Tópicos | país

Mães de candidatos que realizam o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) lamentaram o início das provas neste domingo (17). Elas disseram ter medo de que seus filhos se contaminem com a Covid-19.

"Achei desorganizado. E tem o risco da saída de casa até chegar aqui. Muitos podem pegar um Uber, mas e quem não pode?", questionou Roberta Cioly, de 43 anos, mãe da candidata Luiza Cioly, 15.  Ela também destacou que os estudantes não tiveram uma rotina de estudo normal em 2020, o que pode prejudicar o desempenho deles.

##RECOMENDA##

Maria Gorete, 45, é mãe de um jovem de 18 anos que tenta entrar na universidade pela primeira vez. Ela também criticou a realização do exame. "Eu acho que deveria ter sido adiada. Teve aglomeração aqui na entrada. Não sei lá dentro, mas aqui ficou muita gente esperando". Seu filho é de escola pública, não tem computador em casa e teve que estudar por celular com internet ruim. "Foi complicado", resume Gorete. 

A mãe Ana Paula Rodrigues, 41, também criticou a aglomeração no local. "Parecia que estava tudo normal", criticou ela. Rodrigues conta que sua filha estava em um cursinho, interrompido por causa da pandemia. "Ela acabou estudando pouco. Não está confiante."

"Queria que as provas tivessem sido adiadas. Está sendo muito difícil. As pessoas estão agindo como se não existisse a doença",  disse Rosângela Cavalcante, 45, mãe de Érika, 18. Segundo Rosângela, sua filha teve muita dificuldade em estudar remotamente. "Ela reclamou muito. Só conseguiu se organizar de três semanas para cá."

Neste domingo (17), primeiro dia do Enem 2020, os candidatos respondem, das 13h30 às 19h, questões de Ciências Humanas, Linguagens, além da redação. Já no dia 24 deste mês, os feras enfrentarão quesitos de matemática e Ciências da Natureza.

A versão digital está programada para o dia 31 de janeiro e 7 de fevereiro. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pela organização do Enem, quase 5,8 milhões de candidatos se inscreveram no Exame, cujo resultado está programado para março.

LeiaJá também

--> PM-PE pede que pais não aglomerem nos locais de prova

--> MEC divulga o tão esperado tema da redação do Enem 2020

--> Enem tem escola cheia e candidatos temem contaminação

Em meio a uma terceira onda incessante de coronavírus, a Irlanda passou, em questão de semanas, de um dos países mais eficazes na luta contra o coronavírus para o de maior taxa de transmissão do mundo.

Este pequeno país de cinco milhões de habitantes registrou apenas 2.397 mortes por Covid-19 e a forma como enfrentou as duas primeiras ondas da pandemia foi bastante elogiada.

Em dezembro, apresentava a menor taxa de incidência da União Europeia, sendo o primeiro país europeu a introduzir um segundo confinamento.

Mas passou a ocupar o primeiro lugar, à frente da República Tcheca e da Eslovênia, com 1.288 novos casos confirmados por milhão de habitantes na segunda-feira, segundo cálculos da Universidade de Oxford considerando uma média de sete dias.

De acordo com estatísticas oficiais, a Irlanda registrou pouco mais de 93.000 casos de coronavírus até 1º de janeiro, um número que já ultrapassou 155.000 (3.086 apenas na terça-feira).

Na terça, a Suíça anunciou uma quarentena para viajantes da Irlanda, enquanto o diretor de emergências de saúde da OMS, Michael Ryan, reconheceu que o país enfrenta "um dos maiores aumentos no número de casos" no mundo.

Segundo o serviço de saúde irlandês, os hospitais estão à beira do colapso com 1.700 infectados, quase o dobro do número registrado no pico da primeira onda.

Para combater este “tsunami” de infecções, nas palavras do primeiro-ministro Micheal Martin, a Irlanda lançou um terceiro confinamento após o Natal, com o fechamento de escolas, lojas, bares, restaurantes e hotéis.

A menos que estejam em uma tarefa "absolutamente essencial", as pessoas "não têm motivo para estar longe de casa", disse o chefe do governo.

- "Natal de verdade" -

Algumas semanas antes, a Irlanda havia sido um dos países que mais flexibilizou as restrições aos feriados de final de ano.

Bares, academias, salões de beleza e demais estabelecimentos "não essenciais" abriram em dezembro.

Segundo a mídia local, o relaxamento foi decidido contra as recomendações da equipe de cientistas que assessora o governo.

Assim, até três famílias diferentes puderam se reunir para que as pessoas pudessem ter um "Natal de verdade", nas palavras de Martin.

De acordo com um dos principais médicos do país, Tony Holohan, antes do Natal foi observado um nível de interação social comparável ao que existia antes da pandemia, o que favoreceu a disseminação do vírus.

Na Irlanda, também foram detectados muitos casos da variante do coronavírus descoberta no Reino Unido, até 70% mais contagiosa, segundo as autoridades de saúde britânicas.

Na primeira semana do ano, a nova variante representou 45% das amostras analisadas na Irlanda, segundo as autoridades deste país.

Na tentativa de conter a propagação, a República da Irlanda suspendeu os voos do Reino Unido até 9 de janeiro e exige um teste negativo de covid na chegada, medida que será implementada em todos os países a partir de sábado.

No entanto, alguns meios de comunicação destacaram o papel que a fronteira com a província britânica da Irlanda do Norte pode ter desempenhado contra seus esforços para impedir a disseminação da nova variante britânica.

Sob os termos do acordo de paz de 1998 para encerrar três décadas de combates sangrentos entre republicanos católicos e sindicalistas protestantes, a fronteira de quase 500 km permanece aberta.

Martin disse na segunda-feira que é "muito difícil" fechar essa fronteira e "muito simplista" culpar uma única região pela rápida disseminação do vírus.

O Uruguai irá prorrogar as restrições de entrada no país, que incluem cidadãos e residentes, até o próximo dia 30, anunciou nesta quarta-feira (6) o presidente Luis Lacalle Pou, em um esforço para tentar conter o aumento dos casos de Covid-19.

"Infelizmente, e com muito pesar, seguiremos com as fronteiras fechadas por mais 20 dias", informou Lacalle Pou em entrevista coletiva. "Certamente faremos uma avaliação dentro de 10 dias."

O presidente, no entanto, flexibilixou medidas tomadas em dezembro, como a possibilidade de estender por duas horas, até as 2h, o horário de funcionamento de bares e restaurantes, sujeita à análise de cada departamento. Também autorizou a retomada de espetáculos públicos, bem como dos eventos esportivos, estes últimos sem a participação do público.

Durante a maior parte de 2020, o Uruguai foi um modelo de controle da pandemia, mas, em novembro passado, enfrentou um crescimento exponencial do número de casos de Covid-19. O país soma 23.048 infectados e 221 mortos, em uma população de 3,4 milhões de habitantes.

Nesta quarta-feira, o Uruguai registrou 946 novos casos da doença, o maior número desde o início da emergência sanitária.

A Secretaria Municipal de Educação do Cabo de Santo Agostinho abriu, nesta quarta-feira (6), o período de matrículas dos estudantes para a rede municipal de ensino. Os responsáveis pelos alunos têm até o dia 14 de janeiro para procurar as unidades de ensino escolhidas e entregar a documentação.

No ato da efetivação, o responsável deverá fornecer os seguintes documentos: cópia da certidão de nascimento ou de casamento; cópia da carteira de vacinação (Educação Infantil e Ensino Fundamental – Anos Iniciais); cópia do CPF; transferência da escola de origem (sem rasuras); cópia do cartão SUS; uma foto 3x4 recente e colorida; laudo médico, no caso de estudante com deficiência; número do NIS (Bolsa-Família); cópia de comprovante de residência com o CEP da rua (maiores de 18 anos).

##RECOMENDA##

Os pais devem levar uma cópia do seu RG e CPF, cópia de comprovante de residência e um número do telefone. Os estudantes que não realizaram o cadastro virtual em novembro do ano passado devem comparecer à unidade de ensino mais próxima da sua residência, nos dias 21 ou 22 de janeiro, para se matricular nas vagas remanescentes.

Uma profissional da saúde foi a primeira pessoa a receber a vacina contra a covid-19 na Holanda, o último país da União Europeia (UE) a iniciar a campanha de vacinação em meio a fortes críticas pela lentidão do processo.

A primeira dose da vacina Pfizer/BioNTech foi aplicada em Sanna Elkadiri, uma cuidadora de 39 anos que trabalha em uma casa de repouso na cidade de Veghel, sul do país.

O ministro da Saúde, Hugo de Jonge, afirmou à imprensa que foi "um momento incrível". "Finalmente, depois de 10 meses estamos começando a acabar com a crise", disse.

O governo holandês foi muito criticado por sua lentidão para começar o processo de vacinação. O primeiro-ministro Mark Rutte admitiu esta semana que estava "realmente decepcionado".

Funcionários de hospitais que mantêm contato com os pacientes de covid-19 serão os primeiros a receber a vacina, ao lado dos trabalhadores das casas de repouso do sul do país.

A Holanda foi o último país da UE a iniciar a campanha de vacinação, que começou em 27 de dezembro em vários países do bloco.

Uma decisão importante para um casal que está prestes a ter um bebê é a escolha do nome da criança. No Brasil, os pais têm optado por nomes mais tradicionais para seus filhos: Miguel e Helena aparecem no topo do ranking de mais usados no País em 2020, segundo levantamento do site Baby Center.

O ranking é utilizado por muitos pais para verificar quais os nomes estão em alta no momento e conferir as várias sugestões disponíveis. Em 2020 além de Miguel e Helena, nomes curtos têm se destacado, como Gael e Liz, que pela primeira vez entraram para o top 10 do ranking.

##RECOMENDA##

No Brasil, os nomes que integram o top da lista no ranking masculino são: Miguel, Arthur, Heitor, Théo e Davi. Ja no feminino Helena, Alice, Laura, Manuela e Isabella lideram a relação.

O Canadá vai exigir testes negativos para covid-19 para autorizar a entrada de viajantes ao país, anunciou o governo nesta quarta-feira (30).

Os testes de reação em cadeia da polimerase (PCR) precisarão ser realizados em até três dias do embarque, disseram autoridades em entrevista coletiva.

Após a chegada, os viajantes ainda devem permanecer em quarentena por 14 dias.

O ministro de Assuntos Intergovernamentais, Dominic Leblanc, disse que a nova medida - junto com o aumento do monitoramento nos aeroportos canadenses - entraria em vigor "rapidamente", mas não forneceu uma data específica.

A medida foi anunciada depois que uma nova cepa foi identificada no Reino Unido e já se disseminou para o Canadá.

Ao mesmo tempo, o ministro das Finanças de Ontário, Rod Phillips, foi publicamente repreendido esta semana por tirar férias com a família no Caribe, enquanto a província mais populosa do Canadá entrava em bloqueio e o número de novos casos diários de covid-19 atingia recordes em todo o Canadá.

"Embora a maioria dos canadenses tenha ouvido os conselhos sobre viagens não essenciais, alguns ainda estão viajando por razões não essenciais. Isso é profundamente preocupante", disse o vice-chefe de saúde pública Howard Njoo.

"Precisamos repetir que agora não é hora de viajar", disse ele.

Apenas cerca de 2% dos casos de covid-19 no Canadá foram rastreados após viagens recentes.

Suas fronteiras foram fechadas para a maioria das viagens não essenciais desde março e, na semana passada, com a nova variante do vírus, o Canadá vetou a entrada de todos os voos do Reino Unido.

Dias depois, Ottawa confirmou os primeiros casos da variante do coronavírus particularmente infecciosa no Canadá.

Enquanto isso, o premiê de Ontário, Doug Ford, criticou Phillips por passar férias fora do Canadá e ordenou que ele voltasse para casa.

"Eu avisei o ministro que sua decisão de viajar é completamente inaceitável e que não será tolerada novamente - por ele ou qualquer membro de nosso gabinete ou convenção", disse Ford em um comunicado.

"Eu também disse ao ministro que preciso dele de volta ao país imediatamente."

Na quarta-feira, o Canadá registrou 571.070 casos de covid-19, incluindo 15.440 mortes.

A partir desta quarta-feira (30), passageiros de voos internacionais que embarcarem para o Brasil precisarão apresentar um teste RT-PCR negativo ou não reagente para Covid-19. O exame deve ter sido feito até 72 horas antes da viagem. A obrigatoriedade vale para todos os viajantes, brasileiros ou estrangeiros, independentemente de sua origem.

Crianças menores de 2 anos estão dispensadas da apresentação do teste, assim como crianças com idade entre 2 e 12 anos, desde que seus acompanhantes cumpram todas as exigências. Já crianças entre 2 e 12 anos viajando desacompanhadas são obrigadas a apresentar o exame, da mesma forma que os demais viajantes.

##RECOMENDA##

A medida está prevista na portaria nº 648/2020, publicada na semana passada, que e também trata da proibição, em caráter temporário, da entrada no Brasil de voos com origem ou passagem pelo Reino Unido e Irlanda do Norte. No último dia 17, o governo já havia determinado a exigência do exame na portaria nº 630/2020.

Declaração de Saúde do Viajante

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), brasileiros e estrangeiros que vierem do exterior por via aérea deverão preencher a Declaração de Saúde do Viajante (DSV) e apresentar o e-mail de comprovação de preenchimento para a companhia aérea.

O teste deverá ter sido realizado em laboratório reconhecido pela autoridade de saúde do país do embarque. Na hipótese de voo com conexões ou escalas em que o viajante permaneça em área restrita do aeroporto, o prazo de 72 horas será considerado em relação ao embarque no primeiro trecho da viagem.

As obrigações fixadas pela norma não valem para voos procedentes do exterior com paradas técnicas ou conexão no Brasil desde que não ocorra qualquer procedimento de desembarque seguido de imigração.

O descumprimento da exigência pode gerar responsabilização civil ou penal, deportação de volta ao país de origem ou a invalidação do pedido de refúgio, caso ele existe.

Fora do Brasil há cerca de dois anos, três pernambucanas dividem a incerteza de se adaptar ao Natal em meio ao agravamento da Covid-19. Além da distância da família e dos altos índices da pandemia na Europa, elas lamentam a necessidade de se isolar justamente em um período em que os encontros e a união são exaltados. Com planos restritos para esta quinta-feira (24), a tradicional ceia na véspera da comemoração precisou ser abreviada.

"Natal para mim é reunir todo mundo. Envolve abraço e carinho, e infelizmente não poderemos ter isso esse ano", lamenta a jornalista Nicole Simões. Moradora da cidade alemã de Düsseldorf, ela vai reforçar o combate à infecção em razão das mais de 29 mil mortes no país. "Minha noite de Natal vai ser apenas em casa com minha família alemã. Estamos novamente em lockdown e não é permitido encontrar mais de 10 pessoas. Além disso, as 10 precisam ser apenas de duas famílias ou casas diferentes", explicou.

##RECOMENDA##

Ela não esconde a saudade de casa, por isso, pretende contornar o fuso-horário para tentar curtir um pouco da data com os familiares por chamada de vídeo. "Nossa, eu sinto muita falta. Às vezes eu choro por saudade, mas essa semana vai ser pesada não ter cada um por perto. Não vejo a hora de voltar ao Brasil e poder abraçá-los", mencionou.

[@#galeria#@]

A designer Ana Lira, moradora de Lisboa, também reserva um sentimento especial nos dias que antecedem à celebração. “Amo essa energia de juntar quem se ama, sabe? Não necessariamente trocar presentes, mas juntas todos ao redor de uma mesa e rir das piadas que só sua família entende é bom demais", garante. Ela recorda como foi triste passar o Natal em Portugal. "Foi o primeiro ano longe e fiquei bem emotiva. Esse ano já estou mais conformada com a distância, mas sinto pela minha família, que mesmo estando na mesma cidade, vai ter que passar as festividades em casas separadas", relata.

Em virtude de aproximadamente 6.413 mortes pela Covid-19, Ana relembra a dificuldade do início da pandemia na Europa. "Foi um momento bem tenso e de muita incerteza. Não que agora as coisas estejam tranquilas. Até esse vírus ser controlado nada será realmente tranquilo, mas é que o ser humano se adapta a tudo, né? Até como viver a vida diante de uma pandemia", projeta. Para este ano, o jeito será partilhar a ceia com o casal que a recebeu junto ao marido, quando saíram do Brasil.

Com o marido alemão, mas atualmente em Londres, Joana Sampaio já adaptou-se à distância, após três períodos natalinos na Europa. Em 2019, ela esteve com a família do companheiro, mas pretende ficar no Reino Unido, neste ano. "Londres entrou no nível 4 de alerta o que significa que estamos em lockdown e ninguém pode se reunir em espaços fechados. Nem mesmo no natal", assegura.

Embora não considere o Natal uma data necessariamente importante, Joana admite que a festa era bastante aguardada. "Acredito que é mais frustrante por estarmos a tanto tempo trancados e com pouca socialização. Prefiro pensar que a situação é esta e que precisamos aceitar e ficar bem. Estamos vivos e com saúde e precisamos segurar as pontas um pouco mais", sugere.

Diante de 69.157 mortos, parte do Reino Unido já começou a imunizar a população e aposta na conscientização para frear o vírus. "Pelo menos as pessoas de meu convívio não estão dispostas a correr o risco de se contaminar ou de contaminar outras pessoas, então é uma questão de consciência coletiva mesmo. Mas só posso falar da minha pequena bolha", complementa.

vaUm total de 236 vagas é oferecido na seleção da Petrobras, por meio do seu programa Jovem Aprendiz. Iniciadas nesta quinta-feira (3), as inscrições podem ser feitas, pela internet e de forma gratuita, até 12 de dezembro.

Segundo a empresa, os candidatos devem ter de 14 a 22 anos e seis meses, bem como é necessário estar cursando ou ter finalizado o ensino fundamental. Além dessas exigências, a instituição cobra que o participante esteja no CAD único do Governo Federal e que integre programas sociais públicos. A seleção conta com vagas exclusivas para pessoas com deficiência e egressos do trabalho infantil.

##RECOMENDA##

O programa Jovem Aprendiz é destinado a moradores das seguintes cidades: Pilar (AL), São Miguel (AL), Manaus (AM), Salvador (BA), Fortaleza (CE), Brasília (DF), Juiz de Fora (MG), Ipojuca (PE), Mossoró (RN), Natal (RN), Paulínia (SP), Santos (SP), Aracaju (SE), Japaratuba (SE) e Laranjeiras (SE).

No planejamento de atividades do programa, os selecionados contarão com cursos profissionalizantes em diversas áreas, tais como mecânica, comunicação, tecnologia da informação, eletrotécnica e segurança do trabalho. A Petrobras ainda informou: “O registro do contrato especial de aprendizagem na Carteira de Trabalho e Previdência Social dos jovens será realizado diretamente pela Petrobras e os aprendizes terão direito a salário-mínimo nacional, 13º salário, férias, vale-transporte e plano de previdência complementar opcional. Este ciclo do programa terá duração de 18 meses”.

O valor da remuneração para os jovens aprendizes aprovados não foi revelado. De acordo com o cronograma da seleção, o resultado será anunciado no dia 19 de janeiro de 2021. Mais informações sobre a seleção podem ser obtidas no site do programa.

O Ministério da Saúde confirmou neste sábado (21) 376 novas mortes e 32.622 casos pela covid-19 no Brasil. Há 168.989 vítimas e 6.052.786 infecções acumuladas no País pela pandemia. Seguem em acompanhamento 454.639 pacientes.

Segundo o balanço do ministério, São Paulo é o Estado com mais casos (1.205.453) e óbitos (41.256). A segunda unidade da Federação com mais óbitos é o Rio de Janeiro, com 21.971 vítimas confirmadas, além de 337.277 casos registrados. Na sequência, Minas Gerais tem 9.732 óbitos e 395.534 casos.

##RECOMENDA##

As atualizações da Saúde consideram 285 óbitos que ocorreram nos últimos 3 dias. O restante, em datas anteriores, mas que só foi confirmado nas últimas 24 horas. Há ainda 2.716 mortes em investigação para covid-19, segundo a pasta.

A plataforma InfoGripe, da Fiocruz, tem apontado o aumento de casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) no Brasil. Em relatório com dados até 14 de novembro, foram apontadas 10 capitais com sinal moderado ou forte de aumento de casos. Nesta semana, porém, o ministério culpou a dificuldade de acesso a dados, após um ataque hacker, para afirmar que ainda não consegue confirmar o recrudescimento da doença no País.

Investigações da polícia de Stafford, no Reino Unido, concluíram que quatro crianças, de oito, seis, quatro e três anos, morreram em um incêndio causado pelos pais, que dormiram enquanto fumavam, em fevereiro do ano passado. O pai Christofer Moulton e a mãe Natalie Unitt chegaram a ser presos por negligência e homicídio culposo, mas foram liberados por falta de provas.

As camas de Siblings Riley Holt, de oito anos; Keegan Unitt, de seis; Tilly Rose Unitt, de quatro, e Olly Unitt, de três, pegaram fogo em contato com os cigarros acesos. O investigador Leigh Richards conta que um cinzeiro foi encontrado derretido entre as molas do colchão. Muitas bitucas e outro cinzeiro cheio estavam espalhados pela casa e ao lado da cama, complementa.

##RECOMENDA##

De acordo com o Metro, o pai das crianças disse em depoimento que uma caldeira foi responsável pelo início das chamas e que ainda tentou chegar ao local onde estavam os filhos. Assim como o Chistofer, Natalie conta que acordou com o fogo. O inquérito também destaca que o serviço social já havia orientado aos pais para não fumar dentro da residência.

A ONU alertou, nesta sexta-feira (6), que Burkina Faso, Sudão do Sul, nordeste da Nigéria e Iêmen estão a um passo de cair na fome devido ao agravamento dos conflitos e à difícil distribuição de ajuda alimentar nessas áreas.

Uma parte da população desses países já se encontra em "situação crítica de fome" e pode em breve entrar em fome se as condições "se agravarem ainda mais nos próximos meses", segundo relatório da Organização para Agricultura e Alimentação (FAO) e o Programa Mundial de Alimentos (PMA).

No entanto, esses quatro países estão longe de ser os únicos onde os níveis de insegurança alimentar aguda estão atingindo novos patamares globalmente.

Outros 16 países, incluindo a Venezuela, correm alto risco de aumentar os níveis de fome aguda, alertaram os autores do relatório das duas agências das Nações Unidas.

“A crise macroeconômica, agravada ainda mais pelos efeitos socioeconômicos das medidas relacionadas à pandemia de covid-19, será particularmente preocupante para a Venezuela”, afirmam a FAO e o PMA.

Os autores do relatório também estão preocupados com a situação de risco alimentar que os imigrantes venezuelanos enfrentam em países vizinhos, como Colômbia, Equador ou Peru.

A Venezuela está imersa desde o final de 2015 em uma crise econômica, política e social que obrigou cerca de 5 milhões de venezuelanos a deixar seu país, segundo dados do Alto Comissariado da ONU publicados no início do ano.

Pesquisas realizadas pelo PMA também mostram que na Guatemala, El Salvador, Honduras e Nicarágua os níveis de consumo de alimentos pioraram desde o início da pandemia de covid-19, com 2,2 milhões de pessoas que podem cair em uma situação grave de insegurança alimentar, em comparação com os 1,4 milhão em 2019.

"Estamos em um ponto crítico com consequências catastróficas", afirmou Dominique Burgeon, diretor da Divisão de Emergência e Resiliência da FAO, em um comunicado à imprensa. "Este relatório é um apelo claro para uma ação urgente", acrescentou.

A situação de catástrofe-fome é a mais grave das cinco fases utilizadas pelo sistema de Classificação Integrada de Segurança Alimentar em Fases (CIF) para indicar os graus de insegurança alimentar.

Quando essa fase extrema é declarada, significa que as pessoas já começaram a passar fome, observa o relatório.

Está aberto o período de renovação das matrículas para as escolas da rede municipal do Cabo de Santo Agostinho para o ano letivo 2021. Os pais ou responsáveis dos estudantes menores de idade ou os próprios alunos, se maiores de 18 anos, deverão realizar o procedimento até o dia 12 de novembro, das 8h às 15h, diretamente nas unidades escolares.

A Secretaria Municipal de Educação informou que o cadastro escolar para novos alunos começará na nesta quarta-feira (28) e seguirá até o dia 24 de novembro, podendo ser realizado de forma on-line através do site da Prefeitura do Cabo. Não é necessário documento comprobatório. O resultado estará disponível na Secretaria a partir do dia 21 de dezembro.

##RECOMENDA##

A matrícula de novos alunos deverá ser efetivada no período de 6 a 14 de janeiro de 2021, diretamente na escola para onde o estudante foi alocado. No ato da efetivação, o responsável deverá fornecer os seguintes documentos: cópia da certidão de nascimento, CPF do aluno; CPF do responsável legal; carteira de identidade do responsável legal; cartão do Bolsa Família, se o aluno for beneficiário; comprovante de residência; e número de telefone de contato, cópia do cartão SUS; uma foto 3x4 recente e colorida; laudo médico, no caso de estudante deficiente; transferência escolar; cópia da carteira de vacinação (estudantes do infantil e ensino fundamental anos iniciais). 

Para os retardatários, ou seja, alunos que perderam o prazo ou não fizeram o cadastro on-line, a matrícula será nos dias  21 e 22 de janeiro de 2021.

Inúmeros desafios são enfrentados pelos estudantes, em especial os que irão realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), diante de um cenário de incertezas e mudanças no setor da educação. No entanto, os pais e responsáveis pelos alunos também afirmam passar por momentos de angústia, boa parte deles preocupada com o aproveitamento dos filhos no ensino remoto.

No início da pandemia de Covid-19, Andréa de Aquino, mãe de Maria Eduarda, de 17 anos de idade, pensou que o ensino remoto não daria certo. “Em um primeiro momento, eu achei que não iria dar muito certo, mas minha filha está dando conta do recado. Mesmo assim sinto que não dá para aproveitar ao máximo, pois além de ser algo novo, também tem a questão do interesse, e por ser em casa acredito que não chega a ser um bom aproveitamento nos estudos, como seria no modo presencial, sem contar na dedicação que tem que ser dada aos assuntos do Enem”, diz. 

##RECOMENDA##

Maria Eduarda está no último ano do ensino médio, fará Enem na modalidade impressa, tem aulas de 8h às 12h, e no turno da tarde participa de um curso para reforçar os estudos. “Muitas vezes tenho que ficar alertando ‘olha a aula’, ‘vai começar a aula’, coisa de mãe. Eu pensei que as aulas on-line não iriam durar tanto tempo e ela iria desistir”, acrescenta Andréa.

Andréa Aquino e sua filha, Maria Eduarda. Foto: Cortesia

“Eu não gosto muito do ensino on-line, porque fico muito dispersa, acho que não dá para entender, não dá pra tirar dúvidas da mesma forma que tirava antes. Vejo a situação como uma forma que as autoridades quiseram ajudar, mas em alguns pontos acabou atrapalhando”, comenta a estudante.

A educadora Cristiane Pantoja explica que a educação é um processo cheio de etapas. Muitos conceitos que são apresentados aos alunos tal ano, só serão entendidos plenamente no decorrer dos anos escolares. “Aprender também requer experiências e está ligado ao desenvolvimento da maturidade cognitiva do aluno. Vejo que a Covid-19 ressalta as problemáticas na educação, mas também oportuniza as reinvenções pedagógicas. A tecnologia é importante e necessária, mas a postura do aluno diante o empenho em estudar é algo particular”, opina a professora.

O LeiaJá também entrevistou a mãe Viviane Roberto, mãe de Mariane Marinho, 17 anos, que está cursando o segundo ano do ensino médio e vai realizar o Enem como treineira. As aulas de Mariane são das 7h30 às 17h. 

De acordo com Viviane, a estudante sempre se mostrou esforçada para aprender, mas ela acredita que há estresses e desafios enfrentados. “Não acompanho muito a rotina de estudos da minha filha por trabalhar praticamente o dia inteiro, o que me preocupa, mas já cheguei a vivenciar momentos em que ela estava estressada e chegando até a chorar por não entender algum assunto ou pensar que não iria conseguir passar por tudo isso”, revela Viviane. “Isso acaba refletindo em mim também, pois sei e imagino o quanto está sendo difícil passar por tudo isso”, acrescenta a mãe.

Para a professora Cristiane Pantoja, quando se estuda há sempre ganhos, independente do formato. “Não acredito em um ano perdido para a educação, mas reconheço que o desenvolvimento do aluno tende a melhorar numa situação de aulas presenciais. A palavra é tender mesmo, pois o processo de aprendizagem requer compromisso. Tem aluno que desenvolve esse compromisso, outros não. Independente se em casa ou em sala de aula”, analisa Pantoja.

Mariane relata que é difícil não haver um professor presencialmente e ter que aprender por meio de aparelhos eletrônicos. “Os professores fazem de tudo para aprendermos, mas o assunto parece que não entra, sabe? Fica muito complicado, por exemplo, as chamadas por vídeo, às vezes, ficam difícieis de entender”, comenta a aluna.

“Após as aulas da escola, sempre busco estudar um pouco para o Enem. Mesmo realizando a prova como treineira, tenho em mente que o meu esforço irá me ajudar em algum momento”, relata Mariane.

“Acreditei que as aulas remotas iriam durar apenas uns três meses e voltar tudo ao normal, no início também achei que não iria dar certo o ensino nesta modalidade, mas com o empenho dela as coisas foram se alinhando”, acrescenta. Viviane.

Cristiane Pantoja ressalta que, apesar das dificuldades, o ensino remoto oferece meios de aprendizado. Ela destaca: “A relação entre a postura do aluno diante do próprio compromisso de estudar e o respeito familiar quanto ao momento de estudos, me ocupam mais o pensamento. Se aulas em casa não funcionassem, não haveria diplomados e profissionais competentes em países que têm, em sua tradição, a possibilidade de escolha por esse modo de ensino”.

A mãe de Maria Eduarda, Andréa, diz que o ambiente também influencia no momento dos estudos e que enxerga a situação como um obstáculo. “Em casa, ela se distrai,  então sempre acaba fazendo algo que não é para fazer, ambiente propício para dar uma escapulida; de repente está dormindo”, conta.

Andréa ainda opina que, "infelizmente", não foram tomadas atitudes concretas e certeiras no setor da educação. ”Acredito que o ensino não está sendo priorizado, se um nível escolar for autorizado para voltar às atividades presenciais, todos têm que ser autorizados também, apesar de que eu acho muito cedo para todos os estudantes voltarem”, comenta.

Por fim, a professora Cristiane Pantoja deixa um recado para os pais e estudantes: “Quanto mais diálogo, equilíbrio e empenho, melhor. Relembrando que educação é um processo. Se foi mais dificultoso em um ano, há sempre como buscar equilíbrio e ganhos nos outros que virão”.

A prova impressa do Enem será realizada nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021. Já a versão digital está marcada para 13 de janeiro e 7 de fevereiro.

Apesar da autorização da retomada – a partir de 6 de outubro - das aulas presenciais nas escolas públicas e privadas de Pernambuco, a decisão pela volta ou não dos alunos às atividades presenciais será dos pais ou responsáveis. Foi o que garantiu o secretário de Educação do Estado Fred Amancio, nesta segunda-feira (21). As atividades presenciais estavam suspensas desde 18 de março em decorrência da Covid-19. 

"A volta vai ser opcional. Fortemente a decisão será opcional", declarou Fred Amancio. O secretário pediu que as escolas ofereçam também o ensino remoto, justamente para atender os estudantes que ficarão em suas residências, formalizando, dessa forma, a educação híbrida.

##RECOMENDA##

As próprias escolas particulares decidirão, conforme suas condições estruturais, se retornarão ou não às aulas presenciais. No que diz respeito ao plano pedagógico, cada unidade de ensino, seja ela privada ou pública, tem autonomia para organizar esse planejamento respeitando as particularidades de cada turma.

O retorno gradual inicia no dia 6 de outubro com estudantes do terceiro ano do ensino médio. Já no dia 13, o retorno terá estudantes do segundo ano. Por fim, no dia 20 do mesmo mês, retornarão os alunos do primeiro ano, EJA, ensino médio técnico concomitante e ensino médio técnico subsequente.

LeiaJá também

--> Volta às aulas: Pernambuco deve adotar ciclo 2020/2021

Começa nesta sexta-feira (18) e vai até dia 25 próximo, a Semana Nacional de Trânsito (SNT). Durante o período, ações em todo o país são realizadas pelos órgãos do Sistema Nacional de Trânsito com o objetivo de conscientizar motoristas, passageiros, motociclistas, ciclistas e pedestres.

Com o tema "Perceba o risco, proteja a vida", definido pelo Conselho Nacional de Trânsito, o foco é chamar a atenção sobre os perigos no trânsito e outros riscos à saúde do cidadão. 

##RECOMENDA##

Por causa das medidas de isolamento social para enfrentamento do novo coronavírus, este ano a semana ocorrerá em formato digital e será denominada "O Detran  na sua vida". A iniciativa traz também o tema das campanhas educativas para este ano.

ONU

A realização da SNT 2020 coincide com o fim da Década de Ações pelo Trânsito Seguro, proposta pela Organização das Nações Unidas (ONU), na qual os governos dos diferentes países se comprometeram a tomar medidas para prevenir os acidentes, que matam cerca de 1,25 milhão de pessoas por ano. 

Em 2020, a campanha brasileira tem foco na preservação de vidas, por meio de ações de conscientização voltadas para educação, engenharia e fiscalização de trânsito, seguindo as recomendações do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito.

Como os acidentes no trânsito constituem uma das maiores causas de mortes no mundo, a meta da semana é conscientizar a população sobre a importância da mudança de atitude, ressaltando que cada um é responsável pela segurança de todos e, por isso, deve perceber os riscos e proteger a própria vida e a dos demais ao seu redor. 

“Espera-se que as pessoas adotem novos comportamentos, valorizando a vida e, assim, seja possível reduzir o elevado número de lesões e de mortes causadas pelos acidentes de trânsito no Brasil”, ressalta o Departamento Nacional de Trânsito.

As atividades da Semana Nacional de Trânsito incluem, também, palestras sobre temas variados.

Em meio ao isolamento social causado pelo coronavírus (Covid-19), alguns pais divorciados podem enfrentar problemas em relação a guarda compartilhada dos filhos. É possível que aconteçam proibições por parte de um ex-companheiro, que não quer expor a criança aos riscos do atual cenário pandêmico.

Quando o ex-casal não tem o acordo formalizado, é preciso procurar auxílio jurídico. "Ainda assim, se não houver acordo, o juiz poderá determinar a realização de estudo social por assistentes sociais e psicólogos, bem como ouvir as partes", explica a advogada de direito da família Hilzanira Cantanheide.

##RECOMENDA##

Após o processo jurídico ser realizado, o juiz determinará os períodos de convivência com a criança, e o ex-casal deverá obedecer. "Para o bem da relação com o menor e entre os ex-parceiros, é importante dialogar e tentar sempre pensar no bem da criança em questão", aconselha a advogada.

Os pais devem ter consciência e evitar ao máximo envolver o filho em seus conflitos, pois a situação pode causar sérios danos na vida da criança. "Atualmente há diversas maneiras de incentivar a conversa sadia entre os ex-casais, como as terapias e as mediações, que os ajudam a não buscar culpados", recomenda Hilzanira.

Esses procedimentos buscam pela solução que melhor atenderá os interesses da criança. "É preciso agir com responsabilidade e entender que existe alguém entre dois adultos que não pode levar a culpa pelas decisões dos pais", afirma. "É preciso buscar harmonia para si e, principalmente, para a criança", complementa.

O papa Francisco se encontrou com um italiano natural da cidade de Bergamo, na região da Lombardia, que perdeu os pais na pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Carlo Chiodi relatou o caso em uma carta enviada ao líder da Igreja Católica. A história emocionou o Papa, que convidou o homem e sua família para um encontro em particular depois da missa na Casa Santa Marta, residência oficial de Francisco.

##RECOMENDA##

"Nesta mesma manhã, ouvi o testemunho de uma família que perdeu os avós sem poder se despedir deles. Vamos recordar das famílias que sofreram com isso", disse o Papa durante o Angelus.

De acordo com a imprensa local, Chiodi, que é caminhoneiro, visitou Francisco acompanhada da esposa e dos dois filhos. Ele entregou ao Pontífice o livro "Amamos Bergamo", que conta a história de algumas vítimas da Covid-19, bem como um pacote de vinagre balsâmico.

"O Papa me disse que o choro e a cólera são humanos, que é permitido ficar com raiva, pois ela representa uma forma de oração quando você está sozinho e com dor. Admitiu que sente a dor do mundo dentro de si e que roga a Deus todos os dias para compreender o significado deste sofrimento", declarou Chiodi.

Da Ansa

Uma garota de quatro anos que flutuava em uma boia de unicórnio foi resgatada na costa da Grécia após ser levada pela correnteza, segundo o jornal local Greek City Times. A criança havia sido arrastada em um momento de desatenção dos pais. 

O caso ocorreu na segunda-feira (24). A família acionou as autoridades após não visualizar a menina. O capitão de uma balsa foi alertado para auxiliar nas buscas.

##RECOMENDA##

A criança foi encontrada pelo capitão da balsa a cerca de 500 metros da costa. O capitão se aproximou lentamente e conseguiu fazer o resgate dela e do unicórnio inflável. 

A menina estava bastante assustada. Segundo o capitão, ela não falava e começou a chorar ao ver a embarcação. A equipe da balsa passou a fazer caretas e piadas para acalmá-la antes do reencontro com os pais.

[@#video#@]

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando