Tópicos | Diversidade

Para celebrar o mês do Orgulho LGBTQ+, a Feira DiverS/Ado terá uma versão online de 1º a 6 de junho. Organizada pela consultoria Mais Diversidade, o evento reúne palestras, workshops e oficinas de carreira para introduzir os estudantes e recém-formados (de 2015 a 2019), pertencentes a comunidade gay, no mercado de trabalho. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas no site do evento.

Por conta da pandemia de coronavírus, a edição contará com uma primeira etapa online, onde 25 selecionados participarão de cinco encontros a distância com empresas como LinkedinBen&Jerry’s e Santander. A segunda etapa da programação será presencial, marcada para 3 de outubro.

##RECOMENDA##

Com viés político-social, o grupo Mais Diversidade, abriga profissionais que fazem parte da comunidade e, por meio de uma conversa informal e direta, trará as principais abordagens e requisitos que o novo mercado de trabalho pede, com temas que vão de empregabilidade e formatação de currículo a empreendedorismo segmentado.

 

Família é tudo igual, diz o ditado, mas a realidade se impõe e nos diz que as famílias são diferentes, tanto na vida quanto na arte. Pensando nisso, o LeiaJá preparou uma lista com cinco famílias, retratadas em filmes, que são bem diferentes do padrão convencional. Confira:

"A comunidade" (2016) 

##RECOMENDA##

Foto: Divulgação/ California Filmes

No filme "A comunidade", de 2016, o diretor dinamarquês Thomas Winterberg apresenta a história de um casal que herda uma grande casa em Copenhague, na Dinamarca, e convida amigos e inquilinos para ajudar na reforma do imóvel, onde todos passariam a morar juntos. O filme é ambientado na década de 1970 e foca no confronto entre os desejos pessoais dos personagens, lidando com temas como solidariedade e tolerância. 

 

"O bunker "(2015) 

Foto: Divulgação

O filme de terror alemão "O bunker" (2015), dirigido por Nikias Chryssos, contém um humor questionável ao retratar a história de um jovem acadêmico que, em busca de tranquilidade para seus estudos, aluga um quarto subterrâneo na casa de um casal e torna-se tutor pedagógico do filho de nove anos dessa família. 

 

"E se vivêssemos todos juntos?" (2012) 

Foto: Divulgação/ Imovision

Jane Fonda é um nome de destaque no elenco de "E se vivêssemos todos juntos?", de 2012. Diante dos problemas que chegam com a idade avançada, como a solidão e as doenças, amigos que se recusam a viver em asilo ou a depender de familiares decidem morar juntos em uma república. A experiência é ao mesmo tempo revigorante e desafiadora, levando-se em conta as diferentes personalidades dos integrantes do grupo. 

 

"Capitão Fantástico" (2015) 

Foto: Divulgação/ Universal Pictures

Nas florestas do estado de Washington, um pai cria seus seis filhos longe da civilização, porém ele é forçado a deixar o isolamento e se vê obrigado a levar sua família para a cidade, confrontando e desafiando sua ideia do que significa ser pai. 

 

"Tatuagem" (2013) 

Foto: Divulgação/ Imovision

Dirigido e roteirizado por Hilton Lacerda, o longa-metragem (único nacional da lista) conta a história de Paulete (Rodrigo Garcia), uma estrela de um ousado grupo de teatro que recebe a visita de seu cunhado militar, Fininha (Jesuíta Barbosa). Encantado com o universo criado pela trupe teatral, ele logo é seduzido por Clécio, com quem passa a viver um romance, o que coloca Fininha em uma situação dúbia: ao mesmo tempo em que convive cada vez mais com os integrantes da trupe, ele precisa lidar com a repressão existente no meio militar em plena ditadura. O filme se passa em 1978 e tem trilha sonora produzida pelo cantor Jhonny Hooker.

Pode ter sido há muito tempo, em uma galáxia distante... mas Star Wars se tornou um campo de batalha em questões como diversidade de gênero, raça e sexualidade, que seu elenco considera um debate vital. 

"Star Wars: A Ascensão Skywalker", que estreia esta semana, traz o elenco mais variado até agora, embora o público exija ainda mais representação.

##RECOMENDA##

A atriz negra britânica Naomi Ackie, como a guerreira Jannah, se une à atriz asiática-americana Kelly Marie Tran, que em 2017 se tornou a primeira mulher não-branca a estrelar a franquia com "Star Wars: Os Últimos Jedi" e foi alvo de ataques racistas e sexistas nas redes sociais.

"Fazer parte de uma equipe de pessoas um pouco diferentes, de diferentes lugares - seja qual for a forma, gênero, raça ou qualquer outra coisa - é um legado do qual se orgulhar", disse Daisy Ridley, que interpreta a heroína Rey, em uma coletiva de imprensa perto de Los Angeles.

É uma questão que, em meio a espetaculares batalhas espaciais e confrontos entre o bem e o mal que caracterizam a franquia, o diretor JJ Abrams não queria deixar passar.

"Vivemos em um mundo louco, um tempo de loucura. (A mensagem) é sobre comunidade, os desamparados, sobre reunir pessoas e ver todos as diferenças representadas", apontou.

"E no caso da comunidade LGBTQ, era importante para mim que as pessoas que vão assistir a este filme se sintam representadas".

Mas os fãs do filme e os membros da comunidade LGBTQ reclamaram da falta de personagens gays ou trans nos filmes.

"Não acredito que devemos aceitar o mínimo absoluto de representação da Disney", afirmou à AFP a escritora de cultura pop Kayleigh Donaldson.

- "Química flagrante" -

Billy Dee Williams, que retorna como Lando Calrissian, incendiou brevemente as redes depois de dizer em uma entrevista que se vê como feminino e masculino, e que usa "ele mesmo" e "ela mesma", mas depois esclareceu que não era não-binário e não sabia o que o termo significava.

"Muitas das reações positivas vieram dos fãs mais jovens de Star Wars", disse Donaldson. "Temos toda uma geração de consumidores em potencial, para usar esse termo horrível, cujo nível básico de expectativa é: diversidade total ou nada".

Devido à química entre o renegado Stormtrooper Finn (Jon Boyega) e o piloto desonesto Poe (Oscar Isaac), muitos fãs estão em campanha desde 2015 com "O Despertar da Força" para que os dois personagens encarnassem o primeiro relacionamento homossexual de Star Wars.

Isaac, porém, derrubou essas esperanças em uma entrevista à Variety no início deste mês. "Pessoalmente, esperava e desejeva que isso tivesse acontecido nos outros filmes, mas não tenho controle", afirmou. "Parecia uma progressão natural, mas infelizmente é uma época em que as pessoas têm muito medo... não sei do quê".

É uma guinada que pode ser demais para a tradicionalmente conservadora Disney, mas Abrams deu a entender que o filme terá alguma representação LGBTQ, expressando seu desejo de que o elenco pareça "mais parecido com o que vemos no mundo".

Mas muitos fãs se recusam a alimentar suas expectativas.

James Whitbrook, colunista do Gizmodo, lamentou as "migalhas" que a comunidade queer teve em "Vingadores: Ultimato", por exemplo, dado que o primeiro personagem gay dos filmes da Marvel apareceu apenas por alguns segundos.

Outros rotularam a Disney de "covarde" nas redes sociais, acusando a empresa de agradar os censores dos mercados mais conservadores, como a China.

Na entrevista coletiva, Boyega e Isaac brincaram que seus personagens compartilhavam um suculento "bromance" (termo em inglês para se referir a um intenso vínculo afetivo, não sexual, entre dois homens, maior que o da amizade). Boyega acrescentou que "a química é flagrante".

Pode demorar um pouco para ver algo assim na tela, mas a Força parece apontar para a mudança.

"Se Star Wars não pode fazer isso, não sei quem poderia", disse Abrams.

O cantor e compositor pernambucano André Rio lançou, nesta sexta-feira (13), uma nova canção de trabalho. O frevo rasgado, com introdução orquestrada de metais, traz como tema central a diversidade. Cantando “Misturando as cores, beijos e sabores” André Rio aborda a diversidade e a paixão na festa carnavalesca.

A música é uma parceria com Ranieri Oliveira e, segundo o cantor, promete não deixar ninguém parado no carnaval 2020. O som já está disponível em todas as plataformas digitais.

##RECOMENDA##

[@#video#@]

Além de divulgar o número de vagas do seu novo Vestibular - 4.715 -, o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) oficializou o uso do nome social no processo seletivo. Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta sexta-feira (11), no Recife, a instituição detalhou como será o procedimento.

A partir do Vestibular 2020.1, o que candidato que quiser ser reconhecido socialmente “em consonância com sua identidade de gênero poderá requerer o atendimento pelo nome social durante o perigoso de inscrição”.  As candidaturas poderão ser feitas do dia 14 de outubro a 13 de novembro pelo site da seleção; a taxa de participação varia de R$ 30 a R$ 55, dependendo do curso almejado.

##RECOMENDA##

De acordo com a presidente da Comissão de Vestibular do IFPE, Thamiris Queiroz, esta é a primeira vez que nome social, de maneira regulamentada, passará a ser utilizado pelos estudantes. Confira mais informações no vídeo a seguir:

[@#video#@]

LeiaJá também

-> IFPE: cotistas poderão disputar vaga na ampla concorrência

A 12° edição da Bienal Internacional do Livro de Pernambuco tem entre seus principais objetivos reunir diferentes segmentos da cena literária, garantindo espaço para obras de escritores veteranos e estreantes. Na programação desta sexta-feira (11) isso fica ainda mais explícito: romance, literatura fantástica e histórica, biografia e poesia comandam as principais atividades do dia.

A tarde começa com a palestra do escritor Urariano Mota no auditório Círculo das Ideias, às 13h. O autor falará sobre seu último livro, “Literatura e Memória – A ditadura no Recife”, baseado numa série de relatos e acontecimentos ligados ao período da ditadura militar. No mesmo horário acontece na Sala de Oficinas o minicurso “A poesia contemporânea de autoria negra”, conduzido pela poetisa, editora e tradutora Lubi Prates.

##RECOMENDA##

Voltando para o auditório, às 14h a conversa é sobre literatura fantástica. O escritor e coordenador do projeto ‘O Recife Assombrado’ Roberto Beltrão, o especialista em Literatura Fantástica André de Sena, o escritor e historiador Frederico Toscano e o poeta João Paulo Parísio, participam de um bate-papo com o público sobre a moderna ficção fantástica em Pernambuco.

Dois grandes nomes se apresentam a partir das 17h. o jornalista Artur Xexéo participa, no auditório, de um painel sobre o jornalismo cultural e a cultura de celebridades no Brasil, comentando seu livro mais recente “Hebe – A biografia”, concedendo uma sessão de autógrafo ao final. Já a autora recifense Clarice Freire, do Pó de Lua, comenta seu processo criativo e conversa com leitores na Plataforma de Lançamentos.

Ainda nesta quinta, às 20h, no auditório, as escritoras Eduarda Gomes, Malu Simões, Aretha V. Guedes discorrem sobre "O poder dos romances", numa conversa com mediação de Priscila Bastos, do Sempre Lendo.

A Bienal Internacional do Livro de Pernambuco chega a seu último final de semana com fôlego total. A programação dos próximos dias conta ainda com um bate-papo sobre literatura, kpop e fanfics com as escritoras Babi Dewet e Mirela Paes; um painel sobre a produção da literatura de terror e de suspense no Brasil com os escritores André Vianco e Ajomar Santos; uma homenagem ao contista Sidney Rocha com a participação do jornalista e cronista Xico Sá; além da final da Batalha do Terminal, desfile de cosplays, workshop de k-pop, apresentação do projeto Ukelele Recife, um ambiente inteiro dedicado ao Podcast Day e muito mais. A programação completa pode ser conferida no Bienal Pernambuco.

Confira a Programação:

Sexta-feira (11)

Bienalzinha (10h às 18h)

- Camarim D-Cosplay;

- Jogos educativos (de tabuleiros, memória, quebra cabeças, entre outros);

- Oficina de pinturinha de dedo e desenhos;

- Contação de histórias infantis;

- Recreação com brincadeiras populares.

Auditório Círculo das Ideias

10h: "Política linguística de línguas estrangeiras no Brasil" com a mestra e doutora em Letras, Flávia Conceição Ferreira da Silva

11h: “Intertextualidade e polifonia: as várias vozes de um texto” com a escritora Luciene Aguiar, da UBE

13h: “Literatura e Memória – A ditadura no Recife” com escritor Urariano Mota 

14h"Literatura fantástica: teoria e conversa com autores da moderna ficção fantástica em Pernambuco" com o escritor e coordenador do projeto O Recife Assombrado Roberto Beltrão, especialista em Literatura Fantástica André de Sena, o escritor e historiador Frederico Toscano e o poeta João Paulo Parísio 

15h: “A Responsabilidade do Escritor” palestra com a escritora Taciana Valença da UBE

16h: "As adaptações de Clássicos da Literatura para Quadrinhos: qual a contribuição para a educação?" com os professores Joane Luz e Bruno Alves 

17h: Artur Xexéo: Uma conversa sobre o jornalismo cultural e a cultura de celebridades no Brasil 

18h30: Homenagem a Sidney Rocha: “Violência, Cotidiano e História, em Guerra de ninguém”, conversa com o escritor e crítico literário João Cezar de Castro Rocha 

20h: "O poder dos romances" bate-papo com as escritoras Eduarda Gomes, Malu Simões, Aretha V. Guedes e mediação de Priscila Bastos, do Sempre Lendo

Sala de Oficinas

10h: “HQs Recife Assombrado” com a Escola Municipal Luiz Vaz de Camões

11h: "Movimento respeitem o 8 baixos - resistência e sustentabilidade da arte do fole” com produtor cultural, documentarista, pesquisador da sanfona e integrante do Movimento Respeitem os 8 Baixos Anselmo Alves, o jornalista, acordeonista Diviol Lira, e mediação da historiadora e pesquisadora da sanfona de 8 Baixos Lêda Dias

13h: “A poesia contemporânea de autoria negra” – minicurso com a poeta, editora e tradutora Lubi Prates

16h: “HQs - História, análise e produção do gênero” – painel com Arlene Frutuoso, Bruno Alves, Nilvania Nascimento e Rafael Melo, do Nerd Café 

19h: “Instagram para negócios” palestrante SEBRAE

Palco Além das Letras

10h: Coral e Grupo de dança da CERVAC (Centro de Reabilitação e Valorização da Criança)

10h30: Apresentação de dança dos estudantes do EREM Martins Junior

10h55: Mazelas sociais: Brasil atual – apresentação dos estudantes do EREM Joaquim Távora

13h: História Cantada a gente Aprende Cantando apresentação cultural com o professor Wellington José

14h: Memórias Literárias da Prosa Romântica à Realista com estudantes do ETE Lucilo Ávila

14h55: Memórias Literárias da Prosa Romântica à Realista com estudantes do ETE Lucilo Ávila

15h30: Frozen- contação de história do grupo Bekalândia

16h: Grupo de Violas, do Sesc Santo Amaro (Recife), regência Lais de Assis

17h: Batalha do Terminal- duelo de MCs das comunidades pernambucanas de Cajueiro, Água Fria, Beberibe, Torre, e centro de Jaboatão dos Guararapes

18h30: “Voz ao Verbo - Poemas para calar o medo” com o escritor, poeta, compositor Allan Dias Castro

19h30: "Apresentação teatral sobre Frida Kahlo" com alunos e profissionais da FAFIRE

Espaço alquimia

10h: “Sólidos geométricos e a sua aplicação nas histórias dos super heróis” com a mestra em educação de matemática Karla Adriana, da Alquimia geek

12h30: “Geração de conteúdo digital” com o jornalista Eduardo Cavalcanti, do Leia Já

14h: “Figuras geométricas planas: os jogos das cartas de gambit - x-men” com a mestra em educação de matemática Karla Adriana, da Alquimia geek

16h: “O afeto na alimentação e suas implicações” com a psicóloga, especialista em docência no ensino superior Elza Alexandre

17h30: “Obesidade: perspetiva e atualidade da infância a vida adulta” com Nízia Oliveira e a nutricionista, mestra em saúde humana Sheylane Rodrigues

19h: “Técnicas de controle e planejamento de processos industriais” com o mestre em química computacional Antenor Parnaiba, da Alquimia geek

Serviço

12° Bienal Internacional do Livro de Pernambuco

04 a 13 de Outubro | 10h às 22h

Centro de Convenções de Pernambuco (Av. Prof. Andrade Bezerra, s/n)

R$ 10 inteira; R$ 5 meia; R$ 7 social (1kg de alimento não perecível ou 1 livro usado - não didático)

[@#galeria#@]

Na próxima quinta-feira (10), será realizada a aula inaugural do curso de Confeitaria Escola Cozinha Solidária, do Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo (GTP+). O encontro é destinado a lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, profissionais do sexo, homens que fazem sexo com homens (HSH), LGBTs egressos do sistema prisional ou que possuam familiares na situação, além de pessoas portadoras do HIV/Aids e deficientes auditivos.

Com início às 13h, no auditório da Defensoria Pública da União (DPU), localizada no centro do Recife, o evento conta com a apresentação de pesquisas sobre os desafios e avanços da população LGBTI no ambiente de trabalho, com foco no ramo alimentício.  Essa apresentação será promovida por estudantes da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), além do lançamento de uma campanha virtual para a compra do restante dos equipamentos da Escola Cozinha Solidária e a participação de empresas consideradas amigas desta população.

##RECOMENDA##

De acordo com o coordenador do GTP+, Wladimir Reis, a formação é de extrema importância, visto que engloba diversos fatores sociais em prol do público LGBTI, bem como tem o objetivo de incluí-lo no mercado de trabalho. “Com o curso, a nossa população terá a oportunidade de gerar possibilidades de sustentabilidade, já que ela vem sendo colocada à margem da sociedade”, declara.

O curso, que tem o objetivo de desenvolver uma ponte de mobilização de recursos que fortalece as ações de sustentabilidade institucional, além de minimizar a vulnerabilidade social. A qualificação conta com o total de 105 inscritos, tem duração de seis meses e será realizado duas vezes por semana com aulas práticas e teóricas, que acontecem no GTP+ e na Faculdade Frassinetti do Recife (Fafire), respectivamente.

A Livraria Jaqueira inicia suas atividades nesta quinta-feira (10). O maior atrativo no novo empreendimento é a diversidade de produtos à venda além dos espaços sociais. São dois cafés, um com espaço tradicional para sentar, e outro no estilo 'to-go' (para levar), com diferencial no torrador indústrial de café.

Com produtos para todos os gostos, a livraria conta com sessões voltadas para música, com cd’s; vinil; livros biográficos e clássicos da música nacional e internacional. O espaço ‘Geek’, que além dos livros, tem o seu maior atrativo nos itens colecionáveis (bonecos, almofadas, garrafas, carteiras e outros). E a parte voltada para o público infantil, que além do tradicional espaço de leitura para crianças, conta com o ‘Espaço Disney’ que traz uma série de itens, desde mochilas e acessórios à itens colecionáveis.

##RECOMENDA##

O espaço ainda matém o auditório, com o diferencial do aumento da capacidade, que passa a comportar 110 pessoas. Além disso, um restaurante com lanches e refeições no café, almoço e jantar e uma adega com diversos vinhos e espumantes.

A marca já conhecida na cidade há 13 anos, com uma loja na Zona Norte do Recife, trouxe para o novo espaço a já conhecida Galeria Jaqueira, e promete proporcionar ao público experiências sensoriais em um ambiente diversificado. A Livraria terá funcionamento de segunda à sexta 8h às 20h, no sábado das 9h às 21h, domingo das 9h até às 18h e nos feriados das 10h às 19h.

Confira como ficou o espaço:

[@#galeria#@]

O Ministério da Educação encaminhou, nesta segunda-feira (23), um ofício para as secretarias estaduais e municipais de Educação com orientações e diretrizes a serem adotadas no ensino público. Batizado de Escola de Todos, o documento sugere a adoção de medidas com o objetivo de garantir o pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, respeito às diferenças, tolerância, combate ao bullying, [e] à automutilação e a não exposição a propagandas político-partidárias dentro das instituições de ensino. De acordo com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, que convocou uma coletiva de imprensa para anunciar o envio do ofício, a ideia é criar um ambiente de acolhimento nas escolas.

"O objetivo é dar um ambiente acolhedor para as crianças, diminuir o bullying, melhorar os indicadores educacionais, reduzir a automutilação e o suicídio, preservando o direito das pessoas se expressarem dentro do que é um ambiente civilizado, normal, sem excessos. Evidentemente tem alguns vídeos que mostram excessos e excessos têm que ser coibidos. É plural, tem que contar várias versões, não pode falar só de um lado", disse. 

