do processo administrativo disciplinar instaurado contra o Ten. Salustiano. Reconhecemos e respeitamos as normas que regem a corporação, mas, a sensibilidade e a empatia foram essenciais para o êxito da missão", escreveu o Goiás no Twitter. 

##RECOMENDA##

Logo após o vídeo do tenente César Salustiano ser divulgado, o assessor de comunicação informou, em entrevista à Rádio Sagres 730, que seria instalado um processo administrativo disciplinar para apurar as causas e circunstâncias do caso. De acordo com ele, os membros precisam estar atentos com a postura durante o serviço. 

Confira a postagem do Goiás: 

[@#video#@]

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando