Tópicos | PSL

O candidato do PSL à Prefeitura do Recife, Carlos Andrade Lima, encerrou o primeiro dia de campanha, na tarde/noite deste domingo (27), com um adesivaço no Park 17, área no comitê de campanha, localizado na Avenida Boa Viagem, número 97, no Pina. Carlos recebeu a militância ao lado da candidata a vice-prefeita Rosaly Almeida e dos candidatos a vereador do PSL.

Pela manhã, Carlos Andrade Lima percorreu as ruas do Ibura com Rosaly Almeida em carreata e caminhada. O início da campanha foi no maior colégio eleitoral da capital pernambucana apresentando propostas e ouvindo as demandas da população.

##RECOMENDA##

[@#galeria#@]

“A caminhada no Ibura foi muito positiva. A gente nota quando conversa e olha no olho das pessoas uma necessidade de mudanças. Um desejo de que o Recife mude de verdade. O primeiro dia de campanha foi proveitoso”, pontuou Carlos Andrade Lima. 

Nesta segunda-feira (29), o candidato Lima dedicará o dia para reuniões internas e preparação para o primeiro debate entre os candidatos à Prefeitura do Recife.
 
O evento será promovido pelos estudantes da disciplina “Administração de Políticas Públicas”, do curso de Administração da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e contará com a presença de Carlos Andrade Lima com o tema “Políticas Públicas em Debate”. A transmissão será pelo YouTube da UFPE a partir das 19h30. 

*Da assessoria de imprensa

A campanha para as eleições municipais iniciam oficialmente a partir deste domingo (27) e o candidato à Prefeitura do Recife pelo PSL, Carlos Andrade Lima, dará o pontapé inicial com uma caminhada no bairro do Ibura, às 10h. De acordo com o postulante, todo os protocolos sanitários e as recomendações das autoridades serão seguidos para evitar a proliferação do novo coronavírus.

“A partir de agora começa a eleição e as pessoas vão poder conhecer quem eu sou, as nossas ideias e o nosso projeto para o Recife”, destacou Carlos Andrade Lima.

##RECOMENDA##

Neste domingo, o candidato do PSL participará também da inauguração do Park 17, na Avenida Boa Viagem, número 97, no Pina. No evento, haverá ação de adesivaço nos carros.

Os eleitores recifenses já podem ter acesso aos programas de governo dos candidatos ao comando da Prefeitura do Recife. Os documentos estão disponíveis na plataforma DivulgaCand do Tribunal Superior Eleitoral. No site, além das propostas para a gestão, também fica disponível para os cidadãos os dados do prefeiturável, os gastos da campanha, a declaração de bens, a coligação a qual faz parte e a situação do julgamento da candidatura. 

Postulando o pleito pelo PSL, o advogado Carlos Andrade Lima é um dos que apresentou a proposta no ato da inscrição da candidatura. No documento, ele esmiúça a estrutura governamental que será adotada caso seja eleito e pontua ações para diversas áreas. Confira: 

##RECOMENDA##

 

LeiaJá entrevista, nesta quinta-feira (24), o candidato Carlos Andrade Lima (PSL). A conversa com o postulante acontece no canal do Youtube do portal. 

Carlos Andrade Lima concorre nas eleições deste ano em uma chapa puro-sangue, quando os cargos majoritários são ocupados por políticos do mesmo partido, tendo como vice Rosaly Almeida (PSL).

##RECOMENDA##

Acompanhe:

[@#video#@]

Seguindo com as sabatinas aos candidatos ao comando da Prefeitura do Recife, o LeiaJá entrevista, nesta quinta-feira (24), o candidato Carlos Andrade Lima (PSL). A conversa com o postulante será veiculada no canal do Youtube do portal, às 13h. 

Carlos Andrade Lima concorre nas eleições deste ano em uma chapa puro-sangue, quando os cargos majoritários são ocupados por políticos do mesmo partido, tendo como vice Rosaly Almeida (PSL).

##RECOMENDA##

O PSL oficializou, na noite dessa quarta-feira (16), a candidatura do advogado Carlos Andrade Lima para a Prefeitura do Recife. Na convenção partidária, a legenda também confirmou a psicóloga Rosaly Almeida como candidata a vice-prefeita, formando uma chapa puro-sangue para concorrer na eleição majoritária da capital pernambucana.