##RECOMENDA##

Weintraub defendeu a necessidade de pacificar a sala de aula e criticou a existência de militância política nas escolas. "É buscar uma pacificação do ambiente escolar, paz, deixar a militância fora das escolas. Pode-se falar de política de uma forma plural, civilizada, não impositiva". 

No documento, o MEC lista seis direitos dos alunos, entre eles o direito de que o ensino seja ministrado com base no pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, resguardada a liberdade de expressão. Também enfatiza o direito de o aluno não "ser prejudicado em ambiente escolar, em razão de sua história, de seus saberes, de características que componham a sua identidade, de suas crenças e convicções" e não ser submetido "a uma promoção inadequada comunicação comercial, inclusive publicidade ou propaganda de qualquer natureza". O ofício ainda recomenda que a comunidade escolar deve respeitar "o direito do aluno de guardar suas crenças e convicções desde que não incitem à violência".  

Não impositivo

Segundo o ministro, o ofício apenas destaca aspectos já previstos em lei e não é impositivo. Cada secretaria estadual e municipal de Educação deverá avaliar a possibilidade de implementar as sugestões. O MEC disponibilizou canais para que os entes federativos e também os próprios estudantes, professores e associações de pais e alunos possam tirar dúvidas sobre as medidas ou denunciar situações que estejam em desacordo com as diretrizes do Escola de Todos. 

"Estamos tentando achar um caminho, democraticamente, com todo mundo, com as secretarias estaduais e municipais. Estamos passando vários canais de comunicação do MEC, para caso haja dúvidas, excessos, ineficiências, para que eles sejam encaminhados de forma institucional e a gente veja e analise se há ou não o descumprimento de alguma lei, para ser corrigido", disse Weintraub. Ele chamou a iniciativa de um "chamamento para lembrar a todos para que serve uma escola". O ministro não chegou a informar se o governo pretende propor algum tipo de projeto de lei para institucionalizar o Escola de Todos no futuro.

 

Além das secretarias estaduais e municipais de Educação, o ofício foi enviado para os presidentes do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e da União Nacional de Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

Superar barreiras sociais e garantir espaço no mercado de trabalho ainda é um desafio para determinados grupos, como mães, idosos, deficientes, gays e negros. Com o intuito de diversificar as vagas nas empresas e ajudar esses grupos a encontrá-las, plataformas como MaturiJobs, EmpregueAfro, HerForce, Vagas PCD e Contrate uma Mãe trabalham com a seleção de profissionais por nicho.

Além de ajudar a dar o "match" da vaga entre empresa e candidato, algumas dessas plataformas também dão consultoria para corporações que desejam ter a diversidade como pilar da sua cultura organizacional. É o caso da HerForce, plataforma criada em 2018 pela catarinense Silaine Stüpp, voltada para inserir mulheres no mercado de trabalho e que permite que elas façam avaliações das empresas.

##RECOMENDA##

Com base em critérios que incluem representatividade, flexibilidade e desenvolvimento profissional, as avaliações gratuitas e anônimas também consideram aspectos importantes para a mulher no trabalho, como benefícios para os filhos e duração das licenças maternidade e paternidade.

"Somos um local onde as mulheres podem encontrar um lugar em que possam trabalhar e colocar seu conhecimento em prática sem ter que lidar com o viés inconsciente do machismo e outros atritos. E as empresas podem trazer mais mulheres para os seus processos seletivos, mostrando que valorizam a diversidade de gênero", explica Stüpp.

No caso da MaturiJobs, criada há quatro anos, o investimento é voltado para capacitar e incluir profissionais com mais de 50 anos no mercado de trabalho. A plataforma, que atualmente possui mais de 100 mil profissionais cadastrados, realiza processos de conscientização com líderes de organizações antes da contratação desses profissionais, além de cursos, palestras e encontros de networking para os candidatos.

De acordo com o CEO da MaturiJobs, Mórris Litvak, têm crescido as buscas na sua plataforma e, entre as razões para isso, ele aponta o comprometimento e estabilidade do público 50+, que contribui para a diminuição da rotatividade de pessoal (o "turnover").

Diferentes visões de mundo

Uma das beneficiadas pelo trabalho da MaturiJobs é a engenheira química Gislaine Murilo, de 51 anos, que pediu demissão de um emprego de que não gostava e, por meio da plataforma, conseguiu reinserção no mercado. Ela já havia passado por diversas experiências ao longo da carreira, tendo atuado em multinacionais, mas queria um novo propósito para sua vida, com mudança de carreira.

Pela MaturiJobs, encontrou uma vaga numa empresa onde a idade não importa. Hoje, é responsável pela área de relacionamento com o cliente de A Taba, clube de assinatura de livros para o público infantil - e trabalha ao lado de funcionários bem mais jovens.

"Cheguei achando que conhecia muito sobre processos e sobre como lidar com as pessoas. De repente, um garoto de 18 anos que trabalha comigo me deu uma dica que abriu meus olhos. Hoje, compartilhamos experiências e eu aprendo com todos eles", conta Gislaine.

Para o especialista em educação corporativa e recrutador da LEO Learning Brasil Richard Vasconcelos, apesar de as empresas enxergarem a diversidade como importante, os movimentos de mudança ainda são incipientes. "Não adianta a empresa achar que só com um único perfil no seu quadro de funcionários ela vai ter um bom desempenho."

Atuando no segmento étnico-racial, a EmpregueAfro realiza ações de treinamento, recrutamento e seleção de profissionais com o objetivo de "corrigir uma desigualdade que é histórica e prejudica a população negra", segundo diz a CEO e fundadora da plataforma, Patricia Santos.

Há quase 15 anos no mercado, a organização alinha o perfil que os contratantes querem com os possíveis candidatos antes de encaminhá-los às empresas. Para Patrícia, as corporações têm aumentado a busca por esse público profissional ao perceber sua potência econômica.

"O fato de sermos 55% da população economicamente ativa, que movimenta R$ 800 bilhões por ano em consumo, nos torna fortes. Quando a empresa investe em diversidade, ela também sabe que isso traz retorno para os negócios e lucratividade."

A opinião é compartilhada por Denise Guilherme, CEO do clube de livros A Taba, que ainda aponta que a diversidade leva às empresas habilidades que se complementam, com diferentes olhares para o mesmo problema.

"Hoje, o empresário que não considerar isso já está atrasado. Durante muito tempo, empresas buscaram pessoas exatamente iguais. A diferença não é um problema e precisamos desse olhar diverso, porque nem os nossos clientes são iguais."

Plataformas e seus nichos de atuação

Camaleao.co / profissionais da comunidade LGBT+

Contrate uma Mãe / mães que buscam recolocação com flexibilidade

EmpregueAfro / consultoria e recrutamento de profissionais negros

Empresas com Refugiados / iniciativa para inserir refugiados no mercado brasileiro

HerForce / recrutamento de mulheres com avaliação anônima das contratantes

MaturiJobs / profissionais com mais de 50 anos

Segunda Chance /iniciativa do AfroReggae para inserir ex-presidiários no mercado de trabalho

Vagas PCD / vagas voltadas para profissionais com deficiência

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O ReciFest Festival da Diversidade Sexual e de Gênero está com inscrições abertas até 22 de setembro. O evento audiovisual é realizado desde 2012 na capital e no interior do Estado Pernambucano.

Em sua 7° edição, o evento levanta a bandeira contra a homofobia, transfobia e racismo. Para inscrições de filmes e informações sobre o edital do Festival, é necessário acessar a página do Recifest e preencher o formulário de inscrição.

##RECOMENDA##

Serão aceitos apenas filmes, com temática LGBTQ+, realizados como formato de curta-metragem, lançados a partir de janeiro de 2017 e com duração máxima de 20 minutos. O festival será realizado de 20 a 22 de novembro no Cinema São Luiz, Centro do Recife, com ingressos vendidos a R$ 2.

A hamburgueria Mr Hoppy Beer & Burguer está promovendo uma ação em homenagem à parada da Diversidade que acontece neste domingo (15), na Zona Sul do Recife. A casa vai servir chope rosa como forma de chamar atenção ao respeito e à tolerância. 

Localizada no bairro de Boa Viagem, também na Zona Sul, a casa repete a ação iniciada em 2018. Com o objetivo de propagar o respeito e a tolerância à diversidade, eles servem o chope na categoria pilsen e na cor rosa ao valor de R$ 5. A bebida ficará disponível no sábado (14) e no domingo (15). 

##RECOMENDA##

Serviço

Mr Hoppy Beer & Burguer

Sábado (14) e domingo (15) - a partir das 17h

Rua Maria Carolina, 331 - Boa Viagem

 

Com o objetivo de discutir a sexualidade, gênero e respeito à diversidade, a Rádio Universitária FM passará a transmitir por meio de suas ondas sonoras o programa "LBGT no Ar", lançado pela Diretoria LGBT da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O lançamento acontece nesta sexta-feira (13), às 14h, no auditório 3 da Biblioteca Central da universidade, no Campus Recife. A estreia oficial do programa será na quinta-feira (19) da próxima semana.

De acordo com a professora Luciana Vieira, gestora da Diretoria LGBT da UFPE, a principal proposta do projeto é tornar a discussão da pauta LGBT cada vez mais acessível, ultrapassando os muros da Universidade. "A iniciativa busca disseminar uma cultura de informação e respeito na rádio pública Pernambucana", aponta a gestora.

##RECOMENDA##

O programa de estreia, no próximo dia 19, às 20h, abordará o tema “Indústria Musical LGBTI+”. Participam do primeiro programa Johnny Hooker, Ciel Santos e Siba Carvalho. O “LGBT no Ar” tem direção e produção executiva de Felipe Souza. O programa será veiculado sempre às quintas-feiras, a partir do dia 19 deste mês, às 20h, na Rádio Universitária FM (99.9) e na Rádio Universitária Paulo Freire (820 AM).

Faltam menos de 10 dias para o Startup Weekend acontecer na capital pernambucana. O evento, marcado para começar dia 20 de setembro, no Apolo 235, já revelou iniciativas importantes, como as desenvolvedoras do aplicativo Mete a Colher. Dessa vez, a proposta é levantar duas bandeiras importantes do empreendedorismo: a diversidade e a inclusão. 

O objetivo do evento é fomentar o empreendedorismo, incentivar a equidade de gêneros, raças e promover a inclusão social. Apoiado por iniciativas como o Google for Startups, o encontro contará com a participação de mentores, jurados, mídia, investidores, palestrantes e empresas com foco na temática principal. 

##RECOMENDA##

Para participar não é preciso ter uma ideia ou saber de tecnologia, apesar de que os conhecimentos ajudam a acelerar os processos de criação. As  equipes são formadas em torno das melhores ideias (determinadas por votação) e competências dos participantes. Ao todo serão 54 horas de criação de modelos de negócios, validação, programação e design. 

Inclusão e diversidade

O foco principal do evento é incentivar a criação de soluções e projetos voltados para a inclusão de mulheres, afrodescendentes, indígenas, migrantes, refugiados, pessoas com deficiência, pessoas idosas, LGBTI+, minorias geralmente excluídas (ou com pouco destaque) em grandes campanhas, produtos e iniciativas. Todos os grupos citados são bem-vindos para fomentar ideias, além de qualquer pessoa que queira empreender e aprender.

Quem quiser participar pode se inscrever em três principais áreas:

Negócios - Administração / Arquitetura / Comunicação / Direitos Humanos / Economia / Empreendedorismo / Inovação / Marketing / Serviço Social / E áreas similares.

Desenvolvedores - Computação / Desenvolvimento / Engenharia / Informática / Programação / Técnicos / E áreas similares.

Designer - Artistas / Design Gráfico / Ilustrador / Publicidade / Web Design / E áreas similares.

Os ingressos são vendidos a R$ 80, para qualquer área. A inscrição deve ser feita pelo site.

Nesta sexta-feira (6) é comemorado o Dia do Sexo, data que ficou popularmente conhecida pela campanha de marketing de uma marca famosa de preservativos. Para quem pretende curtir a noite e apimentar a relação, o LeiaJá separou cinco filmes com algumas das cenas mais quentes do cinema.

 

##RECOMENDA##

1. "Love" (2015)

No longa, Murphy (Karl Glusman) está frustrado com a vida que leva, ao lado da mulher (Klara Kristin) e do filho. Um dia, ele recebe um telefonema da mãe de sua ex-namorada, Electra (Aomi Muyock), perguntando se ele sabe onde ela está, já que está desaparecida há meses. Mesmo sem a encontrá-la há anos, a ligação desencadeia uma forte saudade em Murphy, que começa a relembrar fatos marcantes do relacionamento que tiveram. O filme foi dirigido por Gaspar Noé.

 

2. "Beach Rats" (2018)

Dirigido por Eliza Hittman, o filme mostra Frankie (Harris Dicknson), um rapaz que está dividido quanto sua sexualidade. Além das cenas de sexo envolvendo os homens que ele conhece por um site de encontros casuais e com sua namorada, ao seu redor há discussões sobre objetivos de vida, machismo e delinquência.

 

3. "Desejarás o Noivo de Sua Irmã" (2018)

Na obra dirigida por Diego Kaplan, Ofelia (Carolina Ardohain), após sete anos distanciada da família, é convidada para o casamento da irmã, Lucia (Mónica Antonópulos) com o sedutor Juan (Juan Sorini). As duas sempre tiveram uma relação conturbada, mas parecem dispostas a relevar os problemas do passado durante a cerimônia. No entanto, o clima tenso toma conta da festa quando Juan e Ofelia se sentem atraídos sexulamente um pelo outro.

 

4. "A Criada" (2017)

A jovem Sooke (Tae-ri Kim) é contratada para ser criada de Hideko (Min-hee Kim), uma herdeira que leva uma vida reclusa junto de Kouzuki (Jinwoong Cho), seu tio dominador, em uma grande propriedade rural. No entanto, a empregada tem um segredo. Ela é uma ladra recrutada por um vigarista para seduzir a patroa, roubar sua fortuna e trancá-la em um hospício. O filme foi dirigido por Chan-wook Park.

 

5. "Shame" (2011)

Dirigido por Steve McQueen, o filme mostra Brandon (Michael Fassbender), um cara bem sucedido e que tem problemas de relacionamento que, aparentemente, são resolvidos durante a prática do sexo, tendo em vista que é um amante incontrolável. Contudo, sua rotina acaba sendo abalada quando sua irmã Sissy (Carey Mulligan) aparece de surpresa e pretende morar com ele.

por Gustavo Batista

O orgulho da comunidade LGBTQI+ é o mote para a Carola Pride. A festa acontece no próximo sábado (7), no Biruta Bar, regada ao som dos DJs Nuno Pires, Orlando Dantas, Masa, Riana Uchôa, Karma, Sasha Dowsley feat. Gabe Paraíso. 

A programação da Carola Pride foi desenhada a fim de representar a diversidade do próprio público LGBTQI+. Os residentes Nuno Pires e Orlando Dantas convidaram os DJs Masa, Riana Uchôa, Karma e Sahsa Dowsley feat. Gabe Paraíso para animar a pista. Além disso, a drag performer Charlotte Delfina também se apresenta na festa. 

##RECOMENDA##

LeiaJá também

--> Alçadas a ícone pop, drags se afastam do visual caricato

Serviço

Carola Pride

Sábado (7) - 23h

Biruta Bar

R$ 75

Começa na próxima terça (6), o Festival Agosto Cultural (FAC) 2019, em São Lourenço da Mata. Até o dia 11 de agosto, o evento vai reunir diversas atrações como as cantoras Cristina Amaral, Eduarda Alves, Michelle Melo e Priscilla Sena (A Musa), com o objetivo de valorizar a cultura popular do Estado. A homenageada desta segunda edição é a cirandeira Lia de Itamaracá. 

Integrado aos festejos de São Lourenço Mártir, o padroeiro de Sâo Lourenço, o FAC contempla, em sua programação, diversas expressões culturais, como o forró, brega, maracatu, afoxé, coco, encontro de ursos, mpb, frevo, jovem guarda e ciranda. A homenageada da edição, Lia de Itamaracá, dá nome ao palco principal do evento e, na sexta (9), recebe o título de Cidadã São Lourensense na Câmara de Vereadores da cidade.

##RECOMENDA##

Na programação, também há espaço para o encontro do Homem da Meia-Noite com a Orquestra 10 de Agosto, tradicional grupo local com 100 anos de história; shows de Benil, Wallas Arrais, MIchelle Melo, AUgusto Cesar e Asas da América, entre outros; polo gastronômico, polo infantil e polo religioso, com missa, louvores e procissão. 

Serviço

Festival Agosto Cultural

Terça (6) a 11 de agosto

São Lourenço da Mata

Gratuito

 

Giovanny Vareles e Borys Álvarez se tornaram nesta quinta-feira (25) o primeiro casal de homens a contrair matrimônio no Equador, onde já o fizeram duas lésbicas após a aprovação do casamento igualitário.

Vestindo ternos escuros e uma delicada flor cor-de-rosa na lapela, Vareles, de 29 anos, e Álvarez, de 31, se casaram no Registro Civil de Guayaquil (sudoeste).

Na quinta-feira passada, nesta cidade portuária, duas mulheres já haviam sacudido o país, ao se tornarem as primeiras a exercerem este direito para minorias sexuais em uma nação conservadora.

"Estamos felizes, mas um pouco nervosos, sim" com o casamento, expressou Vareles à AFP poucos minutos antes de se casar.

Vareles e Álvarez, que administram juntos um estabelecimento de venda e roupas e se conheceram no Facebook, mostraram seu desejo de ter filhos.

No entanto, a decisão constitucional de 12 de junho que desse passagem ao casamento igualitário, que na prática modificou a Carta Magna, não permite a adoção de crianças por parte de casais LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e intersexuais).

O casal registrou seu casamento, apesar da "via crúcis" que enfrentaram pela oposição de suas famílias, segundo Varela.

"Sabiam da minha orientação sexual, já sabiam há mais de dez anos, mas minhas relações sempre foram discretas. Nesta ocasião, já tornei pública, então não gostaram", contou.

Após a histórica decisão da Corte Constitucional houve manifestações multitudinárias de grupos conservadores, católicos e evangélicos que exigiam a destituição de cinco dos nove juízes que votaram a favor deste direito para a comunidade LGBTI. No entanto, não foram registrados incidentes durante as cerimônias.

A Polícia Militar (PM) de São Paulo impediu que o soldado Leandro Prior, de 28 anos, vestisse o uniforme para pedir o namorado em casamento durante a 23ª Parada do Orgulho LGBT, marcada para o próximo domingo (23), na capital paulista. A corporação alegou que o regulamento não permite a utilização do fardamento por agentes de folga em manifestações.

O soldado militar encaminhou a solicitação para autorização nessa sexta-feira (14). A intenção era fazer uma surpresa ao namorado Elton da Silva Luiz, 26. “Seria algo grandioso, não só para ele quanto para muitos outros. Leandro tem orgulho de ser policial militar. Ele tem orgulho de ser quem ele é e de amar quem ele quiser", afirmou o advogado Antônio Alexandre Dantas de Souza ao G1.

##RECOMENDA##

O advogado alega discriminação, pois, segundo ele, há relatos de outros militares heterossexuais que estavam uniformizados quando pediram seus parceiros em casamento, sem nem mesmo solicitar autorização. A corporação afirmou que não houve preconceito na tomada da decisão, e, em nota encaminhada ao G1, garantiu que o pedido do grupo 'PMs de Cristo' também foi recusado, visto que, pretendia utilizar o fardamento durante a Marcha para Jesus.

[@#galeria#@]

No Instagram, o perfil do Grand Hyatt Rio resolveu fazer uma publicação especial para comemorar o Dia dos Namorados nesta quarta-feira (12). Localizado na Barra da Tijuca, Zona Sul do Rio de Janeiro, o hotel preparou inúmeras ofertas direcionadas para a diversidade. A direção compartilhou fotos de casais homoafetivos e heterossexuais no intuito de exaltar o respeito e romantismo.

"O seu Dia dos Namorados merece ficar para sempre na memória. E para uma experiência inesquecível, criamos pacotes especiais para todos os estilos de casais. Aproveite a data para colocar uma pitada de sofisticação e romance no seu dia. Celebre com a gente!", diz a legenda da postagem.

##RECOMENDA##

Os internautas que seguem a conta do Grand Hyatt Rio celebraram a ideia do conteúdo divulgado. "Parabéns pelo posicionamento", vibrou um dos seguidores. "Parabéns pela campanha.... coerente, elegante e atual!", comentou outra pessoa na rede social.

Confira:

[@#video#@]

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando