Tópicos | atendimento

A Secretaria de Defesa Social (SDS-PE) divulgou, nesta terça-feira (30), o esquema de segurança que será utilizado para a cobertura do Carnaval 2024 em Pernambuco. A operação, iniciada no último dia 2 de janeiro, deve ser intensificada nos dias oficiais da folia, que acontece entre os dias 8 e 13 de fevereiro. Segundo a secretária-executiva de Defesa Social, Dominique de Castro, há novidades na oferta do serviço policial este ano, como a Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (DEAM), no Carmo, em Olinda, além de maior efetivo distribuído nas ruas. O investimento do Estado em segurança este ano foi de R$ 12,2 milhões apenas em diárias extras para as equipes

Saiba onde encontrar postos policiais e delegacias nos principais polos

##RECOMENDA##

Deam na Praça do Carmo 

A Praça do Carmo, polo histórico e carnavalesco de Olinda, terá sua própria Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), com plantão 24h. Também haverá plantões 24h nas delegacias da mulher erm outras sete Deam (confira lista ao fim da reportagem).

Delegacias e postos

- Olinda 

Praça do Carmo: Plantão da Delegacia Especializada da Mulher; 

Varadouro: Plataforma de Observação Elevada (POE); 

Sítio Histórico: Delegacia Móvel de Polícia Civil; 

Praça do Fortim: Ônibus da Ouvidoria da SDS, na segunda-feira (12), das 8h às 15h. 

- Recife Antigo 

Avenida Rio Branco: Delegacia de Polícia Civil com prioridade à mulher e pessoas em vulnerabilidade social; 

Postos de observação de monitoramento espalhados pela folia (serviços da Polícia Militar e também no Corpo de Bombeiros); 

- Galo da Madrugada 

Fórum Thomaz de Aquino e Metrorec: plantões da Polícia Civil e da GGPOC junto ao Juizado do Folião; 

Rua da Aurora e Praça do Diario: uma delegacia móvel em cada localidade; 

Rua da Aurora: Ônibus da Ouvidoria da SDS, das 8h às 15h. 

- Bezerros e Nazaré da Mata 

Desfile dos Papangus de Bezerros (domingo, 11 de fevereiro): contará com uma delegacia móvel 

Encontro dos Maracatus de Nazaré da Mata (segunda-feira, 12 de fevereiro): contará com uma delegacia móvel 

Alerta Celular 

Postos avançados da SDS atenderão os foliões no Recife, Olinda, Nazaré da Mata, Bezerros, Caruaru, Pesqueira, Triunfo e Petrolina, orientando e realizando o cadastro de aparelhos na plataforma Alerta Celular (www.alertacelular.sds.pe.gov.br). Caso a polícia apreenda telefones com suspeitos, é possível verificar no sistema se há queixa de roubo ou furto. 

Delegacia pela Internet 

Em caso de roubo, perda ou extravio de documentos, os cidadãos podem fazer o registro da ocorrência de domingo a domingo, 24 horas por dia, na delegacia virtual. Acesse pelos endereços www.sds.pe.gov.br ou www.policiacivil.pe.gov.br

Corregedoria Geral da SDS 

A Corregedoria atuará em regime de plantão 24 horas, com atendimento na sede, em frente ao Atacadão dos Presentes, no bairro da Boa Vista, no Recife. O endereço da Corregedoria é Avenida Conde da Boa Vista, número 428, e os telefones de atendimento são (81) 3184-2714 e/ou (81) 3184-2756. 

Delegacias Especializadas em Atendimento à Mulher

- Recife, 1ª Deam 

Endereço: Praça do Campo Santo, s/n, Santo Amaro) 

Telefone: (81) 3184-3352; 

- Jaboatão dos Guararapes, 2ª Deam 

Endereço: Estrada da Batalha, s/n, Prazeres 

Telefone: (81) 3184-3445; 

- Petrolina, 3ª Deam 

Endereço: Rua Castro Alves, 57, Centro 

Telefone: (87) 3866-6625; 

- Caruaru, 4ª Deam 

Endereço: Avenida Portugal, 155, Universitário 

(81) 3719-9106; 

- Paulista, 5ª Deam 

Endereço: Rua Francisco Santiago da Costa, 2, Centro 

Telefone: (81) 3184-7075; 

- Cabo de Santo Agostinho, 14ª Deam 

Endereço: Rodovia BR 101, s/n, Pontezinha  

Telefones: (81) 3184-3414 / (81) 3184-3415 / (81) 3184-3413; 

- Olinda, 15ª Deam 

Endereço: Avenida Governador Carlos de Lima Cavalcanti, 2405, Casa Caiada 

Telefone: Não há.

 

Até o dia 10 de janeiro, a Clínica-Escola de Nutrição da Universidade Guarulhos (UNG) está com inscrições abertas para atendimento individual e em grupo, com especialistas. As consultas são voltadas para crianças, jovens, adultos, idosos e gestantes, o objetivo é ajudar o paciente a desenvolver hábitos de vida mais saudáveis.

Durante o acompanhamento serão abordados temas como: a importância do fracionamento alimentar; “descomplicando verduras e legumes”; “saindo da dieta de forma inteligente e como comer de tudo e ter uma boa alimentação”.

##RECOMENDA##

Os interessados em participar pelo telefone/WhatsApp (11) 2464-1738; o e-mail clinica.nutricao@ung.br; ou comparecer ao local, de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h.

Segundo a nutricionista da Clínica, Flavia Terciano, é necessário compreender a importância das escolhas alimentares para obter uma vida saudável: “Oferecemos à comunidade atendimento individualizado e em grupos nas diversas áreas da nutrição, proporcionando uma melhor qualidade de vida e bem-estar, além de nortear a alimentação do paciente. Com isso, ajudamos na prevenção de doenças e ajudamos a obter o melhor funcionamento do organismo”, explica.

Clínica-Escola de Nutrição da UNG

Endereço: Praça Tereza Cristina, número 88 - Centro de Guarulhos

Não há profissionais de saúde aptos ao diagnóstico do Transtorno do Espectro Autista (TEA) na rede pública de saúde de, pelo menos, 68 municípios pernambucanos. O dado, revelado pelo Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE) em um estudo sobre a qualidade do atendimento a pacientes autistas no estado, representa 37% das 184 municipalidades. Além disso, nos locais onde há atendimento aos usuários com TEA, apenas 10% são especializados. Ou seja, dos 846 profissionais que trabalham com autistas na rede púbica, apenas 82 possuem formação para essa finalidade. 

Além disso, somente 39 municípios contam com ao menos um terapeuta ocupacional em seu quadro de profissionais de saúde. Ainda segundo o levantamento, 159 municípios (86%) informaram não ter realizado qualquer capacitação relacionada ao TEA aos seus profissionais, nos últimos três anos. A fila de espera para consulta com esses especialistas, hoje, é de cerca de 10 mil pessoas com indícios do transtorno, em 102 dos municípios do Estado. 

##RECOMENDA##

O estudo mostrou que os principais motivos para a escassez de políticas direcionadas é a falta de dados sobre a quantidade de pacientes com o transtorno em cada localidade, e de ações eficazes para o diagnóstico e tratamento. Outro problema observado é a ausência, ou insuficiência, de médico especialista e de uma equipe multidisciplinar mínima para realizar as terapias necessárias ao desenvolvimento da pessoa autista.   

Apenas 36,8% das localidades avaliadas realizam o atendimento em unidades de saúde especializadas e 30% (55) em unidades básicas de saúde (UBS), enquanto somente seis fazem atendimento em unidades exclusivas para pessoas autistas.  

Os dados enviados pelas prefeituras foram comparados a indicadores elaborados pela equipe de auditoria do TCE. As cidades foram enquadradas em seis níveis de infraestrutura: “Alto”, “Muito Alto”, “Moderado” (2), “Baixo” (27), “Muito Baixo” (95) e “Crítico” (58). Nenhuma delas chegou aos níveis “Alto” ou “Muito Alto”.  

“Essa é uma realidade que precisa ser mudada, porque trata da saúde e do futuro de pessoas até então esquecidas pelo Poder Público, incluindo os seus familiares”, destacou o auditor de Saúde do TCE, João Francisco Assis, um dos responsáveis pelo estudo.  

 

A Defensoria Pública do Distrito Federal afirmou, em relatório produzido após visita ao Complexo da Papuda, em Brasília, na terça-feira, 21, que o atendimento médico a Cleriston Pereira da Cunha, de 46 anos, que morreu durante um banho de sol dentro do presídio, chegou 40 minutos após ser acionado pelos agentes penitenciários. A informação da Defensoria foi obtida por meio de depoimento de outros presos.

Segundo a Defensoria, os presos disseram às duas defensoras públicas presentes na vistoria que o atendimento a Cleriston foi demorado, que não havia desfibrilador na Papuda, tampouco cilindro de oxigênio. O órgão ainda aponta que os responsáveis pelo presídio contestam a versão dos presos e informaram que o atendimento médico ao bolsonarista preso foi célere, com o acionamento imediato do Samu, do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal e atendimento do setor médico do local. O helicóptero dos Bombeiros chegou a ser acionado, mas não foi ao local por questões climáticas.

##RECOMENDA##

O relatório da Defensoria informa que os presos "contaram que estavam reunidos no pátio, durante o banho de sol, quando Sr. Cleriston Pereira da Cunha começou a passar mal. Contaram, ainda, que a policial penal, que tomava conta deles, entrou em desespero por não saber como apoiar e passou a enviar mensagens, solicitando ajuda. Informaram que os próprios colegas de ala tentaram reanimá-lo, pois um deles é médico ************ e o outro é dentista ************ (destaque do próprio relatório), oportunidade em que o senhor Cleriston conseguiu, por duas vezes, respirar. Depois de, aproximadamente, vinte e cinco minutos, apareceu uma médica com estetoscópio e aparelho para medir pressão arterial, instrumentos inadequados para a urgência médica".

A vistoria ocorreu na manhã desta terça-feira no Centro de Detenção Provisória II (CDP II), no Complexo Penitenciário da Papuda.

Cleriston sofria de problemas de saúde e tinha um parecer da PGR favorável à sua soltura. Enquanto estava detido preventivamente na penitenciária, ele recebia remédios controlados para diabetes e hipertensão e era acompanhado por uma equipe médica.

Por conta da sua condição física, a defesa de Cleriston havia pedido ao ministro do STF Alexandre de Moraes para que ele fosse colocado em liberdade provisória. No dia 1º de setembro, a PGR deu parecer favorável ao pleito, mas ainda não havia um despacho do STF sobre a solicitação.

Segundo os relatos dos presos, Cleriston "estava tão fragilizado que, algumas vezes, era levado com ajuda dos colegas ao banho de sol, já que há uma regra no presídio que nenhum preso pode ficar sozinho na cela enquanto os outros vão ao banho de sol".

Médica alertou para risco de morte

No dia 11 de janeiro, a médica Tania Maria Liete Antunes de Oliveira, do Hospital Regional de Taguatinga, pediu "agilidade na resolução do processo legal" de Cleriston alegando que o detento corria risco de morte por imunossupressão e infecções, diante de seu quadro de saúde.

De acordo com ela, o preso era acompanhado há cerca oito meses por um quadro de "vasculite múltiplos vasos" e "miosite secundária à covid-19". Em 2022, ele ficou internado por 33 dias para tratar complicações do estado de saúde.

"Em função da gravidade do quadro clínico, risco de morte pela imunossupressão e infecções, solicitamos a agilidade na resolução do processo legal do paciente", escreveu.

Como era o atendimento médico na penitenciária?

De acordo com registros da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Distrito Federal, Cleriston recebeu oito atendimentos médicos entre janeiro e agosto. No dia 29 de maio, o detento chegou a ser levado ao Hospital Regional da Asa Norte. Os demais atendimentos ocorreram em consultórios da própria penitenciária.

Desde que foi preso, Cleriston recebeu medicamentos controlados para hipertensão e diabetes enviados pela defesa. Em fevereiro, ele chegou a recusar os remédios afirmando que não precisava mais da medicação. Em abril, o detento voltou a receber medicamentos.

Pessoas que ganham até dois salários mínimos e devem até R$ 20 mil terão a oportunidade de refinanciar o débito. O Programa Desenrola Brasil promove nesta quarta-feira (22) um mutirão de renegociação. Em parceria com organizações da sociedade civil, bancos e outros credores, o Dia D – Mutirão Desenrola pretende fomentar as renegociações de débitos e ampliar o alcance do programa.

O Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal abrem as agências uma hora mais cedo nesta quarta. Os bancos privados também funcionarão em horário estendido, mas o horário de funcionamento das agências dependerá da política interna de cada instituição.

##RECOMENDA##

O mutirão foi um dos temas de live entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, nesta terça-feira (21). Os dois se reuniram no programa Conversa com o Presidente para abordar os avanços e o propósito do mutirão, assim como para propagar e impulsionar as ações previstas para o Dia D do Desenrola.

Além de dívidas comerciais, cerca de 1,2 milhão de estudantes ou formados inadimplentes com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) podem renegociar as dívidas também com até 99% de desconto. O devedor deve procurar a agência do banco responsável pelo financiamento.

Nova etapa

Desde segunda-feira (20), o Programa Desenrola Brasil entrou numa nova fase. A Faixa 1 do programa, destinada à renegociação a devedores com renda de até dois salários mínimos ou inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), passou a renegociar dívidas de até R$ 20 mil.

Débitos de R$ 5.000,01 a R$ 20 mil, após a atualização dos valores, podem ser refinanciados até 30 de dezembro. Após esse prazo, os descontos serão mantidos, mas a dívida só poderá ser quitada à vista. A Faixa 1 abrange dívidas bancárias, como cartão de crédito, e as contas atrasadas de outros setores, como energia, água e comércio varejista.

Desde o início de outubro, a Faixa 1 do Desenrola renegocia dívidas de até R$ 5 mil na plataforma desenvolvida pela B3, no site. A portaria que regulamenta o programa definiu que, se após os 40 primeiros dias, sobrassem recursos no Fundo Garantidor de Operações (FGO), fundo do Tesouro Nacional que cobre eventuais calotes de quem aderir à renegociação, o refinanciamento seria ampliado para débitos de até R$ 20 mil.

Para acessar a plataforma de renegociação, o consumidor precisa ter cadastro no Portal Gov.br, com conta nível prata ou ouro e estar com os dados cadastrais atualizados. Em seguida, o devedor terá de escolher uma instituição financeira ou empresa inscrita no programa para fazer a renegociação. Em seguida, bastará selecionar o número de parcelas e efetuar o pagamento.

A página vai listar as dívidas por ordem de desconto, do maior para o menor. Na etapa de leilões, 654 empresas apresentaram as propostas, com o desconto médio ficando em 83% do valor original da dívida. No entanto, em alguns casos, o abatimento superou esse valor, dependendo da atividade econômica, chegando a 99% em alguns setores. O consumidor poderá parcelar o débito em até 60 meses, pagando juros de 1,99% ao mês.

Primeira etapa

O Desenrola abrange dívidas negativadas entre 1º de janeiro de 2019 e 31 de dezembro de 2022. Aberta em julho, a primeira etapa do Desenrola, destinada à Faixa 2, renegociou R$ 15,8 bilhões de 2,22 milhões de contratos em pouco mais de dois meses, até o fim de setembro. Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), isso equivale a 1,79 milhão de clientes, já que um correntista pode ter mais de uma dívida.

Além disso, 6 milhões de pessoas que tinham débitos de até R$ 100 tiveram o nome limpo. Nesse caso, as dívidas não foram extintas e continuam a ser corrigidas, mas os bancos retiraram as restrições para o devedor, como assinar contratos de aluguel, contratar novas operações de crédito e parcelar compras em crediário. A desnegativação dos nomes para dívidas nessa faixa de valor era condição necessária para os bancos aderirem ao Desenrola.

Diferentemente da segunda fase, a primeira etapa renegocia apenas débitos com instituições financeiras. Podem participar correntistas que ganhem até R$ 20 mil por mês e tenham dívidas de qualquer valor, o que permite a renegociação de débitos como financiamentos de veículos e de imóveis. As renegociações para a Faixa 2 devem ser pedidas nos canais de atendimento da instituição financeira, como aplicativo, sites e pontos físicos de atendimento.

Uma mulher se indignou nas redes sociais, nesta sexta-feira (17), ao relatar um caso de descriminação sofrido por seu filho, uma criança autista, em uma loja da Riachuelo do Shopping Boulevard, no município de Feira de Santana, no interior da Bahia. A cliente estava na fila preferencial para o caixa de pagamento quando ouviu uma funcionária comentar com outra: “Não me passe essas bombas aqui”, se referindo à criança neuro divergente. 

O vídeo se espalhou nas redes com mensagens para a mãe e para a criança e em repúdio à loja. “Meu filho não é bomba, não gostei. Eu exijo respeito com os autistas, com as pessoas com deficiência porque eu sou mãe e ninguém aqui tá livre de ter um filho com deficiência”, desabafou. 

##RECOMENDA##

“Já é difícil a luta de uma mãe que vem com o filho no shopping provar uma roupa”, ela complementou. 

Uma das pessoas que compartilhou o registro foi o influenciador digital Ivan Baron, que mencionou leis que protegem e garantem os direitos das pessoas com autismo. “Lembrando que a Lei 12.764/2012 estabelece assar que a ‘pessoa com transtorno do espectro autista é considerada pessoa com deficiência, para todos os efeitos legais’ com os preceitos da Lei 10.048/2000 que garante que ‘as pessoas com deficiência, os idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, as gestantes, as lactantes, as pessoas com crianças de colo e os obesos terão atendimento prioritário’, disse na publicação. 

[@#video#@] 

A Riachuelo se pronunciou em seu perfil oficial no Instagram, com uma mensagem temporária de 24h de duração, afirmando que lamenta o ocorrido e pedindo desculpas. A marca informou ainda que a autora do comentário foi demitida, e que o comportamento “não condiz com os valores defendidos e praticados” pela loja. 

 

Até sexta-feira (10), o Shopping Guararapes recebe a Semana Nacional da Conciliação. A ação que iniciou na segunda-feira (6), é uma parceria entre a prefeitura do Jaboatão dos Guararapes e o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) que tem como objetivo facilitar a regularização da situação dos contribuintes que possuem débitos fiscais. Os atendimentos serão realizados das 9h às 22h em loja instalada no corredor da Riachuelo. Além disso, o Procon de Jaboatão vai atender quem possui débitos com empresas prestadoras de serviços, como bancos, operadoras de cartão de crédito e lojas e, pela primeira vez, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) participa atendendo os microempreendedores individuais (MEIs).

Qualquer pessoa que tenha pendência fiscal, seja administrativa ou judicial, pode comparecer ao mutirão ao longo da semana. Lá, terão a oportunidade de negociar a quitação de dívidas de anos anteriores relacionadas a IPTU, TLP, CIM e ISS, seguindo os mesmos critérios do Refis em vigor até o dia 30 deste mês.  As pessoas que optarem por efetuar o pagamento à vista receberão um desconto de 90% nos juros e multas. Para quem preferir parcelar em 2 a 6 vezes, o abatimento será de 80%; de 7 a 30 parcelas, o desconto será de 60%; e para pagamentos divididos de 31 a 60 parcelas, o desconto será de 30%. Quanto ao ITBI, o pagamento poderá ser realizado em até 10 vezes, sem descontos.

##RECOMENDA##

O atendimento na Procuradoria e na Secretaria Municipal da Fazenda ocorrerá, preferencialmente, por agendamento no portal do contribuinte, no endereço: https://agendamentosefaz.jaboatao.pe.gov.br/menu_cidadao/. Aqueles que não conseguirem realizar o agendamento de forma online poderá fazê-lo diretamente no balcão, e será atendido mediante encaixe. 

O Procon do Jaboatão oferecerá assistência aos cidadãos que desejam negociar descontos com as empresas participantes do Programa Desenrola Brasil. O Sebrae, por sua vez, atenderá as demandas dos microempreendedores individuais (MEIs) que enfrentam problemas de inadimplência. Em Pernambuco, são 54,5% do total. A intenção desta ação é evitar que estes empreendedores sejam excluídos do Simples Nacional e evitar que a dívida venha a ser judicializada, o que prejudicaria suas atividades.  Os serviços de atendimento estarão disponíveis no balcão do Procon, das 9h às 18h, e os cidadãos interessados só precisam levar o CPF, RG e comprovante de residência, sem a necessidade de agendamento prévio.

Da assessoria

Mapeamento realizado pela Secretaria de Estado da Mulher do Rio de Janeiro (SEM-RJ) identificou 38 organismos de políticas para mulheres (OPM) em todo o estado, o que representa um crescimento de 52,17% nos últimos 10 anos, de acordo com dados apresentados pelo Ministério da Mulher. O raio X inédito da rede de atendimento a mulheres no estado do Rio de Janeiro teve resposta de 75 dos 92 municípios.

De acordo com a pesquisa, o estado do Rio de Janeiro tem 55 equipamentos especializados para atendimento às mulheres, dentre eles, centros especializados de Atendimento à Mulher (Ceam), centros integrados de Atendimento à Mulher (Ciam), casas da Mulher e centros de Referência.

##RECOMENDA##

Ao todo, 55 municípios apontaram que têm programas, projetos e ações para mulheres em seu território, o que corresponde a 73% das cidades que participaram do estudo. Quando a mesma pergunta é replicada somente aos municípios que já têm organismos de políticas para mulheres implementados, a afirmativa chega a 94,3%, o que reforça a importância de se fomentar a ampliação de OPM em todo o estado, para a expansão das políticas para mulheres.

“A ideia é fomentar a criação de secretarias municipais da Mulher. Precisamos levar essa política para o primeiro escalão dos governos. O caminho é árduo. Os dados não são animadores. É a realidade da mulher, com dupla ou tripla jornada. Ainda tem que melhorar muito. Só temos 38 organismos de políticas para mulheres formalmente”, disse a secretária estadual da Mulher, Heloisa Aguiar.

Quanto ao acolhimento às mulheres, o mapeamento mostra a existência de três casas abrigos localizados nas regiões metropolitana: Casa Abrigo Lar da Mulher, Casa Abrigo Maria Haydée Pizarro Rojas e Casa Abrigo Cora Coralina. Há também uma na região do Médio Paraíba, denominada Casa Abrigo Deiva Rampini 3, e uma casa de acolhimento provisório na região norte Fluminense, denominada Casa da Mulher Benta Pereira.

O enfrentamento à violência contra mulheres conta com a atuação da Patrulha Maria da Penha Guardiões da Vida, programa da Secretaria de Estado da Polícia Militar (PMERJ), que atualmente disponibiliza 42 viaturas da patrulha, uma para cada um dos 39 batalhões atendidos, além de 3 UPP: Rocinha, Andaraí e Barreira do Vasco.

Segundo a Secretaria de Estado da Polícia Civil existem atualmente 14 delegacias especializadas de Atendimento a Mulheres em funcionamento no estado do Rio de Janeiro.

Quanto à percepção dos municípios que responderam à pesquisa sobre os principais problemas enfrentados pelas mulheres no nível municipal, ressaltam-se os temas de desemprego (74,3%), dificuldade no acesso à capacitação profissional (71,4%) e baixa escolaridade (51,4%), enquanto problemas considerados muito importantes a serem enfrentados atualmente.

No que diz respeito à percepção sobre as demais dificuldades enfrentadas, destacam-se também o acesso à saúde da mulher (48,6%), aos benefícios sociais (48,6%) e às creches para os filhos menores (35,1%) como frentes importantes.

“Como conclusão preliminar do diagnóstico, é possível afirmar com esses dados coletados que há uma relação direta entre a existência de organismos de políticas para Mulheres - OPM nas estruturas governamentais municipais e estadual e a capacidade de articulação e fortalecimento de políticas públicas para mulheres nos municípios, por meio da constituição e aprimoramento de programas, projetos, equipamentos e serviços especializados para as mulheres ofertados em todo o estado do Rio de Janeiro”, diz a pesquisa.

O mês de setembro é marcado por uma data importante, na área de saúde, sendo lembrado, nesta sexta-feira (29), o Dia Mundial do Coração. A iniciativa, criada no ano 2000 pela Federação Mundial do Coração, com apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), busca conscientizar as pessoas acerca das doenças que acometem o coração e o sistema cardiovascular. O Hospital Pelópidas Silveira, no Recife, é um dos centros de referência no atendimento e tratamento de doenças do coração no estado, e alerta a população sobre os principais problemas identificados no sistema circulatório. 

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE), de janeiro de 2020 até junho de 2023 foram contabilizadas 14.478 mortes ocasionadas por infarto agudo do miocárdio, o quadro que mais mata no estado, e também no Brasil. A hipertensão essencial fica no segundo da lista de problemas fatais, tendo um total de 8.236 óbitos pela condição, do início de 2020 até o primeiro semestre deste ano. O acidente vascular cerebral, mesmo tendo um volume menor, figura em terceiro lugar da lista, sendo a causa da morte de 5.263 pessoas em Pernambuco, no mesmo período. 

##RECOMENDA##

Imagem: Rachel Andrade/LeiaJá

Apesar de os números fatais serem elevados, os tratamentos oferecidos pela rede estadual de saúde atendem a uma população muito maior. Ainda segundo a SES-PE, casos de acidente vascular cerebral, insuficiência cardíaca congestiva, infarto agudo do miocárdio e insuficiência cardíaca neonatal são os principais quadros tratados na rede pública, com o somatório de 20.489 pacientes em 2020, 22.380 em 2021, 27.757 em 2022 e 11.770 até junho de 2023. 

O médico cardiologista do HPS, Sérgio Nascimento, explicou ao LeiaJá que existem diversos fatores que podem ocasionar um problema no sistema cardiovascular, passando de uma herança genética a uma carga emocional. “O infarto é uma obstrução da artéria do coração que acontece quando a pessoa soma vários fatores. Não necessariamente precisa ser um fator só. A gente tem fatores que são relacionados à própria herança genética. Gente que tem predisposição à obstrução do coração por placa de gordura, e também tem outros fatores, como pressão alta, colesterol alterado, o diabetes, a obesidade, que acabam gerando inflamação e aumentando a forma do corpo obstruir esse vaso. Então, desses fatores a gente tem mais comum a população na quarta a quinta década [de vida], que é a partir dos 40 anos tendo um maior acometimento dessa doença”, afirmou. 

Dr. Sérgio Nascimento. Foto: Júlio Gomes/LeiaJá 

Quem faz parte dessas estatísticas é Luciana Maria da Silva, aposentada de 52 anos, moradora da comunidade Lagoa Encantada, no bairro do Ibura, zona Sul do Recife. Ainda em 2022, ela começou a sentir um desconforto, chegou a ser atendida e descobriu que tinha arritmia cardíaca. O caso se tornou mais grave, no entanto, em meados de junho de 2023, quando, um dia, seus batimentos cardíacos chegaram a mais de 210 por minuto. “Um dia eu acordei, e o coração começou a palpitar demais e também não levei a sério, não imaginei. No dia seguinte, novamente, aí eu fui no médico. Aí ele passou os exames, fiz, aí realmente acusou que eu estava com pressão alta e arritmia cardíaca. E daí não fiz o tratamento como deveria ser. Tomei só aquele medicamento e não tomei o resto, não continuei. Achava que era só uma caixa. Aí não tive [nada], depois de um ano eu vim ter [outro episódio]. Então chegou quase a, talvez, uma parada [cardíaca]”, relatou Luciana ao LeiaJá