##RECOMENDA##

Junto ao presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, o candidato a prefeito prometeu realizar uma nova política na capital. E, com a vice Rosaly Almeida, realizar os projetos que a cidade necessita para crescer.

“Minha candidatura é para representar essa ala da população que quer o novo. Nada será como antes. A mobilidade, o meio ambiente e entre outros pontos da cidade nãos serão como antes. O Recife precisa de ideias e soluções novas. Apenas assim resolveremos os problemas da coletividade”, afirmou Carlos Andrade Lima em seu discurso na convenção, que aconteceu no bairro do Pina, Zona Sul do Recife.

"Sou nascido, criado e extremamente orgulhoso do Recife. Entro na política pela porta da frente. Vamos fazer uma campanha calcada na verdade, de propor, não de bater. Minha candidatura é a reação de parte da população que não aguenta mais aquela política velha e antiquada, que não aguenta mais esses arranjos, o toma lá da cá. Novos desafios exigem novas soluções", acrescentou.

Para o deputado federal Luciano Bivar, a candidatura de Carlos Andrade Lima e Rosaly Almeida é uma nova alternativa para a população recifense, uma opção sem amarras políticas e com o objetivo de transformar a cidade potencializando as suas virtudes e reduzindo os problemas.

“É uma opção para Recife. Temos que nos desprender das velha política para que as pessoas tragam boas ideias, gerencia e gestão para nossa cidade. Temos um advogado que já mostrou competência na sua profissão e uma psicóloga com experiência na mobilidade pública. É isso que estamos oferecendo ao povo do Recife. E acreditem que estamos imbuídos do mais forte sentimento de honestidade de propósito”, pontuou o presidente nacional do PSL.

VEREADORES - Na convenção do PSL também foram apresentados os 59 candidatos a vereadores, sendo 41 homens e 18 mulheres. Todos assinaram a ata e confirmaram seus números para a eleição na capital pernambucana.

*Com informações da assessoria de imprensa

O Ministério Público Federal (MPF) apresentou uma ação civil pública (ACP) contra candidato a prefeito de Mossoró (RN) Daniel Sampaio (PSL) por divulgação de notícias falsas - as chamadas fake news – envolvendo a Universidade Federal Rural do Semi-árido (Ufersa), localizada na cidade do Rio Grande do Norte, e as demais universidades federais.

Em entrevista à TV, ele acusou falsamente essas instituições de não prestarem conta dos recursos recebidos, de promover o vício em drogas entre os alunos e ainda tratou com preconceito os estudantes que usam tatuagens.

##RECOMENDA##

O MPF alerta que essas informações falsas prejudicam a imagem não só das instituições, como de todos os profissionais por elas formados, e requer do réu o pagamento de indenização em danos morais coletivos no valor de R$ 500 mil.

“A afirmação do réu é difamatória e preconceituosa e não corresponde à realidade dos professores e alunos”, enfatizam os procuradores da República Emanuel Ferreira e Fernando Rocha, autores da ACP, para quem a omissão diante desse tipo de comportamento estimularia novas manifestações de ódio e de intolerância, passando longe da legítima liberdade de expressão.

Transparência – Instituições como a Ufersa prestam contas anualmente dos recursos recebidos (às quais toda a sociedade tem acesso), além de serem auditadas por órgãos de controle como a Controladoria Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU). A acusação feita pelo réu, por sua vez, se baseou apenas no fato de ele ter tido negado (pela UFRN) recursos para promover um evento de psiquiatria, enquanto a universidade sediava outros eventos.

Somado a isso, na última edição da Pesquisa Nacional de Perfil dos Graduandos das Instituições Federais de Ensino Superior (de 2018), em nível nacional 89,2% dos alunos responderam que nunca usaram drogas ilícitas, dentro ou fora das instituições. Na Ufersa esse percentual foi de 95,3%. “Ao invés de promover um ambiente de estímulo ao uso de drogas, a Ufersa promove ações institucionais de prevenção e conscientização e combate, em especial ao comércio ilegal de substâncias”, registrou uma nota divulgada pela universidade.

Nessa nota, a Ufersa desmentiu também a acusação de que não admitiria a entrada da Polícia Militar em suas dependências. “As ações são integradas com as polícias Militar e Federal”, esclareceu, complementando: “A instituição oferece aos discentes assistência social, psicológica, nutricional e pedagógica, além de práticas de esportes, ensino de música, moradia e alimentação de qualidade e programas e projetos de ensino, pesquisa e extensão”.

A Ufersa acrescentou, também, que “não é de conhecimento desta universidade e dos seus profissionais, bem como da literatura científica, a associação entre tatuagens e transtornos mentais, ou capacidades moral e intelectual do indivíduo”. Para o MPF, a crítica do ex-candidato a deputado atinge de forma “negativa e preconceituosa” todas aquelas pessoas tatuadas, pertencentes aos mais diversos grupos da sociedade.

Autoritarismo - As fake news foram divulgadas por Daniel Sampaio em 7 de maio de 2019, durante entrevista a um programa televisivo local sobre política. Na oportunidade, ele ainda considerou “esquisita” as manifestações culturais desenvolvidas na universidade e alegou que muitos alunos entram nessas instituições “sem nenhuma dependência química, sem nenhuma tatuagem e estão saindo cheios de tatuagens com dependências químicas”, resultando em doenças mentais graves. Atribuiu ainda às universidades o aumento dos casos de suicídio entre jovens.

A Ufersa lembrou que “os transtornos mentais e do comportamento têm origem e desenvolvimento multicausais, dada a influência dos fatores sociais, culturais, genéticos, neurobiológicos e psicológicos”, não sendo obviamente resultado de um único fator, muito menos da frequência a uma universidade federal.

Para o MPF, as declarações do ex-candidato mostram – além de preconceito e desconhecimento - uma visão autoritária de cultura que admite somente uma visão de mundo possível, a do próprio réu, a respeito de uma esfera de ensino público no qual devem vigorar o pluralismo de ideias, a vedação da censura e a proteção à liberdade de expressão.

Contexto - A atitude de Daniel Sampaio não foi isolada e integra um contexto de ataques coordenados à imagem das instituições federais de ensino. Tanto que a entrevista foi concedida somente uma semana depois que o então Ministro da Educação, Abraham Weintraub, ameaçava com o corte de verbas as universidades que, segundo ele, estariam fazendo “balbúrdia”.

“Ataques coordenados às universidades (…) servem para desvalorizar a educação: buscando-se legitimar um discurso autoritário em torno de uma única concepção de vida no espaço público”, cita o procurador da República Emanuel Ferreira.

A ACP irá tramitá na Justiça Federal no RN sob o número 0801192-72.2020.4.05.8401. Acesse aqui a íntegra da ação.

Da assessoria do MPF

O deputado Celso Russomanno, pré-candidato do Republicanos à Prefeitura de São Paulo, procurou o PSL paulista para propor uma aliança com o partido e convidar a deputada Joice Hasselmann para ser sua vice na chapa. A tentativa, no entanto, foi frustrada. Segundo dirigentes do PSL paulista, que relataram a proposta, a candidatura lançada em 30 de agosto está mantida.

Ainda na segunda-feira (14), o deputado federal Junior Bozzella, presidente do PSL-SP e vice-presidente nacional da legenda, registrou formalmente o nome de Joice no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o que impossibilita qualquer intervenção do Diretório Nacional.

##RECOMENDA##

O gesto de Russomanno contou com o respaldo da ala "bolsonarista" da siga, que tenta reaproximar o PSL do Palácio do Planalto - após desavenças, o presidente Jair Bolsonaro deixou o partido pelo qual se elegeu.

Apesar de estar bem posicionado nas mais recentes pesquisas de intenção de voto, Russomanno relutava em ser candidato. O deputado não fez pré-campanha e seu partido adiou a convenção para esta quarta-feira (16), limite do prazo.

Russomanno esteve com Bolsonaro e recebeu a sinalização que teria seu apoio na capital paulista. Procurado pela reportagem, o deputado não se manifestou.

A deputada federal Janaína Paschoal (PSL-SP) voltou a defender, nesta terça-feira (8), a gestão bolsonarista, apesar de expor também divergência com aspectos do governo. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, Paschoal teceu comentários sobre os governos PT, mais especificamente o de Dilma Rousseff, e sobre o governo Bolsonaro. Para ela, qualquer erro da gestão atual não pode ser justamente comparado ao “plano de poder” que o Partido dos Trabalhadores tentou estabelecer até a última posse.

“O que o PT pretendia fazer é incomparável com qualquer equívoco que possa ser cometido pelo governo Bolsonaro”, disse a autora do pedido que resultou no impeachment de Dilma, e completou: “Não houve ato de corrupção no governo atual”. Segundo a deputada, era notável a presença de um plano de poder no governo de Dilma Rousseff, que foi interrompido pelas investigações que encabeçaram o impeachment da ex-presidente.

##RECOMENDA##

Apesar da defesa, Janaína Paschoal diz não estar certa do seu apoio em 2022. A deputada revela pensar em uma “terceira via”, nas próximas eleições, já que as divergências com as gestões passadas e atual podem ser conflituosas, e mencionou querer uma alternativa. Paschoal comentou ainda que a principal promessa do governo Bolsonaro, que é o combate à corrupção, vem entregando resultados decepcionantes. “Nesse aspecto, o governo está deixando a desejar”, comentou.

“Em 2018 eu apoiei Jair Bolsonaro porque via nele a única pessoa com força para vencer o PT. Mas a maneira como os apoiadores dele se manifestam, essa insistência em determinados comportamentos, o caso do filho dele. Se entrarmos em 2022 entre a cruz e a espada, talvez eu apoie Bolsonaro. Mas gostaria de ter uma alternativa”, disse. Quanto às eleições municipais, a deputada confessou ainda estar em dúvida entre duas chapas.

A deputada ainda reservou alguns comentários sobre as investigações referentes à Lava Jato e chamou de “insustentável” a sessão de julgamento contra o ex-coordenador Deltan Dallagnol, a quem recentemente mostrou apoio através do Twitter.

O Partido Social Liberal (PSL) anunciou, nesta sexta (28), que terá candidatura própria à Prefeitura do Recife, nas eleições municipais de novembro de 2020. A legenda será representada no pleito pelo advogado Carlos Andrade Lima.

A decisão foi compartilhada em encontro realizado em um restaurante da Zona Sul do Recife, com as presenças do vice-presidente do partido, Antônio Rueda, do coordenador político do PSL/PE, Marcos Amaral, e do presidente municipal da sigla, Raphael Souto. O presidente do PSL, Luciano Bivar também participou do encontro e  celebrou a escolha de Andrade Lima.

##RECOMENDA##

De acordo com Bivar, o advogado se encaixa no projeto de renovação do PSL no Recife. “Carlos Andrade Lima é um homem novo na política, com perfil e ideais jovens. É uma pessoa de consenso no partido e nada melhor do que lançar o nome dele em nossa candidatura própria. Com certeza ele trará boas ideias ao debate para a gestão do Recife”, afirmou.

Neófito no meio político, Andrade Lima atua no ramo privado da advocacia desde 2004 e filou-se ao PSL em março deste ano. “Fiquei lisonjeado com o convite. Estou animado com a candidatura e para colocar as nossas ideias em prática.”, comentou o advogado.

O nome do vice que integrará a chapa segue em discussão. De acordo com o PSL, a legenda se reunirá com outros partidos em busca de apoio.

Francisco de Paula Santos de Freitas, conhecido como Chicão, foi preso com mais de 100 kg de pasta base de cocaína quando transportava a droga para o Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. Ele é ex-policial civil e marido da ex-presidente do PSL de Taubaté, município do Interior de São Paulo.

A carga de entorpecente avaliada em R$ 5 milhões foi encontrada com o ex-policial no fundo falso de uma caminhonete. Chicão é casado com Jamila Coimbra, que assumiu a coordenação municipal do PSL em 2017 e permaneceu no diretório por dois anos, de acordo com o Metrópoles.

##RECOMENDA##

Em 2004, quando ainda era policial, Chicão foi preso por sequestrar um traficante no bairro Parque Três Marias, em Taubaté, e exigir R$ 100 mil pelo resgate. Ele foi condenado a oito anos pelo crime de extorsão mediante sequestro.

Considerado um dos maiores traficantes de armas e drogas envolvido com facções cariocas e paulistas, a prisão de Chicão foi feita em uma ação conjunta da Polícia Rodoviária Federal (PRF) com a Polícia Civil, no último dia 3.

Com a aproximação do presidente Bolsonaro (sem partido) com o Centrão, o atual líder do governo na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo (PSL), deixará o posto e passará a liderança para o deputado federal Ricardo Barros (PP), que integra o Centrão e já foi ministro da Saúde no governo do ex-presidente Michel Temer. 

Através de sua conta no Twitter, Barros agradeceu o convite de Bolsonaro. "Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro pela confiança do convite para assumir a liderança do governo na Câmara dos Deputados com a responsabilidade de continuar o bom trabalho do Líder Vitor Hugo, de quem certamente terei colaboração. Deus me ilumine nesta missão", escreveu.

##RECOMENDA##

No mês passado, Daniel Silveira (PSL), que era vice-líder do governo na Câmara, também teve que deixar o posto para alocar um deputado do Centrão. “Estranha essa relação de homens tão próximos manobrarem enfraquecimento da base do presidente. Ser líder só tem ônus, mas ao menos que seja alguém de honra”, disse o deputado na época.

O líder do governo, deputado Vitor Hugo (PSL-GO), afirmou que as prioridades de votação do governo para as próximas semanas são: ampliação do porte de armas (PL 6438/19), educação familiar (PL 2401/19), nova lei do gás (PL 6407/13) e mudanças no mercado de câmbio (PL 5387/19). “Para além das pautas econômicas, é preciso avançar na pauta das armas, na educação domiciliar e nas outras pautas conservadoras”, defendeu.

Vitor Hugo lembrou que a votação da proposta de ampliação do porte de armas já foi fruto de um acordo com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). “O armamento é uma pauta importantíssima para o Brasil, que a população tenha acesso facilitado, com responsabilidade, às armas. E vamos cobrar do presidente da Câmara que seja pautado”, disse.

##RECOMENDA##

O deputado General Peternelli (PSL-SP) também defendeu a medida.

Fake news

Vitor Hugo disse que o governo será contra qualquer projeto sobre fake news (notícias falsas). “Não podemos cercear a palavra”, afirmou.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), por outro lado, criticou o fato de o governo ter escalado a Advocacia-Geral da União (AGU) para defender blogueiros que tiveram as contas bloqueadas por disseminar notícias falsas. “É mais um crime que se comete, e o líder do governo se orgulha da ação feita usando o aparato do Estado brasileiro para defender amigos”, declarou.

Aprovada no Senado, a proposta da Lei das Fake News (PL 2630/20) está em discussão na Câmara dos Deputados, sem previsão de votação em Plenário. O texto cria medidas de combate à disseminação de conteúdo falso nas redes sociais, como Facebook e Twitter, e nos serviços de mensagens privadas, como WhatsApp e Telegram, excluindo-se serviços de uso corporativo e e-mail.

*Da Agência Câmara de Notícias

O atual prefeito de Jaboatão dos Guararapes e candidato a reeleição do município, Anderson Ferreira, do PL, ganhou nesta segunda-feira (27) o apoio do PSL, após encontro com o presidente da sigla e deputado estadual Luciano Bivar.

Na reunião, ambos avaliaram e viram como positivo o mandato do atual prefeito de Jaboatão dos Guararapes. "Jaboatão tem hoje uma administração considerada como referência até mesmo fora do País, tanto que já recebeu dois prêmios da ONU por excelência em gestão pública", disse Bivar. 

##RECOMENDA##

O deputado ainda prometeu "marchar" ao lado de Anderson nas eleições. O prefeito agradeceu a Luciano Bivar e enalteceu o PSL, garantindo que o apoio aumenta a confiança em um resultado positivo. "Essa aliança fortalece o nosso projeto e nos deixa mais confiantes para disputar as eleições, em novembro”, pontuou. 

O líder do PSL da cidade de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife (RMR), Ernandes “Bob Esponja”, comemorou seu aniversário de 37 anos, na última quinta-feira (23), aglomerando pessoas em uma festa, o que descumpre o decreto sanitário estabelecido pelo Governo do Estado diante da pademia do novo coronavírus. Com direito a banda, buffet, fotógrafos profissionais e salão de festas, o ex-vereador reuniu dezenas de convidados em um local fechado, ignorando os protocolos de saúde adotados em Pernambuco. 

Em fotos e vídeos compartilhados nas redes sociais do próprio "Bob Esponja" e dos convidados de seu aniversário nota-se a falta do uso de máscaras - utilizadas apenas por profissionais que prestavam serviço na festa. Pelas imagens é possível perceber que nenhum tipo de distanciamento social foi realizado, outra medida necessária para a prevenção da contaminação, ou mesmo o cumprimento dos demais protocolos de saúde, obrigatórios desde o início da pandemia. 

##RECOMENDA##

Em março, um dos decretos instituídos pelo Governo do Estado para frear a contaminação do vírus foi a “Proibição da realização de eventos com mais de 10 pessoas, da presença da torcida em jogos de futebol e do transporte de passageiros via mototáxi. Decretos Nº 48.809 (14/03/2020) e Nº 48.837 (24/03/2020)”.  Apesar da flexibilização da quarentena em Pernambuco, de acordo com o órgão estadual - que foi procurado pela reportagem -, o decreto continua em vigência e há punição para quem descumprí-lo. 

Até o fechamento da matéria o ex-vereador e líder do PSL não havia se pronunciado pelo ocorrido. O espaço permanece em aberto.

Dados da Covid-19 em Pernambuco

Apesar da festa de aniversário de Ernandes “Bob Esponja” forçar uma falsa impressão de que não há mais infectados pelo novo coronavírus, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) registrou, nesta sexta-feira (24), 1.802 novos casos da Covid-19. Entre os casos confirmados, 166 (9%) são de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e todos os outros, 1.636 casos (91%), são considerados leves. Pernambuco totaliza 85.042 casos já confirmados, sendo 22.719 graves e 62.323 leves. Hoje também foram confirmados 26 óbitos, ocorridos desde o dia 7 de maio.

A Executiva Nacional do PSL estuda expulsar a deputada federal Bia Kicis (DF) por causa de seu voto contrário à Proposta de Emenda à Constituição que tornou o Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) em programa permanente. A informação foi dada ao Broadcast Político, do sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, pelo deputado Junior Bozella, que é presidente da legenda em São Paulo.

"Se o próprio Bolsonaro retaliou os bolsonaristas não é o PSL que vai passar a mão na cabeça. O partido nunca foi omisso com aqueles que depõem contra os interesses da nação", afirmou Bozella. O Fundeb é o principal mecanismo de financiamento da educação básica no País. A PEC foi aprovada na Câmara e agora precisa ser analisada pelo Senado.

##RECOMENDA##

Na quarta-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro destituiu Bia Kicis da vice-liderança do governo no Congresso. A deputada é uma das mais ferrenhas apoiadoras de Bolsonaro e foi surpreendida com a dispensa. Além dela, outro seis deputados do PSL votaram contra a mudança no Fundeb durante o primeiro turno da votação na Câmara. Todos são apoiadores de Bolsonaro, mas a legenda ainda não informou se o tratamento dado a Bia Kicis será estendido aos demais.

Como o Broadcast Político mostrou nesta quinta-feira, a retirada da parlamentar da função foi mais um movimento do presidente para se afastar da ala radical do bolsonarismo nesta fase em que precisa ampliar sua base de sustentação. A intenção do governo é reorganizar a articulação no Congresso após a derrota na votação da PEC do Fundeb.

Na prática, a gota d'água para a saída de Bia Kicis ocorreu após ela ter passado recibo da derrota do Planalto na votação do Fundeb. O governo articulou uma manobra para "vender" a imagem de que havia saído vitorioso em plenário. Chegou mesmo a mudar de posição na última hora, quando percebeu que perderia. Mesmo assim, a então vice-líder do governo fez questão de manter o voto contra a proposta que prorrogou o Fundeb, escancarando o racha.

Bia Kicis disse, depois, que votou de acordo com sua consciência, como sempre fez o próprio Bolsonaro quando era deputado. Na avaliação de aliados bolsonaristas, o presidente tenta se distanciar de políticos que vivem em atrito com o Supremo Tribunal Federal (STF). Alvo de inquérito das fake news na Corte, Bia Kicis ficou magoada com Bolsonaro, que ainda busca um nome para substituí-la.

Em um ano de mandato, a senadora Soraya Thronicke (PSL) gastou R$ 73,8 mil em redes sociais e R$ 28,7 mil em equipamentos móveis para decorar seu escritório em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Ela elegeu-se como representante da "nova política", em um discurso contundente contra a corrupção e gastos com dinheiro público.

Documentos publicados pelo Metrópoles apontam que a empresa SPL Produções alugou itens como computadores, mesas e cadeiras por um valor mensal de R$ 2.350. Em relação à presença nas redes sociais, só em junho, foram feitos dois pagamentos à empresa responsável por sua assessoria, um de R$ 7.430 e outro de R$ 2.282.

##RECOMENDA##

Somados os gastos para equipar seu escritório no Estado e movimentar seus locais de comunicação, a senadora desembolsou cerca de R$ 102,548 até julho. Antes da pandemia, ela gastou R$ 12,8 mil nos três primeiros meses, que comparados ao ano passado, indicam um aumento de R$ 5,2 mil, já que em 2019 foram usados apenas R$ 7,6 mil. 

[@#galeria#@]

Com alimentação, hospedagem, locomoção e combustível, Soraya pagou R$ 20,5 mil no primeiro semestre deste ano. Enquanto gastou R$ 20,3 mil durante todo o ano passado, quando não havia pandemia.

A senadora eleita com 373.712 votos, possui 144 mil seguidores no Twitter e 101 mil no Instagram. Atuante nas plataformas em favor das pautas do Governo, ela também utiliza o Facebook, onde conquistou mais de 74 mil seguidores. 

O LeiaJá entrou em contato com a assessoria da senadora para esclarecimentos, mas até a publicação não obeteve resposta. O espaço segue aberto.

Bolsonaristas que se afastaram do PSL para acompanhar o presidente Jair Bolsonaro na criação do Aliança Pelo Brasil tentam se reaproximar da legenda. O movimento acontece diante da possibilidade cada vez menor de que o novo partido saia do papel.

A expectativa de dirigentes do PSL, comandado pelo deputado Luciano Bivar (PE), é de uma reunificação já nas próximas semanas. A cúpula da legenda, que tem 53 deputados, tem adotado o discurso de que não quer briga com ninguém e que deseja neutralizar o radicalismo das alas antagônicas.

##RECOMENDA##

A senha para a reconciliação foi dada há duas semanas em uma ligação de Bolsonaro, que deixou o PSL em novembro de 2019, para o presidente da legenda. No telefonema descrito como cordial e protocolar por interlocutores de ambos, o presidente pediu uma avaliação de Bivar para a crise política.

Segundo o Estadão apurou, não houve um pedido explícito de apoio por parte de Bolsonaro, mas a ligação foi encarada no PSL como um gesto claro de tentativa de reaproximação. Pressionado por dezenas de pedidos de impeachment, o presidente tenta construir uma base no Congresso.

Pessoas próximas a Bivar, no entanto, afirmam que a conversa não significa que a legenda está de volta ao governo, mas admitem que o tempo definirá os termos da relação. "Bivar foi extremamente injustiçado assim como todos os outros deputados. Nunca é tarde para reconhecer erros", disse o deputado Julian Lemos (PSL-PB). 

O deputado estadual Alexandre Knoploch (PSL) está sendo acusado de disparar um tiro de arma de fogo no pé de um advogado que estava em um bar localizado na 408 Sul, em Brasília. O crime aconteceu por volta das 5h desta sexta-feira (3), depois de uma briga que aconteceu no lado de fora do estabelecimento.

Segundo informado da polícia ao Correio, o advogado chegou a dar um soco no rosto do deputado que, em seguida, sacou a arma e disparou no pé da vítima. Ainda conforme informado pela polícia, o bar onde aconteceu a confusão funcionava de forma clandestina em meio à pandemia.

##RECOMENDA##

A assessoria do Alexandre Knoploch disse, por meio de nota, que o deputado foi vítima de uma "agressão covarde" e que ele recebeu socos pelas costas e foi derrubado no chão. Além disso, a assessoria informou que o parlamentar não estava no bar e, sim, em um restaurante. O caso vai ser investigado pela Polícia Civil.

O PSL deve abrir nos próximos dias um processo administrativo interno para a expulsão do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL). A informação é do colunista da revista Época, Guilherme Amado.

A abertura do processo pode ter como base um pedido de investigação contra o deputado encaminhado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, à Procuradoria Geral da República (PGR) no fim do mês passado por "incitação à subverção da ordem política ou social previsto na Lei de Segurança Nacional". 

##RECOMENDA##

O pedido enviado à PGR é baseado nas falas de Eduardo durante uma transmissão ao vivo na casa do blogueiro Allan dos Santos. Segundo o filho do presidente Jair Bolsonaro,  a “ruptura” no país não era mais um momento de “se”, mas de “quando” vai ocorrer. “Quando chegar ao ponto em que o presidente não tiver mais saída e for necessária uma medida enérgica, ele é que será tachado como ditador”, disse o parlamentar na ocasião. 

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando